"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Complicado na medida certa


autor: abgailsafadinha
publicado em: 11/01/17
categoria: hetero
leituras: 895
ver notas


Sabe aquele rolo que você tem aquela foda espetacular que você não quer assumir mas também não quer larga, hoje eu vou contar pra vocês um rolo casual que já tive e que tenho saudades.

Eu trabalhei em um moto club durante um ano e meio nesse tempo conheci diversas pessoas, mas a que se torno de certa forma excitante e especial foi o Afonso, era mais velho eu com meus 17 anos ele com seus 40 a ideia de aventura me deixava excitada ele me deixava excitada aqueles olhos verdes, aquele corpo eu não era tímida mas perto dele eu ficava boba me enrolava de repente eu me tornava uma desastrada, ele me tratava como criança mas eu iria mostra pra ele que podia ser mulher.

Ele adorava a moto dele uma harley davidson, eu detestava motos e ele sempre me convidava e eu recusava, era o motivo de piada do dia meu medo de motos demoro um tempo mas a vontade de pegar ele foi maior , era uma sexta o moto club lotado eu sabia que ele sempre soltava essa piadinha antes de ir embora, eu já estava preparada pra ação.

Resolvi avisar a minha chefe os meus planos assim eu não sairia no meio do trabalho por nada.

-Mi eu preciso da sua ajuda.

-Se tiver ao meu alcance.

-Quando o Afonso me convidar pra andar na moto dele eu vou ir tudo bem?

-Nossa tá danada em Abgail ele e muita areia pra esse caminhãozinho seu ele quer mulheres experiente e Não ser baba.

Eu não tinha voz o suficiente pra mandar um vai tomar no cu, então resolvi contar até dez mentalmente.

-Qualquer coisa faço duas viagem.

-Vai lá então danada

Sai com raiva oque me deu mais força pra seguir com o plano lá estava ele indo embora era minha deixa.

-Eai Abi vamos dar um role?

-De tanto você insistir eu aceito.

Sentei na moto antes dele protestar estava morrendo de medo mas confiante ia dar certo como era tarde e a noite estava agradável ele me levo em um parque próximo.

-Eai foi difícil.

-Não nem um pouco.

Um silencio se estalo e eu já estava ficando com vergonha quando eu o beijei sem pensar ele não se mexeu mas correspondeu foi estranho mas eu não sabia como podia melhorar.

-Eu vou te levar de volta.

Depois desse dia ele passou ums 5 dias sem aparecer por la, a Mi me zoava e eu comecei a achar que fiz merda passados esses 5 dias ele apareceu pediu uma breja,e sento próximo ao balcão aquele silencio era matador pelomenos um não gostei já era o suficiente no fim do meu expediente eu já estava pra ir embora quando ele me seguiu.

-Sobe na moto

-Pra que ?

-To mandando.

Eu subi com aquele frio na barriga entramos por algumas ruas e paramos na frente de uma casa sutil mas bem arrumada.

-Entra eu vou guarda a moto

Entrei e sentei no sofá estava tarde e eu não sabia exatamente oque ele queria e estava louca pra descobrir, ele entro foi na cozinha e trouxe duas brejas.

-Eu não parei de pensar em você desde aquele dia, você e louca? Me beija daquela forma você ainda e criança pra mim.

-Então porque ainda pensa em mim pra sua informação eu não sou mais criança.

-Nossa eu devia ter te trazido não vai prestar.

-Eu vou te mostrar que idade não define experiência docinho.

Eu subi no seu colo sem rodeios um beijo forte e possesivo, ele tinha a pegada e eu a coragem ia fazer por merecer.

-Acho melhor parar por aqui.

- So tô começando

Me esfrega e me retorcia pra sentir aquele pau gostoso mas a calça jeans não ajudava tratei de tirar virei de costa e tirei lentamente sópra ele ver o quanto eu queria aquele momento tirando todas as peças de roupa, me senti poderosa me virei de frente ele não falo nada sólevanto e me pos contra a parede prendo meus dois braços com uma sómão no alto.

-Já que você quer, mas te aviso logo não sónenhum príncipe encantado

-Eu gosto de fuder não de ouvir historinhas docinho.

Me aperto com força sentir aquele pau era delicioso, chupava meus seios com avides e com a outra mão alisava minha bucetinha que já estava encharcada, me pego no colo e foi em direção a cozinha tiro uma breja da geladeira abriu deu um gole e jogou tudo em cima de mim aquele liquido gelado escoria pelo meu corpo e minha bucetinha encharcada fico geladinha quando aquela boca quente começo a me chupar meu orgasmos veio forte rápido a mistura do frio e do quente e incrível de deixar sem ar

-Agora e a sua vez vem brincar com meu amigo.

Ele apertava forte o meu nariz fazendo eu abrir a boca e engolir tudinho puxava meu cabelo com muita força e aquelas palavras obscenas era de tirar o folego.

-Hum caralho você e uma novinha assanhada assim vou ter que te comer todo dia engole tudo vai.

Eu o empurrei e comecei uma cavalgada frenética, era forte me impulsionava pela cintura em um ritmo tão gostoso que me fez gozar.

-Esta ficando tarde, eu vou te levar em casa mas antes a minha gozada

Me pos debruçada em cima da pia, me fudia com força eu rebolava e apertava aquele pau ouvir os seus gemidos era como música.

-Eu vou gozar.

-Goza pra mim.

Ele lambuzo todo o meu bumbum de porra tomamos um banho rápido, ele me levo em casa. Nosso caso duro ums meses mas pela idade dele não deu certo, mas morro de saudade do pau delicioso dele.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.