"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Boquete profissional no estagiário


autor: nady
publicado em: 01/02/17
categoria: hetero
leituras: 2683
ver notas


Meu primeiro emprego pós formada foi em uma academia de bairro. Dessas pequenas, onde todos se conhecem.

Pedro era um estudante do primeiro ano de educação física. Como era conhecido de um dos proprietários da academia foi convidado para ali estagiar.

Eu trabalhava no período noturno e Pedro no diurno.
Certo dia, chego na academia para laborar e Pedro está na recepção.

-Nady, tudo bem? Hoje ficarei até mais tarde aqui na academia. Você se importa que eu fique aqui na recepção terminando os relatórios da faculdade? Só que o Nestor (dono da academia) não pode saber, porque deveria trabalhar e não só cumprir horas.
-Relaxa Pedro. Quebro essa pra você. Vai ficar me devendo uma hein moleque.

Pedro, 18 anos, pele branca, cabelo e olhos escuros, atlético. Uma delicinha de novinho. Uma carne deliciosa para eu devorar.
Como de costume, fiquei a vigiar os alunos, passar o treino. Minha rotina de trabalho foi normal.

Minutos antes de fechar a academia, tenho o costume de arrumar os pesos, as anilhas e organizar tudo que estiver fora do normal. Enquanto estava agachada arrumando os colchonetes, senti algo atrás de mim. Era Pedro. Quase o delicinha me encoxou.... rs
-Terminou o relatório moleque?
-Sim sim... mas preciso que alguém com CREF o assine. Você poderia fazer isso por mim.
-Claro menino. Me dá aqui que eu assino.
-nossa não tenho como te agradecer...
E sorriu pra mim. Continuei a organizar a academia agora com a ajuda de Pedro.

Terminamos, fechamos a academia. Era hora de ir embora.

-Nady você pode me dar um carona. É que já esta tarde e...
-entra ai moleque.

Ele adrentou no meu carro. Coloquei uma black music pra tocar. Perguntei se gostava, disse que sim. Fomos rumo a casa do Pedro. No meio do caminho, não resisti e dei uma conferida no mastro do Pedro. Meu deus, o menininho estava excitado. Olhei para seu rosto e reparei que estava olhando para meus seios. Não resisti.

-acho que tem alguém aqui que está empolgado!
-Puta merda Nady, você percebeu.
-claro, como não reparar nesse mastro apontando pro teto do meu carro.

Nós dois demos risada!

-é que você é muito.... gostosa... desculpa dizer... mas adoro mulheres igual vc... e quando te vi ali agachada arrumando os colchões minha vontade foi de te mamar na hora.
-E porque não mamou?

Por ser a mais velha ali achei que deveria tomar controle da situação. Inclinei minha cabeça contra aquele mastro enorme. Mordi por cima da bermuda.

-Nady... você...
-cala a boca e aproveita o momento.

Ele se calou. Comecei a morder aquele mastro por cima da bermuda. Ele gemia de tesão. Suas mãos forçavam minha cabeça contra seu pau.
Não aguentei, abaixei a bermuda... a cueca e enfiei aquele caralho cabeçudo de uma vez na minha boca. E o estagiário novinho enlouquecia em cada chupava que dava naquele caralho... engolia ele inteiro, depois subia pra cabeça... sugava aquela cabeçona deliciosa. Descia para as bolas... metia minha língua molhada e uma de cada vez, depois colocava na boca. Engasgava mas não parava.

-Que amiga mais vadia te trabalho eu tenho. Quero fuder essa boquinha... deixa?
Sorri maliciosamente. No mesmo instante ele começou a fuder minha boca em movimentos rápidos. Eu passava minha língua naquele caralho. Enfiava o pau até minha garganta e depois nas bochechas... e ficou nesse revezamento por horas.

-Nady sua putinha... vai tomar leitinho do estagiário.

-tudo que eu quero é jantar um leitinho direto da fonte.

Ele deu mais umas três fudidas e gozou na minha boca. Uma porra gostosa, bem grossa, do jeito que a Nady gosta.

Daquele dia em diante, sempre que quero, o estagiário me dá leitinho.. rs

Gostaria?
email de contato: historiasdenady@gmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.