"Os mais excitantes contos eróticos"


O médico que curou minha sede de pica


autor: AlineRj
publicado em: 30/05/17
categoria: hetero
leituras: 7006
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá, me chamo Aline tenho 29 anos, formada em arquitetura, boa de vida, independente e muito bem resolvida. Bom, sou uma negra dourada baixinha tenho 1,57 mas muito bem distribuídos, seios médios e duros acompanhados com dois pares de piercings douradinhos em cada um, bunda grande e coxas grossas, tudo adquirido com anos de academia.

Fui casada por cinco anos e nesse tempo dei a luz de meu maior tesouro, uma menina linda chamada Mariana. Infelizmente o homem com que me casei não é muito presente na vida dela, uma hora ou outra vem visitá-la então eu sou a quem cuida das coisas.

Mariana a poucos meses atrás ficou com um resfriado horrível que nada dava jeito, nem mesmo remédio caseiro e tive que correr com ela para o consultório. Chegada o dia da consulta me arrumei normalmente sem intenção de nada, até porque nunca imaginaria que conseguiria algo a mais que uma consulta porém me enganei. Sai de casa com um vestido longo colado estampado com um decote entre os seios, saltos, pouca maquiagem, cabelo bem feito e jóias, nada muito extravagante pois pretendia no final deixar Mariana na escola e seguir para o escritório.

Chegando lá não tinha muita gente pois como era um consultório particular as coisas eram mais organizadas. Fiz o que tinha que fazer e a surpresa veio quando entrei na sala do Dr. Gabriel, um cara com quase 1,80 de altura, porte atlético, olhos verdes, cabelo naqueles cortes modernos e moreno quase negro, uma perdição de homem. Simpático e com um sorriso lindo, ele primeiro brincou com Mariana perguntando o motivo daquela carinha tão triste e enquanto falava me lançava olhares.

— Bom senhorita... Aline, o que há com essa pequena ?

— Por favor sem o senhorita, só tenho 29 anos rss! - ele sorriu junto comigo e seu olhar para o meu decote não passou despercebido. — Já faz uns dias que ela anda resfriada, os remédios que sempre funcionam não estão fazendo mais efeito e estou começando a ficar preocupada e decidi trazê-la aqui!

— Fez bem mas vamos ver o que essa gatinha tem, que por sinal lembra muito você!

Aquela indireta veio certeira e logo meu insisto de vadia se aguçou, fiquei atenta a qualquer investida. Ele pegou Mariana no colo e a colocou sentada em uma maca, fez algumas coisas que mal prestei atenção fiquei totalmente voltada pro corpo daquele pedaço de mau caminho. Me proximei um pouco mais fingindo está interessada no exame e " sem querer " fiz um movimento que fez meus seios roçarem no seu braço, ele percebeu e sem vergonha nenhuma sorriu como um tarado.

Continuamos a consulta normalmente, ele seguiu com profissionalismo e eu como uma boa mãe preocupada. Dr. Gabriel receitou um remédio e pediu para voltarmos na próxima semana. No final agradeci e ele nos acompanhou até a porta.

— Obrigada pela atenção Dr. Gabriel eu espero que tudo se resolva.

— Me chame só de Gabriel rs, e esse é o meu trabalho eu tenho a mesma esperança que você! Espero vocês na próxima semana, certo ?

— Com certeza, até!

Sai dali com ele em mente mas com a correria do dia de uma arquiteta acabei esquecendo. Lá pelas tantas da noite, sentada no sofá tomando um vinho e vendo o que tinha de novo no facebook, uma solicitação de amizade me tirou o sossego, Dr. Gabriel. Sem pensar duas vezes o aceitei e começamos uma conversa com intenções escondidas, ele perguntando sobre Mariana e seu estado até que perguntei como havia me achado na rede já que meu sobrenome é meio incomum.

" Nós médicos temos acesso a algumas informações, me desculpe se soou como uma grosseria mas gostei de você, me pareceu bem simpática mas se isso complicar seu relacionamento eu desisto rs. "

" Sou separada meu bem, e eu também gostei é sempre bom ter alguém pra conversar. "

Lhe dei permissão pra uma conversa mais pessoal e agradável, fui questionada sobre meu ex marido, meu escritório, família e tudo mais. Trocamos os números e a conversa continuou no whatsapp e assim foi até a madrugada, nenhum demonstrou o desejo de cada um, ficamos no básico e confesso que só aquilo já estava sendo ótimo.

A semana passou e Mariana teve uma melhora surpreendente, minha amizade com Dr. Gabriel ficou mais íntima e agradável e cheguei a pensar que ele queria apenas amizade mas uma mensagens talvez mudasse o sentido das coisas. Levei Mari ao consultório novamente mas não foi ele quem nos atendeu e sim uma mulher. No outro dia ele me chamou, dizendo:

" Oi, tudo bom ? Saudades de ti guria, vamos a um samba hoje com alguns amigos meus ? Passo ai pra te buscar, sem problemas só me manda o endereço! Garanto que será uma noite inesquecível! "

Na hora eu topei, passei meu endereço e ficou combinado para as oito, eu já com a bucetinha sedenta por rola fui toda animada a um Sexy Shop escolher uma lingerie bem sensual pro meu gatinho que seria meu naquela noite.

Dado o horário eu estava linda, perfumada e depilada. Vestido azul-marinho decotado e curto, saltos e maquiagem a altura. Dr. Gabriel não deixou a desejar, o cara estava um tesão em pessoa e só de sentir o cheiro do perfume dele foi o suficiente molhar minha calcinha toda.

A noite seguiu bem, dançamos bastante e pude ter uma palhinha da pegada do meu macho, ele sempre segurava firme minha cintura, roçava o pau na minha bunda e como um sinal que seria meu naquela noite apertei de leve seu pau antes de ir para a fila do banheiro. No final me despedi carinhosamente dos seus amigos e esposas e fomos para o carro, gentilmente ele abriu a porta para mim e tascou um tapa na minha bunda.

— Não pense em me levar pra casa! - foi a primeira coisa que eu disse quando o mesmo entrou.

— E pra onde você quer ir preta ?

— Não importa, desde que eu sinta o gostinho do seu pau na minha boca.

Não lhe dei chances de falar e pulei em cima dele, beijei gostoso com direito a mordidas e logo seu pau já queria rasgar a calça. Rebolei sem perder o embalo do beijo e aquilo foi sua tortura pois toda vez que ele tentava me penetrar com os dedos eu não deixava. Por mais que eu quisesse, adoro deixar um macho nervoso, o sexo sempre fica como eu gosto, selvagem e agressivo e foi dito e feito.

Gabriel me jogou para o outro banco reclinado, subiu meu vestido e arrancou minha calcinha em seguida guardou ela no bolso. Com olhar maníaco ao mesmo tempo que aumentava meu tesão ele alisou meu grelo, cuspiu e chupou como nenhum outro, a língua dele literalmente brincava e chupava todo meu melzinho, quando ele penetrou três dedos de uma vez eu perdi o total controle, gemia feito uma puta devassa e pedia mais.

— Isso, mete gostoso na minha xaninha Gabriel, chupa o que você queria a semanas, que chupava maravilhosa seu cachorro continua que eu vou gozaarr!!! - gritei e ele acelerou mais, não me contive e gozei na sua boca, ele chupou tudinho sem frescura nenhuma como um macho apaixonado por buceta e veio me beijar com aquela língua quente.

— Você é gostosa demais preta, vem cá no pau do teu homem vem.

Arranquei toda minha roupa e a dele e cai de boca no seu membro, deveria ter uns 18 cm , não era muito grosso mas cheio de veias e uma cabeça deliciosa. Fiz minha sagrada garganta profunda que deixa qualquer homem louco, babei bastante e quando senti seu pré gozo chupei com mais força até ter porra na minha boca toda, limpei tudinho e já parti pra minha posição favorita, cavalgar.

Meu buraquinho queria atenção então ajeitei seu pau na entrada do meu cuzinho e fui sentando devagar arrancando um gemido rouco dele, quando entrou tudo ganhei dois tapas na bunda e uma mordida em cada peito como incentivo. Comecei a sentar gemendo e olhando direto naquele belo par de olhos verdes, Gabriel me xingava próximo ao meu ouvido com uma voz grossa e enfiou os dedos na minha buceta, pronto, fiquei descontrolada e cavalgava sem me importa se as pessoas estavam escutando. Anuncie meu gozo e melei seu pau, ele vendo minha fraqueza passou a conduzir, abriu mais minha bunda e meteu sem dó, eu só conseguia gemer e falar coisas sem sentido, a cada estocada funda sentia meu cuzinho doer mas ainda estava gostoso até ele me preencheu de porra que chegou a escorrer.

Nos vestimos e conversamos um pouco mais, até vermos os primeiros raios de sol. Ele me levou para casa, me deu um beijo molhado e como presente deixei minha calcinha com ele, agora, quem sabe não voltamos a nos encontrar e confirmei isso quando no outro dia recebi um vídeo do mesmo batendo uma punheta dedicada pra mim e claro que teve retribuições.

Beijo a todos.
Me escrevam: aline.151@outlook.com





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.