"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Gozando na madrugada chuvosa.


autor: Publicitario45
publicado em: 17/03/17
categoria: hetero
leituras: 2941
ver notas


Chovia muito naquela madrugada, a gente havia passado o dia fora e estávamos exaustos.

Chegamos em casa, tomamos um banho e apagamos. Fechamos as cortinas para o quarto ficar bem escuro e adormecemos.

Chovia mas não estava frio. Eu dormi usando uma box e ela apenas uma camiseta e uma calcinha branca bem pequena. No meio da noite senti algo quente tocar meu pau ainda adormecido. Algo úmido que fazia pressão e o envolvia. Era ela me chupando em silêncio como se eu não fosse acordar.

Acordei mas fingi que ainda dormia. Ela continuou me chupando, sentiu meu pau crescer dentro da sua boca e ocupar todo espaço.

- Safada!

- Xiuuu, volte a dormir, ainda são 3 da manhã.

- Vem aqui me beijar.

Ela se virou, alcançou meus lábios e subiu em cima de mim colocando uma perna de cada lado. Sua boceta estava quente, já escorria, nossos lábios se tocaram num beijo intenso. Ela remexia o corpo, esfregava sua xana no meu pau já melado.

Não resisti e coloquei sua calcinha de lado e um simples encostar melou meus dedos.

Ela com sua mão atrevida pegou meu pau e começou a esfregar na entrada, ela gemia baixinho, respirava com profundidade, rebolava na cabeça da minha pica e em poucos minutos gozou me deixando ainda mais melado.

- Senta no meu pau.

- Sento, mas você tem que ficar quieto.

- Ok.

Ela ergueu o corpo e o pau deslizou pra dentro dela. Entrou tudo, ela arfou e começou a rebolar bem devagar. Essas trepadas de madrugadas podem surpreender e ela estava me enlouquecendo.
Subia, tirava o pau quase todo e depois descia lentamente.

Meu pau pulsava dentro dela e ela correspondia mordendo ela com as paredes internas. Eu me controlava porque a vontade de gozar já estava me possuindo.

- Não goza. Espera mais... vou gozar de novo.

Ela gozou, eu desobedeci a suas ordens e comecei a fode-la com vontade. Meu pau entrava e saia fácil, apertei sua bunda de tal maneira que os cinco dedos ficaram marcados e gozei como um cavalo.

Senti quando a porra escorreu. Ela deitou-se sobre o meu peito, ficou quietinha ouvindo meu coração voltar ao batimento normal.

- Vamos tomar um banho?

- Não! Quero dormir toda meladinha com o seu pau dentro de mim.

Com quem foi? Onde? Quando?

Não importa, eu só quero saber se este conto fez você escorrer enquanto lia?





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.