"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Gozadinha leve no ônibus. ..


autor: luah
publicado em: 25/04/17
categoria: hetero
leituras: 7102
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu vi ele enfiando a mão dentro da blusa dela, aproveitou o blaiser por que hoje tá frio e o ônibus está gelado, enquanto beijava na boca ele enfiava a mão no peito dele enquanto a outra mão segirava a sua nuca.

Excitante, vou te contar, eu tranquila no meu ônibus de sempre, sentada ouvindo minhas musiquinhas no fone pra passar o tempo e confesso que sentindo a maior falta do moreno que parece que trocou seua horários nos últimos tempos, estava então na cadeira do corredor sentada ao lado de um casal bem vestido, sabe aqueles funcionários de primeira classe do banco ? Pareciam eles, ela de calça e blaiser combinando num mocassim preto e uma bolsa de couro pequena, ele sério d eoculos e calça social, estava no banco do canto e não dava pra ver doreitinho, não podia ficae olhando diacaradamente né ?! Olhei de relance.

Continuei ouvindo meu som quando o barulho da bolsa dela caindo no chão me chamou a atenção e tive que olhar, ele a puxou pela nuca a beijando com profundidade e foi entrando com sua mão por debaixo do blaiser dela. Eles se devoravam no beijo e consegui ver quando ela esticou seu braço e tocou no pênis dele com vontade, deu pra perceber pelo gemido que ele deu, e começaram a se roçar e uma senhora mais a frente olgou para trás, levantou do banco comp se procurasse de onde veio os gemidos, acabei rindo, ela estava velhinha, devoa ter maos de 70 anos, devia fazer um tempo que ela não ae envolvia nessas ousadias, me pareceu pela sua cara de reprovação.

O casal se recompôs e ficaram juntinhos num abraço com respiração voltando ao normal e sorrisinhos de cumplicidade deliciosos. Fiquei imaginando que você poderia estar aqui, seria tão gostoso, ia deixar você sentar no canto mais sei que deitaria no seu colo para mamar essa pica deliciosa, seria muito mais ousada, mais safada, você sabe bem, já leu meus contos e sabe bem como sou gulosa. Nesses pensamentos não podia esperar para dar uma gozadinha, afinal de contas ser feliz é o que importa e como ainda tinha uns trinta minutos de viagem e o banco ao meu lado estava vazio, mudei de lugar pro canto e comecei a me tocar por cima do tecidp fino do vestido longo.

Aos poucos fui me ticando e delirando, nao fiz muito batulho ao levantar uma parte do vestido e colocar a minha mão por dentro enquanto a bolsa tampava cada investida minha na buceta altamente molhada e doida pra ser tocada.

Fiquei imaginando você ao meu lado me masturbando enquanto os minutos iam passando e me entreguei e gozei de leve, nada que pudesse me evidenciar no ônibus, reparei que o casal estava em toques lentos e com descrição, a senhora já havia descido em alguma parada e eu me refiz, respirei fundo e levantei dando sinal para a próxima parada e começar um novo dia de trabalho levemente gozadinha.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.