"Os mais excitantes contos eróticos"


Uma foda selvagem e marcante II


autor: AlineRj
publicado em: 21/05/17
categoria: hetero
leituras: 3403
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá, me chamo Aline tenho 29 anos, formada em arquitetura, boa de vida, independente e muito bem resolvida. Venho aqui contar uma foda REAL e a mais gostosa de toda a minha vida até agora. Bom, sou uma negra dourada baixinha tenho 1,57 mas muito bem distribuídos, seios médios e duros acompanhados com dois pares de piercings douradinhos em cada um, bunda grande e coxas grossas, tudo adquirido com anos de academia.

Aconselho de lêem a primeira parte deste conto para ficarem cientes.

Danilo praticamente me jogou dentro do carro e os segundos que tive antes dele entrar observei as marcas roxas que ele deixou no meu pescoço e aquela brutalidade toda me deixava com cada vez mais tesão. Quando se sentou ao meu lado agarrou meu cabelo e deixou minha boca a poucos centímetros da sua e disse:

— Você vai me chupar como a puta gostosa que você é e se não fizer do jeito que eu gosto não vou ter pena nenhuma de te dar uns bons tapas cachorra!

Nisso ele libertou aquele mastro maravilhoso, grande e cheio de veias. Fui de encontro aquela rola que mal cabia a metade dentro da minha boquinha mas como uma boa vadia fiz uma garganta profunda maravilhosa enquanto ele dirigia para algum motel. Babei bastante, fiz uma pressão na cabeça e não esqueci das bolas, dei um trato em tudo e Danilo gemia como um macho no cio até que o carro parou e ele segurou com mais força meu cabelo chegando a doer e começou a foder minha boca, indo fundo engasguei algumas vezes mas ele ignorou e continuou me fodendo até inundar minha boca de porra. Engoli tudinho e deixei seu pau limpo, lhe dei um beijo onde ele pode sentir o gostinho delicioso do seu gozo.

— Fez direitinho e agora quero dar um trato nessa bucetinha mas lá em cima, hoje você só dorme quando eu quiser safada.

Ganhei um tapa doloroso na coxa que cheguei a dar um gemido mas logo sorri pelo trato. Olhei pelo vidro e vi que estávamos na porta do meu prédio, gelei com medo dos vizinhos ouvirem minha bagunça já que a última vez que transei em casa foi com meu ex marido e deu problema mas não tive tempo de pensar, Danilo abriu a porta para mim e me abraçou pela cintura com carinho escondendo o animal insaciável que tinha dentro dele até entrarmos no elevador.

Ele me jogou contra uma das paredes geladas e me beijou como um louco, roçando o pau duro como ferro na minha barriga e não perdeu tempo em afastar o tecido da calcinha e enfiar de uma vez só três dedos dentro da minha xaninha já toda encharcada. Comecei a gemer descontroladamente a cada bombada que ele me dava, consegui perder a órbita quando cheguei no ápice, aquele homem estava e sabia como me deixar louca.

Lentamente ele tirou os dedos e deu pra mim chupar como um bebê, fiz minha melhor carinha de puta e parece que aquilo deixou ele louco tanto que quando a porta se abriu fui arrastada pelo cabelo e sendo xingada de todo qualquer nome até meu corpo ser jogado no sofá.

— Prontinho, agora vai ter que aguentar tudo que tenho pra te dar. Mas primeiro vamos dar um jeito nesse teu vestido.

Pelo álcool e gozo recente só senti meu corpo ser chacoalhando em seguida um frio, olhei para o lado e meu vestido e calcinha estavam em trapos no chão. O fogo subiu e inverti as posições ficando por cima tomando rédea da situação. Estourei todos os botões da sua camisa e logo ambos estavam nus.

Comecei a esfregar minha portinha na rola dele e todo momento ele tentava me penetrar mas a cara de sofrimento a cada gemido estava me deixando extasiada até que ele se cansou, me ergueu e me fez sentar sem dó. Doeu pois foi até o talo mas uma dor gostosa.

— Cavalga no teu macho piranha, aproveita, anda que essa grutinha tá bem apertadinha! - ele deu tapas e mais tapas a cada palavra dita.

Fiquei louca e passei a sentar freneticamente, ele com a boca fazendo uma massagem nos meus peitos e brincando com os piercings me levou a loucura.

— Filho da puta, que pau gostoso! Ah eu vou gozar caralho!

Minutos depois senti os espasmos mais fortes e gritei anunciando meu gozo, perdi totalmente as forças e me encostei no seu peito com a respiração descompassada. Quando pensei que tinha acabo por ali e fiz menção de levantar ele segurou minhas coxas e perguntou pra onde eu pensava que estava indo, aquela foda não ia acabar tão cedo.

Fui levada até a mesa e os objetos que tinham ali foram ao chão. Danilo pincelou no meu grelinho quente e novamente foi tudo até suas bolas baterem na minha pele, começou um vai e vem rápido e barulhento que se misturou ao nossos gemidos. Ele queria gozar mas estava se segurando, coisa que não admito. Comecei a falar putarias no seu ouvido, ele me apertou mais e meteu mais forte.

— Você quer porra vadia, então toma!!

Ele urrou e gozou dentro da minha xana, um líquido quente que chegou a escorrer pelos lados. Ficamos suados e quando olhei para o relógio já eram 1h da manhã.

— Quer beber alguma coisa ?

— Depois de comer seu cuzinho linda.

Não conseguir dizer nada, ele saiu de dentro de mim e me colocou de bruços, suspendeu minha perna e abriu minha bunda. Meu buraquinho piscava querendo aquela rola imensa dentro dele e Danilo soube fazer. Cuspiu e chupou por um bom tempo e me fez gozar mais uma vez só com a língua no meu cu.

Aos poucos ele foi colocando, doeu mas conforme fui rebolando logo tive ele todo dentro de mim. Ele segurou meu pescoço e me fez levantar a cabeça, começou com estocadas lentas e minutos depois já estava me fodendo do seu jeito bruto. Eu gemia e mal conseguia respirar mas dava muito tesão ser dominada. Com a outra mão livre ele deu tapas em cada lado da minha bunda e me xingava.

Depois de um tempo aconteceu algo que não rolava a muito tempo comigo, gozamos juntos. Foi tão louco e inebriante que desfaleci, ele ainda tinha energia pra dar e vender então não pude descansar até as 6h da manhã. Fodemos no quarto, banheira, bancada e até na varanda, fiquei totalmente arrombada e ardida, ele realizou todos os meus desejos e eu os dele, foi uma foda incrível!! Trocamos números e redes sociais e já temos a próxima marcada que pretendo contar a vocês mas o susto veio as 14h da tarde quando meu síndico trouxe a notificação de barulhos durante a madrugada.

Quer conversar ? Me escreva! aline.151@outlook.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.