"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Me tornando uma cadelinha adestrada ll


autor: Pampam
publicado em: 28/03/17
categoria: lésbicas
leituras: 4095
ver notas


Continuação saindo de lá da loja e posta num táxi segui para a casa de Ivonete eu num mentia pra ela de onde eu havia estado, fui dormir e acordei no dia seguinte ainda com as marcas dos tapas de Regina em meu bumbum...minha bundinha chegou a empolar tamanha a força daqueles tapas, na medida que eu sentia raiva venha um tesão enorme de Regina, toda vez que eu sentava ou esbarrava minha bundinha em algum lugar e sentia a dor daqueles tapas eu lembrava do dia anterior e aquilo me excitava e me deixa com a calxinha molhada...passei o dia inteiro esperando a hora de encontrar Regina de novo, ficava lembrando de sua voz me chamando de cadelinha, piranha, vadia, e meu coração disparava numa velocidade sem igual...eram seis horas quando comecei a me arrumar...tomei um banho demorado e me perfumei toda. Resolvi usar a mesma calcinha minúscula do dia anterior, só que dessa vez já puxei ela bem pra cima quase na minha cintura e deixando meus pelinhos a mostra de propósito como Regina havia feito comigo. Vesti uma calca de um tecido bem leve, uma blusinha baby look rosinha, uma sandálha também preta de salto...cheguei em seu apartamento e toquei a campainha...Regina atendeu a porta vestindo um robe de seda preto e uma sandalha de salto alto vermelha...eu estava muito nervosa e anciosa...assim que a vi quiz lhe dar um beijo que ela recusou virando o rosto e me disse para entrar e sentar...fiquei mais nervosa e agora confusa sem saber a rejeição dela ela se sentando na minha frente, cruzou as pernas e acendeu um cigarro e mandou que eu ficasse em pé...comecei a ficar assustada e com um pouco de medo mas aquelas sensações me deixavam cada vez mais excitada...Regina mandou eu tirar a roupa...eu olheu nos olhos dela e disse que ela era muito direta e dei um sorriso enquanto tirava minha blusa...Regina se levantou chegou bem perto de mim e me deu um tapa na cara dizendo que era para eu ficar calada porque eu não tinha permissão para falar...começou a cair algumas lagrimas, estava tremula de medo e raiva ao mesmo tempo...Regina enxugou minhas lágrimas e disse baixinho no meu ouvido : hoje você é minha entendeu minha cadelinha ! se quizer pode ir embora mas nunca mais vamos nos ver...achando um absurdo mas não conseguia ir embora daquele lugar... Ela me deu um doce beijo na boca e voltou a se sentar, mandando eu continuar a me despir...eu estava hipnotizada de novo, não conseguia parar de obedecer aquela mulher, era algo mas forte que eu...tirei minha calça e blusa ficando só com a micro calcinha e as sandálhas. Regina mandou eu abrir uma bolsa que estava no sofa a meu lado e vestir o que havia lá...abri a bolsa e só havia uma coleira de cachorro...sem entender direito o que ela queria pus a coleira no meu pescoço...Regina se levantou, apagando seu cigarro e foi me puxando pela coleira até o quarto dela, se sentou na cama mandou que eu ficasse de 4 de frente para ela e começasse a beijar os seus pés, subindo pelas pernas até chegar na sua boceta...eu estava completamente anestesiada de medo e tesão, e aquela altura estava ensopada, fui fazendo tudo como ela mé ordenasse...quando Regina abriu o roupão de seda vi que ela estava usando uma espécie de maiô que deixava sua boceta e seus peitos a mostra...comecei a lambendo aquele grelo enorme e depois chupava como uma louca. Como era gostosa aquela buceta ! Regina me xingava de todas as maneiras, dizia que eu era uma cadela vadia, e que ela iria me domesticar, suas palavras me excitavam cada vez mais mas eu queria era mais...de repente Regina me puxou pelo cabelo e tirou minha boca da sua boceta, me deu um beijo e se levantou. Quando eu ia me levantar ela disse : você fica de 4 cadela ! e foi me puxando até o banheiro...ela se sentou no vaso, fez xixi, se levantou abriu o chuveiro e se lavou logo me disse : me seca sua vagabunda ! Logo entendi o recado e comecei a lamber igual uma cadela ! a primeira sensação que tive foi de tesão e desejo, ela foi me puxando para mas perto do seu corpo com a coleira em direção a sua boceta e eu não me sentia em condições de desobedecê-la. Quando encostei meus lábios naqueles lábios quentes e molhados estremeci toda e o deu sentido a uma sensação indiscritível...descobri naquele momento que eu era daquela mulher e que ela poderia fazer o que quizesse comigo seu gosto era uma delícia ! Queria atender a todos os seus desejos queria ser sua cadela como ela me chamava...eu pingava de tesão e inexplicavelmente gozei chupando aquela boceta greluda e grande toda lisinha...Voltamos para a cama e Regina quiz que eu subisse na cama e ficasse de 4 sem olhar para traz...eu estava entregue...de repente ela pede para que eu olhe para ela...Regina estava vestindo uma calcinha que tinha um enorme cacete preso na frente, não saberia dizer o tamanho mas era muito maior do que aquele que ela tinha usado em mim na loja, ela disse que era para eu dar uma boa olhada que ela iria enfiar todo aquele monstro no minha boceta sem dó e que não queria ouvir um só grito meu... Meu coração disparou mais uma vez...voltei a me virar, encostei o rosto no colchão deixando minha bundinha mais arrebitada ainda.Regina tirou minha calcinha e primeiro encostou a cabeça daquele caralho na minha boceta que era um brejo de tão enxarcada e de uma vez só enterrou aquele caralho bem fundo na minha boceta. ..eu quase perdi o fôlego ela esperou alguns segundos e quando eu menos esperava ela tirou tudo de um golpe só para enfiar tudo numa só estocada na minha bocetinha... Eu vi estrelas, as lágrimas escorriam dos meus olhos, parecia que eu ia morrer tamanha era a dor, mas a dor me provocava um tesão sem tamanho. Regina ficou ali dentro de mim sem fazer nenhum movimento tempo suficiente para eu me acostumar com aquele mastro na minha boceta, mas de repente ela me segura pelos quadris e começa a dar estocadas violentas, eu mordia minhas mão para não gritar e ela voltou a me xingar : sua vagabunda, tá gostando dessa vara enterrada na sua boceta né cadela ? essa boxetinha é munha hoje deixarei ela toda aberta, e hoje eu vou abrir ela todinha ! a cada palavra de Regina meu orgasmo se prolongava...foi tanta dor, tanto tesão, tanta intensidade que explodi num gozo alucinante, caí exausta no colchão e adormeci. Quando acordei, Regina estava em pé na minha frente, ela sorriu pra mim e eu retribui o sorriso...quando fui para lhe dizer alguma coisa ela passo o dedo indicador suavemente sobre meus lábios e deu um beijo carinhoso na boca. Ela delicadamente tirou minha sandália, me pegou pela mão e me levou até o banheiro. Sem dizer nada Regina me deu um banho com todo carinho, esfregando minhas costas e lavando meus cabelos. Depois ela me deu um roupão e disse que era para eu ligar para minha casa porque já eram 01:00 da manhã minha família deveria estar preocupada, e que era para eu dizer que eu iria dormir ali.Disse que não haveria problemas pois já havia deixado avisado, Regina me olhou de novo com seu olhar penetrante e um sorriso malicioso me dizendo que a noite nem tinha começado para mim...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.