"Os mais excitantes contos eróticos"

 

ESCOLHAS 12


autor: AlexBahia
publicado em: 04/01/17
categoria: hetero
leituras: 703
ver notas


ESCOLHAS 12



Cadu ia sendo pego de surpresa naqueles dias a todo instante. De óculos escuros observava de forma discreta mas bem safada todas as suas amantes. Maju apareceu com um biquini que ele tinha comprado e ela por achar muito devasso nunca tinha usado. Essa vestimenta se encaixou perfeitamente nas suas curvas e era um pouco cavado. E Maju estar com ele surpreendeu além de Cadu, sua filha.

MAJU: - gostou Duda?

DUDA: - perfeito! A senhora não usou antes por besteira. Quem comprou foi meu Pai.

MAJU: - sim. Muito p/ frente ele.

DUDA: - deixa de besteira Mainha. Sensual e chique. Aliás muito bom gosto tem meu Pai. Acho que de vez em quando vou pedir uma consultoria dele. kkkkk

Duda não ficou atrás e colocou um biquíni também cavadinho. E assim como sua Mãe, estava uma delícia. E Rose? Ah! Essa mais por conta de Duda também usava um biquíni que se encaixou perfeitamente com seu tom de pele. Era um conjunto comportado e sexy na medida certa. Cadu apreciava e seu pau teimada em querer dar sinal de vida apreciando todas aquelas beldades.

.......

DUDA: - estou morrendo de saudades.

CADU: - nem fale. Estou da mesma forma. Saudades de nossa vida juntos.

DUDA: - saudades de ver tv. Conversar besteira lá na sala, dormirmos juntos e sentir sua rola na minha boceta.

-Por sinal está aqui molhadinha. Doida p/ sentir seu pau latejando dentro dela.

CADU: - nem fale. Vc está linda! Um tesão!

DUDA: - sortudo você hein. Apreciou essa tarde três gostosas.

CADU: - três.

DUDA: - sim. Vc viu Rose?

- mas quem mais me surpreendeu foi Dona Maju. Adorei aquele biquíni que você comprou. Me deve um viu.

CADU: - vou comprar um e te dar. Já o vi. E você vai ficar com uma marquinha deliciosa. Quanto a “Dona Maju”, esse jeito já estou acostumado. Ela dá lampejos e depois volta ao normal dela.

DUDA: - estou achando diferente dessa vez. E ontem foi gostoso?

CADU: - não cabe esse tipo de questionamento. Ela é sua mãe.

DUDA: - só cabe isto por ela ser minha mãe. Com outra nem sonhe que te mato.

- estava do outro lado da parede imaginando Vcs. Parece que estava sentada ao lado vendo você meter gostoso naquele bocetão.

- só de imaginar já estou molhadinha.

CADU: - louca!

- Vc é......

O clima que pairava a beira da piscina era mix de alegria, satisfação e desejo.

Muitas risadas, bom papo, boa comida, bebida e sexo.

MAJU: - tarde maravilhosa. Passou que nem senti. Só nossa. Nossa família.

CADU: - adorei. Precisamos de tempos p/ Nós. E quero mais vezes. Vc está linda!

MAJU: - com minha sei lá o que, deixei de ouvir esse elogio maravilhoso do meu marido gostoso.

- quero te pedir desculpas. Vacilei com vc. Deixei você literalmente na mão. Vc é carinhoso, safado.... Vc consegue reunir qualidades que todas as mulheres buscam em seu companheiro. E eu tenho e deixo arestas. Vc é tudo em minha vida. E prometo que pagarei com juros e correção por toda essa minha falta. Vc elogia muito meu lado esposa companheira e você agora vai elogiar meu lado amante.

- vou ser a puta que nunca fui p/ vc. Tive alguns lampejos. Mas nunca fui.

CADU: - seja você meu amor. Vejo como foi criada. Isso cria raízes internas difíceis de serem destruídas. Em muitos momentos doeu, mas Eu te entendo. Quanto a esse lado puta, que seja natural e não por obrigação. Quero você inteira. E curtindo. Quero você aproveitando os prazeres do sexo. Ontem foi maravilhoso. Vi como curtiu. Gozou. Estava aberta e aproveitou o momento. Adorei. Mas nada forçado. E tudo ao seu tempo.

O tesão tomou conta de Maju e desejou algo ali agora. Estavam conversando na espreguiçadeira. O longo papo agora já a sós, combinado com algumas doses de rum e refrigerante, a deixaram mais solta e safada.

MAJU: -pau gostoso. Quero sentir ele agora. Primeiro em minha boca e depois, como diz vc, todo enterrado em minha xota.

Maju apertava o pau de Cadu por cima da bermuda. Cadu delirava. O tesão que tomou conta dele por toda a tarde, aflorou de vez.

CADU: - não brinca. Te pego de jeito. Da forma que você tá querendo.

MAJU: - Rose tá bem ali. Olhando p/ Nós.

- Tira ele.

CADU: - ordem dada, ordem cumprida.

MAJU: - louco! Pau gostoso.

- ela é uma graça. Viu o corpo dela.

- interessante. Não tenho ciúmes dela. E olha que vcs convivem juntos.

- Hum pulsou forte. Gostou foi? Gostou de ter alguém por perto e a gente fazendo uma safadeza.

CADU: - fazendo?

- não estamos fazendo nada.

- e na posição que estamos não tem como ela ver algo.

MAJU: - e você queria que ela visse?

- você é descarado Cadu. Vc faria com alguém vendo a gente? Perto?

CADU: - faço tudo com Vc. Desde que haja o respeito, segurança e cumplicidade.

Maju se soltou de vez. Depois de apertar muito a rola de Cadu sob a bermuda. O tirou e passou agora a bater uma punheta no esposo, que o levava a loucura.

- ah! Delícia de punheta. Bota a boquinha. Chupa gostoso minha chapeleta.

A loira se transformara. Sua vontade era cair de boca naquela rola dura e depois receber com vontade.

MAJU: - Rose!

- estamos sozinhos?

- Duda e a Princesinha já foram?

ROSE: - já sim.

MAJU: - quero ficar à vontade com meu marido. E você nos alerte se alguém chegar. Posso confiar em vc?

ROSE: - sempre.

- fiquem à vontade.

- precisam de algo?

MAJU: - não estamos bem.

Cadu não acreditava no que via. A forma de se portar de Maju o deixava louco. A vontade era comer ela ali mesmo. Maju demonstrava uma safadeza como nunca se tinha visto. E tudo aquilo era natural, nada forçado. Ela viu que precisava mudar p/ aproveitar o seu homem que tanto amava em sua plenitude.

CADU: - linda e maravilhosa! Chupa.

Não tinha como Rose ver o boquete que era feito por Maju em Cadu, mas sua mente viajava. As palavras de Maju surpreenderam Rose e a deixaram muito excitada. Lembrou das vezes que em suas siriricas imaginava Duda e Cadu. Agora tinha a oportunidade de ver seus patrões em ação. Ficou ao máximo por ali. Procurava uma coisa, outra e como não foi questionada por ninguém foi ficando e cada vez mais louca e com a xota toda babada.

CADU: - isso! Chupa com gosto. Deixa ele todo babado.

Com maestria Maju chupava o pau de Cadu. Se contorcia e chupava o saco de seu amado. Cadu delirava. Não acreditava que a responsável por aquela loucura era a sua Maju.

CADU: - você tá muito safada amor. Minha vontade era de ter você quicando bem gostoso em cima dele.

MAJU: - não fala que eu vou.

- Tá gostando? Te excita isso de ter alguém por perto né safado.

- O que Rose vai pensar?

CADU: - nada. Ela não deve estar entendendo nada. Ou......

MAJU: - soca essa rola na minha xota, gostoso.

CADU: - vms p/ o quiosque. Lá podemos ficar mais à vontade.

E assim fizeram. Lá ficaram mais à vontade e Cadu chupou a xota de Maju com maestria e a levou a gozar e soltar gritinhos de prazer que o deixavam mais e mais excitado. Tudo aquilo com sua companheira era novo. Nunca tinha visto de Maju. E ele aproveitava o máximo pois ainda tinha dúvidas, e no fundo achava que aquilo sumiria a qualquer momento.

Rose enlouquecia. O tesão era enorme. Queria ver os dois patrões em ação. E lembrou de um local onde podia ver de mais perto. E assim fez. Ficou próximo e via e ouvia tudo. Apertava seus seios e por cima do short esfregava o dedo na sua boceta. O que sempre imaginou aconteceu. Estar perto do seu amado e o vendo em ação. Mas o clima p/ com sua patroa foi diferente. Ela já a admirava, mas naqueles dias explodiu. Ela estava sentindo tesão por Maju.

Cadu mesmo entregue ao momento não deixava de se preocupar com a varanda. Ele comia sua esposa com uma maestria que a levava ao delírio, mas não deixava de se preocupar com a chegada repentina de alguém. Já Maju essa se entregou por completo. Esqueceu de tudo e se entregou ao prazer. Todas aquelas sensações eram novas e ela estava se viciando. Esse era o sentimento.

MAJU: - soca amor. Isso! Ahhhhhh! Vai safado. Vai safado. Come sua puta. Amoooor?

CADU: - fala safada.

MAJU: - meu rabinho tá piscando. Eu quero sua pica nele.

- Ah! Não vai ser agora. Mas ele vai engolir seu cacete.

Maju quase no auge da safadeza com seu Marido percebeu que mais uma vez eles tinham uma espectadora. Viu que eram observados. E aquilo a excitou muito mais. Cadu se preocupava com a varanda e não percebeu que eram observados. Maju pensou em alertá-lo, mas tomada pelo tesão deixou p>
MAJU: - aí amor. Me deu vontade de você meter e outra pessoa ver.

- Vc mete em sua safada assim amor? Fala que sim. Promete p/ sua puta. Vai. Fala.

CADU: - faço tudo amor. Isso tem haver com cumplicidade e isso fortalece mais e mais.

- Ah! Vou gozar.

MAJU: - aguenta mais. Quero gozar de novo junto com vc.

-Vai safado.

- Ah! Delícia de rola.

Maju delirava recebendo em sua boceta. Ela escorada no balcão era penetrada com vontade. Suas pernas estavam bambas. Seu marido tinha a levado ao seu limite. Sua secretária do lar e agora espectadora ficou na dúvida se tinha sido vista ou não e voltou p/ dentro e tomada pelo tesão, que era maior que o medo da dúvida, passou a se tocar. O short era um pouco folgado e com um dedo conseguia esfregar seu grelo e com o outro apertava um de seus seios e gozou.

ROSE: - ahhhhhhhhh!Ahhhhhhhh!

......: - Delícia! Quando te vejo assim fico louca.

ROSE: - sua louca! Ahhhhhh!

E ela foi surpreendida. E imaginem por quem?

Sugestões, comentários são sempre bem vindos. Serve como combustível p/ escrever. Seguem meus canais e no aguardo de suas opiniões.

alexandreqfo@gmail.com





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.