"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 45 - A Esposa Vadia


autor: MarceloDias
publicado em: 09/02/17
categoria: lésbicas
leituras: 7623
ver notas


Marcelo & Sonia 45 – A Esposa Vadia

No meu trabalho quando chega o final de ano tem muitos almoços e jantares. No sábado teve um almoço da empresa para os clientes e foi extensivo para a família (só esposa e filhos), não era trabalho, era uma festa para fechar o ano com os clientes, uma boca livre que aconteceu numa churrascaria muito conhecida na cidade.

Sonia se arrumou toda, não dá para ir nesses eventos mostrando que é gostosa, tem que fazer o tipo esposa discreta porque todas as esposas vão assim e ficam reparando umas nas outras, Sonia colocou uma calcinha bege rendada e um vestido de alça, bege com debruns mais escuros, bem justo, marcado na cintura e aberto atrás, suas costas ficaram nuas, o vestido curto, uns cinco dedos acima dos joelhos, deixava as coxas grossas nuas, mostrando como sua bunda escandalosa era grande, não tem roupa que disfarce, o exagero de bunda que minha mulher tem, completava o traje sapatos de salto num tom mais escuro.

A Churrascaria estava cheia quando chegamos, uma parte estava reservada para a minha empresa, foram mais de 140 pessoas, um festão, várias mesas enormes com um monte de gente que mal se conhecia, o salão é muito grande e ficou aquela conversa espalhada.

Os clientes e convidados foram se misturando e formando grupinhos, os homens ficaram em pé, bebendo e conversando, as mulheres nas mesas conversando, muito Chope, Cerveja, Caipirinha, Whisky. A maioria das pessoas não se conhecia.

Sonia ficou num grupo de umas oito mulheres, umas agradáveis, outras bestas, uma dessas mulheres mexeu com Sonia. Ela é mulher de um empresário, o marido tem uma empresa conhecida. O nome dela é Rute, ela é judia, 49 anos, parece ter menos, tem um sorriso lindo, mais alta que minha esposa, 1,73 de altura, 79 kg, os cabelos são cortados Chanel alourados com reflexo, o rosto redondo, os olhos claros, os lábios grandes, ela usava um vestido muito chique lilás bem claro com partes rendadas, bem decotado e justo no corpo, Rute é uma mulher grande, os seios são bem fartos, ficava aparecendo o colo todo, os quadris são muito largos, mais do que o da minha esposa, ela estava sentada e o vestido marcava as suas coxas muito grossas e a bunda grande.

Sonia estava no meio daquele grupo de mulheres e percebeu que Rute ficou o tempo todo olhando e encarrando ela. Uma mulher sabe quando outra mulher fica olhando para ela sem disfarçar, quando seu olhar encontrava o de Rute, ela sorria para minha esposa.

Na conversa elas trocaram algumas palavras, nada pessoal, coisas do almoço, sobre o lugar, os salgados que estavam servindo, Rute ficou o tempo todo falando com minha esposa. Sonia não queria, mas não conseguia parar de olhar para ela, as coxas grossas dela prendiam o olhar da minha esposa, Rute percebeu que Sonia não era inocente, uma mulher sabe quando a outra mulher está correspondendo aos seus olhares. Uma ficou olhando para outra, algumas mulheres foram deixando o grupinho ficou só Sonia, Rute e mais duas mulheres.

Rute levantou e parou na frente de Sonia, colocou a mão no ombro dela, Sonia estava sentada, seu corpo ficou quente quando a mulher tocou seu ombro, ela sentiu o calor da mão da mulher na sua pele. Vamos sentar só nos duas ali, Rute disse e sem falar nada, pegou Sonia pela mão e a levou para a mesa grande. Sonia foi igual uma cachorrinha, sentaram afastadas dos outros, só as duas, sozinhas, Rute virou a cadeira de frente para Sonia e continuou segurando a mão dela, Sonia deixou, estava fascinada por ela.

Meu nome é Rute, ela falou, olhando Sonia nos olhos, o meu nome é Sonia. As duas foram se conhecendo, uma falou de si para a outra. Rute morava numa cobertura perto da nossa casa, num bairro vizinho, casada há 30 anos, tem duas filhas casadas, mostrou fotos no celular das filhas, da casa dela, um luxo, a sala enorme com piscina, imagina um apartamento com piscina na sala. Rute falou que gostou de Sonia, que estava olhando minha esposa desde que ela chegou, disse que chamou Sonia para sentar sozinha com ela porque queria que elas se conhecessem melhor. Sonia disse que gostou dela a ter chamado para conversarem sozinhas.

Rute continuava segurando a mão de Sonia, ela falava com minha esposa como se soubesse que ela gostava de mulher, tem coisas que uma mulher não precisa falar para a outra, a outra sabe sem você falar, ela falou que Sonia era linda, que tinha um corpo maravilhoso. Precisamos nos encontrar em outro lugar, fora daqui, só nos duas, para podermos ficar mais à vontade, você aceita nos encontrarmos outro dia, só nos duas, ela falou olhando Sonia nos olhos, aceito, quando a senhora quiser, minha esposa disse.

Rute falou que Sonia não precisava a chamar de senhora, por que ela só ia a chamar de você. Rute apertou a mão dela, a não ser que você queira que eu seja tua senhora. Eu não vou mais chamar, Sonia disse, Rute sorriu se você quiser pode chamar de senhora quando estivermos sozinhas, eu vou adorar ser tua senhora, você na intimidade é submissa, Rute perguntou sem rodeios, sendo direta, Sonia olhou nos olhos dela e disse que era, Rute sorriu de um jeito bem safado e falou que as duas tinham muito que conversar quando estivessem sozinhas, que na intimidade ela gostava de dominar, era autoritária, mandona e gostava de mulheres mansas como minha esposa.

Rute falava com ela desvendando seus segredos, fazendo ela se mostrar, Sonia sentia seu corpo quente, parecia que estava com febre. Você gosta de mulher, não gosta? Quando Sonia percebeu já tinha dito que gostava. Eu vi pelo teu jeito de me olhar que você gostava de mulher. Uma mulher sabe quando a outra gosta. Ela falou descaradamente. Rute perguntou se o marido de Sonia sabia, minha esposa disse que não, ela olhou Sonia séria e falou que era discreta, que quando duas mulheres casadas se tornam amantes, é um segredo só delas.

As duas estavam nesse namoro, quando o marido da Rute veio falar com ela, o nome dele é Alceu, tem uns 50 e poucos anos, bem branco como ela, alto, magro e calvo, Rute apresentou o marido para Sonia, ele foi simpático, perguntou pelo marido de Sonia, ela disse meu nome, Alceu falou que me conhecia e me chamou de longe, fui até ele e sentamos todos na mesma mesa.

Almoçamos juntos, foi um daqueles almoços de rodízio intermináveis com sobremesa e todas aquelas coisas deliciosas que engordam demais e é impossível resistir. Quando acabou alguns saíram, outros ficaram conversando e bebendo, eu e Alceu deixamos nossas esposas conversando sozinhas.

Rute falou que ia estar fora naquela semana e assim que voltasse ligava para minha esposa, falou que queria encontrar ela sem o marido, só as duas sem mais ninguém. Rute olhou ela séria e falou: Nós vamos nos dar muito bem, eu vou dar tudo o que você gosta. Sonia sorriu, o que eu gosto? Ela riu, você vai ver que eu sei o que uma mulher como você gosta.

As duas ficaram conversando até quase umas 16 horas, na volta Sonia me contou tudo e perguntou se dava problemas por ela ser mulher de um cliente, falei que não, que ela está achando que eu não sei e vai pensar que eu sou apenas mais um marido corno. Depois daquele dia, Sonia não conseguiu mais se esquecer de Rute, ficou ansiosa esperando ela voltar e ligar. Sonia sempre ficava muito ansiosa quando sabia que ia dar a buceta, ela sabia que ia ser comida por Rute e isso a deixava excitada e nervosa.

Na semana seguinte, era uma quarta feira, fim de tarde quando o telefone tocou, Sonia atendeu e sentiu seu corpo estremecer quando ouviu a voz do outro lado da linha, era Rute, sua buceta ficou melada só de escutar a voz daquela mulher que ela tinha esperado ansiosa a ligação. Rute falou que demorou um pouco mais para voltar e estava doida para se encontrar com ela. Sonia falou que também estava doida para encontrar com ela e que chegou a pensar que ela não ia mais ligar. Rute falou que só não ligou antes porque não pode, eu não ia perder a oportunidade de comer você. Aquilo deixou Sonia doida, Você me come a hora que você quiser, eu tô doida para dar para você, as duas ficaram namorando no telefone mais de uma hora e marcaram no dia seguinte, na casa de Rute, que exigiu que Sonia chegasse bem cedo, eu quero passar o dia inteiro com você, só nos duas, Sonia prometeu que ia chegar bem cedo, anotou o endereço de Rute e se despediram cheias de dengo, Sonia estava doida para dar a buceta para ela.

Na quinta feira acordamos cedo, tomamos banho juntos, me arrumei correndo, tomei um café, Sonia me levou nua até a porta, nos beijamos, acariciei sua buceta enorme, sabia que ela ia na casa de Rute dar a buceta para ela, desejei sorte para ela, Sonia falou que de noite me contava tudo. Ela voltou para o quarto e colocou uma calcinha preta bem minúscula, enterrada no seu bundão, a tirinha na frente não conseguia cobrir o bucetão dela, Sonia ficou se olhando no espelho o contraste da sua pele branca com a calcinha preta, a deixava gostosa demais, seu rabo estava enorme, ela escolheu um vestido de alça rosa, decotado muito curto, suas coxas ficavam nuas, calçou uma sandália baixa. Sonia se perfumou, pegou a bolsa e desceu.

Estava chovendo e quente, ela pegou um táxi na porta do nosso prédio, foi rápido uns dez minutos, ela desceu na porta do prédio de Rute, entrou e falou com o porteiro aonde ia, ele falou que ela podia subir, Sonia entrou no elevador e apertou a cobertura que fica no 20º andar, desceu do elevador, estava nervosa, suas mãos estavam tremulas, estava morrendo de tezão, toda mulher fica ansiosa quando chega no lugar que vai dar.

Sonia Parou na porta do apartamento e apertou a campainha do C1, escutou passos, Rute abriu a porta, as duas ficaram paradas se olhando, Rute estava gostosa demais com um vestido preto bem decotado, comprido ia quase até os pés, aberto do lado direito até o quadril, a coxa grossa ficava toda nua, estava descalça, entra meu amor, ela falou. Sonia entrou e ela fechou a porta.

O apartamento dela é um luxo, a sala enorme, tem uma mesa de jantar comprida logo na entrada, vários quadros grandes de nus femininos de mulheres fazendo amor, mostrando a preferência da dona do apartamento, um bar com bancos altos, no outro canto tem um jogo de três sofás enormes e uma TV gigante na parede, do lado tem uma parede de vidro que dá para ver a piscina de água bem azul que completa a sala.

Rute sorriu e beijou de leve os lábios da minha esposa, pegou na sua mão e a levou até um dos sofás, antes de sentarem ela ficou segurando a mão de Sonia e olhando o corpo dela todo, você está linda, ela puxou Sonia para si e abraçou seu corpo, ela é mais alta e grandona, sua boca procurou os labios grossos de Sonia, beijando sua boca, os lábios se colaram, minha esposa correspondeu, elas se beijaram de língua, Sonia deu a língua, Rute chupou com força, as duas se beijaram com tezão, Rute chupou os lábios dela, mordendo, as línguas se esfregavam, Rute pegou na bunda por cima do vestido e apertou as duas nadegas com força, Sonia gemeu, Rute a chamou de gostosa, ficaram quase vinte minutos em pé, abraçadas, se beijando como duas doidas, Rute beijava gostoso do jeito que minha esposa adora, não era um beijo frio, o beijo dela era quente, molhado, cheio de saliva, parece que ela estava fudendo a boca de Sonia, as bocas se engoliam e ficavam babadas.

Quando as bocas desgrudaram, sentaram no sofá, bem juntinhas, Rute segurando as mãos dela, hoje você vai ser minha, Sonia beijou Rute de novo na boca mostrando que era dela, Rute perguntou se ela já tinha tomado café. Sonia disse que já, Rute sorriu, vamos tomar um refresco para nos conversarmos um pouco, Sonia aceitou. Ela falou que ia chamar a empregada, Sonia olhou sem graça para ela, eu achei que não tinha ninguém em casa, você falou que íamos ficar sozinhas, Rute sorriu, e vamos, meu amor, aquela porta fica fechada e a empregada só vem aqui se eu chamar vai ser só eu e você.

Rute pegou um aparelho igual um controle remoto e apertou, ela só vem aqui quando eu chamo. A porta abriu e entrou uma mulher negra, com uniforme azul de empregada, gordinha, quadril grande, peituda, devia ter seus 45 anos. Rute a mandou trazer dois refrescos bem gelados, ela falou sim senhora e saiu. A empregada viu Rute segurando as mãos da minha esposa, ela sabe da gente, Sonia perguntou, a Deia trabalha para mim a mais de 15 anos, sabe que eu gosto de mulher, ela é de confiança, pode ficar despreocupada.

Rute trouxe Sonia para ela e beijou de novo sua boca, Sonia se entregou, estava no maior beijão com Rute, quando a empregada voltou e viu tudo, Rute nem ligou, mandou ela colocar a bandeja na mesinha na nossa frente, a empregada ficou olhando para Sonia quando colocou a bandeja e saiu, Sonia ficou sem graça quando a empregada olhou para ela. Deia fechou a porta e Rute beijou Sonia na boca, ela grudou na boca de Rute beijando a mulher com um tezão doido, Rute pegou nos cabelos de Sonia com força e fez ela olhar nos seus olhos, vai ser minha putinha, Rute segurava firme seus cabelos, vou, Sonia sussurrou.

O refresco ficou esquecido na mesa, Rute levantou e puxou minha esposa, ela virou de costas para Sonia, abre o meu vestido, Sonia abriu o zíper e o vestido desceu pelo corpo dela, Rute estava sem calcinha, Sonia ficou olhado o corpão dela, a mulher era muito gostosa, Sonia ficou olhando ela de costas, a pele branca, os ombros grandes, as costas largas e a bunda grandona, redonda, o rabo dela é todo grande, ela virou de frente para Sonia, os seios grandões, ele é peituda, as auréolas são rosadas e bem grandes e os bicos pontudos, ele tem os mamilos e bicos muito grandes, são duas chupetas Sonia nunca tinha visto bicos tão grandes, ela tinha um pouco de barriga, os quadris são muito largos, Rute tinha muito mais quadril que minha esposa, Sonia tem 108, ela tinha 113 de quadril, as coxas são grossas e roliças e a buceta enorme, minha esposa tem a buceta muito grande, sua buceta chega a ser exagerada, Rute tem mais buceta do que ela, a buceta dela é maior, bem cheia, gorda, peluda, os pelos são aparados, os lábios da buceta são grossos e salientes, em cima o grelo dela e muito maior que o de Sonia, ela tem um grelo grosso e comprido, fica igual um pau minúsculo.

Sonia ficou olhando para o bucetão dela. Rute encarou Sonia acariciando a buceta, mostrando como a buceta dela era maior que a da minha esposa, ela viu como minha esposa olhava com desejo para a buceta dela, você queria que eu fosse tua senhora, não queria, Sonia disse que queria, Rute mandou Sonia ajoelhar, ajoelha, ela falou secamente, Sonia ficou de joelhos, Rute em pé, colocou o pé bem na frente dela, Sonia de joelhos beijou os pés dela, esfregando os lábios neles, Rute olhava acariciando a buceta, Sonia ficou beijando os pés dela, subiu beijando as pernas dela, quando estava beijando as coxas, Rute segurou nos seus cabelos com firmeza e fez Sonia olhar para ela, gostou da minha buceta? Gostei é linda, tua buceta é grande, você tem um bucetão, eu fico doida só de olhar. Sonia tentou chupar aquela buceta enorme mais Rute segurava seus cabelos com força sem a deixar chupar.

Você está doida para chupar? Estou Sonia sussurrou, estava excitada, sua buceta escoria. Pede para chupar a buceta da tua dona. Rute exigiu, deixa eu chupar tua buceta, eu tô louca pela tua buceta, deixa eu chupar tua buceta. Rute trouxe a cara de Sonia para a boceta dela, Sonia esfregou a cara naquela buceta enorme, beijou, sentindo o cheiro forte dela, a buceta dela era cheirosa demais, Sonia foi chupando os lábios da buceta, beijando, esfregando a boca, metendo a língua na racha dela, Sonia mamou ajoelhada e ainda vestida. Ficou de joelhos chupando o bucetão de Rute, ela segurava Sonia pelos cabelos esfregando a buceta na sua cara, Rute gemia alto quando Sonia chupava, ela afastou a cara da sua buceta e sentou no sofá toda aberta, as coxas arreganhadas e falou vem eu sei que você ainda quer mais buceta.

Sonia ficou de joelhos no meio das pernas dela, chupando e lambendo a buceta dela, mamando, o grelo tinha inchado, a buceta estava muito úmida, Rute ficou gemendo, falou que Sonia chupava gostoso, porque já tinha chupado muita buceta, já chupou muita buceta não chupou, ela perguntou fazendo minha esposa olhar para ela, já chupei muita buceta, adoro chupar buceta, sempre gostei de buceta de mulher, Sonia falou completamente fora de si, ela continuou chupando, fazendo Rute gemer cada vez mais alto na sua boca, Rute falou que Sonia ia fazer ela gozar chupando assim, que minha esposa era uma cachorra que estava fazendo ela gozar rápido, que ela ia gozar, ficou quase chorando, Rute gozou gemendo parecia que estava morrendo, a buceta dela ficou toda melada parecia que ela tinha se mijado toda.

Sonia ficou lambendo o bucetão dela igual uma cachorrinha, ela acariciando seus cabelos, Rute fez Sonia sentar no sofá e as duas se beijaram como duas putas, Rute olhou nos olhos dela, tira a roupa, eu quero você nua, Sonia levantou e tirou a sandália e o vestido ficou só de calcinha, Rute olhava toda arreganhando acariciando a buceta, Sonia encarrou o olhar dela com a mão na buceta, mostrando como sua buceta era grande, Rute chamou ela de gostosa, falando que que ia comer a buceta dela, vem cá, ela chamou, Sonia se aproximou, Rute ficou sentada e abraçou Sonia pela cintura e beijou sua barriga, acariciando a bunda enorme dela, apertando, falou que Sonia tinha bunda grande, que sua bunda era enorme, gostosa, ela sentou Sonia no colo, minha esposa se abracou no pescoço dela, ela beijou Sonia na boca, gostoso, eu vou fuder você no meu quarto, vou comer você toda, ela disse fazendo Sonia levantar e levantando também.

Rute levou Sonia para dentro, o corredor era grande cheio de portas, o quarto dela ficava no final do corredor, elas entraram abraçadas, o quarto tinha uma cama grande e as paredes eram espelhadas, estavam nuas, Rute abraçou Sonia apertando ela contra o seu corpo, as bucetas ficaram coladas, a buceta peluda de Rute se esfregou na buceta lisa de Sonia .Elas se beijaram cheias de desejo uma pela outra,, eu quero fuder você , você vai ser minha puta, Rute falou alisando o rabão enorme de Sonia, minha esposa ficou abraçada nela, se deliciando com as mãos dela passeando pelo seu corpo, deixa eu bater em você, Rute pediu beijando Sonia na boca, bate, Sonia sussurrou, quando ela acabou de falar a mão pesada de Rute desceu na sua bunda, aaaiiii minha bunda, Sonia gemeu, Rute deu outro tapão, outro, outro, aaaiii bate Rute, bate, eu adoro apanhar, Rute segurou firme nos seus cabelos fazendo Sonia olhar para ela, gosta de levar uns tapas, Rute falou passando a mão na cara da minha esposa, gosto, adoro apanhar, me bate, dá na minha cara, eu estou doida para levar porrada de você.

Rute sorriu segurando ela pelos cabelos, eu adoro bater, Sonia, tô doida para te encher de porrada, Rute segurou seus cabelos com brutalidade e deu um tapão de mão aberta, Sonia gemeu, levou outro tapão, Rute deu outro tapa na de mão aberta na cara dela, foi dando na cara da minha esposa, Sonia foi ficando histérica, Rute agarrou Sonia beijando ela na boca, sem nenhuma delicadeza, sua boca chupou os labios grossos dela, Sonia estava com o rosto todo vermelho, Rute deu outro tapão forte na cara dela e empurrou ela para cama.

As duas deitaram agarradas, se beijando na boca. Rute ficou por cima e deu outro tapão na cara de Sonia, beijando e chupando sua boca, Sonia correspondeu ao beijo dela, Rute desceu beijando seu pescoço, chupando seus peitos, os bicos estavam inchados, Rute mamou os seios fartos de Sonia, fazendo ela soluçar, sua boca passeou pelo corpo dela, beijando sua barriga, Sonia se abriu toda, Rute beijou a buceta, chupou os labios grossos e abriu a buceta, colando o bocão nela e chupando com força, Sonia gemeu desesperada, ficou alucinada, Rute chupava forte, Sonia se abria toda esfregando a buceta na boca gostosa da amiga.

Rute continuou chupando, mamando sua buceta, Sonia gemia manhosa, implorando para ela chupar sua buceta, pedindo para Rute comer sua buceta, falando que queria dar a buceta, que estava apaixonada, Rute chupou as coxas grossas dela, deixando a marca da sua boca na carne macia. Sonia esfregou a buceta no bocão dela, enterrando a cara da amiga na sua buceta encharcada, Sonia gemia igual uma puta, Rute metia os dedos na sua buceta, Minha esposa gozou descontrolada, alucinada, Rute continuou chupando, Sonia se esfregava nela, prendendo a cabeça dela com as coxas, exigindo sua boca na buceta. Sonia gozou de novo igual uma cadela, sua buceta escorria.

Rute saiu do meio das coxas dela, as duas se abraçaram e se beijaram muito doidas, ficaram namorando, Rute fez Sonia virar e ficar de bruços, ela beijou a nuca e as costas, acariciando a bunda enorme, Sonia sentiu o dedo dela no cu, esfregando, Rute desceu beijando suas costas e abriu as nádegas grandonas dela e beijou o cu, fazendo Sonia gemer fora de si, Rute falou que o cu dela era lindo, que ela tinha um cuzão, Rute colou a boca nele e chupou, Sonia ficou desesperada, falou que Rute ia acabar com ela assim, Rute continuou chupando, falou que adorava chupar cú de mulher, perguntou se eu comia seu rabo, Sonia falou que comia, Rute perguntou se o meu pau era grande, minha esposa disse que era normal, Rute ficou chupando seu cú e perguntou quem tinha deixado seu cu assim, ela enterrava o dedo todo no cu, deixando Sonia maluca, assim como, Sonia perguntou, quem foi que estourou tuas pregas, não foi teu marido, fala para mim quem foi que comeu teu cu. Rute ficou insistindo querendo saber quem tinha arrombado minha esposa, Sonia inventou que foi um amigo do marido e que o marido não sabia.

Ela chamou Sonia de vagabunda, disse que desde que viu Sonia naquele restaurante sabia que ela era puta, Rute chupou o cu de Sonia até ela gozar, gemendo desesperada na sua boca. As duas continuaram na cama abraçadas, se beijando. Rute virou deitando de bruços com o rabão para cima, ela encarrou Sonia e pediu para minha esposa chupar seu cu. Sonia beijou sua bunda enorme e abriu o rabão dela, o cu era é lindo, estava aberto, Sonia beijou, Rute gemeu, minha esposa chupou com gosto, Rute falou que estava arrombada, que o marido tinha o pau muito grosso e deixava ela assim quando metia no rabo dela, Sonia chupava o cu, Rute foi contando tudo, falou que ela e a Deia, a empregada só viviam arrombadas, a Deia quando foi trabalhar com ela, gostava de mulher e ela deu para a empregada. A Deia passou a comer ela com o marido sabendo. Ela passou a dar para a Deia e o marido juntos na cama dela. A Deia só gostava de mulher, mas acabou aceitando o marido dela, ele fudeu a buceta dela e deixou o rabo dela arrombado. A Rute gozou com minha mão na buceta e minha boca no cu. Ficamos namorando na cama, Rute colou sua buceta na buceta de Sonia, ficaram unidas só pelas bucetas, Rute esfregava o bucetão peludo na buceta lisa de Sonia, roçando, Sonia sentia a racha melada e os pelos grossos da buceta de Rute, se esfregando na sua buceta, as bucetas escorriam, foi ficando tudo melado, as duas esfregavam as buceta com força, gemendo como duas cadelas, gozaram juntas, abraçadas, pareciam que estavam morrendo, uma nos braços da outra.

Ficaram deitadas com as bucetas ainda grudadas, Rute levou Sonia para o banheiro, As duas se beijaram com desejo, Rute fez Sonia ajoelhar e entregou sua buceta para a boca gulosa de Sonia que beijou o bucetão enorme de Rute, a mulher ficou segurando Sonia pelos cabelos e esfregando a buceta na sua boca, Sonia chupou gostoso, Rute segurou Sonia com firmeza pelos cabelos e obrigou Sonia a olhar para ela, falou que queria mijar, encostou a buceta enorme na boca de Sonia, mandando ela abrir a boca, minha esposa obedeceu e sentiu o jato forte e grosso na boca, ela ficou com a boca colada no boceta , Rute mijou na sua boca linda, deixando seus labios molhados, foi escorrendo pelos seios, Sonia foi bebendo até o jato ir diminuindo e ficar só pingando.

Rute fez Sonia levantar e beijou sua boca molhada, as duas se beijaram como duas putas, foram para o chuveiro e ficaram namorando em baixo da água, uma dando banho na outra. Rute chamou Sonia para ir à piscina, foram nuas, ela falou que ia na cozinha e mandou Sonia esperar na piscina, ela entrou na piscina, a agua batia nos seus seios, ela ficou se deliciando na água morna da piscina.
Rute voltou nua com o controle remoto que ela chamava a empregada, deixou o controle na borda da piscina e entrou na agua, ela abraçou Sonia beijando sua boca com desejo, ficaram namorando, Rute perguntou se Sonia aceitava se a Deia ficasse com elas, disse que tinha falado com a empregada e a Deia tinha gostado dela e estava doida para comer minha esposa, que se Sonia aceitasse ia chamar a empregada para ficar com elas. Sonia disse que ela podia chamar, depois que Rute contou para Sonia que ela dava para a empregada, Sonia ficou com vontade de dar para ela também.

Rute foi até a borda da piscina e apertou o controle, chamando a empregada, as duas estavam abraçadas se beijando, quando Sonia viu a empregada vinda nua, ela era toda grandona, negra, o corpão dela era farto, os peitões grandões, os quadris bem largos, as coxas grossas, a buceta grande quase igual à da Rute. Ela desceu a escadinha da piscina e veio até onde estavam Rute e Sonia, encarrando minha esposa, não falou nada já chegou puxando Sonia pelo braço, envolvendo seu corpo nos seus braços, o corpo das duas grudaram, se esfregando, ela beijou Sonia na boca que correspondeu, Deia botou a mão na buceta de Sonia em baixo da água e foi enterrando o dedo todo, minha esposa gemeu, sentindo o dedo grosso de Deia fuder sua buceta, ela esfregou a buceta na mão da empregada deixando a mulher fuder sua buceta.

Rute abraçou Sonia por trás esfregando a buceta na sua bunda, Deia fudeu sua buceta em baixo da água, enterrando três dedos, metendo, fudendo, Sonia rebolou na mão dela. Rute falou no meu ouvido, vamos para o meu quarto para ela te comer. Sonia beijou Rute mostrando que queria mais, Elas se enxugaram e as duas levaram Sonia para o quarto de Rute.

A empregada foi agarrada com Sonia com o dedo enterrado no cu da minha esposa, enfiando o dedo, enterrando tudo, Sonia empinava o rabão enorme aguentando o dedo grosso de Deia no cu. Rute e Deia entraram no quarto se esfregando em Sonia e acariciando ela toda, Rute encostou Sonia na parede e deu na cara dela, Deia puxou Sonia pelo braço e jogou ela na cama deitando em cima, beijando ela na boca, o corpo de Deia procurou o dela, Sonia se abriu toda, sua buceta grudou na dela, Sonia sentia as bucetas molhadas se esfregando, ela estava toda babada, Deia mamou seus peitos, chupou com força, Sonia gemeu alto, Deia chupava com força, botava o bico todo na boca, ela era bruta, o corpo negro da mulher grudado no corpo branco de Sonia, dava um contraste lindo, Deia desceu procurando a buceta de Sonia, minha esposa se abriu ainda mais, oferecendo a buceta, Deia colou o bocão no bucetão dela e chupou igual um animal, parecia um bicho chupando, enfiando a cara dentro da buceta, Sonia chorou desesperada, gemendo manhosa, dando a buceta para Deia, Sonia falou que ia gozar, Deia continuou chupando. Rute sentou com a buceta na cara de Sonia, entregando sua buceta, Sonia chupou a buceta dela, fazendo ela soluçar, esfregando sua flor melada na boca da minha esposa, Sonia não aguentou e gozou na boca da Deia, sentindo Rute gozar na sua boca gemendo.

Deia beijou Sonia na boca, a fazendo virar e ficar de bruços com a bunda enorme toda oferecida, Deia acariciou as nádegas grandonas dela, abrindo e acariciando seu cu delicioso, sua boca beijou o cu, se apoderando dele, Sonia soluçou quando ela chupou seu cu, Deia chupou com vontade, quando ela parava Rute tomava o seu lugar, chupando juntas o cu gostoso de Sonia que gemia manhosa se entregando toda, Sonia foi perdendo a noção de tudo, seus gemidos se transformaram em choro e ela gozou desesperada na boca das duas.

As três mulheres continuaram na cama se esfregando, uma se deliciando com o corpo da outra, Deia deitou e chamou Sonia para cima dela. Minha esposa chupou ela toda, mamou os seios fartos dela, Deia se abriu toda e deu a buceta, Sonia chupou a buceta dela, a empregada gemia alto toda aberta sendo mamada por Sonia. Rute e Deia se beijavam na boca, ela virou, oferecendo a bunda, Sonia abriu o bundão dela e sua boca chupou o cu, Deia gemeu, ficou descontrolada, se entregou toda, ela tinha o cu largo, aberto, gostoso, Sonia beijava e chupava ao mesmo tempo, Deia virou chamando Sonia para a buceta dela, minha esposa fez Deia enlouquecer na sua boca, ela se esfregava nos labios de Sonia, chorando baixinho, falando que ia gozar, parecia que Sonia estava matando ela, Deia gozou segurando Sonia pelos cabelos e enterrando sua cara na buceta.

Ficaram deitadas cansadas e saciadas, Deia levantou e saiu do quarto, voltou trazendo um lanche numa bandeja grande, elas comeram juntas e ficaram namorando na cama trocando beijos cheios de desejo duas, Rute ficou deitada e Sonia e a Deia chuparam juntas a buceta dela.

No fim da tarde, estavam nuas na cama, Sonia deitada no colo da Deia e Rute chupando sua buceta, quando o marido da Rute entrou no quarto, Sonia ficou sem graça, estava nua e sendo comida pela mulher dele e a empregada, Alceu entrou no quarto só de cueca, Ele era corpo gostoso, sua cueca estava cheia, Rute levantou e beijou ele na boca, ele passou a mão na bunda dela, ela cochichou alguma coisa no ouvido dele, ele olhou para Sonia e deu um sorriso, veio até a cama e beijou Sonia no rosto que retribuiu beijando o rosto dele. Sonia olhava fascinada para o volume que estufava a cueca daquele homem.

Rute abraçou ele e alisou o pau por cima da cueca, estava enorme, viu que Sonia olhava com desejo para o pau do marido, ela tirou para fora, mostrando, a pica, era grande e muito grossa, Alceu se aproximou de Sonia e encostou o pau avantajado nos labios grossos da minha esposa, Sonia não resistiu e beijou a pica. Rute foi empurrando a cabeça dela, a fazendo abocanhar o tronco grosso do marido dela, Sonia foi engolindo, sentindo o pau grosso arreganhar sua boca, ele foi enterrando o pau naquela boca macia e molhada, Sonia chupou com vontade, deixando ele fuder sua boca, mamou na frente de Rute e Deia, sentia o pau duro e grosso invadindo sua boca, a saliva escorria pelos cantos da boca deixando o pau babado ficou mamando na frente delas, se deliciando, sentindo aquela rola grossa entrando e saindo da sua boca.

Rute pegou um tubo de creme e afastou o marido de Sonia e foi passando no pau do marido. Alceu puxou Sonia da cama a fazendo ficar em pé, ele beijou minha esposa na boca, ela correspondeu, Rute fez Sonia ficar de costas para o marido e se apoiar na parede com as duas mãos, minha esposa abriu as pernas e empinou a bunda, Alceu abraçou ela por trás, Sonia sentiu a vara dura e grossa na buceta, abrindo sua racha, gemeu quando ele empurrou, sua buceta se abriu toda recebendo a pica exagerada daquele homem. Rute beijou Sonia na boca e sussurrou no ouvido dela, deixa ele fuder teu bucetão, sente o tamanho da rola dele. Sonia gemeu descontrolada quando Alceu botou tudo na buceta dela, sentiu a grossura do pau encher sua buceta, ela gemeu toda manhosa, rebolando no pau, sentindo a pica toda na buceta, Alceu ficou metendo, entrando todo, naquela buceta quente e molhada, fudendo a amiga da esposa.

Rute pegou Sonia pelo braço e trouxe ela de volta para a cama, fazendo ela ajoelhar na beira da cama e virar o rabão para eles, Rute acariciou o rabão de Sonia e deixou o creme escorrer pelo cu, o marido dela subiu na cama de joelhos e encostou o pau no cu maravilhoso da minha esposa, foi forçando, Sonia gemeu, sentiu uma quentura no cu e uma vontade louca de tomar no cu, seu cu foi se abrindo, Alceu foi botando sem pena, ela gemeu desesperada sendo comida por ele, Alceu foi empurrando, Sonia chorou quando ele cravou tudo no cu, ele passou a fuder com força, castigando o rabo enorme dela.

Sonia não aguentou ficar de joelhos e deitou de bruços com Alceu montado nela, ele continuou fudendo, Sonia perdeu a noção de tudo, chorava e soluçava aguentando a pica grande e grossa daquele homem. Aiiiii Alceu, aiiii porra teu pau é grosso demais, puta que pariu, aaaiiii tá me arrombando toda, porra Rute eu toda fudida, sua cachorra, o filha da puta do teu marido tá acabando com meu cu, aaaiiii porra assim eu choro, aaaiiii desgraçado, mete tudo, enfia tudo no meu cu, aaii eu vou gozar dando o cu, porra.. Sonia gozou, seu cu se contraia apertando a pica grossa.
Alceu continuou comendo, Sonia rebolava aguentando o pau dele no cu, sentindo aquele homem arrombar sua bunda, Rute e Deia olhavam abraçadas, uma acariciando a buceta da outra. Alceu ficou fudendo, metendo, cravando a pica grossa toda no cu arregaçado da minha esposa, Sonia gemia manhosa dando o rabo enorme pra ele, a pica grossa entrando e saindo do cu a fez gozar de novo com ele todo enterrado nela.

Alceu gozou cravado no rabão dela. Quando ele saiu de dentro o leite escorreu. Rute tomou o lugar dele abraçando e beijando Sonia na boca, falando que o marido tinha arrombado ela toda. Alceu foi para o chuveiro e quando voltou Sonia aguentou a pica enorme dele toda na buceta, gemeu engolindo o cacetão grosso todo, Alceu socou forte na buceta dela, deixando ela larga na frente e atrás. Sonia se abriu toda deixando ele acabar com a sua buceta, quando ela gozou pela segunda vez com o pau grosso dele enterrado na buceta, já estava larga, ele continuou metendo, enfiando o pau todo na buceta, Sonia nem sentia mais o pau entrar, sua buceta não resistia mais quando o tronco grosso dele varava sua buceta. Alceu gozou encharcando o bucetão da minha esposa de leite grosso.

Ficaram na cama abraçados, minha esposa demorou pra se recuperar Rute ajudou Sonia a se vestir, Sonia foi embora do apartamento deles era quase 10 da noite, tinha passado o dia todo metendo na casa da amiga. Rute a levou na porta beijou Sonia na boca e falou que queria comer ela de novo. Sonia correspondeu ao beijo dela e falou que depois combinavam, Sonia deixou a casa de Rute arrombada, o marido dela tinha castigado Sonia sem pena, ela se sentia satisfeita, ela pegou um táxi e voltou para casa onde sabia que eu estava esperando por ela para cuidar do seu corpo delicioso.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.