"Os mais excitantes contos eróticos"


Chefe satisfeita, funcionária feliz!


autor: katyferreira
publicado em: 07/05/17
categoria: lésbicas
leituras: 7045
ver notas
Fonte: maior > menor


Lá estava eu, me despindo para um encontro com minha amante!
Minha chefe que sempre me satisfez resolveu comemorar uma conquista profissional (coisas dela com as sócias). Depois de conversarmos no escritório resolvemos ir pra um lugar mais reservado.

O dia tinha foi normal como qualquer outro, mas já no finzinho do expediente ela me fez o convite;
Katy, hoje é um dia muito especial e gostaria de te confidenciar algumas coisas, poderíamos ficar a sós mais tarde?!

Obviamente que eu concordei e esperei ansiosamente o momento de me entregar!
Silvia estava diferente dos outros dias, além do charme original, ela trazia uma empolgação de adolescente… e pra minha surpresa o fôlego também era de uma. Vamos aos fatos.

Já era tardezinha quando ela pegou a chave sobre a mesa do escritório e saiu da sala, rapidamente encerrei minhas tarefas e corri ao seu encontro. Como é de costume passamos na casa de uma das sócias e elas estavam super alegres e eufóricas. Nossos maridos já sabiam que iríamos chegar um pouco mais tarde, mas pra ter certeza eu liguei pra confirmar.

Já eram nove da noite quando minha chefe se despediu das amigas e disse que me levaria em casa. Na verdade ela me levaria aos delírios alguns minutos depois.

Acho que pela data especial ela escolheu um motel, o mesmo que já frequentamos há algum tempo. Estacionou, pediu bebida e pegou a chave…

Tudo de acordo com o planejado!
Subimos sorrindo pelas escadas, esbarramos um casal que nos olhou assustados.
Chegamos no quarto com uma garrafa menor de whisky (eu nem sabia que existia) e enquanto Silvia foi tomar um banho eu fiquei vendo canais adultos e bebendo algumas doses rrssr

Quando voltei do banho Silvia já estava seminua me esperando na cama, me oferecendo bebida e me convidando pra deitar. A noite só estava começando.

Inicialmente conversamos, ela me disse tudo que queria e trocamos alguns beijos, quando ela percebeu que eu já estava super a vontade, desligou a tv, tirou o copo de whisky da minha mão e começo a me acariciar. Eu estava de calcinha e com o roupão do motel e ela de calcinha e sutiã (acho que ela tem um pouco de vergonha dos seios avantajados rs

Ela sussurrava no meu ouvido coisas loucas e me tocava de uma forma tão apaixonada que eu rapidamente me entreguei e fiquei super molhada. Silvia com toda sua experiência tirou minha calcinha e jogou pro lado começando a passar a mão pelas minhas coxas e virilha.

Aiii meu amor!
Eu dizia super excitada e louca pra que ela intensificasse os carinhos. Ao mesmo tempo que ela me tocava eu fui soltando seu sutiã e quando nos demos conta já estávamos jogadas na cama nos beijando. Silvia se levantou de costas pra mim (ajoelhada na cama) e permitiu que eu beijasse suas costas, aproveitei pra descer sua calcinha até as coxas.

As cenas ainda passam na minha cabeça como se fossem flashs, e me recordo do exato momento em que ela tocou minha buceta, já nua e esperando seus toques. Silvia percorreu todo meu corpo com beijos, desde minha boca, pescoço, seios (dando várias chupadas), barriga e finalmente… minha molhada e quente bucetinha.

A noite era especial e tudo era motivos de sorrisos, talvez pelo efeito do whisky também rs
Minha amante se colocou em cima de mim, despida totalmente e ajoelhada sobre a cama, me colocando entre suas pernas começou a tocar sua própria buceta. Eu olhava deslumbrada e admirada.

Aquela relação estava ficando intensa, as luzes acesas e a cama do motel deixavam tudo mais excitante, um conjunto digno de filme;
Luzes
Espelho
Bebida
Perfume e…
SEXO!

Me sentei na beirada da cama pra facilitar as lambidas de Silvia, que rapidamente se posicionou com a boca na minha buceta e se pôs a chupar, lamber e me enlouquecer.

Eu pedia a todo momento pra ser penetrada, acho que me acostumei mais com penetração do que com língua, apesar que me chupa como ninguém nunca conseguiu. Silvia beijava minhas coxas e percorria com sua língua até meu grelinho, aquilo me fazia arrancar os lençóis com as unhas.

Entre sorrisos e gemidos eu me entreguei, abri de vez as pernas e permiti que ela me penetrasse e ela como uma ótima amante me deu prazeres múltiplos.

Quando me dei conta, a gente estava jogada na cama em uma posição que recentemente descobri que tem o nome de “tesoura” o que faz todo sentido rs

Meu grelo sentia o calor do grelo dela, nossas pernas se entrelaçaram em uma sincronia de movimentos que pareciam ensaiados. Ela não se segurou por muito tempo e gozou, me deixando toda melada com aquele mel de prazer.

Não satisfeita ela começou a me chupar, dizia que iria mamar em meus seios rs
Durante uns 5 minutos eu fiquei sentindo aquela sensação de toque e lambida nos meus seios. Quando abri os olhos novamente, Silvia estava se virando pra mim e ficamos em uma deliciosa posição de 69.

Aquela buceta melada e gozada me aguçou um sentido de tesão extremo e me enlouqueci, implorei pra que me penetrasse e ela fez isso de uma forma “divina”, lambia meu clitóris e colocava dois dedinhos em mim e quando notei ela já estava guiando os dedinhos pro meu cuzinho, então me abri um pouco mais.

Ficamos nos chupando e quando eu estava prestes a gozar Silvia me colocou deitada de frente pra ela, empinou meu corpo e se colocou entre minhas pernas, não resisti e gozei com aquela língua quente percorrendo minha buceta e um dedinho entrando fundo no meu cuzinho “apertado” rs

Estava maravilhoso mas a noite pedia mais do que isso…
o relógio já marcava 22:30 quando começamos a nos beijar novamente, Silvia disse que queria me possuir e rapidamente se colocou do meu lado, me tocando e chupando meus seios.

Foi questão de segundos pra que eu começasse a gritar de prazer e gozar novamente;
Vaiiiiiiiiiiiii putaaa! (Eu gritei)

E Silvia deu um sorriso safado e disse;
Vou te mostrar quem é a puta!

Se colocou de quatro na cama e empinou aquela bunda gordinha e deliciosa pra mim, me chamou com os dedinhos e disse;
Vai lá, pode penetrar o cuzinho da puta!

Não pensei muito e fui brincar com aquele buraquinho que ainda aparentava estar apertado! Minha amante experiente não tinha muito costume de fazer brincadeiras anais rs


Depois de alguns tapas, de melar bastante meus dedinhos eu resolvi colocá-los no cuzinho dela, mas antes eu dei várias chupadas deliciosas. Nunca tinha visto Silvia se contorcer daquela maneira, a cada lambida ela se mexia, a cada toque da minha língua no seu cuzinho ela gemia e quando penetrei então… ela berrou feito uma louca.

Conciliei chupadas no cuzinho com toques rápidos no grelinho, quando percebi ela já estava sorrindo e dizendo que me amava!

Silvia gozou como eu nunca havia visto, escorreu pelos meus dedos, melou as coxas e contraiu o cuzinho de uma forma rápida e até violenta. Sorri e perguntei se machuquei e ela também sorrindo disse que poderia machucar mais vezes rs

Nos jogamos na cama e entre uma conversa e outra nos tocamos até que deu a hora de sairmos do quarto, o que foi uma pena, pois seria maravilhoso dormir com minha amante por ali mesmo rs

E assim terminou uma noite de comemoração, entre beijos e gozos.
Espero que tenham gostado do meu relato!

Me escrevam, apesar de estar sem tempo eu tento responder todo mundo

katyf083@gmail.com

Ahh, infelizmente não posso trocar fotos, mas quem quiser podemos marcar uma conversinhas rrsrs


bjos



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.