"Os mais excitantes contos eróticos"

 

RUIVINHA DO CARNAVAL pt1


autor: cristia_pau
publicado em: 28/02/17
categoria: jovens
leituras: 15354
ver notas


Olá, meu nome Cristian tenho 21 anos, sou moreno, alto e careca por opção, e tive a maior foda da minha vida nesse carnaval. Nunca gostei muito de carnaval, pois os estilos musicais não me agradam, mas por insistência dos amigos fui e foi a melhor coisa que fiz na vida.

Três amigos e Eu fomos para Recife e iriamos ficar na casa do Dave, primo de um desses amigos. Chegando lá, fomos conhecer a família do anfitrião, que morava com o pai, seu Jaime, um senhor de 56 anos, mas que aparentava 90 por causa do catatonismo, e uma irmã de 16 anos, Isabel, que era aparentemente bem tímida e recatada e que cuidava do pai o tempo todo.

Nós cinco arrumamos tudo e fomos á guerra, praticamente não ficávamos na casa, íamos lá para tomar banho e dormir por três horas, no terceiro dia de carnaval eu bebi muito e fiquei na mão do palhaço, acordei na casa em cima do sofá, quando levantei vi que minha calça estava com o zíper aberto e uma mancha ainda úmida, toquei em meu pênis e ele estava todo melado, achei estranho, decide ligar pro Dave;

- Fala Dave, cara me diz como vim parar na sua casa?



- Cristian você cara, começou a querer brigar, vomitou nas pessoas, você praticamente não ficava de pé, então decidimos te levar para casa.

- Ninguém me deu banho não, né?

- Não, Cristian fica tranquilo. Eu te deixei no sofá e pede para a Isabel ficar olho, caso você passasse mal.

- A Isabel tá aqui é?

- Ta sim, tá cuidando do Velho.

- Falo Dave vai curtindo ai da que a pouco eu chego.

Desliguei o celular e fui ver se Isabel estava no quarto do pai dela, cheguei, aporta estava aberta, olhei seu Jaime dormia, Isabel não estava lá, fechei a porta e fui ao quarto dela, á porta estava entreaberta, olhei pela greta da porta e lá estava Isabel, nua, deitada na cama com uma mão na boca e a outra segurando um consolo, ela enfiava e tirava

o consolo com calma, provavelmente para não machucar sua vagina pequena e rosinha, ela soluçava de tesão, lagrimas escoriam dos seus olhos, a luz da iluminação da rua que entrava pelas gretas da cortina na janela, refletia em sua pele clara e seu corpo suado que brilhava em meus olhos, essa cena, o cheiro de tesão no ar, aquela garota de cabelos ruivos, seios pequenos e buceta rosinha e peludinha, me fez gozar. Quando gozei fiz um grunhido, o que chamou a atenção dela, rapidamente ela se cobriu com o lençol e disse ;

- Por favor, saia e feche a porta!

Responde;

- Tenha calma, só quero perguntar uma coisa, posso?

- Pergunte logo, disse ela.

- Foi você que melou minha calça e o meu pau todo?

Por um estante ela pareceu não querer responder, então fui mais incisivo e disse:

- Vamos responda você esfregou sua buceta em meu pau, em quanto eu dormia?

- Sim, disse ela.

- Por que fez isso em quanto eu dormia?

- Meu irmão não me deixa sair e nem namorar, diz que é minha obrigação cuidar de nosso pai, já que é ele que sustenta a casa, então quando estou sozinha em casa eu me masturbo, ou sento no colo do meu pai e fico esfregando o pau dele na minha buceta, em quanto ele dorme por causa dos remédios, mas já estava chato, o pau dele é murcho e molenga. Quando meu irmão trouxe você e pediu que ficasse de olho caso você passasse mal, eu tava indo pro quarto do meu pai se masturba.

Ele te deixou no sofá e saiu, fiquei olhando e pensado se você ia acordar ou não, então tirei a calcinha e sentei em seu colo, você não acordou, ai tirei seu pau pra fora e chupei um pouco, ele começou a ficar duro e grande e grosso, fiquei com medo de você acordar, mas não aconteceu, então eu sentei bem de vagar no seu pênis, eu não aguentei tudo parei e comecei a rebolar, foi tão gostoso que comecei a gozar, fiquei cavalgando bem de leve por um tempo, ai você começou a gemer, então levantei, coloquei seu pau dentro da calça e vim me masturba.

- Faz quanto tempo isso? Eu perguntei.

- Umas duas horas, eu acho.

- Você esta si masturbando a duas horas? Eu vou entrar e ti foder de verdade garota.

- Espera, meu irmão e seus amigos devem chegar em pouco tempo, ele não pode saber.

- Vai dar tudo certo, ainda são 23hs, eles devem chegar em torno de 01hs da madruga.

- Finalmente, vou foder de verdade, Ela disse.

Ela levantou e veio em minha direção, eu tirei a calça (não uso cueca) e ela veio fechou a porta e ajoelhou em frete ao meu pau, ainda melado do meu gozo, ela agarrou ele com força, e começou a fazer um boquete, no começo ela engasgava, mas com o tempo foi pegando o jeito, ela chupava tudo, lambia a cabeça bem devagar e passava a língua por baixo até chegar as bolas que ela quase engolia, então eu pede que ela parrasse.

- Para, não quero gozar agora, é minha vez agora!

Ela levantou, eu a peguei no colo e levei pra cama, a coloquei de barriga para cima e com a bunda na beirada da cama, abri as pernas dela e vi um tesouro, uma buceta com pelinhos vermelhos desenhando uma seta, era linda, macia cheirava a talco, os lábios e o clitóris eram bem pequenos, ela estava pulsando de tesão.

Comei a chapa-la, primeiro passando a língua em volta dos lábios e depois dando leves toques no clitóris, Isabel gemia de tesão, e isso me deixava mais excitado, então coloquei ela de quatro e fiz algo novo pra ela, passando a língua bem devagar no limite entre a vagina e o anus, uma região tão sensível que ela começou a gozar, foi algo lindo ver aquela novinha ruiva gozar gostoso, ela soluçava e gemia enquanto a buceta dela babava e espirava. Coloquei-a de frente pra mim, ainda deitada na cama, comecei a chupar e apertar seus pequenos seios sedosos (do tamanho de uma maçã) mamei aqueles peitos por uns cinco minutos, foi um momento de êxtase e mais pura excitação.

(O texto ficou enorme, então leiam o final na parte dois, Obrigado).



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.