"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O dia que meu amigo virtual me comeu


autor: iane1
publicado em: 21/03/17
categoria: hetero
leituras: 2100
ver notas


Se vocês leram os outros contos que postei, sabem que eu e Rodrigo temos um relacionamento virtual há três anos. Nós nunca nos vimos frente a frente ou nos tocamos, mas conseguimos viver várias aventuras, somos cúmplices, apaixonados e nos tornamos bons amigos.

Acontece que um dia sem eu menos esperar ele estava me esperando na porta do meu prédio, tomei um grande susto, as pernas perderam as forças na hora, o coração disparou, como danado ele podia estar ali, ter vindo sem avisar, era loucura demais pra mim. quando me aproximei ele disse: "Surpresa! Não vai me convidar pra entrar? Não vim de tão longe pra não ganhar nem um beijo ou prefere que te beije aqui mesmo". Eu não conseguia responder, não tinha como raciocinar, só consegui abrir as portas e ele entrou.

Já dentro de casa, trocamos algumas palavras, eu não conseguia acreditar no que estava acontecendo. Liguei para meu namorado para me certificar que ele demoraria e depois me entreguei aquele homem que eu sempre desejei e como ele era safado e gostoso.

Ele sentou no meu sofá e eu prontamente sentei por cima dele, enquanto nos beijávamos, íamos tirando a roupa e nos abraçando. Em um determinado momento, quando já estávamos nus, eu sentada no seu colo antes dele começar a meter, ele beijou meu seios enquanto segurava meu cabelos pela nuca e puxava para atrás e pedia pra eu falar que era sua puta, eu fala, eu gemia, eu me contorcia e e ele insistia "o que minha puta quer?" , "quero sua pistola toda", nisso ele começou a meter muito, como ele fazia aquilo bem, meu corpo todo transpirava desejo, estava enebriada de prazer e ainda era pouco, eu queria mais, a gente não cansava e ele também estava sentindo aquele transe, nosso corpos se conheciam bem e sabiam tudo que deviam fazer. De repente ele parou e pediu que eu ficasse de pé, eu levantei, ele sentou o chão e começou a me chupar de uma maneira indescritível, que língua maravilhosa, ele me chupava olhando nos meus olhos e eu segura sua cabeça enquanto rebolava em sua boca e sentia sua língua divina em toda minha buceta, me enlouquecendo, não aguentei e gozei na boca dele.

Precisei de um tempinho pra me recompor, ele continuava me olhando e masturbando, quando retornei aos trabalhos comecei um boquete e não consigo esquecer o tamanho, a espessura e rigidez daquela pistola na minha boca, comecei a punhetá-lo enquanto beijava e passava a língua na cabecinha daquela rola maravilhosa, depois comecei a beijar sua bolas, passar a língua e colocá-las na boca chupando de leve, ele gostou muito gemia bem baixinho enquanto dizia que eu era sua cachorra, parecia pronto pra gozar então sentei naquela pistola com muita força fazendo movimentos rápidos, ele me deu uns tapas deliciosos na bunda e gozou. Nós ficamos moles, foi muito intenso, queríamos recomeçar, mas aí eu acordei... Foi tudo um sonho como tudo que vivi com ele, um sonho muito real, que deixou marcas profundas e que nunca esquecerei.

Espero que tenham gostado do meu último conto.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.