"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Aventuras da morena - com o pr


autor: moreninha
publicado em: 10/08/15
categoria: jovens
leituras: 5190
ver notas


Me chamarei de Moreninha, tenho 18 anos, pele morena clara, olhos castanhos escuros, perna definida, bunda média e seios fartos. Ah, um incrível desejo sexual. Nesse pequeno conto, irei descrever como terminei fodendo com meu professor no seu carro.
Éramos um grupinho de cinco amigas no colégio, ficávamos conversando e compartilhando experiências sexuais na maioria do tempo. No terceiro ano do ensino médio houve uma grande mudança do corpo de professores do colégio, assim, cada professor que era apresentado dávamos uma nota. Começamos também a fazer desafios semanais, onde escolhíamos um lugar ou um jeito de fazer sexo, e todas teriam que fazer, demorou pouco para que começássemos com desafios mais provocativos com os professores, as tarefas no início eram simples, mas logo, foi perdendo o limite (coisa aliás que adoravamos e convenhamos: deixa as brincadeiras mais legais).
Cada uma escolhia um professor e cada semana teria que fazer os objetivos, simples como pedir ajuda para tarefas inclinando o corpo pra deixar o decote na frente do professor, ou “sem querer” tocar na perna dele, coisas bobinhas de meninas. Meu professor escolhido foi o Rodrigo professor de química, no início ele tentava me ignorar porém quando as brincadeiras ficaram mais intensas conseguia ler no seu olhar o desejo por mim, afinal tenho um corpo escultural bem distribuído, e como se não bastasse, minha cor do pecado deixa qualquer um louquinho de tesão sem muito esforço (confesso: adoro provocar e dar prazer aos homens). E meu desejo também cresceu. Eu ia abusando sempre mais, sabia seu endereço, telefone, rede social e vivia pedindo ajuda com a matéria a qual eu totalmente dominava. Não queria dominar a matéria, queria que ele me dominasse. Queria sua mão deslizando no corpo. Queria ele dentro de mim. E assim, o tesão foi me corroendo.
Na escola, as meninas seguiam com as brincadeiras mas eu queria ir mais longe que todas, então propus que deveríamos tentar ficar com um professor, pois como eu repetia “professor vale como gol fora de casa”. E assim, todas nós tinhamos o desejo, mas eu já estava na frente, já tinha ele na minha mão e não aguentaria se outra passasse na minha frente portanto resolvi me precaver e fazer o possível e o impossível para que ocorresse. Em uma semana conversei muito com ele, que tinha recém terminado o relacionamento e acabei me tornando amiga. Conversávamos na escola, nas redes sociais e ás vezes até ligava pra ele contando algum caso meu (que embora eu seja tão linda, não tinham mais graça pois eu estava viciada nele então inventava qualquer casinho pra ter sua atenção).
Acordei num sábado extremamente molhadinha de tesão por ele, e resolvi que daquele dia não passaria. Sábado chuvoso típico de Porto Alegre no inverno, então precisava pensar em algo convincente que faria ele estar perto de mim em um dia que não haveria aula. Fui ao shopping que ficava perto de sua casa, e de lá liguei para ele pelas 17hrs. Liguei chorando dizendo que havia levado um fora e estava muito triste. Ele pediu pra me encontrar, agradeci e disse que não precisava mas logo cedi, afinal ouvir sua voz no telefone já me fazia estremecer as pernas.
Saí do shopping e a chuva tinha sido substituida pelo temporal (que fazia com que não desse pra ninguém de fora enxergar nada dentro do carro), entrei no seu carro chorando e dizendo que não entendia porque tinha levado um não e estava disposta a tudo pra algum homem perceber meu valor. Enfatizei o tudo, claro para ele perceber que eu queria ele. Nos abraçamos e ele perguntou se poderia me levar pra casa, disse que queria ficar um pouco ali no carro com ele e encostei a cabeça no seu colo. Quando encostei senti uma palpitação, outra palpitação e mais uma. Não aguentei e abri sua calça, tirei seu pau pra fora que estava enorme, latejando e muito duro (nunca tinha visto algo tão gostoso). Ele tentou me fazer mudar de ideia pois éramos aluna e professor, mas não tinha jeito, estava louco pelo prazer comigo. Eu disse:
- Quero ser tua aluna nota dez. Quero aqui e agora professor.
Nesse momento ele me agarrou pela nuca e me beijou intensamente me deixando molhadinha, desesperada pela penetração eu implorava pra ele me tocar. Coloquei seu pau na minha boca e comecei sugando a cabeça, levemente. Coloquei mais fundo e ouvia seu gemido, colocava cada vez mais, até sentir na garganta. Comecei a fazer movimentos com a boca. Estava ali morrendo de tesão, eu fodendo meu professor com a boca. Ouvia seu gemido e fazia mais pressão, e ele disse: - Melhor parar se não quiser que eu goze na sua boca.
Eu estava tomada pelo desejo, queria que ele gozasse na minha boca, na minha buceta em todo meu corpo! Queria sentir aquele homem em mim! Logo, ele gozou e engoli aquele líquido quente e deliciosamente salgado. Terminou de gozar e me puxou pro seu colo, levantando minha saia, arrancando minha camiseta. Começou a tocar meus seios, com movimentos circulares no mamilo e depois foi ficando mais intenso com a mão toda (que mesmo com aquela mão grande ainda sobrava peitos). Colocou meu peito na boca e chupou perfeitamente cada um, me deixando louca e gritando de prazer. Eu suplicava:
- Te quero dentro de mim.
Sentei no seu pau, e senti tudo dentro de mim. Seu pau era enorme, me sentia uma vagabunda e adoro isso. Fiquei sentando bem de leve me apoiando nos seus ombros e começei a rebolar bem gostoso naquele pau. Ele pedia sempre mais:
- Senta gostosa! Senta vai! O professor ta mandando!
Fui ouvindo aquela voz, sentindo sua mão na minha bunda e quando me dei por conta estava cavalgando no seu colo. Queria que ele gozasse então fiz mais rápido, enquanto gritava dizia “me come professor, come sua aluninha!” então ele agarrou minha bunda bem forte e começou a colocar muito rápido. Fui rápido para o banco do lado, coloquei seu pau na minha boca e engoli toda sua porra. Passado o momento de prazer, ele perguntou se eu queria que ele me levasse para casa. Agradeci, dei um ultimo beijo e sai do carro. Afinal, eram só 18 horas, ainda tinha muita coisa pra acontecer naquele dia.
Esse é meu primeiro conto, e tenho muitas histórias pra contar. Portanto, colaborem dando opinião se gostaram do modo da narrativa e se querem mais histórias da minha vida.
Obrigada por ler, prazer pra todos :*



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.