"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha formatura e ele.


autor: RedLolita
publicado em: 15/12/16
categoria: hetero
leituras: 1910
ver notas


Bom, minha formatura finalmente chegou, completei o ensino médio e decidi fazer a maior festa junto com minhas amigas. Eu amo festas mas nunca vou em muitas.

Logo que cheguei na festa encontrei Fábio, o pai de um colega de sala antigo, ele estudava na mesma escola que eu mas em sala diferente, fomos amigos por volta de três anos no ensino fundamental mas nos separamos e perdemos contato.

Ele estava mais velho, loiro e seus lindos olhos azuis igual aos dos dois filhos que estudavam comigo, mas ainda era lindo e confesso ser um tesão de homem.

Ele e a esposa se sentavam na mesa ao lado da minha, eu usava um vestido curto e salto, estava básica mas mantendo sempre minha parte inocente o que sempre deixou a todos loucos por mim.

Sua esposa sempre gostou de mim, me achava ótima e sempre me empurrava seu filho mais velho pra mim pois sabia que ele era apaixonado por mim.

Sempre recusei, não gosto de garotos da minha idade, não sinto nada por eles mas a pobre mulher mal sabia que eu era louca pelo marido dela.

Ela saiu da mesa para conversar com umas amigas do outro lado do salão assim me aproveitei para falar com ele que ficou sozinho bebendo sua cerveja:

- Posso me sentar? - ele me olha e sorriu.
- Claro pequena - ele sempre me chamava assim.
- Como esta indo? Vejo que se lembra de mim.
- Como te esquecer, meu filho ainda fala sobre você pra mim.
- Sério?
- Sim, por que não o dá uma chance
- Sabe Fábio, eu o adoro mas confesso que meu interesse nessa família não é por ele - assustado me olhou.
- Por quem seria?
- Você - digo me aproximando dele.
- Como assim?
- Você sempre soube, quando ia na sua casa não era por seu filho mas por você, pra ficar com você pra te sentir perto de mim.
- Ah querida, eu sempre senti algo por você mas é errado.
- Tudo que é errado é bom, não acha? Quero ficar com você, agora e tenho um lugar perfeito - peguei em sua mão e o arrastei para uma pequena casa onde era guardado os objeto de limpeza.
- Sabe o que está fazendo?
- Sei.

Nós entramos, tranquei a porta e por sorte havia uma pequena cama onde o caseiro deveria dormir, nos sentamos e ele logo me beijou:

- Não sabe o quanto eu quis fazer isso mas você era tão jovem.
- Pode fazer o que quiser comigo hoje.

Ele rapidamente me colocou em seu colo, meu vestido logo foi tirado do meu corpo por ele, não usava sutiã, ele beijou meus seios com vontade, sua língua quente me excitava cada vez mais.

Sua mão ágil já estava em minha intimidade, ele brincava com meu clitóris como se já soubesse como me fazer gozar, ele me penetrou com seus dedos e foi o mais fundo que pode dentro de mim me fazendo rebolar enquanto me masturbava.

Prestes a gozar, ele me tira do seu colo me fazendo ficar joelhos em sua frente:

- Sabe querida, as coisas comigo são diferentes então saiba que precisa implorar pela coisas e sempre me tratar como senhor.
- Sim senhor.
- Peça que quer me chupar.
- Senhor, eu estou te implorando que me deixe o chupar.
- Boa menina.

Ele abaixou a calça do terno roxo que usava, seu membro era enorme, fiquei boquiaberta quando vi fazendo ele sorrir safado e me puxar com força para o chupar.

Forço minha boca para poder o chupar por inteiro, minha garganta sentia a ponta do seu membro a tocar, passei minha língua por ele todo fazendo ele gemer alto com a forma que eu ia mais fundo.

Eu sabia que ele ia gozar, ele tira minha cabeça com força me fazendo respirar fundo depois de tirar aquela enorme da minha garganta.

Ele não pediu que eu implorasse e ele me colocou em seu colo, sinto seu pau me invadir, rasgando tudo dentro de mim, gritei alto com a dor que ele me fez sentir:

- Minha ninfeta não era virgem né?- Fiz que sim com a cabeça - Ah minha menina, não é mais.

Ele subiu meu corpo e desceu com força me fazendo gritar de dor e tesão, eu escorria de excitação com aquilo, gemi mais quando ele entrou em ritmo violento comigo. Forte e fundo.

Seu pau entrando cada vez mais fundo dentro de mim me deixa louca por ele, suas mãos apertavam minha bunda, cavalguei nele como uma profissional.

Ele me tirou de cima dele quando gozei nele, ele lambeu rapidamente minha intimidade e me colocou de quatro, sinto seu pau me invadir novamente só que podia sentir que se ele pudesse enfiaria até as bolas dentro de mim.

Ele ia mais rápido e fundo conforme eu gemia, me dava alguns tapas e me xingava de palavrões excitantes pra mim, quando sinto ele mais rápido sei que ele ia gozar.

Nem questionou apenas gozou dentro de mim e de um pau daquele tamanho não pode se esperar uma quantidade pequena de porra, ele me invadiu completamente e ainda escorreu boa parte pra fora.

Alguém bate na janela nos assustando, ele soltou um palavrão que me assustou ao perceber que era seu filho nos olhando com raiva e me deixando culpada.

Me levanto e coloco meu vestido e saio falar com ele:

- Gabriel, por favor.
- Você é uma puta, sabia?
- Não fale assim comigo, não sou isso.
- Com o meu pai?
- Me desculpa - logo sinto um tapa em minha bochecha.
- Some da minha vida! Quer saber por que você não me chupa? - ele abaixa as calças e puxa minha cabeça para seu pau duro.
- Melhor fazer isso querida - Fábio disse atrás de mim.

Não falo muito, apenas decido chupar ele, era grande mas não igual ao pai, ele forçava minha cabeça contra seu pau me fazendo engolir ele todo.

Chupei da melhor forma que pude, apenas pude sentir sua porra escorrer garganta à baixo quando terminei o que ele queria ouço ele dizer:

- É um puta mesmo, vejo a porra do meu pai escorrer pela sua coxa.
- Já chega, Gabriel - Fábio diz - Volte pra festa, já conseguiu o que queria e não ouse falar pra sua mãe.
- Pode deixar - ele me olha com nojo e volta.

Me sento na grama e choro baixinho:

- O que foi?
- Ele me odeia.
- Não odeia, só tem ciumes.
- Queria ficar com você.
- Você é minha mas terá de satisfazer eu e ele, entendeu?
- Sim senhor.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.