"Os mais excitantes contos eróticos"

 

47 - DA IGREJA, PRO MOTEL


autor: bernardo
publicado em: 05/02/17
categoria: hetero
leituras: 4264
ver notas


Neusa tem 26 anos é branquinha, cabelos castanho com luzes, 1,62 metro, 50 quilos, cintura marcante, seios pequenos, mas bem redondinhos. Ela tem uma amiga de infância que fazia uns seis anos que não a via, e ocasionalmente se encontraram no metro, conversaram rapidamente porque cada uma ia para o serviço, mas trocaram o número do celular. No dia seguinte Neusa ligou para a amiga e colocaram um pouco papo em dia, e Neusa a convidou para ir ao seu apto no fim de semana para matar as saudades. E, assim aconteceu, no sábado seguinte a amiga apareceu e passaram a tarde toda conversando e Neusa descobriu que a amiga tinha virado crente, e frequentava uma igreja no bairro dela e a convidou para ir visita-los.

Como havia combinado com a amiga, Neusa acabou marcando de ir na igreja ao qual ela e o noivo, cujo pai era pastor, frequentavam. Ela chegou quase uns 30 minutos atrasada e quando o culto terminou ainda ficaram batendo papo por um bom tempo, e a amiga sempre com aqueles papos de crente, mas cada um com sua a crença, só que Neusa levava uma vida totalmente diferente, sempre foi independente, morava sozinha, saia com quem quiser e sem pudor também, não é uma devassa, mas gosta da liberdade que tem, por isso ainda não se casou nem tem namorado fixo pois não quer se prender a ninguém.

Enquanto conversavam, Neusa reparou que o noivo da amiga, um negro tipo pagodeiro, apesar de crente, era bombado, frequentador de academia, e ele sempre dava umas olhadas discretas no seu decote que não estava tão provocante assim, estava até bem discreto. Ela percebeu nos olhares dele um certo desejo. Ela já precisava ir mas a amiga a convidou ir até sua casa tomar um café, e disse que o seu noivo a levaria de carro e assim não precisaria ir de ônibus sozinha.

Durante o trajeto de volta até sua casa, ela até que curtiu o papo do Josué pois diferente da sua amiga ele tinha a mente aberta, e então ela o provocou de forma a tirar algumas confidencias intimas, e ficou sabendo que a amiga estava fazendo jogo duro com ele pois fez votos de só transar depois do casamento (mau sabia ele como ela era bem piranha quando eram adolescentes), papo vai e papo vem a conversa foi ficando, digamos mais ousado. Ele ligou para casa deu uma desculpa e avisou que ia chegar mais tarde e decidiram tomar um lanche num drive-thru antes de chegar na casa dela.

Não demorou muito ele se demostrou um belo de um safado porque enquanto lanchavam ele já ia colocando a mão na coxa dela descaradamente cheio de intimidade e ela é claro, meio que na defensiva, disse que aquilo não ia terminar bem, pois era amiga da noiva dele, mas ai ele foi mais ousado ainda e começou a passar a mão e se esfregar nela. Até que ela estava gostando e deixou rolar. Não demorou muito ele abriu o zíper da calça e colocou o mastro para fora, a situação estava muito excitante para pararem e se beijaram como dois tarados.

Como estavam dentro do carro dava para eles se amassarem com privacidade, então ele colocou aquela vara toda melada para fora da calça, com a cabeçorra negra brilhante e o cheiro de sexo tomou conta do interior. Neusa ficou uns 5 minutos punhetando aquela vara, e como quem está na chuva é pra se molhar ela começou a chupar aquela rola com toda força e que rola grande e grossa, a calcinha também já estava toda molhada, e então ela falou:

- Ai que delicia de cacete, não é melhor a gente ir pra um motel? E assim, rumaram para o ninho do amor, bem jeitosinho ali perto.

Ao entrarem no quarto, por causa das preliminares, já estavam cheirando sexo por todos os poros e enquanto ela se despia, ele caiu de boca na sua bucetinha que já se entregava toda babada. Ela o puxou para cima dela e falou:

- Mete com força seu puto crente, mete sem dó - ele meteu tudo em uma estocada que a fez ver estrelas, mas logo ela se acostumou.

Ela gemia e gritava com ele socando com tudo dentro dela, num movimento frenético de vai e vem. Não demorou muito ele deu a primeira gozada fazendo-a sentir o jato quente dentro dela que gozou junto, tal era a excitação. Ela puxou a cabeça dele contra os seus seios e o fez chupa-los. Não demorou muito e ela já estava novamente toda arreganhada pedindo para ele entrar com a espada dentro dela novamente e ele estava se saindo um ótimo amante. Chegando no ouvidinho dele, ela sussurrou que daria uma coisa para ele, que ele nunca esqueceria.

Ela o colocou deitado na cama e começou a chupa-lo e quando o pênis voltou a ficar em ponto de bala ficou de quatro toda empinada, ele veio por cima e ela guiou a cabeçorra grossa daquela pica preta na portinha do seu cuzinho e ele foi metendo aos poucos porque viu que ela estava toda se contorcendo para poder receber aquela vara no seu cu, logo começou a sair da zona de desconforto e ir pra zona do prazer e nessa hora ela já estava dando com raiva pra aquele homem, que gozava horrores, e quando já não tinha mais força e já deitada na cama ele num gran finale gozou enchendo o seu rabo todo com sua porra, quando tirou aquele cacete enorme o seu cuzinho ficou por um bom tempo latejando, e ela até que gostou fazer anal mais aquele homem a arrombou, também quem a mandou provoca-lo.

Foi literalmente uma rapidinha porque em meia hora já tinham que ir embora por causa do horário. Logo que gozaram tomaram um banho e no caminho para casa ela pensou no que tinha feito com a sua amiga, mas... não estava arrependida quem mandou ela ter virado tão puritana, ela sabia que a amiga era santa do pau oco, porque na época da adolescência e juventude ela já tinha dado pra todos os namorados, e sabia também porque ela lhe contava tudo, e ainda estando com a amiga em seus pensamentos chegaram ao seu apto, se despediram com um beijo, trocaram os números do celular e na igreja nunca mais foi, mas em motéis ela voltou várias vezes com ele. Não viram amante, mas faziam sexo casual mesmo depois que eles se casaram, e ela continuava solteira.

*******************
Gostou? Me dá uma nota então, ela será um incentivo para continuar escrevendo. Se desejar posso te mandar uma fotinha da régua do professor Bernardo que tornou a Gabi uma mulher. É só pedir. Skype: bernard.zimmer3 ou e-mail. bernard3320@live.com ou WhatsApp: 11-944517878, agora com vídeo chamada.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.