"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Obedecendo e gozando...ele me fudeu...


autor: luah
publicado em: 17/12/16
categoria: hetero
leituras: 6218
ver notas


Havia uma sacola verde que fui abrir na curiosidade, estava na beirada da cama de um motel e eu nua e sendo observada por um homem determinado que me comia com os olhos. Quando percebi ele estava retirando sua blusa branca e abrindo a calça já com os sapatos no canto da parede e retirou da minha mão a sacola e a abriu, tirando um lenço grande que ao pegar minhas mãos amarrou as duas para cima e deitou todo meu corpo entre os travesseiros, me beijou a boca com total domínio mas sempre salientando mordidas de leve e passeando suas mãos pelo meu corpo, sorriu gostoso e desceu seus lábios pela minha face, percorrendo o pescoço até os seios e ali massageava e chupava os dois alternadamente brincando com o mamilo durinho que chegou a morder com força.


Eu me contorcia sem saber onde ele iria chegar ou que maldades pretendia fazer, ele mexeu na sacola e tirou uma cobertura de chocolate, aquelas de sorvete e espalhou pelos meus seios e minha barriga e assim foi chupando cada pedacinho achocolatado enquanto enquanto suas mãos apertavam minhas coxas abrindo minhas pernas e aconchegando seu corpo e descendo como ninguém já tinha feito, olhou pra mim e sorriu ao encontrar a virilha e afastando mais as pernas desceu lambendo até meu clitóris, mordeu meu grelinho, e massageava entre os lábios do canal do seu prazer e eu me contorcia com aquele homem com a cabeça entre as minhas pernas quase arrancando minha buceta toda e segurava com força as minhas coxas e nada podia fazer amarrada na cama, tentei fugir dele pois descia uma lubrificação sem igual estava transbordando de prazer e totalmente fora de controle já gritando e ele me olha e sorri, filho da puta, enfiando um dedo nabuceta e girando o dedo além de girar a língua no clitóris, procurava meu ponto G e quando eu pedi pra parar ele intensificou as penetradas com os dedos e ainda de covardia enfiou seu polegar no meu cuzinho, cheguei a pular da cama de loucura e a respiração estava cada vez mais falha pelos gemidos e gritos que aumentava quando olhei aquela pica dele ereta não me contive e pedi pra ele enfiar na minha buceta, ele sorriu e socava os dedos e me travava na cintura com o outro braço até que meu corpo explodiu e ele bebeu o início do meu mel que jorrava entre as minhas pernas por mais de vinte segundos deixando minhas pernas moles e a respiração falhada, senti as lágrimas do meu êxtase mais profundo, do meu orgasmo mais perfeito, escorrerem até alcançarem meu sorriso de menina, minhas forças começaram a ser refeitas quando ele trouxe na sua boca meu mel e compartilhou num beijo devorador e seu caralho roliço veio logo em seguida compartilhar da minha boca enquanto ele batia na minha cara com ele e depois penetrou na minha boca mandando eu chupar e assim eu fiz, chupei ele todinho e coloquei até o fundo da minha garganta, chupando e engolindo sem parar.


Com as reboladas com seu pau na minha boca ele gemia ao ser chupado, sua respiração estava começando a mudar junto com o suor do seu corpo e aquelas veias pulsando mais fortes e altas, ele se afastou me puxou pra baixo e num tradicional papai mamãe enfiou seu pau na minha buceta socando sem perdão abrindo as minhas pernas ao máximo e arrombando minha buceta me fazendo delirar, que puto do caralho, ele rebolava e socava até o talo , me xingava e eu me contorcia amarrada e sentia a tora entrar, tinha momentos que ele parava respirava fundo e dava uma socada parecendo que o cacete ia sair pela minha boca.


Homem bom de cama é sem igual, com aquela tora então é um delírio de qualquer devoradora de sexo. Ele tirou a pica e me virou de quatro me puxando pro limite da cama para ficar de pé e assim olhar diretamente pra minha bunda se satisfazendo com seus tapas de mão aberta ao enfiar na minha buceta, agora muito arrombada e esfolada pelas toradas sem parar,ele pegou na sacola outro lubrificante e lambuzou meu rabo enfiando o dedo no meu cu e abrindo enquanto seu suor pingava pelas minhas costas e eu rebolava facilitando cada penetrada.


Os gemidos dele aumentaram muito e minhas pernas já tremiam quando ele arrancou aquela pica de dentro da minha buceta e enfiou de uma vez dentro do meu cuzinho , arregaçou, arrebentou todinho e isso o fez ficar mais rápido e seus gemidos viraram uns gritos fortes e assim quase no auge ele tirou seu pênis de dentro do meu cuzinho, agora todo arrombadinho, me puxou pelo cabelo e colocando meu rosto perto da sua pica gozou sua porra na minha cara me lambuzando e me fazendo mamar seu pênis meio que caindo com as pernas latejando, me olhou e logo me beijou a boca compactuando nosso segredo entre muitos.


Desamarrada docemente pegou minha mão após seus seis segundos de gozo, me conduziu ao banheiro e sorrindo me ensaboou por todo o corpo e assim fez nele e me abraçou passando logo depois a mão pelo meu cabelo num doce carinho e me dando um abraço gostoso e falou brincando que eu estava cansadinha.


Voltamos pra cama, ele deitou e me aconcheguou nos seus braços me dando segurança e me oferecendo copo de água que bebi com uma tamanha sede de quem ainda estava em uma viagem de sensações, desejos e taras.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.