"Os mais excitantes contos eróticos"

 

64 - Gostou de ser Corno


autor: bernardo
publicado em: 18/03/17
categoria: hetero
leituras: 2298
ver notas


Bruno, é um devorador de contos eróticos e lendo relatos de maridos que gostam de ver suas esposas com outro, despertou nele também esta vontade e isso aumentava cada dia mais e sempre que transa com a esposa, fica pensando em como seria se outro homem estivesse ali no seu lugar metendo na bucetinha dela, enquanto ele observa tudo escondido ou até mesmo presente no quarto e pensando nessa possibilidade ele gozava como louco.

Lilian, sua esposa tem 24 aninhos, 1,65cm, 56 kg, morena, cabelos meio loiros, peitinhos pequenos e uma bucetinha linda que quando ela coloca short apertadinho sua xaninha fica muito linda, parecendo uma pata de camelo.

Certo dia, ele decidiu contar para ela essa sua fantasia e é claro que ela achou que ele estava doido, ficou com raiva e fez greve de sexo por uma semana. Depois, em outra ocasião, ele voltou ao assunto e mais calma ela perguntou de onde havia tirado tal ideia, e então ele falou dos contos eróticos e a convenceu a ler alguns. Na mesma noite ela leu uns cinco contos e Bruno viu que seu semblante mudou um pouco, então perguntou o que ela achou:

-Adore, gostou muito e fiquei molhadinha e até me masturbei e gozou muito - depois perguntou se seria verdade, se era esse seu desejo, então Bruno começou a lhe beijar a boca e, já metendo a mão na sua xaninha toda molhadinha e disse em seu ouvido:

- Sim é verdade. Quero ver você gemer atoladinha na pica de outro cara. Você gostou nê safadinha? - ela sorriu e disse que sim.

E naquela noite fuderam como dois animais. Lilian gozou como nunca, e Bruno ficava falando para ela imaginar outro homem ali metendo nela e ai descontrolada ela se mexia mais e mais e naquela noite ela concordou que ele arranjasse um homem para comê-la na frente dele.

Publicaram fotos deles em um site de encontro de casais e sempre recebiam propostas mas não tinha achado alguém do jeito que ela queria, até que dois meses depois da publicação do anúncio receberam uma mensagem de um coroa de 46 anos, e diga-se de passagem Liliam sempre gostou de caras mais velhos, boa pinta, e não usava palavras de baixo escalão na mensagem, e ela se interessou por ele. Começaram a manter contato pelo WhatsApp e ele se demonstrou sempre muito educado até que foi lhes passando confiança. Vinte dias depois marcaram com ele o primeiro encontro. Claro deu um calafrio nela pois por Whats é uma situação, mas pessoalmente é outra.

O encontro aconteceu em uma quarta-feira às 20:30hs num barzinho no outro lado da cidade para ter certeza de que não iria aparecer nenhum conhecido. Antes de saírem de casa, Lilian ainda perguntou ao marido se queria continuar com a fantasia e ele fazendo com que ela pegasse em seu pau já duro como ferro, disse que sim.

Ela estava toda perfumada e dando um selinho no marido o chamou de safado e saíram. Ela escolheu um vestido comportado, mas ousado e não vulgar para não dar na cara, uma lingerie preta de amarrar com pouca transparência mas bem ousada. Chegaram com 15 minutos de atraso devido ao nervosismo e logo foram reconhecidos. Bernardo, era moreno claro, cabelos grisalhos, sem barriga,1,70 de altura, usava bigodes e estava bem vestido. Ele era bem educado e cumprimentou Bruno com um aperto de mão e Liliam com um beijo no rosto. Era visível o nervosismo do casal, principalmente Bruno, pois estava levando a sua adorável esposinha para outro macho come-la, mas o tesão era muito maior.

Ficaram mais ou menos quarenta minutos, conversando, bebendo vinho, comendo petiscos, falando sobre diversos assuntos até que começaram a falar sobre sexo. Lilian estava com a mão suando, e Bruno começou a falar da fantasia e Bernardo sempre ouvindo com muita atenção, de vez enquanto olhava para Lilian e a elogiava e ela, por sua vez, sorria. Depois de mais de meia hora devido ao vinho que estavam tomando ela começou a se soltar falando mais, então por iniciativa própria, Bernardo pediu a conta se levantou e disse:

- Então vamos sair daqui para um lugar mais reservado? - na hora Bruno gelou e pensou: - agora fudeu. Daqui a uns 20 minutos este cara vai estar metendo na minha esposinha na minha frente. Vai estar comendo a sua bucetinha e seu cuzinho e enchendo a sua boquinha de porra, ai meu deus, o que faço? Mas não tinha como voltar atrás já era tarde. Ela olhava para o marido já com um pouco do efeito do vinho e disse:

- Você sempre desejou isso, não é? Agora já era. Eu estou muito a fim.

Foram para o carro, ela sentou-se no banco da frente e Bernardo no de trás, mas mal andaram 50 metros, Bruno parou o carro, eles ficaram olhando-o meio sem saber o que fazer, e então ele disse para a esposinha:

- Desce e vai junto com ele no banco de trás para vocês irem se conhecendo melhor. Eles sorriram e Bruno seguiu em frente.

A caminho do motel mais próximo Bruno via pelo retrovisor eles conversando bem baixinho, e percebeu quando Bernardo beijou o rostinho lindo da Lilian bem suave. O coração dele já estava disparado e quase saiu pela boca. Em seguida os viu se beijando como namorados, um beijo de língua e ai ele foi a loucura, mas não podia voltar atrás, dava para ouvir a respiração ofegante dos dois, seu pau neste momento estava feito rocha, imagina amigo leitor a situação do Bruno vendo sua esposinha linda com outro macho prestes a comê-la na sua frente?

Ao chegarem ao motel desceram já abraçadinhos como namorados e Bruno ficou para trás olhando a cena com muito tesão. Ao entrar no quarto eles não disseram mais nada. Bruno ficou vendo eles se beijarem, ele acariciando o corpo da sua esposa, ainda por cima do vestido e ela apertando o pau dele e, Bruno ali em pé sem ação. Não sabia se sentava ou se ficava em pé ou se se retirava. Então para eles ficarem mais à vontade foi ao banheiro, tirou toda a roupa e quase gozando voltou ao quarto, bem devagar com a câmera na mão e tocando uma punlheta bem de leve para não gozar logo, viu aquele homem estranho, um pouco mais velho que ele, levantando o vestido da sua amada esposinha, passando a mão em suas pernas, deixando-a só de calcinha e sutien.

Ela tirou a camisa e calça dele, deixando-o só de sunga. Seu pau estufando o pano parecia ser muito grande. Então ele arrancou-o para fora e tanto Bruno como Lilian levaram um tremendo susto, pois o cacete era muito grande, com uma enorme cabeça e com veias salientes. Ela não se fez de rogada e ficou ali abraçadinha nele sentindo toda aquela protuberância pressionando sua barriga.

Em seguida Bruno pode, observar pela primeira vez, outra boca que não fosse a sua mamar e chupar os peitinhos lindos da sua esposinha, peitinhos estes que só ele tinha chupado até aquele momento. Lilian se deliciava com aquela boca em seus seios e começou a punhetá-lo bem devagar e Bruno ali perto deles pelado tocando uma e tirando fotos uma após outra.

Depois Bernardo se deitou e ela começou a fazer um boquete que Bruno nunca a viu fazer com ele. Ele ficou pasmo em vê-la chupando, um cacete que não era o seu. Depois foi a vez dele. Foi uma cena que nunca mais vai sair da memória dele: vê-la sendo chupada por outro ali na sua frente e ainda gemendo bem gostoso, logo em deitada, ele começou a desamarrar a calcinha dela, soltou um lado e com o pau direcionado na bucetinha dela, deu uma pincelada e ela pediu para ele meter, então ele foi enfiando bem devagar e ela foi ajeitando para penetrá-la mais fundo.

Bruno observando tudo, confessa que deu vontade de chorar ao ver a esposinha debaixo de outro macho gemendo de prazer pois estava adorando aquela pica diferente em sua bucetinha. Eles estavam fazendo um papai mamãe tão gostoso e bem devagar e num ritmo tão suave que Bruno chegava tremer de tanto ciúmes e tesão ao mesmo tempo. Bernardo metia tão suave que não se ouvia o barulho do saco dele batendo na bundinha linda da sua esposa, eles se beijavam como dois apaixonados enquanto ele socava bem gostoso nela, e foi a cena mais linda que Bruno já viu em toda a sua vida.

Bernardo sabia como meter, era um profissional do sexo e ela chegava a virar os olhos, na hora do gozo. Bruno ouvia os gritinhos dela debaixo do daquele macho, e ele segurando para não gozar. Então Bernardo se deitou e pediu para ela sentar e cavalgá-lo gostoso. Bruno nunca a viu fazer isso e ela cavalgou como uma verdadeira amazona, subindo e descendo, indo para frente e para traz, para o lado e para o outro e de vez em quando se deitava sobre o peito de Bernardo que a abraçava e a beijava ardentemente.

Bruno olhava para ela e dizia: - está gostando amor?

Lilian nem teve tempo de responder pois começou a gozar, aliás o gozo foi a sua resposta e Bruno não aguentou e também gozou dando gritos de tesão e Bernardo ria da cara dele dizendo:

- Vai corno, goza com punheta enquanto eu gozo dentro da tua mulher. Hum, como ela é gostosinha. Veja como ela rebola gostoso no meu cacete, veja. Que putinha safada ela é.

E o pau do Bruno não baixava de jeito nenhum e a mulher dele continuava rebolando ainda mesmo depois de ter gozado e logo foi a vez do Bernardo começar a urrar e despejar muita porra dentro da bucetinha dela, com camisinha é claro. Depois, exaustos foram tomar banho juntinhos e debaixo do chuveiro Bernardo se sentou no chão e Lilian sentou em cima do cacete dele e começou a cavalgá-lo de novo, gozando outra vez e fazendo ele gozar novamente tendo a água do chuveiro cair sobre seus corpos.

E uma vez corno, sempre corno. E a partir desse dia passaram a procurar algo sempre novo para apimentar a relação. Numa sexta-feira à noite Lilian se produziu toda no salão, cabelos, unhas, uma maquiagem leve, ducha anal, depilação e junto com o marido foram a um café famoso, em uma cidade vizinha, onde sempre tem homens de plantão querendo aventuras ou esperando algum corno chegar com a esposa para dar o bote.

Logo de cara, ao chegar, ela se simpatizou de um coroa dos seus 40 anos, papo vai, papo vem, combinaram ir ao motel. Como da primeira vez, quando saíram com Bernardo, Bruno dirigia e a esposa iam no banco traseiro com o coroa começando as preliminares se beijando, passando a mão aqui, a mão ali.

Ao chegar no quarto ele já foi pegando-a de jeito e dano um trato e que trato, e chupadas aqui chupadas ali, rolou até 69, mas na hora do pau comer ele tinha um pau pequeno grosso mas pequeno do tipo médio mas na cama era muito carinhoso e fuderam gostoso, ele era bom de cama mesmo.

Depois de três horas, saíram e o deixaram no café e voltaram para casa, mas como já tinham tomado umas, tinha que ir devagar e no caminho como ela estava com um vestido branco curtíssimo e sem calcinha, uma hora ou outra Bruno enfiava a mão no meio das pernas dela e sentia a xota molhadinha. Ela continuava excitada mas Bruno deixou rolar.

Chegando perto de um posto de combustível ela falou que queria ir ao banheiro. O posto estava vazio e enquanto ela foi a banheiro, ela passou pelo frentista e lhe disse algo enquanto Bruno foi a lanchonete comprar refri. Bruno ficou um pouco vendo tv para dar um tempo a ela no banheiro, depois foi para o carro e como ela estava demorando muito ele resolveu ir ver o que estava acontecendo.

Ele entrou no banheiro bem devagar e viu sentada no vaso com o vestido levantado e o tal frentista em pé na frente dela com a rola toda enfiada na boca. Ela mamava igual uma bezerra desmamada e o cara gemia baixinho. Quando ele o viu quis sair, ela o segurou com as duas mãos pela cintura e tirou o pau da boca e falou:

- Fica frio relaxa ele gosta de ser corno e gosta de me ver fudendo com outro macho - e continuou chupando o pau do cara como diz os paulistas.

O frentista tinha um pau do tipo rustico caipira mesmo, grossa, cabeçuda com um couro na ponta que ela arregaçava e enfiava na boca e lambia das bolas até a cabeça e engolia até o meio pois era o que cabia na boca dela

De repente se levanta do vaso e vira de costas para ele ficando de quatro com as mãos no vaso e com a bunda para a porta e fala:

- Vem meu gostoso, me fode vai, quero esse pau todo enfiando na minha buceta. Fode essa puta - e deu uma reboladinha em círculo ai ele não aguentou e socou tudo de uma só vez e socava bem forte e ela se masturbando com o dedo na xana gozou feito uma vadia.

Depois falou para ele foder seu cu, mas ele disse que nunca fodeu um cu em toda a sua vida. Ela olhou para traz e falou:

- Tu é cabaço é? Então vem cá - deu uma mamada no pau lubrificando-o, virou de costas, pegou com a mão a rola dele e guiou em direção do cuzinho e foi com a bunda de encontro do pau dele e falou:

- Vem macho gostoso, vem, enfia esse pau gostoso no meu cu, enfia e me faz gozar - ele foi empurrando bem devagar e a coisa foi sumindo enquanto ela rebolava para ajudar a penetração até sumir tudo. Ai foi só um vai e vem gostoso. O cara socava feito animal no cio. Ele nunca tinha comido um cu e ela ainda falava:

- Vai tarado come gostoso essa puta safada na frente do corno do meu marido. Come, fode meu cu. Fode cabaço, eu gosto disso eu adoro um homem virgem. Eu ensino do meu jeito -o cara não aguentou muito tempo e gozou enchendo o cuzinho dela de porra. Quando ele tirou o pau esguichou muita porra junto no chão.

Ela se levantou, abaixou o vestido, olhou para o marido que estava vendo tudo e falou -esse é homem mesmo, sabe fuder uma mulher e tem um pau que satisfaz qualquer uma. Tem o pau que eu gosto, o outro não me apagou o fogo.

Bruno, o marido corno disse - eu percebi nega. Você está se saindo muito bem.
Ao chegarem no carro Bruno disse que a amava e adorou tudo isso e pediu-lhe que fizesse sempre assim. Chegaram em casa e treparam gostoso mais umas duas vezes tendo-a chamando-o de tião, o nome do frentista:

- Vai tião, fode sua putinha casada e vadia na frente do corno do meu maridinho, vai, meu macho gostoso.

E dormiram agarradinhos. E a partir daquele dia, todos os finais de semana, Bruno dividia sua esposa com outros homens e Lilian ficou viciada no cacete do tião, frentista do posto de gasolina.

*******************************
Ficou excitada com essa história? Então me dê uma nota e me anime a continuar escrevendo. Skype: bernard.zimmer3 ou e-mail. bernard3320@live.com ou WhatsApp: 11-944517878, agora com vídeo chamada.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.