"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Madame, coroa, siliconada e safada!


autor: victorlionheart
publicado em: 03/05/17
categoria: hetero
leituras: 2381
ver notas
Fonte: maior > menor


Solange era uma amiga da minha mãe do tipo madame, já tinha seus 40 anos na época, uma filha que tinha quase a minha idade e impressionava os machos quando saía na rua. Uma morena maravilhosa com cabelos cacheados até a cintura, quadris largos, gordinha mas não muito (do jeito que me enlouquece), lábios carnudos e olhos castanhos claros. Recentemente, havia colocado silicone nos seios e o que já era inacreditável, ficou ainda melhor e pra minha sorte...pude ver de perto e com mais detalhes.

Cheguei em casa do trabalho e a vi na portaria do meu prédio, minha mãe ainda não havia chegado e ela aguardava, a recebi e subimos para aguardá-la no apartamento e ficamos conversando na sala. Peguei um vinho e ficamos conversando na sala, ela usava um vestido longo com um decote que deixava a mostra seus “seios novos”, grandes e firmes, e não conseguia falar sem tirar os olhos dele. Ela percebeu e parecia gostar daquilo, ficava se inclinando na minha direção e estufando o peito, o que me deixou com o pau duro na hora. Depois de umas 2 taças de vinho, começou a falar do silicone, e com o dedo, ficava apertando e falando como estavam firmes, segurou a minha mão e a colocou em cima de um deles “Viu como está durinho?” me perguntou ainda segurando contra seu seio enquanto a outra mão subia pela minha coxa em direção a minha virilha.

Comecei então a massagear e apertá-lo forte...que delicia de seios, conseguia encher a mão e apertar com gosto, o qe fazia ela dar um gemido bem safado. Sua outra mão já apertava firme meu cacete por cima da calça com a maestria de uma mulher experiente, seguindo por toda a extensão da virilha ate a cabeça. Baixei as alças do vestido fazendo aqueels seios deliciosos pularem e passei a chupá-los com gosto, mordendo os bicos grandes e durinhos, circulando com a língua e depois puxando com os dentes. Sua mão já dentro da minha calça, puxando para fora meu pau já duro e quente punhetando devagar e fazendo uma pressão na cabeça que me deixava louco… Coroas sabem como tratar um pau e ela era mestre nisso!!!

Se ajoelhou entre as minhas pernas e me olhando, começou a me chupar sem pressa, punhetando enquanto o engolia e tirando devagar, sempre me dando uma olhada e depois o fazendo sumir em sua boca. A saliva escorria morna por ele e depois ela sugava, estava enlouquecido e me contorcendo de tesao. Colocou meu cacete entre seus seios, totalmente melado de saliva, iniciando uma espanhola enquanto a cabeça ficava em seus lábios. Me segurei firme para não gozar, precisava foder ela antes, não sabia quando teria outra chance daquelas!

Nos levantamos e ela deixou o vestido cair, ficando só de calcinha e se deitando no sofá, me olhando e passando a língua nos lábios carnudos e com o batom vermelho já borrado daquele delicioso boquete. Afastei sua calcinha e vi os pelos bem aparados de sua buceta gordinha e com lábios rosados, do jeito que gosto! Retribui sua chupada, abocanhando ela toda e massageando o grelo com a língua enquanto os dedos a penetravam e a fodiam alternando a velocidade, ela mexia os quadris e rebolava no meu rosto, gemendo e cravando as unhas nas minhas costas. Ergui suas pernas e pincelei sua grutinha extremamente molhada com a cabeça do meu pau e a penetrei de uma vez, fazendo ela soltar outro gemido alto e apertar meus braços, cravando novamente as unhas. Alternava a velocidade das estocadas e quando percebia que ia gozar, diminuía o ritmo somente para ve-la se contorcendo de tesão, apertando os seios e puxando os bicos, gemendo de olhos fechados e passando a língua nos lábios grossos.

Me sentei no sofá e a puxei para me cavalgar, ela quis de costas e me pediu para que a puxasse pelos seios. Apoiou os pés nos meus joelhos e cavalgou como uma puta no cio, rebolando até que a cabeça da minha pica ficasse na entrada de sua buceta e depois o engolindo todo. Eu puxava pelos seios, apertando, massageando, fazendo cavalgar mais rápido e forte até que a senti gozando e desabando em cima de mim! Agora era a minha vez, mas queria encher aqueles seios de porra, não sabia se seria o primeiro, mas não podia deixar passar! Encaixei meu pau entre seus seios e começamos novamente uma espanhola, ela me olhava segurando os seios muito safada...”Goza...goza nos meus peitões...gostou deles, não gostou?” ela falava com uma voz manhosa e safada, mostrando ainda toda sua postura de madame, sem ser vulgar! Punhetei um pouco enquanto ela os apertava e comecei a gozar entre eles, acertando seu pescoço e suas mãos...ela gemia a cada jato que a acertava e depois os espalhou deixando seus peitões melados de porra quente! Rapidamente ela foi ao banheiro para se limpar, não podíamos nos arriscar em ser vistos pela minha mãe naquela situação. Nos recompomos e para nossa sorte, minha mãe demorou a chegar, pudemos trocar carícias por um bom tempo e minha mãe nunca desconfiou...eu acho!

E-mail/Skype: victor.lionheart@hotmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.