"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Professor- Arrepios e Gemidos


autor: Insana
publicado em: 30/05/17
categoria: hetero
leituras: 2974
ver notas
Fonte: maior > menor


Ela tinha 17 anos, quando conheceu o professor de física do último ano de faculdade, ele não fazia o tipo de homem que o senso comum aprove, era alto, magrelo e usava óculos, mas de uma inteligência indescritível, ela por sua vez, 17 anos, pele branquinha, cabelos longos e castanhos, tinha aquela sensualidade escondida por trás de um rostinho de anjo, só que de anjo não tinha absolutamente nada.
Quando ela olhou para ele, estremeceu, sabia que tinha que fazer alguma coisa para chamar sua atenção, e nesse desejo desenfreado passou um ano, e ele, sem entender, quando no último dia de aula, foi preparado um café aos professores, ele estava lá, então ela pediu uma foto e o email dele para poder enviar a foto depois, era a última chance dela, ele passou, então no outro dia ela mandou um email e já jogou uma indireta, para ver como ele iria proceder.
Jogada certeira, ele acabou caindo na rede, e falando que era louco de tesão por ela, ela toda novinha, enquanto ele 40 anos, falou que se sentiu honrado por ela estar mandando mensagem e muito mais surpreso ainda por saber que ele causava desejos nela.
Marcaram de se encontrar, combinaram em uma rua deserta, afinal ele era um homem casado e não poderia ficar aparecendo em público.
Quando ela viu ele chegando amoleceu, simplesmente entrou no carro e os dois não trocaram uma palavra, estava frio, ele com uma jaqueta e ela com uma blusa, de repente enquanto se beijavam, ele ia acariciando os peitos dela com uma das mãoes e com a outra ele colocava suavemente por cima da calcinha, ja dava pra sentir a bucetinha dela, recem depilada, rosadinha pulsando de tanto desejo, ele abria a boquinha dela, colocava a língua dele todinha lá dentro, enquanto os dedos uma mão nos peitinhos e a outra na bucetinha, ela sussurava no ouvido dele:
"professor há um ano que eu estava esperando por esse dia"
enquanto ele não conseguia parar de beijar o pescoço e lambusar o dedinho na bucetinha, depois que ele lambusou bem os dedinhos, ele lambia com gosto e disse, "eu preciso ir, vou sentindo seu gostinho na minha boca, a gente vai marcar um dia porque agora você me deixou louco de tesão".
Ela simplesmente concordou com ele e disse: "quando você puder você me avisa professor, eu também estou morrendo de vontade de continuar essa história"
Passados uns dias o clima por email estava cada vez mais picante, ele falava que todas as noites antes de dormir acariciava aquele pau enorme lembrando do gostinho da bucetinha dela, que imaginava ele deitando ela, puxando a calcinha toda molhada do ladinho e lambendo com gosto aquele melzinho.
Ela falava que todas as noites ia dormir lambusada de tanto tesão, que ficava imaginando ele puxando ela pelo cabelo, ela de salto toda peladinha, de quatro na cama, chamando ele de "professor meu macho" ele ficava cada dia mais louco de desejo, até que chegou o grande dia, marcaram de se encontrar, ele disse no trabalho que estava passando mal e precisava ir ao médico, e marcou com ela as 14:00 em uma praça, de lá foram para um motel, pegaram uma suíte, só que dentro do carro as mãos não conseguiam ficar quietas, era muito desejo, muito tesão e muita vontade para duas pessoas.
Quando chegaram no motel, ele jogou ela na cama, começou a lamber, começando pelo pescocinho
descendo pelos peitinhos que eram redondinhos e branquinhos, cabiam inteiros na boca, depois chegou e lambusou toda a boca naquela bucetinha peladinha, ela pulsava, estava doendo de tanto tesão, depois de lamber e deixar ela bem molhadinha ele puxou ela pelo cabelo e colocou a boquinha dela no pau dele.
Mas não era uma chupada qualquer, ela chupava com gosto, com vontade, enfiava ele inteirinho, até o fundo, depois tirava bem devagarinho da boca, ai colocava de novo, cuspia nele, lambia o cuspe, depois voltava a engolir ele inteiro, olhando nos olhos dele enquanto ele falava: "assim que você gosta, assim que você quer seu professor é sua cadelinha? assim que você gosta, lambe deixa ele bem limpinho que daqui a pouco eu quero você bem quente pra mim"
ela chupava aquele pau como se não houvesse amanhã, quando de repente ele puxou ela, jogou ela na beira da cama com a bundinha bem empinada e começou a colocar, primeiro foi colocando a cabecinha, depois perguntava: "fala cadelinha o que você quer? pede pro seu macho que ele te dá"
e ela gemendo de tanto tesão, falava: "quero que você me coma me foda com força, fode sua putinha vai"
Ele continuava, conforme ela ia falando ele ia colocando, quando viu tinha colocado o pau inteiro dentro da caverninha dela, ele falava: "nossa como você ta quentinha, eu adoro uma bucetinha quente e apertadinha, buceta de ninfeta"
Ela quando ouvia ele dizendo isso falava:" então me come mais, fode, fode que eu to gostando"
Ele era experiente, sabia fazer e pegar de jeito uma mulher, sabia lamber, sabia comer, até que de repente sentiu escorrer aquele líquido melado pelas pernas dela, ela tinha acabado de ter a melhor gozada da vida dela, quando ele foi sentir o gostinho, não se aguentou, gozou, deixou ela toda cheia de leitinho.
Depois que terminaram, conversaram, e ele falou: se veste logo, tenho que ir embora que minha mulher está esperando.
Depois disso sairam mais duas vezes, depois nunca mais se viram.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.