"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A revanche do novinho


autor: tinatanya
publicado em: 23/03/17
categoria: coroas
leituras: 2771
ver notas


Saímos do banho nos chupando, nos lambendo, nos mordendo. O Anderson nem parecia que tinha gozado. Continuava com a vara em riste, apontando pra cima e com aquele líquido transparente e viscoso escorrendo... eu não resisto ver isso: fui logo me agachando e passando minha língua na cabeça do pau dele e alisando seu saco depilado com uma mão e com a outra apertando sua bunda. E que bunda...
Nas nossas conversas pelo whats, ele me disse que tinha vontade de experimentar o famoso "beijo grego". Mas, não tinha encontrado ainda uma mulher que se propusesse a fazer e eu , prontamente, me ofereci. Sou tarada por bunda de homem. Então, continuei naqueĺe boquete pela casa e fui guiando ele pro meu quarto. Chegando lá, o empurrei delicadamente sobre a cama e fui lambendo a base do pau dele, que já estava tão duro parecendo que ia se quebrar, subia até a cabeça, circulava com a ponta da língua, descia novamente indo até o saco... dava umas lambidas bem molhadas pra deixar tudo bem melado. Quando estava pingando baba e escorrendo pelas virilhas dele, levantei seu saco e continuei a exploração com minha língua safada. Dei várias voltas em torno do saco, parando um pouquinho mais quando chegava na parte de baixo próximo ao cuzinho virgem dele. Senti que ele estava gostando pois, gemia muito alto e ia levantando as pernas e abrindo-as cada vez mais. Foi aí que eu empurrei um travesseiro por baixo da bunda dele pra ajudar a levantar e passei minha língua bem devagar em volta do cuzinho. Ele parou de respirar. Meu coração disparou de medo e emoção. Fiquei ali um tempo só rodeando seu anel com minha língua quente e molhada até que ele começou a gritar palavrões, me xingando deliciosamente, e disse que ia gozar. Eu tentei meter minha língua no seu cu mas, ele esticou o braço , me pegou pelos cabelos e me puxou pra cima, socando seu pau inteirinho na minha garganta, gozando escandalosamente. Foi tanto leite que pensei que fosse morrer engasgada. Ele gritava muito. Parecia um animal no cio. Fiquei ali entalada com aquela tora na boca esperando ele se acalmar. Porém, o gozo terminou e seu pau continuou duro do mesmo jeito. Ele levantou a cabeça, me olhou com um brilho diferente nos olhos e disse:
- agora, vou te foder de verdade...
Ao ouvir isso, meu cuzinho piscou pois eu sabia que tinha acendido um vulcão naquele homem.
Ele inverteu as posições rapidamente, me deitando onde ele estava, colocou meus pés em seus ombros, posicionou aquele cacete enorme na minha buceta molhada e deu um tranco só, me penetrando completamente. Eu dei um grito de susto e também de dor. Não era fácil receber um pau daqueles de uma vez. Toda a doçura e gentileza que ele teve comigo no início (relatei no primeiro conto) desapareceu, dando lugar a um homem voraz, selvagem, quase bruto. Como eu gosto muito disso e já estava muito excitada, fui me entregando ao prazer daqueles movimentos rápidos e suas estocadas firmes, gozando na mesma hora... ele não parou. Continuou metendo seu pau gostoso na minha buceta, fazendo com que meu fogo reacendesse. Então, ele me virou de costas. Dobrou minhas pernas pra que eu ficasse de quatro, passou seu pau melado no meu cuzinho e disse que ia me arrombar. Eu fiquei com muito medo. Só tinha dado o cu uma vez e fazia muito tempo. Ele abriu minha bunda com as mãos, deu umas lambidas no meu buraquinho apertado, socou a língua com força deixando bastante saliva nele. Eu já estava em chamas de vontade de sentir uma vara me rasgando, então, pedi pra ele me penetrar... mais que depressa, ele colocou a cabeça do cacete na portinha do meu cu e me pediu pra ir empurrando minha bunda em sua direção. Eu fui. Estava tão tarada por aquela pica gostosa que nem senti quando tinha entrado toda. Senti seu saco batendo na minha buceta daí, percebi que já tinha entrado tudo... como era bom. Ja nem me lembrava como era gostoso ter um pau duro enterrado no rabo. Assim que ele notou que estava todo dentro de mim e que eu estava gostando, começou a bombar com força. Parecia que ia arrancar meu quadril. Segurava com as duas mãos nas minhas ancas e metia o pau até a basa e depois puxava ficando somente a cabeça dentro. Eu estava em êxtase. Jamais tinha experimentado nada igual. Ficamos pouco tempo assim. Ele anunciou seu gozo. Seu pau dobrou de volume. Com uma das mãos, ele passou a beliscar meu grelo. Foi aí que eu me acabei... gozei imediatamente. Foi uma loucura. O Anderson se tremia. Apertava minha bunda e falava coisas sem sentido. Eu estava quase desmaiando de tanto gozar. Caimos na cama e ficamos deitados de conchinha esperando seu pau amolecer e sair do meu cu naturalmente. Eu não queria tira-lo nunca. Depois, que ele saiu, ficou uma sensação de vazio, junto com o prazer de levantar com as pernas bambas e sentir sua porra escorrendo. Foi a melhor foda da minha vida, embora, tivemos depois vários outros momentos de prazer. Bjs.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.