"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Cara do tinder fudeu os 2 buracos


autor: nady
publicado em: 06/01/17
categoria: hetero
leituras: 3987
ver notas


Bem, vamos lá.
Este é meu terceiro conto e espero que gostem.

Me chamo Nady, tenho 28 anos. Sou loira, cabelos longos, magérrima, peitos pequenos e bumbum redondo e empinadinho.

Essa história trata da terceira putaria que fiz. Já contei como foi com o cara do Orkut, com o gordinho do Facebook. Agora é a vez do japonês do Tinder.

Apesar de ser uma loira deliciosa, fiquei um tempo sem fuder. Sabe aquela fodida que o cara te come e te satisfaz? Fiquei seis meses sem saber o que era isso após o pé na bunda do meu ex.
Cansada de me masturbar diariamente sozinha, resolvi procurar uma pica para chupar no Tinder.

Entre homens e homens que deram “match”, um deles foi o Iago. Descendente de japonês, 33 anos, solteiro, engenheiro civil. Fisicamente não faz meu tipo, mas resolvi entrar de boca nessa experiência.
Começamos a conversar no dia 17 de maio. Tínhamos muitos amigos em comum e isso rendeu muito papo. Encerrado tal assunto, começamos a conversar de assuntos picantes.

Certo vez Iago me pergunta há quanto tempo não transo. Quando disse que fazia seis meses ele rapidamente se prontificou a “tirar minha virgindade” rs
Estávamos loucos para nos comermos, no entanto já tinha viagem marcada. Assim, dia 23 de fevereiro viajei para o nordeste. Lá fiquei por nove dias.

Todos os dias mandava o passo a passo da minha viagem para esse japonês gostoso. Fazia questão de mandar fotos ousadas a ele: sempre destacando meus atributos. Era foto de top less. Hora era foto de biquíni fio-dental. E ele sempre pedia mais.
Certo dia, já sabendo da resposta perguntei:
-o que vc faz com as fotos que te mando.
- eu fico imaginando vc loira, finjo que meus dedos são seus lábios e enfio gostoso até gozar- disse ele.
Nesse instante, eu que estava no aeroporto retornando a minha casa, fiquei molhadinha. Não hesitei- corri pro banheiro e me toquei. Primeiro passei as mãos nos seios, imaginando a boca daquele japinha neles. Depois meu dedo indicador foi molhadinho pelo mel da minha bucetinha, que eu tocava. Nossa que delicia foi.
Depois de dar um jeito no tesão, contei o que acabara de fazer ao Iago. Iago disse que também tinha se satisfeito sozinho.

Determinados a matar tal vontade, marcamos de nos encontrar. E assim nos encontramos no dia posterior.
Escolhi cuidadosamente o que vestir: como a pele estava com marquinha de biquíni, resolvi usar um vestido branco, que realçava a marca. A lingerie era escura, azul, de renda, fio dental.

No horário marcado, estava eu lá. Iago chegou logo depois. Não hesitei e beijei ferozmente seus lábios. Beijo molhado, cheio de tesão, línguas entre línguas, muita saliva. A mão do Iago começou a percorrer meus seios. Desceu rapidamente para minha bunda.
- bunda gostosa. Quero comer ela todinha. Gozar bastante dentro dela- disse ele.
Eu sorri e pedi pra sair dali. Assim fomos em direção em seu apartamento. Entre ruas, faróis, becos e avenidas, estava lá Iago, dirigindo em direção ao nosso ninho de amor, enquanto eu pagava um boquete sensacional. Eu amo chupar um pau latejante. E o dele é perfeito. Grande, grosso e solta muito melzinho (do jeito que gosto).

Chegando ao prédio, nos arrumamos ainda dentro do carro. Saímos do carro, passamos pelo playground do prédio, onde várias crianças brincavam. Era oito da noite, de uma noite quente. Subimos até o segundo andar, entramos no apartamento.
Iago me mostrou o local. Eu pedi para ir ao banheiro. Lá, me despi. Fiquei apenas com lingerie, que a essa altura já estava molhada. Sai do banheiro, rumo ao quarto. Chegando lá, Iago estava somente de cueca, branca. E com um volume imenso nela.
- Vc é descendente de africano? Brinquei
- Se está achando grande assim, tem que sentir quando entra num cu gostoso como o seu- sorriu.
Não resisti, cai de boca naquele caralho. Ainda por cima da cueca. Passava minha língua, naquele pau latejante. Mordia. Ele gemia.
-que putinha safada você hein. Mete ele todo na sua boquinha vai.
Sorri e obedeci.
-sua putinha vai fazer tudo que você quiser.
Comecei a passar a língua naquela cabeça. E que cabeça. Vermelha, grande, escorrendo mel.
-uuuuuuuuuuuuuuh aaaaaaaaaaaaaaaaah sua puta! Chupaaaaa vaiii.... mete meu caralho nessa tua boca!
E eu obedeci. Engoli aquele caralho de uma só vez. Senti ele bater na garganta. Engasguei. Mesmo assim, continuei meu trabalho e ele delirando.
-Loira gostosa, que boca, que língua. To amando ver vc mamando no meu caralho. Mas agora quero comer sua buceta. Deixar vc bem arrombadinha.
No mesmo instante, fiquei de quatro. Ele arrancou meu sutiã. Depois minha calcinha. Eu estava tão molhada que ele nem precisou me chupar. Passou aquele pau latejando em mim.
-Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah safado! Fode sua loirinha vai. Eu amo pica. Quero muito sua pica nos meus dois buraquinhos!
Senti seu pau entrando todo na minha buceta. Senti um misto de dor e tesão. Aquele pau entrando com vontade, com força era tudo que eu queria. E ele metia sem dó. Metia todo, com força, rápido... e sem camisinha seu pau escorregava maravilhosamente.
-que buceta gostosa. Vc é muito vadia.
Nesse instante começou a puxar meu cabelo, puxou com tanta força que senti dor. Agora doía minha cabeça e minha buceta. Mas não pedi para parar, pelo contrário.
-Meeeu Deeeeeeeeeeeeeeeus... que delicia! Me arromba vai....
-Sua buceta é uma delicia, tão delicia que quero ela muito mais. Vc será minha putinha, vai fazer tudo que eu quiser. Deita de lado sua vadia
Deitei na cama, conforme ordenado. Ele me fudeu com força... várias estorradas fortes.
-isso garanhão, fode sua cavala.
-Acho que essa cavala merece mais que um pau na buceta.
Nesse instante, enquanto arrombava minha buceta, senti seus dedos em torno do meu cuzinho. Primeiro, só em torno. Quando dei por mim, três dedos já estavam lá dentro.
-Nossa... mereço tudo isso.
-Merece. Queria ter dois paus pra comer tua buceta e seu cu ao mesmo tempo.
Assim gozei. E ele continuou me arrombando. Até que gozou.

Ficamos um tempo, deitados... cada um olhando seu whatsapp até que disse:
-Podemos ir embora? Tenho compromisso mais tarde.
-Claro... mas antes vou fuder esse cuzinho gostoso.
Nesse mesmo instante, puxou meus cabelos e ordenou que eu deitasse de frente pra ele. Deitei. Vi ele mexendo em uma gaveta. Pegou um gel. Passou naquele pau que estava latejando só de imaginar dentro de mim... depois passou no meu cuzinho.
Sem que eu percebesse, de uma só vez, enfiou lá dentro.
-aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, seu filha da puta... está doendo!
-Não grita sua vagabunda. Os vizinhos vão ouvir. Você não queria rola? Não queria um cacete duro só pra você? Então aguenta.
Enquanto me arrombava, apertava minha boca para que eu não gritasse. Logo, os gritos viraram gemidos e ele soltou minha boca.
-aaaaaaaaaaaaaah pauzudo. Que delicia seu pau dentro de mim, me fode vai. Quero dar o cu pra você todo dia.
-Se você morasse mais próximo seu cu ia ver minha porra todo dia dentro ele.
E continuou metendo por mais uns três minutos. Gozamos. Ele encheu meu cuzinho daquela porra deliciosa. Eu ainda chupei aquele caralho para garantir que ele fosse limpinho pra casa....




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.