"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Noite Feliz


autor: SolBenson
publicado em: 21/12/16
categoria: traição
leituras: 1408
ver notas


Meu nome é Marcela, tenho 19 anos e amo o natal, pois, essa época nada mais é do que o encontro dos parentes e amigos para celebrar os a paz e a alegria. Em minha casa tudo estava em perfeito andamento desde a preparação da ceia até os enfeites ornamentados de pisca pisca e uma enorme árvore que deixava o ambiente com total clima natalino. Enquando eu ajudava meus parentes não pude deixar de perceber um casal que chegava, meu pai logo se aproximou com eles para me apresenta-los:

-Filha esse é o meu amigo Gabriel e sua esposa.

-Muito prazer senhorita...?

Lhe dei a mao a qual ele beijou de forma cavalheiro e logo o respondi com um tom sensual que propositalmente saiu de minha voz:

-Marcela, o prazer é todo meu.
Para a minha sorte meu pai estava distraido e sua esposa, uma perua caricata, daquelas que aparenta só se importar com a beleza e que vive a tomar anti depressivos preocupada com seu closet, suas jóias e seus cachorrinhos, nao notou o meu tom, me cumprimentou e seguiu para perto de minha mãe onde ambas iniciaram uma conversa. Fiquei parada em frente ao Gabriel, e não pude deixar de reparar que ele era um belo rapaz aparentando ter uns 38 anos, olhos claros que me encaravam de forma sexy o que me deixava ainda mais mexida. Seu porte físico era plausível pois dava para notar seus músculos entre sua camisa, que me deixou louca, mas, apenas lhe dei um sorriso e sai em direção as crianças para ver se estavam fazendo tudo corretamente, mas ele veio atras de mim. Me sentia como um cordeiro perseguido por um lobo, um pouco sem graça acho que por ter se dado conta que estava me seguindo ele tentou se desculpar:

- Me perdoa se estou parecendo grudento, é que fiquei adimirado pelo fato de meu amigo ter uma filha tao linda e nunca ter me apresentado.

- Obrigada pela gentileza, mas você não fica atrás é um belo homem, se não fosse casado eu pegaria.

Aquelas últimas palavras saíram meio que automático e fiquei super sem graça, mas nada falei para não piorar ainda mais. Ele sorriu, aquele sorriso que te destrói só de olhar, fui para o quarto e logo meu pai o chamou, me joguei na cama e minhas maos ao descerem até minha buceta encontro minha calcinh molhada e pude constatar, estava com tesão naquele macho, masele era casado o que fazer?! Em meio a esses pensamentos adormeci e acordei com minha mmãe chamando, já era noite e lá fora a rua parecia esta animada. As casas duelavam entre si para ver qual tinha mais pisca pisca. Me arrumei e desci um pouco sem graça ao notar o olhar do Gabriel me secando. Logo estávamos a mesa, todos ceiavam normalmente quando sinto algo roçar minha perna, de inicio tive um susto mas logo percebi que era o Gabriel apos ele sutilmente fazer um gesto de silêncio para mim, pois caso gritasse com o susto, qual seria a explicação que daria?! Estava acanhada de inicio mas logo passei a roçar em sua perna. Notei que entre a festa ele bebia um pouco e não parava de me olhar, a esta altura eu já estava louca de tesão por aquele macho e também não parava de olhar pra ele. Esperei todos dormirem e desci para a sala, com o intuito de encontrar com ele quem sabe apenas de cueca. E assim aconteceu, ele vinha da cozinha um pouco tonto, não sei se foi por causa do sono ou da bebida. Fiquei louca ao ver aquele homem enorme caminhando em minha direção com aqueles braços fortes, seu peitoral definido era agraciado com pêlos que descia até sua virilha que adiquiria um volume em sua cueca. Ele se aproximou de mim e fiquei sem saber o que fazer:

- Não está conseguindo dormir moça?

- Pois é, a insonia algumas vezes me bate, não quer me fazer companhia?

- Claro, todos estão dormindo, seria muito indelicado de minha parte deixar você sozinha.

Ele sentou ao meu lado e logo colocou a mao em minha perna, eu estava apenas de lingerie mas com um hobbie por cima, ele segurava e alisava minha perna até que não resisti e lhe dei um beijo. Pude sentir sua boca e a minha como uma só e ia ao delírio cada vez que ele chupava minha língua, involuntariamente coloquei minha mao em sua cueca e puxei seu pau para fora. Pude sentir em minha mão aquela rola aparentemente uns 25 centímetros crescer aos poucos, logo retirei toda sua cueca e cai de boca, ele me pôs de joelho e segurava meu cabeço. Eu passava a lingua na cabeca rosada e logo ia engolingo centímetro a centímetro daquele pau até o talo, em seguida chupava de todas as forcas batia com ele em minha boca passava toda minha lingua enquanto ele urrava de tesão, naquele momento não tínhamos mais medo de nada muito menos tínhamos noção do risco que corríamos de sermos pegos. Enquando chupava seus ovos que eram fartos como de um touro ele me levantou, me colocou em seu colo e me levou até a mesa me colocando de pernas abertas e socando seu pau com forca, já estávamos suados e meu tesão só aumentava ao ouvir sua respiração ofegante misturada aos gemidos vindos daquela voz grossa. Também me excitavasentir aquele cheiro de macho enquanto ssocava com forca fazendo um barulho abafado ao encontro de nossos corpos. Ele gemia enquanto caia de boca em meus seios. Logo o deitei no chão onde podia ver seu pau duro para cima como um mastro e ele com voz de safado falou:

- Vem cavalgar putinha.
Obediente como sou não perdi tempo e sentei de uma vez só naquele pau deixando ele maluco e logo notei que ele tinha uns pés grandes e cai de boca entre os dedos chupando eles e enquanto cavalgava com mais força, logo me virei e não pude deixar de notar seu peitoral peludo e definido o qual cai de boca e chupei todo mordendo ferozmente os bicos ele urrava a cada chupada que eu dava e logo o beijei enquanto acariciava seu tanquinho ele pôs seus bracos para trás com as mãos na nuca e fiquei louca ao ver aqueles sovações peludos e ligeiramente cai de boca chupando e lambendo todo enquanto rebolava em seu pau ele estava de olhos fechados delirando de tanto prazer, chupava e sentia em minha lingua os pêlos e logo fui subindo e chegando em seus bracos que logo me agarrou com força e ele falou:

- Agora vou comer teu cu vadia gostosa.

Antes que eu pudesse falar algo ele me colocou de lado e socou sua rola de uma vez só onde dei um grito que fora abafado por aquelas maos grandes, desceu lagrimas dos meus olhos mas não falei para parar pois o tesão falou mais alto, eu sentia meu cu queimar feito brasa, enquanto ele metia com muita força me xingava de piranha, vadia, cachorra e gemia com gosto enquanto eu piscava meu cuzinho prendendo seu pau. Ele beijava minha nuca até que ele empinou minha bunda e começou a socar com mais força ainda até que ele anunciou que iria gozar e eu propositalmente prendi seu pau no meu cu o que fez minha buceta jorrar um liquido quente enquanto eu passava e enfiava os dedos nela,. Logo em seguida ele bombou cada vez mais forte nossos corpos suados brilhavam em contraste com o pisca pisca da arvore de natal, até que senti seu pau inchar dentro do meu cu e uma jorra da de liquido grosso e quente invadir meu rabo. Parecia que nunca ia acabar até que ele retirou seu pau e me pegou no colo e fomos para o banheiro, não pude deixar de notar que seu pau ainda estava duro e balançava babando de tesão mas logo foi amolecendo ao tomarmos banho junto. Das minhas pernas desciam sua porra misturada com sangue e ele me beijava.

- Gabriel, adorei fuder com você pode ter certeza que esse foi meu melhor presente de natal.

Ele apenas me deu uma piscada de canto do olhose enrolou na toalha e saiu do banheiro, até que fiz o mesmo e cada um foi para o seu quarto e notei que todos os quartos estavam fechados o que não era comum devido ao calor que fizera naquele dia mas foi por meu pai, que estava atrás da árvore de natal batendo uma punheta enquanto via sua filha sendo fundida por seu amigo.

- Essa realmente foi uma noite feliz. Sempre que posso reencontro com o Gabriel e a cada transa novas sensações e prazeres diferentes nós temos!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.