"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Fudendo com o Instalador da TV a cabo


autor: Dezinho
publicado em: 26/12/16
categoria: gays
leituras: 6078
ver notas


Tinha 14 anos, moro no Recife com minha irmã mais velha e sempre tive vontade assinar o canal de sexo da tv à cabo, pois sou tarado em pornografia.



Depois de muito pensar, resolvi ligar para a operadora aqui da região e contratar o canal. No dia marcado, estava sozinho em casa esperando o cara da operadora para à instalação. Era um dia muito quente e eu estava só de calção e camiseta. Lá pelas 10 da manhã a campainha tocou e fui atender. Era o rapaz que a operadora mandou para fazer a substituição do conversor e habilitar o sinal. Pedi para que entrasse e apesar de nunca ter me interessado por homens, fiquei admirado com o porte fisico do garoto que suspeitei não ter mais de 23 anos. Ele era um moreno de 1,80m, com corpo malhado, cabelos pretos e vestia uma calça jeans bem justa e camiseta da operadora.



Levei-o até à sala para que pudesse fazer o seu trabalho e fiquei ali conversando amenidades. Enquanto trabalhava o rapaz me disse que se tivesse condições também assinaria este canal pois adorava filmes pornô. Em menos de 5 minutos o trabalho estava pronto e nós jà podiamos assistir à programação. Como haviamos falado à respeito do calor que fazia, perguntei se ele queria tomar alguma coisa e o rapaz pediu um copo de agua. Pedi para que sentasse e ficasse à vontade enquanto iria buscar na cozinha. Quando voltei o rapaz estava sentado no sofá com as pernas entreabertas, assistindo uma bela trepada na teve e nem se importava de estar com o pau visivelmente duro fazendo o maior volume por baixo da calça. Servi a agua e sentei-me no sofá da frente para assistir a trepada com ele.



Ele bebeu tranquilamente sua agua enquanto comentava comigo que adorava as cenas de chupadas como aquela que estava passando na telinha. Disse que não conseguia se controlar pois adorava ver uma boquinha gostosa engolindo seu pau. Eu que também já estava com meu pau doendo de tão duro devido as cenas, comentei que no seu trabalho era comum entre uma instalação e outra, encontrar alguma mulher afim de uma trepadinha rápida ou encontrar empregadinhas safadas sozinhas em casa.



Ele me respondeu que era mais comum encontrar garotinhos querendo dar do que mulher, mas que quando isso acontecia, não perdoava nenhum dos dois. E completou dizendo que até preferia os garotos pois muitas vezes chupavam um pau muito melhor que as mulheres. O papo tava esquentando e Tenho 27 anos, moro em São Paulo com minha irmã mais velha e sempre tive vontade assinar o canal de sexo da tv à cabo, pois sou tarado em pornografia. Depois de muito pensar, resolvi ligar para a operadora aqui da região e contratar o canal. No dia marcado, estava sozinho em casa esperando o cara da operadora para à instalação. Era um dia muito quente e eu estava só de calção e camiseta. Lá pelas 10 da manhã a campainha tocou e fui atender. Era o rapaz que a operadora mandou para fazer a substituição do conversor e habilitar o sinal. Pedi para que entrasse e apesar de nunca ter me interessado por homens, fiquei admirado com o porte fisico do garoto que suspeitei não ter mais de 23 anos. Ele era um moreno de 1,80m, com corpo malhado, cabelos pretos e vestia uma calça jeans bem justa e camiseta da operadora. Levei-o até à sala para que pudesse fazer o seu trabalho e fiquei ali conversando amenidades. Enquanto trabalhava o rapaz me disse que se tivesse condições também assinaria este canal pois adorava filmes pornô. Em menos de 5 minutos o trabalho estava pronto e nós jà podiamos assistir à programação. Como haviamos falado à respeito do calor que fazia, perguntei se ele queria tomar alguma coisa e o rapaz pediu um copo de agua. Pedi para que sentasse e ficasse à vontade enquanto iria buscar na cozinha. Quando voltei o rapaz estava sentado no sofá com as pernas entreabertas, assistindo uma bela trepada na teve e nem se importava de estar com o pau visivelmente duro fazendo o maior volume por baixo da calça. Servi a agua e sentei-me no sofá da frente para assistir a trepada com ele. Ele bebeu tranquilamente sua agua enquanto comentava comigo que adorava as cenas de chupadas como aquela que estava passando na telinha. Disse que não conseguia se controlar pois adorava ver uma boquinha gostosa engolindo seu pau. Eu que também já estava com meu pau doendo de tão duro devido as cenas, comentei que no seu trabalho era comum entre uma instalação e outra, encontrar alguma mulher afim de uma trepadinha rápida ou encontrar empregadinhas safadas sozinhas em casa. Ele me respondeu que era mais comum encontrar garotinhos querendo dar do que mulher, mas que quando isso acontecia, não perdoava nenhum dos dois.



E completou dizendo que até preferia os garotos pois muitas vezes chupavam um pau muito melhor que as mulheres. O papo tava esquentando e o rapaz parecia cada vez mais à vontade no sofá.



Ficamos quase um minuto assistindo a tv em silêncio e coisas estranhas começaram à passar pela minha cabeça. Foi então que o rapaz quebrou o silêncio entre nós e disse que já fazia algum tempo que ele não encontrava alguém para dar uma chupada no seu pau e levatou-se falando que teria de ir embora pois ainda tinha mais instalações para fazer e estava com a impressão de que aquele seria o seu dia de sorte e que encontraria alguem para quebrar o seu jejum.



Olhei bem para ele e disse meio sem pensar que talvez ele já tivesse encontrado esse alguem. Ouvindo isso, o rapaz ali na minha frente com aquele pau duro por baixo da calça falou: "



—Se você fosse esse alguem seria muito bom pois você até que é gostosinho e eu já estou de pau duro mesmo."



E foi chegando mais perto de mim que ainda estava sentado no sofá. Meio tremulo, tomei coragem e acariciei seu pau por cima da calça admirado não só com o tamanho mas como estava duro também.

Ele disse: "Isso viadinho gostoso, acho que você entendeu bem. Não acha melhor tirar-lo pra fora da calça ? Ele já está doendo preso aí dentro." Não pensei duas vezes, abri a sua calça e pude ver meio pau escapando para fora da cueca, com uma cabeça avermelhada toda melada com aquele liquido transparente. Ele acariciava meus cabelos e dizia: "Ele é bonito né? Pega nele e sente como está duro. É você que tá fazendo ele ficar duro assim." Realmente, depois que abaixei a sua cueca e pequei aquele pau nas mãos pude constatar a beleza daquele pau que devia ter uns vinte centimetros era grosso e reto, moreno com a cabeça avermelhada e estava duro como pedra, apontado para cima. Ensaiei uma punheta e ele disse que era melhor eu chupar logo, pois ele estava a muito tempo sem trepar e não queria gozar com punheta. Fiz o que ele mandou. Dei uma lambida na cabeça melada para conhecer o gosto e fiquei surpreso com o sabor meio adocicado. Enfei a cabeça na boca e começei chupar sem saber se estava fazendo a coisa certa. Logo descobri que estava, pois ele começou a gemer e dizer: "Eu sempre achei que homem chupa melhor que mulher, mas puta merda, que boca gostosa."

E dizendo isso, empurrava o pau boca adentro quase me fazendo engasgar, não dava para engolir tudo aquilo, ele dizia: "Isso, massageia as minhas bolas" E eu massageava aquele saco grande e duro fazendo ele estremecer enquanto eu me deliciava com o melado gostoso que saia do seu pau.

As vezes tirava o pau da boca e engolia uma das bolas, as duas não cabiam juntas. O cara tava adorando. Derepende sem falar nada ele segurou a minha cabeça e eu senti a minha boca enchendo com a sua porra que tinha um gosto diferente mas não menos gostoso. Com o susto, tirei o seu pau da boca e ainda senti uns dois jatos acertarem o meu rosto. Me recuperei rápido do susto e assim que entendi o que estava acontecendo voltei a lamber o seu pau, agora todo sujo com a sua porra enquando ele falava.

"Nossa que coisa boa. Lambe ele. Tá gostando ?" e eu respondia com a boca meia cheia: "Ãhã". Ele logo se afastou e pediu para ir ao banheiro, me deixando na sala ainda de pau duro e muito confuso com o que estava acontecendo. Fiquei ali enquando ouvia o barulho da sua urina na agua do vaso. Ele voltou logo e sentou-se já sem roupas ao meu lado no sofá, pois a minha mão no seu pau meio duro, dizendo: "Foi a sua primeira vez, não foi ? Você ainda não gozou, deveria ter batido uma punheta enquanto me chupava. Você quer que eu te faça gozar sem nem encostar no seu pau?"

Eu respondi afirmativamente com a cabeça e então ele mandou eu chupar o seu pau novamente. Eu não perdi tempo, fiquei ajoelhado no chão de frente para ele no sofá e começei a mamar naquele pauzão. Enquanto chupava ele brincava comigo tirando o pau da minha boca e batendo devagarinho com ele no meu rosto, falando: "Você tá gostando de mamar num pau, né? Chupa as bolas e bate uma punhetinha pra ele ficar bem duro."

E disse para eu ir tirando a roupa enquando chupava e eu obedeci prontamente. Quando eu já estava pelado ele foi descendo do sofá e deitou-se no chão colocando-me em cima dele. Nesta posição eu fiquei de quatro com a minha bunda escancarada bem na cara dele e o seu pau bem na frente do meu rosto. Ele disse: "Agora eu vou dar um trato no seu cuzinho pra ele ficar preparado pra inauguração"

E começou lamber minhas pregas com vontade. Fiquei louco com aquela lingua tentando entrar no meu cuzinho e com aquele pau duro na boca. Mau conseguia chupá-lo de tesão. Ele começou a enfiar o dedo indicador e eu nem me preocupei com a dorzinha que aquilo estava provocando.

Quando vi a dor já tinha sumido e eu podia sentir que havia mais de um dedo ali dentro. Apos de alguns minutos de labidas e dedadas ele disse: "O seu cuzinho já está pronto." E eu respondi: "O seu pau também." Corri no meu quarto para buscar uma camisinha, na volta passei no quarto da minha irmã e peguei um creme hidratante.

Minhas pernas estavam tão bambas que mau podia andar. Ao voltar na sala ele estava sentado todo relaxado no sofa, sorrindo com aquele pauzão apontado pra cima. "Que viadinho esperto, foi buscar um creminho. Só por isso vou dexar você sentar no meu pau. Assim você controla a entrada dele." Disse enquando balança o pau.

Novamente me ajoelhei na sua frente, dei mais uma chupada e coloquei a camisinha que quase não entrou naquele pau. Dei uma lambuzada de creme no pau e no meu cuzinho e fui subindo no sofá de joelhos de frente pra ele com as pernas abertas por fora das pernas dele. Estavamos quase deitados. Ele com um sorriso enorme no rosto abria fortemente a minha bunda e falava: "Que gostoso né? Tá dando uma de empregadinha safada ...

Você tá pronto pra virar mulherzinha?" E esfregava a cabeça do pau no meu cuzinho. Eu não conseguia responder nada. Quando senti que a cabeça tava firme na entrada do meu cuzinho começei a forçar o corpo de encontro com ela e com isso, sentir uma dor bem menor do que estava esperando. Quando senti que a cabeça já tinha entrado e não estava doendo muito, empurrei o corpo para traz e senti quase toda aquela vara entrando na minha bunda.

Foi maravilhoso. Dei uma descansada enquando ele continuava abrindo a minha bunda com as mãos e tentando olhar o pau entrando dizendo: "Que empregadinha safada mais gostosa... você tem um cuzinho delicioso, sabia? Tá aguentando quase o meu pau inteiro"

E dava leves estocadas no meu cú. Eu podia sentir direitinho o seu pau dentro do rabo. Sem perceber, começei a rebolar, a subir e descer a bunda, sentia o seu pau entrando e saindo quanse inteiro do meu cuzinho, meu corpo estava tremendo e o meu pau todo melado roçava a barriga peluda daquele macho.

Eu rebolava cada vez mais e ele já não conseguia dizer obcenidades, só gemia. Eu estava me sentido a mais feliz das putas. Pingando de suor em cima dequele macho tesudo. As vezes descia a bunda dando uma rebolada e engolia o pau inteiro sentindo a cabeça batendo bem no fundo do meu cu. Ele nem se mexia. E eu não sentia dor nenhuma.

Agora eu fico pensando e acho que deve ter sido uma cena maravilhosa. A minha bunda arrebitada com a cabeça do pau dentro do meu cue o resto aparecendo e em seguida a minha bunda descendo e engolindo o pau inteiro. Quando senti que ia gozar disse à ele, que respondeu: "Eu não disse que você ia gozar sem encostar no pau? Goza agora que eu também vou gozar" Não deu nem tempo dele terminar esta frase e eu estava gozando no peito cabeludo dele. Em seguida pude sentir as suas estocadas mais fortes acompanhada de seus urros e resmungos de que aquilo é que era cú.

Tirei o pau dele no cu e comecei a chupar até ele gozar na minha boca.

Em seguida ele foi para o banheiro se limpou e voltou vestido. Disse que hoje era realmente o seu dia de sorte e saiu sorridente pela porta da frente. Eu ainda demorei algum tempo até conseguir me levantar mas também acho que esse foi o meu dia de sorte



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.