"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Depois da praia


autor: adriano.master
publicado em: 02/02/17
categoria: hetero
leituras: 2080
ver notas


A encontrei como combinado, na praia. Desde que a vi pela primeira vez, por foto, algo em mim, a fez desejar. Seu olhar, seu sorriso, seus cabelos longos e principalmente, sua boca. Deuses, que boca.

Ela usava um biquine azul, com pequenos detalhes em preto. A praia, o mar, o sol, e uma morena que eu deseja. Meus sentidos a mil. Passamos horas, sorrindo, conversando, nos beijando, o tempo corria. Logo decidimos ir a um lugar onde pudéssemos dar liberdade aos nossos desejos.

Fomos a um motel, perto da praia. Nos beijamos, com vontade, colamos nossos corpos. Eu buscava sua boca, apertava seu corpo contra o meu. Enchi a mão na sua bunda, durinha, carnuda, o formato me lembrou uma onda, prestes a quebrar. Delicia.

Retirei a parte de cima do biquine, a marquinha do sol os fazia serem mais deliciosos. Apertei seus seios, senti os bicos durinhos de excitação. Logo estava chupando, com vontade. Passava de um ao outro, mamando, beijando, mordendo de leve.

Ela retirou o pequeno short florido que vestia e a calcinha do biquine. Aproveitei e também fiquei nu. A deitei na cama. Coloquei minha cabeça entre sua pernas e comecei a chupar. O sal do mar, seu sabor de mulher, meu desejo a mil. Tudo isso contribuiu para o nosso prazer.

Sua buceta pequenininha cabia toda em minha boca, o contraste, entre sua buceta clarinha e sua coxas bronzeadas era um tesão. Segurei suas coxas e enfiei a língua. A usei como um pequeno cacete, penetrando e lambendo, chupando e mamando.

Sua xaninha, começou a ficar mais molhadinha, seu cheiro entorpeceu meus sentidos. Minha pica latejava. Dura, grossa e com a cabeça vermelha.

A mamei durante uns quinze minutos, ela ronronava e gemia, como uma gatinha no cio. Depois fiquei de joelhos e pedi para ela me chupar. Ela se virou, ainda deitada e ficou de frente pra mim.

Olho para o meu pau com cara de safada. Segurou e masturbou um pouco. Começou dando lambidas na cabeça inchada. Em seguida enfiou na boca, até o talo. De onde voltava até a cabeça, usando os dentes para me deixar morrendo de prazer. Pense numa belíssima chupada.

Não demorou muito e estava deitado sobre ela, enfiando minha pica, na sua bucetinha quente e gostosa. Enfiava meu pau, a beijava e apertava seu corpo contra o meu.

Era um vai-e-vem gostoso, nada como fuder a bucetinha que você tanto deseja. Olhava nos seus olhos e a desejava mais e sempre mais. Afundava meu cacete em sua xaninha, com velocidade e força. Mordia seus lábios, seus seios, minha mãos percorriam seu corpo. Nossas respirações aceleravam, nossos corpos suavam, diziamos sacanagens um ao outro. A apertei com força e busquei sua boca. Gozamos juntos, seu mel, se misturando ao meu gozo. Delicia demais....







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.