"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Me envolvendo com coisa errada


autor: katyferreira
publicado em: 25/12/16
categoria: traição
leituras: 5104
ver notas


Oii
Meu nome é Katy, tenho 25 aninhos e já escrevo há algum tempo.

Esses dias recebi um e-mail questionando sobre meus contos, gostaria de ressaltar que são todos verdadeiros e que tenho uma vida sexual um pouco intensa devido ao meu relacionamento (casada mas quase separada).

Sou do interior e desde cedo tive muito contato com a vida adulta, consequente com assuntos relacionados a sexo e tabus, tudo que relato são meus desejos sendo realizados em formas de contos, logicamente que nem tudo acontece com a perfeição que escrevo, mas é sempre bom colocar um pouco mais de ênfase no que foi bom rsrs

O que aconteceu nesse conto foi algo de certa forma planejado, vamos aos fatos.

Em um dia como outro qualquer eu voltava do trabalho, porém neste dia a chuva era incessante, eu estava de certa forma protegida mas nunca é o suficiente. No caminho pra casa eu sempre passo próximo a uma periferia aqui da cidade onde tenho uns amigos (que inclusive já realizei algumas fantasias rs), neste dia resolvi parar um pouco pra me abrir e quem sabe encontrar alguém e ficar conversando, e foi justamente o que aconteceu.

Parei em uma esquina onde havia um local para me esconder da chuva, bem próximo tinham algum rapazes usando drogas e quase automaticamente começaram a me observar. Fiquei ali por uns 5 minutinhos até que um deles venho conversar comigo, perguntando de onde eu era, se eu morava por perto. Eu já mal intencionada disse que não era dali, mas que tinha alguns amigos, o rapaz rapidamente me ofereceu um trago no cigarro, recusei, mas continuei a conversa.

Ele parecia um bom rapaz que provavelmente se envolveu com drogas e foi pra fora de casa, perguntei o nome, o que ele fazia, profissão… com 10 minutos de conversa já estávamos íntimos rsrs

O nome dele era Clayton, provavelmente eu já tinha visto ele pelas redondezas, mas nunca havia parado pra conversar. No meu instinto de fêmea eu queria ao menos alguns carinhos daquele rapaz, magrinho, não muito bonito mas muito másculo pra mim. Comecei a me empolgar e perguntei se ele morava sozinho, a resposta foi positiva.

Entre uma conversa e outra ele criou coragem e me chamou pra casa dele, olhei no relógio e vi que tinha pouco mais de uma hora pra chegar em casa (no horário normal). Rapidamente aceitei o pedido. Chegando no barraco eu fui bem direta, dizendo que só queria alguns minutos e que precisava muito gozar.

A resposta foi um sorriso envergonhado e pouca atitude, tive então que agir, me ofereci pra deitar com ele, e ficamos ali abraçados, eu fazendo carinho naquele desconhecido. Pouco depois tirei a parte de cima da roupa, fiquei somente de calça e calcinha, deixei meus seios amostra.

Ali estava a Katy, na casa de um desconhecido viciado em drogas que acabara de conhecer, eu não sabia se eu estava feliz ou assustada, ao mesmo tempo que meu vício por sexo crescia eu também me envolvia com algumas coisas erradas.

Clayton já estava excitado quando perguntei sussurando se ele tinha algo pra mim, ele rapidamente achou sua calça e tirou uma colher e fogo, estendeu a mão com uma pedra de crack e me ofereceu. Dessa vez não recusei, fui logo sentir meu segundo prazer, fumei um pouco e passei pra ele que já estava começando a ficar alterado (de tudo que havia usado antes), eu estava gostando daquilo.

Tirei minha roupa e me deitei no colchão, entreguei a ele uma camisinha e me preparei pra ser penetrada pelo “desconhecido”, eu estava um pouquinho alterada pela pedra, mas como sempre eu quis mais…

Me deitei de frente, empinei a buceta e fui preenchida pelo meu mais novo amante. Entre uma penetração e outra eu sentia mais um pouco do sabor daquela pedra, estava me mostrando uma viciada, mas eu nem me importava…

A sensação de sentidos aguçados logo apareceu, parecia que eu sentia cada centímetro do pau daquele macho em mim, eu gemia, o beijava e pedia mais. Clayton estava sob o mesmo efeito que eu, ele simplesmente me comia por instinto, cada estocada ele suava e gemia junto comigo.

Eu na minha loucura dizia que ele não valia de nada, que era fraco e isso deixava meu macho mais intenso, ele enfiava forte e bem bruto na minha buceta, me fazendo gritar a cada penetração, até que tudo se intensificou e ele começou a me bater na cara.

Pedi mais… e maiss….
Meu macho estava cada vez mais bruto e me fodia como um verdadeiro touro reprodutor, eu ainda queria mais, sentia que precisava de mais. Então me virei de bruços e pedi que fudesse meu cuzinho, naquele momento o efeito estava no ápice, eu nem podia sentir dor.

Meu amante se colocou em cima de mim, se apoiou em minhas costas e enfiou fundo no meu cuzinho, aquilo me deixou doida, logo arrumei uma forma de me tocar enquanto ele me comia, estava louca de tesão…

Foi então que no melhor momento eu gozei, uma… duas vezes com aquele puto drogado me comendo, me penetrando fundo, arrombando meu buraquinho tão sensível rs

Pro meu espanto ele continuou metendo, enfiava bem forte, mas agora havia trocado pra minha bucetinha, que estava sensível mas estava adorando aquele pauzão dentro dela, era incrível, eu que já estava feliz tinha motivos pra ficar mais ainda.

Quando ele foi gozar pedi que tirasse a camisinha e jorrasse aquele leite quentinho na boca, ele atendeu meu pedido e preencheu minha boca com aquele liquido maravilhoso, rapidamente engoli tudo (não sou muito fã do gosto mas a sensação de engolir é ótima rs).

Nos beijamos e ficamos deitados por algum tempo, até eu criar coragem pra ir embora, ainda teria o segundo tempo com meu marido em casa rs

bjinhos meninos e meninas

me escrevam;
katyf083@gmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.