"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Casal Nitro - O começo


autor: CasalNitro
publicado em: 27/12/16
categoria: hetero
leituras: 1046
ver notas


Nunca casamos na igreja mas vivemos juntos há muitos anos. Quando fomos morar juntos, era sexo pelo menos três vezes ao dia, uma surra de pica atrás da outra. Ricardo me esfolava viva, metia sem dó, me acordava de madrugada com aquele pau rijo, grande, grosso e pronto pra me arrebentar. Eu nunca fui santa, adoro pau, viro puta na mão do meu marido, mas sou fiel, não traio e descobri um belo dia que meu marido adorava bater papo com outras mulheres na internet. Fiquei louca, achei que ele estava me traindo, quis me separar mas ele me acalmou.

Na verdade, Ricardo estava de saco cheio. Desde quando abrimos nossa empresa, que cresceu muito rápido, nossa vida virou um inferno. A gente não almoçava junto, não transava e quando transava era horrível, estávamos sempre cansados, queríamos saber de dormir e mais nada. Parei de ir para a academia ele também. Estávamos a beira de um caos até que eu chamei ele e propus darmos uma chacoalhada na nossa vida.

Ricardo se assustou queria saber qual seria a minha ideia. Comecei a ler e pesquisar na internet e descobri os casais liberais. No início achei loucura, mas depois passei a entender o lado deles e me identifiquei.

A primeira coisa que fiz foi voltar pra academia, depois passei um dia num SPA urbano cuidando de mim, pintei o cabelo de loiro, comprei lingeries, fiz um tratamento de pele e fui pra casa pronta pra virar o jogo.

Passei no supermercado e comprei o melhor vinho, espalhei velas pela casa, incensos, coloquei uma musica sexy e me vesti maravilhosamente. Quando ele chegou não entendeu nada, sorriu pra mim ao me ver toda linda e perfumada. Pedi que ele tomasse um banho e quando ele retornou da sala eu havia colocado um colchão no centro da sala.

Pedi que ele tirasse a roupa e deitasse, Ricardo achou aquilo meio louco mas foi se despindo até ficar nu. Seu pau já dava sinais de vida, ele se deitou de bunda pra cima e eu comecei a passar óleo em todo o seu corpo.

Eu estava sem calcinha e já sentia minha boceta pulsar. Lambuzei ele dos dois lados, ele estava teso, sua pele arrepiava e eu abocanhei aquela tora. Meu marido sempre teve um pau enorme, grosso, com uma cabeça gigante, cheia de veias. Eu adoro, fico louca.

Comecei a chupá-lo como uma vagamunda, acariciava suas bolas, ele gemia. Fui descendo a língua até o saco, pedi que ele abrisse as pernas, ele estranhou mas obedeceu. Ai eu cai de língua no seu cuzinho, ele estranhou, mas aos poucos foi curtindo a onda de prazer que percorria seu corpo.

Começamos a falar baixarias como antigamente. Ele me chamava de puta, batia o pau na minha cara, me mandava chupar e eu chupava, ficamos assim até ele encher minha boca de porra, uma quantidade absurda que eu fiz questão de beber inteira.

Depois foi a vez dele, me chupou toda, meteu os dedos em mim, me penetrou com eles na xana e no cuzinho. Me chamava de vagabunda, dizia que eu dava pros vizinhos e eu gemia, gozava, sentia meu corpo estremecer.
Não aguentando mais pedi que ele sentasse numa cadeira. O pau estava latejando, duro como uma pedra e apontando pro alto. Abri as pernas e sentei de costas pra ele, comecei a rebolar e ele foi me dando tapas, apertava os bicos dos meus seios e eu senti outro orgasmo chegando e gozei que nem uma vadia. Ricardo ficou louco, pediu que eu ficasse de frente, eu obedeci e sentei na tora dele de novo. O pau entrava e eu me sentia preenchida. Ele me estocava por baixo com violência e num golpe só ele se levantou e foi me levanto pro sofá com aquele pau atolado em mim.

Me colocou de quatro e começou a meter na minha bunda, vi estrelas, já fazia um tempo que ele não me comia assim, eu estava sem controle e foi ai que ele perguntou se eu queria dar pra outro na frente dele, fiquei pálida mas sem saber o porque eu disse que queria, ele foi falando, eu respondendo, dizendo que tinha que r uma pica maior que a dele e o Ricardo ficou tão louco que acelerou as estocadas me fazendo gozar de novo até que eu desfaleci no sofá com a bunda cheia de porra, exausta mas saciada.

Depois que recuperamos o folego resolvemos por em prática as nossas fantasias e uma semana depois conhecemos o Pedro, um médico que passava férias aqui e que foi o nosso primeiro ménage.

Amanha eu volto e conto tudo. Obrigado pelas mensagens, estamos adorando essa fase e s´de escrever minha calcinha mela inteira.

Beijos da Helena.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.