"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Psiu! Era pra ser segredo


autor: Rainha
publicado em: 23/12/16
categoria: hetero
leituras: 1992
ver notas


Parabéns pra você, nessa data querida, muitas felicidades muitos anos de vida.


Era o dia do meu aniversario, estava tudo tão normal, quisera eu que em nossas datas de aniversários pudéssemos nos dar um dia de folga para podermos curtir , só não da não né?

Então como sempre chego 15minutos mas cedo ao trabalho, vou direto a cantina para tomar meu café, e lá aceno para alguns amigos, comprimento D. Rose e sua filha Manuelle, a (Manu), Donas da cantina, faço meu perdido, e me junto a eles em sua mesa.

Conversamos um pouco sobre o noticiário, futebol e o trabalho que nos aguarda, no fim, agradeço a elas pelo café, e desço para começar meu trabalho, e aturar as reclamações do chefe, o serzinho mal humorado viu, mas enquanto ele reclama, eu viajo pensando na Manu.


Manuelle é muito linda, pele morena, bem magrinha, olhos pretos levemente puxados, cabelos pretos bem lisos que iam até a altura do seu bumbum.

Um bumbum pequenininho, mas arrebitado e que por onde ela passava o conjunto da obra chamava atenção.

Eu, sou branco, se tomo sol fico vermelho como pimentão, sou magrelo, cabelos castanho claro cacheado 1,70 de altura e moro com minha gata Milla, é o que tenho pra falar de mim .

Sou assim, bem sem sal mesmo, por isso sei que a gatíssima da Manu jamais me daria atenção, pra falar a verdade, Manu mau me olha e as vezes parece que evita me atender, mas fazer o que né?


Em cima da minha mesa, várias papeladas para resolver e o chefe fica:
- Fernando preciso do relatório da reunião, - Fernando liga pra fulano e cancela aquele compromisso, -Fernando liga para secretária e me peça um café, -Fernando, -Fernado, -Fernando!
Ah que porra, as vezes da vontade de mandar esse velho se foder, mas preciso do meu emprego rs, Então respiro fundo e como um boneco fantoche sigo as ordens.


Trabalho nesse dia um pouco chateado, já são quase 11:00 horas e nenhuma felicitação, nem mesmo do pessoal mais chegado, porra, ninguém lembra do meu aniversário.

Hora do almoço vou para o refeitório, e é a hora em que falamos mas um pouco de esporte e das garotas do nosso trabalho, só tem gostosas.

Enquanto alguns se encantam com a Renata, a Amandinha ou a Adriana, eu alimento a minha ilusão com a Manu, mas isso guardo só pra mim.

Almoço finalizado, Nem percebo quando Amanda chega nas minhas costas e sussurra em meu ouvido:
- Feliz aniversario!
Chega me arrepio, me levanto para agradecer ficando de costas para todos e ouço a cantoria do parabéns pra você.


Pensou que íamos esquecer de você disse a Renata vindo me felicitar, ela me da um abraço bem apertado e em seguida me entrega um presente, todos querem me abracar mas um diz já já temos que voltar faz um pedido e apaga a vela e corta logo o bolo, disse meu parça João.

Fiz um pedido, mas acho que não ira se realizar, velas apagadas e bora cortar o bolo, abro alguns presentinhos e entre eles uma boneca inflável, tinha que ser presente de macho, há há há.


Gente agradeço a vcs de coração, está tudo muito bom, mas logo voltaremos ao trabalho, vou guardar is presentes no carro sirvam-se a vontade.

Ganhei muitas coisas então Adriana se propõe a me ajudar d. Seguimos pata o estacionamento guardamos tudo em meu carro e sou surpreendido por um beijo molhado de Adriana, dizendo de onde veio este tem mais a sua disposição, fiquei atônito, pos sabia que ela estava de rolo com João.

-Mas e você e o João

-Estamos bem obrigado!

-Então porque me beijou?

-Porque eu quis beijar, oras!

Fiquei confuso não sabia lidar com a situação, voltamos pra dentro como se nada tivesse acontecido, mas fiquei pensando se devia ou não contar pro João, então achei melhor esquecer este assunto ou pelo menos tentar né?

- Fernando quero que me acompanhe hoje na reunião, disse meu chefe, então seguimos para sala com aquelas papeladas. Quase duas horas de reunião chata pra cacete e já ao voltar para a sala, vejo um presente deixado a minha mesa escrito só abra em sua casa quando eu chegar.

Fiquei intrigado afinal quem o teria deixado lá? A não, só espero que não seja da Adriana, se for não vou nem atender, tô fora de roubadas!

Fim de expediente, vou ao refeitório busco o meu bolo, vou para o estacionamento e sigo para casa, abro todos presentes e são bem a minha cara, gosto de todos os presentes.

Logo estou com o último presente que foi deixado em minha mesa na mão, abro ou não abro? aff sou ansioso e curioso, vou abrir, depois fecho novamente kk.

Abro a caixa e pra minha surpresa apenas um papel dobrado, ao abri-lo estava escrito


Como você é curioso gatinho! eu disse que você só poderia abrir quando eu chegar.

Já que receberei visitas coloco um bom vinho para gelar presentinho de um amigo chileno, um saboroso vinho Ventisquero Grey Chardonnay e preparar um macarrão a carbonara que a comemoração merece e assim não fico tao ansioso pensando em quem é que irar vir aqui.


O telefone toca e a minha mãe me parabenizando por mais uma data e todas as recomendações de que preciso me cuidar, o whatsapp não para abro e são inúmeras felicitações, amanha agradeço a tds de uma só vez, após tudo pronto me estico no sofá e adormeço.

Acordo as 00:40 hs com o som da campainha e ao abrir a porta não acreditava em que os meus olhos viam, era a Manu com um vestido de malha florido a altura de suas coxas que eu havia visto apenas cobertas por calcas são perfeitas e um decote em V profundo que parava um pouco acima do umbigo e me dava a visão de parte dos teus seios pequenos mas volumosos, com um mini bolo em suas mãos.
Porra velho, vcs não tem noção do nervosismo que fiquei, chego eu sentia as pernas trêmulas e na hora de convidar para entra gaguejei, que mico né? Ela sorriu achando graça da situação, um sorriso perfeito seus dentes pareciam porcelanas e o batom que dava cor aos seus lindos lábios era uma perfeita combinação.

Com uma voz tão delicada quanto a sua pessoa ela me diz que de longe viu as pessoas me felicitarem por meu aniversario, mas que no momento não pode sair de sua função então decidiu que faria isso mas tarde ou seja agora.

A agradeço colocando o bolo na cozinha e ela vem e me da um abraço que retribuo mas solto rápido pois eu começava a ficar excitado e isso não é momento para uma ereção.

-Eu não sabiam bem por quem esperar, decidi fazer um jantar, esta com fome?
-Na verdade não, mas não dispensaria algo que esta cheirando tão bem, o que é?
Vou ao forno e retiro o refratário de macarrão.
- Ah mentira! Vai me dizer que é macarrão a carbonara? como eu amo este macarrão
-Sim, macarrão a carbonara que bom que acertei na opção.

Ela sem demora se ajeita a mesa pego os pratos os talheres e as taça e coloco a mesa juntamente com o balde com o vinho, ela me olha e diz:
-É um perfeito anfitrião

- Eu tinha a certeza que a ocasião mereceria, mas não imaginei que teria a melhor companhia para o jantar.

Ela sorri meio tímida e começamos o jantar e conversar fico observando:
- Como come bem essa menina, nossa, me admira que seja magra assim, pelo menos ela não é como as garotas com quem já sai, que comem pouco ou que às vezes nem querem comer.
Terminamos o jantar, enchi novamente nossas taças e fomos para a terraço, estava tudo perfeito, noite agradável, céu estrelado, vinho do bom e com a Manu.
Fique olhando para ela que correspondeu meu olhar e quando percebemos já estávamos nos beijando, seus braços passaram por trás do meu pescoço enquanto a minha estava em sua cintura.

- Não sabe o quanto eu esperei por isso! Disse ela que me deixou surpreso porque eu achava que ela me ignorava, continuamos os beijos o clima foi esquentando nossas mãos estavam ficando bobas um procurando o ponto fraco do outro, mas por receio de estar sendo muito acelerado, deixei um pouco de beija-la, apenas olhando nos seus olhos.

A noite estava bem silenciosa, quando de repente ouvimos o som muito forte de uma bomba e Manu se assusta e solta um palavrão, dou risada e ela se desculpa e sorri.
- Nossa que susto, veja como meu coração esta disparado!

Ela então pega minha mão e coloca em seu peito, na abertura do decote, sinto a macies de seu seio, e agora o coração que dispara é o meu! Não deu pra controlar, dessa vez fiquei muito excitado e encorajado pelos vinhos tomados, me aproximei e beijei os lábios de Manu, e para minha surpresa suas mãos passando em volta do meu pescoço, e as minhas mãos deslizaram até sua cintura e a puxei para mas perto de mim, pensei tê-la assustado com minha excitação, mas Manu sabia o que ela queria e começou a provocar.

Entrelaçava e as vezes chupava minha língua enquanto suas mãos acariciavam minha barriga, hora sua mão descia e subia enquanto Manu me mordia a orelha, me arrepiando todo e depois descia passando sua língua suavemente em meu pescoço, a encostei na parede do terraço e comecei a sarrar ela, mostrando-a como me deixo excitado.
A gostosa faz carinha de safada e morde os lábios, jogando seu corpo para trás, deixando seus seios um pouco mais volumosos, não resisti, enfiei minha mão em seu decote e ela deu uma gemidinha, a minha safadinha ficou com os bicos durinhos, abaixei os ombros de seu vestido e cai de boca naqueles seios lindos, eu a chupava e ela arranhava minhas costas e ora segurava meus cabelos e pressionava-me em teu seios, Manu me para e a arruma o vestido envergonhada diz:
- vamos sair daqui Fernando estamos sendo observados.
É, realmente estamos sendo observados, pego sua mão e vou com ela pros fundos da casa, uma varanda linda, o ambiente mais agradável aqui de casa, com deck de madeira, camas de paletes e espreguiçadeiras para descansar, algumas mesas para refeições e uma linda piscina que com certeza iremos utilizar e para cobertura da área nada de concreto mas sim uma maravilhosa cobertura de trepadeiras que encantam Manu por estarem floridas.
Puxo ela para próximo de mim e recomeçamos de onde paramos os beijos são ainda mais deliciosos, ela vai se abaixando e beijando o meu corpo, mordisca minha barriga, ela levanta seu olhar, olho fixamente no olhos dela enquanto ela desabotoa e abre o zíper do meu jeans, estou mas uma vez atônito, ela baixa minha calça e por cima da minha cueca beija o meu pau, deixando sua marca de batom.
- Termine de tirar sua calça! Disse ela, obedeci, ela se vira de costas para mim e esfrega com seu bumbum durinho em meu pau, puxa seus longos cabelos para frente e uma etiqueta acima do ziper de seu vestido dizia "abra o seu presente".
Puta que pariu! sé eu sei nessa hora o quanto meu cacete latejava, com as mãos um pouco tremulas abri o vestido de Manu. Ela retira as alças dos ombros e seu vestido florido cai ao chão, contemplo se corpo perfeito e me ajoelho diante dela para beijar aquele perfeito bumbum, ela geme toda assanhadinha, que gata gostosinha é essa Manu, parece até sonho mas o meu pedido esta prestes a se realizar.

Só de salto e calcinha ela vai até a cozinha buscar a garrafa de vinho, e o bolo que ela havia trazido, volta e enche as tacas faz um brinde a esse momento e volta a ficar de costas, se apoia em uma das mesas e derrama um pouco do vinho em seu bumbum, rapidamente começo a lamber e chupar sua bundinha, com delicadeza retiro sua calcinha e meto a cara que bucetinha raspadinha e cheirosa, do seu anus exalava um cheirinho de morango, abri seu bumbum o comecei a chupa-la.
Eu a devorava chupando sua buceta e seu cu que não tinha só o cheiro, mas também gosto de morango, totalmente diferente de outras que já chupei, ele se movia esfregando em minha cara e eu inebriado com o odor que exalava as vezes parecia que eu estava fora de mim, marquei o seu bumbum com os tapas que eu dava ,e ainda de quatro na mesa pincelo a cabeça do meu pau na buceta gostosa da Manuzinha, ela já toda molinha abre seu bumbum com suas mãos então forço o meu caralho que desliza para dentro de sua grutinha.
Comecei a foder a Manu acariciando suas costas e ela me pedindo mais, então comecei a botar com força e ela gemia alto sem medo e isso me excitava, estava bombando tão forte que a mesa já saía do lugar. Saímos da mesa em direção a uma das espreguiçadeiras., ela me pede para deitar e brinca sorrindo fazendo uma dancinha antes de sentar, então ela fica de costas na pisca que fica aquele bumbum que agora parece enorme e com sua buceta vai engolindo meu pau, no começo são movimentos lentos com sentadas até a metade, logo ela já está sentando pra valer, a gata quica, rebola e olha pra trás acelerando os movimentos, não me aguento, anuncio que vou gozar, ela sai de cima de mim e o gozo espirra jatos e mais jatos parecendo um vulcão ela observa depois se ajoelha próximo a espreguiçadeira e põe-se a me mamar, apenas curto o momento da Manuzinha me chupando, paga de santa mas essa mina é malandra, chupa como profissional.

Precisando recuperar nossas energias damos um mergulho na piscina e logo ela volta a me beijar, tudo parecia um sonho, mas para minha felicidade era real.
Com os beijos e caricias de Manu, eu estava novamente excitado, ela então se afasta de mim e vou busca-la, peço para parar, então abro e seguro suas pernas e chupo sua buceta mais uma vez, a buceta tava gostosa, mas o cloro da agua não me deixou continuar, ela mergulha em direção a saída da piscina, e ao segurar nas barras a agarro por trás, beijo seu pescoço, e ela pressiona seu bumbum no meu pau, não penso mais e enfio ele em sua buceta e bombava forte e ela me pediu para parar, disse que sua pepeca ardia, talvez por conta do cloro, volto para a beira da piscina, ela fica de quatro na espreguiçadeira, meto novamente minha rola nela lentamente, mexo meu quadril roçando meu pau nas paredes internas da pepeca dela, Manu geme e pede pra que eu foda forte e sem do da bucetinha dela, Vou bombando pensando que minha gata estava prestes a gozar, e me deliciar com sabor de seu gozo era o que eu queria, dei o meu melhor e fodia aquele bucetinha como um selvagem, ela gritava e gemia alto, seguro bem forte seu quadril e dou-lhe as bombadas finais enquanto entre gemidos de prazer e gritos altos de êxtase e tesão Manu libera seu gozo agarrada e em minha perna, goza tudo que tem , e cansada se deita debruçada na esteira.
Ergo um pouco sua bunda a deixando de quatro e finalizamos o dia do meu aniversario, com minha pessoa tomando o delicioso sabor de gozo diretamente da buceta suculenta da minha gata Manu nem que eu viva 100 anos jamais esquecerei esta data de aniversario.

Hora de apagar a velinha disse ela me dando um longo beijo e partindo em seguida.

No dia seguinte tudo estava tão normal, mas estava tudo tão diferente, o que aconteceu comigo e Manu fica só entre a gente.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.