"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meu cunhado Anderson lascou meu cu


autor: neinha
publicado em: 30/03/17
categoria: gays
leituras: 5725
ver notas


Anderson é o irmão mais novo de Gláucia minha mulher e precisou fazer um curso técnico e como na cidade em que mora não dispõe de Senai ele veio para fazer aqui onde moramos. O curso iria durar cerca de 60 dias e foi uma ótima oportunidade de revermos e ele fazer companhia a Gláucia sua irmã. Anderson é mais novo que Gláucia 5 anos portanto tem 26 anos mulato alto 1,80 mais ou menos atlético e um sorriso fácil de dentes branco e perfeitos, solteiro e raparigueiro que só ele, Pois bem eu havia chegado do embarque e ele foi me apanhar no aeroporto em nosso carro com Gláucia, Estavam felizes por estarem juntos de novo e Anderson era o irmão que Gláucia mais gostava. Vimos conversando durante o trajeto do aeroporto a cidade das novidades e sobre sua família e amigos distantes. Gláucia tentava convece-lo a frequentar a sua igreja e ele relutante dizia não ser sua praia mais se comprometeu a ir em um culto hora destas. Ao chegar em casa bagagens guardadas fomos a um barzinho próximo de casa a fim de bebermos umas cervejas e conversar mais a vontade. Ele me confidenciou que desde que chegou aqui não teve condições de comer ninguém pois a marcação era cerrada por parte de Gláucia que não deixava ele sair com o carro e ele estava num tesão bruto. Fiquei de contactar umas putinhas que conheço para aliviar sua barra. Só que aquele papo me deixou incomodado e não entendia porque, não parava de olhar o volume dentro de seu short. Nunca tinha tido qualquer envolvimento som homens e me sentia incomodado por aqueles pensamentos. Estávamos de saída pra casa quando Anderson disse que iria urinar e o acompanhei ao banheiro do bar entramos juntos e posicionamos para mijar e olhei de soslaio sua pica. era uma pica majestosa de um palmo cerca de uns 21 a 23 cm grossa e com uma cabeça vermelha. Ele desinibido sacudiu a rola em minha direção e falou se eu havia gostado dela? tentei disfarçar levando na gozação recolhendo meu pequeno pau sorrir e saímos, ele dirigindo e falando putaria o tempo todo se excitando e eu não deixei de notar o volume que crescia dentro do short parecia uma lanterna de tão grossa que estava e ele fazia questão de pegar nela a toda hora se exibindo me deixando sem graça. Chegamos em casa e ele foi ao sanitário e ao retornar me pediu uma cerveja e ficamos na varanda bebendo enquanto Gláucia se aprontava pra ir à igreja. Papo vem papo vai e olha ele falando sacanagem que gostava de comer um cu que todas as meninas que ele comeu preferia comer o cu do que a boceta e por isso elas terminavam e eu estava ficando excitado também só de ver o volume que crescia em sua bermuda, ele disse que pelo atraso que estava quando pegasse alguém iria esfolar o cu e inundar de gala a noite toda me deixando mais excitado ainda peguei mais uma cerveja sob os protestos de Gláucia que queria ir pra igreja, e pedi a Anderson que a levasse dando-lhe as chaves do carro. Fiquei ali bebendo minha cerveja e absorto em pensamentos até então que eu nunca tive estava com tesão em um macho e logo meu cunhado, não conseguia tirar da mente a visão de sua pica grossa e vermelha, sorvei a cerveja em goles cavalares acabando depressa abrir outra no exato momento em que Anderson retornava da igreja, ele passou por mim na cozinha em direção ao banheiro e não resistir e o segui entrando junto com a desculpa de mijar também, acontece que ele já havia notado meu interesse em sua pica virou-se em minha direção mostrando seu cassete balançando e eu hipnotizado olhava seu mastro ele sacana começou a punhetar o pau que crescia ficando maior e mais grosso virei me para sair e fui seguro pelo braço me fazendo fitar aquele mulato que sem vergonha nenhuma pediu me que punhetasse ele pois estava num atraso doido, tentei em vão desvencilhar dele que puxando minha mão em direção àquela pica me entregando que segurei na cabeça já sem noção de onde aquilo iria dar e devagar alisei e comecei a bater uma pra ele que fechava os olhos em sinal de satisfação gemendo, me posicionei melhor ao seu lado enlaçando-o pela cintura encostado em sua bunda com a pica dura e segurando sua vara que mão cabia nas mãos lhe chupei o pescoço e ele virando seu rosto beijou sofregamente a boca engolindo minha língua sugando com gosto e acelerei a punheta o fazendo urrar de prazer gozando em minha mão um monte de esperma grosso e abundante que eu sem mais nada a a perder levei a mão até minha boca lambi engolindo seu mel lambuzando minha cara de gala e seu pau não parava de escorrer seu gozo, sua pica continuava dura pulsando e escorrendo esperma ajoelhei e colocando-me submisso em sua frente abocanhei sua grossa pica querendo agasalhar aquela tora em minha boca sem conseguir pois era muito grossa chupei a cabeça que insistia em soltar golfadas de esperma que mais parecia mingau de tão grosso que saia e eu engolindo guloso tentando meter aquele mastro goela a dentro chupava faminto lambia toda extensão de seu pau, suas bolas colocava seus culhões dentro da boca mamando Anderson se arrepiava todo ficava nas pontas dos pés e segurando minha cabeça socou sua pica em minha pequena boca com vontade me fazendo engasgar pois era muito grossa. Nunca pensei que teria essa coragem ainda mais com um amigo ou parente, estava sem noção chupando meu cunhado que me chamava de boca de veludo que eu era melhor que certas bucetas e ejaculando muita porra em minha boca que escorria pelo canto e eu lambendo e sugando para não perder nem uma gota de seu mel quentinho e grosso. Finalmente ele foi aos pouco amolecendo a pica e um remoço me abateu me sentia sujo desmoralizado, com qual cara iria olhar nos olhos de Anderson agora e pior ainda para Gláucia? Desabei em pranto sendo amparado por Anderson que dizia que era normal o que aconteceu e que todos algum dia iria passar por isso me alisando a cabeça jurando que ficaria entre nós dois esse assunto e fui aos pouco me recuperando e levantando e ficando frente a frente com Anderson ele me puxou para si e tascou um beijo em minha boca apertando minha bunda e procurando enfiar seus dedos no meu cu eu estava em estado de transe chupando sua língua ali em minha própria casa e Anderson alisando minha bunda me virou de costas para ele me colocando apoiado na pia ergueu minha anca e mordeu e beijou minha bunda enfiando sua língua no meu cu que piscava encheu de saliva meu rego passou um creme para cabelo de Gláucia em seu pau enorme e foi encaixando entre minhas nádegas foi tentando enfiar aquele monstro em meu cu, eu já não pensava e só aguardava imóvel ele socar sua pica que foi aos poucos entrando me lascando todo a cabeça entrou alargando meu cu e lágrimas escorriam no rosto de dor e ardor pedindo pra ele parar que tirou por um instante e voltou a enfiar agora mais um pouco minha bunda apertava seu pau e meu cu parecia morder sua pica tentando em vão expulsa-lo de dentro e Anderson foi invadindo mais e mais até suas bolas ficarem batendo em minha bunda.Começou a meter e tirar acelerado me segurando pelo quadril alucinado metia toda a pica e tirava rápido meu cu estava ocupado por um caralho grosso e Anderson acelerava ainda mais seus movimentos me jogando para a frente eu gemia não sei se de dor ou prazer via tudo rodar e sentir uma jateada de esperma dentro do cu inundando meus intestinos de gala quente e Anderson foi diminuindo o ritmo de suas estocadas e só sentia seu caralho pulsando dentro de mim e ele pegou em minha pica que estava toda melecada e punhetou me fazendo gozar em suas mãos que ele levou até minha cara e ofereceu para que eu bebesse de meu próprio mel melando minha cara de esperma e seu pau foi desocupando meu cu amolecido. Anderson punhetou mais um pouco minha pica e desabou em minhas costas cansado e arfando. Entramos no chuveiro juntos e tomamos uma ducha demorada eu alisando sua pica ainda chupei mais um pouco já tinha feito o pior mesmo me deixei levar mamei muito ele no banho e enfiei os dedos no cu pra saber qual foi o estrago e me assustei, entro meus quatro dedos fácil fácil estava alargado e Anderson falou que eu não me preocupasse pois em dois dias estaria como novo pra ele poder me lascar outra vez.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.