"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Aliviado pelo urologista


autor: dfaque
publicado em: 24/12/16
categoria: gays
leituras: 4512
ver notas


Olá pessoal! Vou contar para vocês uma história que me aconteceu na sexta-feira dia 02 de novembro de 2016. Vou me descrever para vocês tenho 26 anos, pardo, alguns pelos no corpo, 85kg, 1.85 cm de altura, cabelo raspado, não sou exatamente musculoso de academia, mas sou basicamente o “parrudão”.

Estava com um problema nos testículos, as vezes sentia uma dorzinha que incomodava, então resolvi marcar um urologista, essa foi a primeira vez que visitei um urologista, sai mais cedo do trabalho e fui para lá, cheguei lá por volta das 17h20min a consulta estava agendada para as 17h30min, a moça que me atendeu disse para eu aguardar que logo seria atendido, alguns minutos depois saiu do consultório um homem alto grisalho, aparentado ter uns 40 anos, eu diria que até bonito, daquele tipo que as mulheres olham e suspiram... Ele me disse boa tarde com um sorriso no rosto e foi falar com a secretaria, após alguns minutos a secretaria se despediu de min e saiu, até ai não achei nada estranho pois já eram quase 18h, imaginei que provavelmente como eu era o último paciente ela já está liberada para ir embora.

O doutor me convidou para entrar em sua sala, entrei meio receoso, era a minha primeira vez em um urologista, mas o médico sempre muito simpático e com um sorriso no rosto percebeu meu nervosismo e disse para eu me tranquilizar que tudo seria muito tranquilo, ele começou a fazer umas perguntas de praxe e logo pediu para eu ficar em pé e retirar as calças para ele poder fazer o exame, o doutor sentou à minha frente e eu fiquei em pé e abaixei minhas calças, confesso que a situação dele sentado de frente pra min, com a cabeça na altura do meu umbigo me deixou com o pau meia bomba na cueca, nisso o doutor pediu para eu retirar a cueca, quando tiro ela meu pau saltou para fora balançando meia bomba, fiquei envergonhando na hora, mas ele agiu como se fosse a coisa mais natural do mundo, colocou as luvas e pediu licença para examinar minha rola, segurou ela suavemente com uma mão e a levantou, com a outra mão ele começou a apalpar meu saco, suavemente... Eu sentindo seus toques não me contive, meu pau em poucos segundos ficou duro igual uma pedra, meu pau tem 18cm grosso, meio curvado para cima, cabeçudo e meio preto. Fiquei envergonhado de ficar com o pau duro na mão dele, ele percebendo meu constrangimento disse para eu ficar tranquilo que aquilo era super normal de acontecer.

-Eu: doutor me desculpa ficar com tesão em uma hora como essas, faz mais de um mês que eu não relações, terminei com minha namorada e devido ao trabalho e faculdade, já faz um tempinho que eu não gozo, então qualquer ventinho que bate já fico de pau duro.

-Doutor: fica tranquilo, é normal ter uma ereção em uma situação como essa, eu examinei o seu órgão e aparentemente ele está bem saudável, essas dores podem ser devido ao tempo de excitação que você tem e ao tempo que você não goza, isso tudo contribui para dores nos testículos, eu recomendo que você vá pra casa e de uma bela de uma gozada.

Quando ele disse isso rimos da situação e meu pau não parava de pulsar entre a sula mão, estava tão gostoso sentir uma mão no meu saco a outra envolvendo meu pau, que logo ele começou a babar na mão do médico, percebendo aquilo ele apontou para a cabeça do meu pau e disse:

-Doutor: olha o liquido saindo, isso é um bom sinal significa que seu pau está quase no ponto para liberar o leitinho.

Quando ele disse leitinho foi quase como se eu tivesse levado um choque.

diegofaque@yahoo.com

-Doutor: deixa eu limpar para você.

Ele soltou meu pau, no momento que ele fez isso meu pau ficou pulando para cima e para abaixo, parecia um pau de jegue quando vê uma burra no cio rsrs, nem eu acreditava no tesão que eu estava sentindo em ser tocado por um homem, e ainda por cima todo aquele clima de erotismo, nisso ele virou para o lado tirou as luvas e pegou uma folha de papel toalha, meu tesão era tanto que eu já nem ligava mais, cheguei meu pau bem próximo do rosto dele, quando ele se virou quase bateu a cara na minha rola, ele riu e disse que um pau duro assim era sinal de virilidade, foi pegando no meu pau e fui sentindo a quentura da sua mão envolvendo ele, logo ele foi puxando a pele para traz expondo a “cabecinha” e apertou meu pau com a mão, como se tivesse espremendo para sair o melzinho antes do gozo... nessa hora eu já estava com as pernas abertas e as respiração ofegante, já nem escondia mais que eu estava gostando daquele pegação no meu pau.

Aos poucos ele começou um movimento lento de vai e vem na minha rola para ir tirando o melzinho, a cada vai e vem que ele fazia escorria um fio transparente de liquido do meu pau, e ele ficava com a cara bem próxima como se estivesse aproveitando o cheiro que exalava da minha rola, o doutor já massageava minhas bolas e punhetava de leve meu pau como se fosse a coisa mais normal do mundo, ele percebendo que eu estava gostando disse:

-Doutor: olha, normalmente eu não faço esse tipo de coisa.

-Eu: me fiz de bobo e perguntei para ele, que tipo de coisa doutor?

-Doutor: estou vendo que você está com o saco bem cheio, acho melhor fazer a extração de esperma aqui mesmo, senão você vai continuar com as dores....

-Eu: Por min tudo bem, se o doutor acha melhor, estou de total acordo.

Ele abriu o sorriso sacana e disse:

-Doutor: aproveita, pois não é todo paciente que tem esse tratamento comigo...

Pensei comigo, eu sei, foi por isso que você mandou sua secretaria ir embora mais cedo né seu safado!??!

Nisso ele começou a socar uma punheta gostosa, massageava minhas bolas, segurava forte o meu pau e socava, parecia que ele era um profissional da punheta, não é à toa que dizem que sexo com homem é mais gostoso, porque um homem sabe o que fazer com outro homem....

Ele já totalmente desinibido socava meu pau como se tivesse ordenhando uma teta de vaca, parecia que ele esperava o meu gozo como um troféu para ele, e não deu outra, veio um espasmo tão grande que estremeceu minhas pernas, tive que segurar em seus ombros para não cair, involuntariamente meu corpo fazia movimento pra frente e para traz como se eu tivesse comendo as mãos dele, meu pau começou a esporrar no seu jaleco, saíram dois esguichos grossos de porra em sua roupa, logo em seguida escorreu mais um pouco de porra bem grossa do meu pau, fazia tempo que eu não tinha um orgasmo daquele... parecia que ele tinha ordenhando um touro.... Nunca fiquei tão cansado depois de uma punheta… porem muito satisfeito e sem dores no saco!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.