"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Picadinho pra lá, Pica dura pra cá...


autor: Chronos
publicado em: 14/12/16
categoria: hetero
leituras: 1213
ver notas


Nessa segunda-feira eu tive um dia corrido. Normalmente é um marasmo total, procuro trazer cultura para minha cabeça com um filme interessante, ou livros referentes à minha área de trabalho. Mas quando aparece trabalho, tudo pode mudar, e fui com meu patrocinador fazer mais uma apresentação de plano a um parente dele.

Devido ao desgaste que isso iria proporcionar, deixei meu filho com minha mãe. Ele adora ficar com a vovó, perturbando o juízo dela. Ainda mais que é férias, então ele precisa mesmo distrair-se. Tati a essa hora tava era ralando muito cuidando da velhinha no Catete.

O meu dia virou de ponta a cabeça depois que deixei o herdeiro com a mãe. Foram mais de duas horas ouvindo meu patrocinador, deu até sono. Mas compensador, pois conquistamos mais um potencial Consultor para o Marketing de Rede. Satisfeitos com a bem-sucedida palestra, regressamos ao lar traçando metas para daqui a três meses. E para minha alegria, surpresa total, meu filho quis passar uma noite com a minha mãe. Vislumbrei a possibilidade de uma noite bem apimentada com minha esposa.

Tati e eu chegamos ao lar pouco antes da chuva despencar com força na noite de anteontem. Trouxe algumas coisas gostosas para o jantar , como batata, carne de panela, e preparou um delicioso picadinho de carne. Eu estava assistindo um filme muito instrutivo ( Só que não!) : Victor Frankenstein. Com a carne sendo preparada, Tati foi tomar um banho para libertar-se daquele cansaço que já contei pra vocês no conto anterior, fode você sem direito a gozar, e passou a desfilar pela casa do jeito que veio ao mundo.

Até então, eu estava focado no filme, aguardando a hora da comida ficar pronta. Mas a janta que Tati queria era outra, kkkkkkkkkk!

- Amor, por que você não toma um banho e vem ficar comigo um pouquinho. Tô carente!- fez dengo pra mim.

Eu já perdi muitas noites maravilhosas por puro desleixo meu. Não mais! Tava fodido!? Tava! Estava afim de um amorzinho gostoso!? Confesso que não. Mas se esperam algo lindo, como novelas pregam, todos os dias da sua vida, vocês estão se equivocando!

Revistas de sexo, vídeos educativos e tudo o mais, podem até ajudar a apimentar suas noites. Nos contos é tudo muito bonito. Mas quando falta grana aqui, dívidas ali, trânsito e congestionamento mais fodas que o seu trabalho, aí é que o tesão fica lá embaixo, amigo.

Eu não estava afim de porra nenhuma, mas fui: Tomei um banho, perfumei-me, lavei minha boquinha, e voei pelado pra cima da Tati, já ligando o botão de FODA-SE A VIDA e trocar com ela os carinhos que não havia dado de manhã.

Mas qual não foi minha surpresa, ela resolveu assumir o comando do meu corpo, ô "diliça"! Ordinária, gostosa! Minha gordinha por cima, começou a me dar beijos demorados, molhados, voluptuosos, e o corpo fodido do negão de quase dois metros recebeu uma descarga salvadora de energia extra. O sangue enviou toda a reserva de zinco, selênio e iodo pro meu membro que desta vez parecia vestir uma armadura de Tony Stark versão Ultron: Ergueu-se lentamente, mas parecia possuído!

Tati, em meio as carícias, sentia meu membro encouraçado por uma misteriosa medida de EXTREMIS ( adrenalina máxima ), e começou a brincar de rebolar em cima dele sem penetrar. Gemia muito, tava faminta. Nem precisei chupá-la como costumo fazer, a mente dela tava pronta pro crime!

- Vem, gostoso, dá essa pica pra mim, dá...- enquanto falava, meu membro super endurecido enterra-se na buceta quente e estranhamente apertada de Tati. Ela apertou ou eu que expandi!?

Não importa. Ela deu um longo suspiro e se encaixou lentamente até meu caralho ser totalmente encapado dentro dela. Minha mulher estava intensa, estava diferente. Seu mel tomava todo o ambiente com sua fragrância.

- Nossa, que houve com você!? Nunca te senti tão duro como agora!

- Isso é bom ou ruim, kkkkkk?

- Maravilhoso, que delícia! - e começou a cavalgar sentindo cada polegada sendo preenchida. Ela aumentou o ritmo. Estava tão apertadinha que a vontade era de arrombá-la! Nossa sintonia era tão fina, que parecia saber o que estava pensando. Ela começou a meter com força meu caralho dentro. Ela queria mesmo ser arrombada!

E gemeu como uma cadela no cio. Tava gostoso tê-la. Tão livre. Despojada. Feminina. Puta. É assim que gosto de ver uma mulher...porra! Lembrando aqui, sinto até vontade de me tocar, porque à medida que o tempo passava, meu pau ficava mais duro, parecia explodir.

Então a dominadora pediu para ser dominada. Arregaçada. Rasgada por dentro. Toma meu caralho, cachorra! Eu falava isso para ela. Também não entendia como meu corpo estava reagindo.

- Porra, que pau duro é esse, amor!? Isso, fode sua putinha, fode, tesão...

- Como você tá cachorra hoje! Quer mais, quer?

- Uhum...- e daí não se podia entender o que ela balbuciava pra mim, porque ela gania de tesão como cadela, e sincronizava o movimento comigo, metendo também. Estava sendo a puta que gosto. Estava comendo meu pau como se deve.

Estamos juntos há quase seis anos, e vou dizer a você: Nunca tinha rasgado ela com tanta volúpia. Os ganidos aumentaram, ela ficou sem ar, a sudorese atingiu seu limiar, e Tati incendiou-se com o alucinante gozo que parecia ter esgotado suas energias. Mas me enganei.

Era ela que hoje estava insaciável. Não sabe como agradeço a Deus por atender, suprir, preencher, transbordar essa sede dela em mim. Aí que meti com mais profundidade. E nada de ela cansar. Muito pelo contrário. Deixei todas as minhas proteínas nutrirem-na banhando suas paredes vaginais .

Puta que pariu... Ela arqueou recebendo toda minha essência. Isso é ser mulher! Isso é foder, foi isso que pensei sobre ela. Não sentia nojo, queria mais , não tinha pressa. Tava voando feito a Mercedes do Lewis Hamilton. Desenvolveu muito bem.

O que sucedeu!? Óbvio, carreguei minhas forças com o delicioso picadinho de carne , batatas, arroz fresquinho... E fui acabar de ver o filme do Frankenstein. Passeei por mais alguns canais, e finalmente fui desmaiar nos meus aposentos! Mas não era bem isso que Tati queria ainda, 😈😈!

Elogiou minha performance, que na boa, não fiz nada demais, e ficou acariciando meu pau de novo. Pensei: " seria possível que ela queira mais?" . Normalmente eu acabo com as forças dela. Daí vem aquele medo: E se eu falhar!?

Mandei o medo se foder! Falhar está na nossa cabeça. Se você quiser, você vai e faz! Respeitando seus limites, claro. Mas encarei. Olhei nos olhos dela. Minha cadelinha queria mais piru.

Eu: Quer mais pica, safada!?

Tati: Não tô resistindo. Hoje foi maravilhoso demais... Quero sim!

Eu: Então baixa aqui e faz um carinho faz...( ela veio e abocanhou com pressão) ai, porra!!! Isso, safada, mama que é toda tua!

E meu pau ergueu-se com pressão de novo. Caralho, que presente que eu estava recebendo! Agarrei nos seus cabelos e enterrei até a garganta. A safada aceitou tudinho.

Dali em diante, possuí-a liberando mil devaneios ao pé do ouvido. Ela estava com a buceta tão quente, molhadinha, arregaçadinha, que eu tive a impressão de meu pau ter falhado. Tava duro, gente, e eu nem estava sentido mais!

Estava escorregando dentro dela. Brinquei com aquilo. Deixei escorregar até a portinha do cuzinho. Sorríamos um pro outro. Introduzia de novo. Seu orgasmo tava próximo. Olha, quando eu fizer um filho de novo tem que ser assim: Fodendo gostoso uma noite inteira!

Caí como um leão sobre o corpo da minha fera. Satisfeita, realizada, dormiu agarradinha comigo. Melhor fim de dia para o que parecia no início ser um tédio total. Picadinho de carne pra lá, Pica dura pra cá!

Até a próxima, com certeza, minha gente!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.