"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meu Marido deu-me de prémio para aluno


autor: AnaMaria
publicado em: 30/12/16
categoria: hetero
leituras: 3050
ver notas


José é formador numa escola técnica onde a maioria dos alunos são jovens do sexo masculino com pouco mais de 18 anos. Ele gosta muito do que faz e gosta de recompensar os alunos quando tiram boas notas.
Esta última turma, todos tiveram boa nota e como era verão foram todos convidados para um churrasco e um mergulho de piscina num sábado do mês de Julho. Foi uma tarde bem passada. Claro que lhe fiz companhia com meu biquíni tigresa que tanto tesão provoca em José.
Neste primeiro dia da turma em casa não se passou nada mas um jovem provocou tesão em mim e senti vontade de o comer mas não se proporcionou. Pedro é um jovem alto e musculado, olhos verdes penetrantes. Várias vezes na piscina aproveitei a confusão e me rocei nele. Ele deve ter percebido pois também por algumas vezes o senti bem perto de mim, (acreditem que estava mesmo muito perto).
À noite comentei com José que senti tesão por Pedro e que tinha de arranjar maneira de ele voltar lá a casa.
- Ai sim? A minha putinha sentiu tesão do meu aluno?
- Sim, eu não sou de ferro para não ter vontade de comer uma coisinha assim. E olha que ele deve ter um pau bem jeitoso.
-Como sabes isso?
- Não reparas-te? Várias vezes estivemos bem perto.
Nessa noite fudemos muito e eu gozei a imaginar ser penetrada por Pedro. O José também se veio como nunca. Meu marido adora se corno.
Os dias passaram e eu ia perguntando pela turma e se já tinham feito mais algum teste. José disse que tinha um marcado no principio de Setembro. Claro que perguntei se ia haver premio.
- Talvez. -Respondeu José.
O mês de Setembro chegou e meu marido disse-me para me preparar que ia-mos ter visitas no próximo fim de semana.
- Vais trazer o Pedro?
- Querias, não!... Vou trazer a turma toda mas fica descansada que ele foi o que tirou melhor nota e prometi-lhe um prémio especial. Pensa numa forma de o premiares enquanto eu entretenho a turma na piscina.
O dia chegou. Depilei a minha coninha e cuzinho. Apesar da idade ainda tenho uma cona bonita e quando está lisinha mete inveja a qualquer miúda de 18 anos, segundo diz José.
Estava eu deitada numa espreguiçadeira quando a turma chegou. Todos me cumprimentaram e Pedro fê-lo de uma maneira especial. Abraçou-me com carinho e senti seu corpo no meu seminu. A turma reagiu com assobios.
- Olha o respeito. – Disse meu marido.- Vão mas é todos para a piscina.
O pessoal estava excitado para ir ao banho. Mergulhos, chapas, bombas e grande algazarra. Estavam bastante divertidos.
Resolvi também participar e divertir-me com aqueles jovens. Na piscina aproximei-me de Pedro .
- Então como correu o teste?
- Bem. Não sei como, mas tirei a melhor nota.
- Verdade?! Quer dizer que vais ter prémio.
-Vou? O premio não é a piscina?
- Também, mas mereces mais e sou eu quem te vai entregar o prémio mas ninguém pode saber. Eles pensam que o prémio é o mergulho de piscina por isso vais prometer que vai ser segredo nosso.
- Prometo, mas quando o recebo?
- Quando eu entrar para tratar do lanche o esperas um pouco e depois dizes que me vais ajudar e entras na cozinha.
Depois de muita brincadeira saio para ir preparar o lanche. Num local mais resguardado tiro o biquíni e enrolo-me numa toalha. Nua por baixo aproximo-me da piscina e informo José que vou para dentro. Pedro não tirava os olhos de mim.
Pela janela da cozinha dava para ver o grupo que se divertia na piscina. Faço sinal a meu marido e quase de seguida Pedro sai e seca-se. Sento-me na bancada e espero que ele entre. Eu só de toalha e de pernas abertas para receber o meu príncipe. Assim que entra fica de boca aberta a olhar para a minha cona exposta para ele.
- Mas?!
- Cala-te e entra. Aproveita o teu prémio.
- Mas o professor está lá fora!
- Não fales e recebe o prémio. Anda, chupa a minha chaninha que já está pronta para ti.
Pedro não se fez de rogado e caiu de queixos e chupa-me como ninguém. Via-se que era experiente.
-Gostas do prémio?
- Sim D.Ana. A sua cona é tão lisinha e saborosa.
- Então não fales mais e lambe. Lambe e faz-me vir.
Assim fez. Lambeu, chupou e mordeu até me fazer vir.
-Oh que bom. Onde aprendes-te a chupar assim. Haaaa, ui…………. Venhommmmmmmmm.
Foi delicioso, vir-me na boca daquele rapaz que é mais novo que meu filho.
De seguida é a minha vez de chupar e agora de joelhos e já nua, baixo a bermuda do Pedro. Seu pau salta para fora e fica ereto á minha frente. Também ele estava depilado e depressa segurei aquele pau jovem. Não era enorme como pensei mas mesmo assim era bastante apetecível. As veias salientes e uma cabecinha bem-feita (tipo cogumelo). Depressa abocanhei aquela pila gostosa. O sabor dos líquidos da excitação também eram bons. Primeiro comecei pela cabecinha rodando a língua em volta dela mas depressa a meti toda na boca e chupei. Adoro chupar um bom pau e aquele é uma maravilha.
Pedro começou a ficar impaciente e pede-me para me penetrar. Também achei que estava na hora de sentir aquele cacete dentro de mim.
-Como preferes meu amorzinho.- Disse eu dando-lhe um beijo na boca. (o primeiro).
-Como a senhora quiser.
Sentei-me na mesa da cozinha e de pernas abertas esperei que me penetrasse. Senti aquele caralho roçar os lábios da minha cona e dei um gemido. Agarrei-o pelas ancas e puxei para mim. Ele entrou dentro de mim sem dificuldade pois a minha excitação estava no máximo.
-Fode-me. Quero-te dentro de mim.
Agora pela primeira vez Pedro Segura-me as mamas. Beija-me e comenta.
- A dona Ana apesar da idade ainda tem umas boas mamas.
- Gostas? Então chupa-as. São todas tuas.
Agora com um pau na cona as minhas mamas a serem chupadas o orgasmo não tardaria. Puxei-o novamente para mim.
-Penetra-me com força. Quero-me vir de novo.
Ele obedeceu e foi dando estucadas cada vez com mais força. Não havia pelos por isso sentia bem aqueles colhões a bater na minha cona.
Mais uma vez me vim. Que maravilha. Como eu adoro levar na cona.
-Posso penetrá-la por trás?
-Claro meu querido. Acabei de ter uma ideia.
Pedro ficou a ver o que eu fazia. Peguei na toalha e enrolei no corpo nu. De seguida debruçada na banca da cozinha que tinha vista para a piscina foi dizendo adeus ao pessoal que tomava banho e se divertia.
- Coloca-te por trás que assim ninguém vê.
Ele percebeu o que eu pretendia e penetrou-me por trás. Que loucura. Que tesão que sentia a ser fudida por aquele rapaz e ver ali tão perto os seus colegas e o meu marido. Por falar em meu marido. Pensei se ele queria participar e fiz-lhe sinal. Ele entendeu e veio em direção á cozinha.
Pedro levou um susto mas meu marido depressa o sossegou e lhe explicou que somos um casal liberal.
- Gostas da minha putinha?- Disse ele. – Espero que a estejas a satisfazer. E tu minha safada estás a dar um bom prémio ao meu aluno?
- Sim meu corninho. – Disse eu e beijei-o. Passei-lhe a mão pelo pau e vi que estava teso.
-Tive uma ideia. Mas tem de ser uma coisa rápida.- Disse ele.
Puxou uma cadeira e fez sinal a pedro para se sentar. De seguida guiou-me para me sentar no caralho dele o que obedeci. Depois de ter aquele caralho de novo dentro de mim sinto que meu marido tentava me enrabar. Apesar dos líquidos que tinha escorrido da minha cona o pau custou um pouco a entrar mas ao fim de algumas estocadas lá entrou.
Que maravilha, estar a ser fudida por dois machos. Iam entrando um de cada vez e de vez em quando sentia os dois bem fundo.
Estava tudo bom quando sentimos que alguém chamava o professor.
- Professor, estamos com fome. Esse lanche vem ou não vem.
Meu marido saiu de dentro de mim.
-Tenho de ir entretê-los mais um pouco. Vocês acabem e apareçam lá com o lanche se não vais ter de os fuder a todos.
Saiu e nós continuamos.
-Por favor, vente. Prometo que depois nos encontramos com mais calma e mais tempo.
- Da próxima posso comer o seu cusinho.
- Da próxima podes fazer o que quiseres. Sou toda tua mas agora fode-me. Vem-te dentro de mim. Esporra-me a cona toda.
Eu por cima dele penetrei-o com velocidade e não tardou senti seus jatos de esporra no meu útero.
-Isso, vem-te. Vem-te que eu também me venho. Haaaaaaa. Que esporra quentinha. Ummmmmmmm. Ohhhhhh.
Foi maravilhoso este orgasmo.
Lavamo-nos na casa de banho da sala e depressa acabamos o lanche e em tabuleiros os levamos para a beira da piscina.
-Da próxima vez, vou eu ajudar. -Disse um garoto ruivo com sardas na cara.- Tu deves ter estado a contar histórias á D.Ana.
- Esta bem da próxima vais tu. -Disse eu a rir mas com vontade de tornar realidade pois mais um pau é sempre mais um pau.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.