"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Putaria no busão


autor: victorlionheart
publicado em: 22/02/17
categoria: hetero
leituras: 4591
ver notas


Olá sras. e Srs. Como estão?

Em um dia desses, fui obrigado a fazer hora extra na empresa que eu trabalho até as 23 horas em pleno sábado. Minha grana anda curta, graças as aventuras e brincadeiras fora do casamento que estou tendo, então qualquer grana a mais no meu bolso é bem vinda. Acho engraçado como as coisas as vezes acontecem nos lugares mais bizarros e das formas mais simples, justamente quando não estamos querendo nada.

Por volta das 23:30 eu cheguei ao largo do Cambuci em SP para pegar o ônibus que me leva para casa e ao chegar no ponto, tinha algumas pessoas e uma delas entrou comigo, bem na frente. Ela tinha tudo o que mais me deixa louco de tesão, era gordinha, pele bem branquinha e uns peitos até que grandes e uma bela aliança de casada na mão esquerda! A essa hora, as ruas são vazias assim como os pontos de ônibus. Nos sentamos no fundo do ônibus, cada um em um lado do corredor, eu de fone de ouvido, ficava olhando para a rua, sem dar muita atenção, mas pelo reflexo do vidro, percebia ela me olhando, então me liguei.

Passei a olhar e sorrir para ela, até que a chamei para se sentar do meu lado. Não perguntamos os nomes, não me interessava, mas depois de poucos minutos e umas 3 ou 4 perguntas, estávamos nos pegando nos últimos bancos do busão. Ela gemia a cada vez que mordia os lábios dela e chupava o pescoço, e as mãos dela já estavam debaixo da minha camisa, me alisando...a mão dela era suadinha, molhada e macia, meu pau ficou duro na hora e então eu segurei sua mão e a coloquei em cima dele sobre a calça...foi ai que a coisa começou a ficar gostosa. Ela apertava gostoso, punhetando e esfregando a mão, enchendo ela e a cada apertão, me olhava com cara de safada fazendo aquele som gostoso de sugar a saliva....

Estava esperto com os outros passageiros e com o motorista para que não nos vissem na nossa deliciosa putaria, que a essa altura do campeonato já estava num nivel bem alto! Ela tinha aberto meu ziper e colocado a mão dentro da minha calça, colocado a minha cueva de lado e me punhetava devagar, apertando e soltando até chegar a cabeça, bem devagar....Coloquei uma de suas pernas em cima da minha e passei a dedilhar a buceta dela por cima da calça e já podia sentir ela quente e molhada...ela encostou a cabeça no meu ombro e gemia gostoso no meu ouvido, me chamando de safado, puto...tudo o que me excita. Coloquei então a mão por dentro da calça dela, a calcinha estava encharcada e passei a mexer naquele grelo que já estava duro. Ela rebolava e quando começava a gemer mais alto, ela mordia meu pescoço e a mão apertava mais forte a minha piroca, que naquele momento já estava para fora da calça. Acelerei os movimentos e senti a respiração dela ofegante, rápida, ela contraindo a bucetinha com meus dedos dentro, apertando...naquele momento ela não me punhetava mais, apenas apertava meu pau e então me dando um abraço forte, deu uma gozada deliciosa...longa, abafando os gemidos com a boca cravada no meu ombro...

Ainda não tinha acabado, depois de alguns segundos ela se recuperou e sorrindo, voltou a me punhetar, com aquela mesma maestria...meu pau estava duro e inchado na mão dela, a cabeça vermelha e babando...por ser muito grande, não tinha como ficar em uma posição confortável no banco mas ela mesmo assim, deu um jeitinho e deitou a cabeça no meu colo, iniciando um boquete delicioso....Já não me importava mais com nada, e até acho que algum passageiro percebeu, mas nada falou. Ela me sugava gostoso, bem rápido, me punhetando enquanto engolia meu pau....eu empurrava a cabeça dela para que ela o colocasse todo na boca e ela nem sequer engasgava....subia, descia, apertava com os lábios e depois aumentava a velocidade....Agarrei forte os cabelos dela, sussurrando que ia gozar...ela tirou da boca e começou a me punhetar até que o primeiro jato saiu e acertou seu rosto...depois ela o abocanhou e passou a chupá-lo....eu para não soltar os gritos de tesao, deitei a cabeça no banco da frente...

Ela então levantou a cabeça, com a boca cheia de porra e o rosto lambuzado, cuspiu tudo na lixeira perto da porta traseira e depois voltou a se sentar do meu lado. Naquele momento, tinha apenas umas 6 pessoas no ônibus, tirando o motorista e o cobrador...Ainda ficamos nos curtindo até que ela desceu na Av. Sapopemba. Depois de tudo, percebi que minha calça estava suja de porra, de tao forte e intensa que foi a minha gozada, e certamente uma das melhores.

Espero que tenham gostado

Contato Skype>
victor.lionheart@hotmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.