"Os mais excitantes contos eróticos"


Avô tarado, netinho inocente


autor: srfantasia
publicado em: 03/06/17
categoria: incesto
leituras: 5514
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu devia ter uns 13 anos na época, e todas as férias meus pais nos levavam para passear na casa dos parentes que moravam no interior de Minas Gerais, a casa onde eu mais gostava de ir era do meu avô.

Era sempre divertido, vovô nos dava doces, levava pra tirar leite da vaca, para passear nos riachos e cachoeiras do sitio, eu gostava muito. Certas férias meu irmão ficou ruim da bronquite e meus pais e avó o levaram para o hospital na cidade, eles teriam que passar a noite por lá, pois o caminho de volta a noite, era muito difícil ficando só eu e o vovô não sitio. A noite depois de jantarmos o vovô me mandou ir tomar banho para dormir, ele então ligou o chuveiro e saiu, eu tirei minha roupa e comecei a me molhar, logo chega o vovô pelado atrás de mim dizendo que iria aproveitar e tomar banho também, levei um susto, pois nunca tinha visto nenhum homem pelado a não ser meu pai. Meu vô sem falar nada pegou o sabonete e começou a passar em mim, eu ficava olhando pro meio de suas pernas e ficava olhando aquele negócio balançando pra lá e pra cá, achei engraçado e ele me perguntou o que era engraçado, eu disse:

_ o seu negócio fica balançando pra lá e pra cá, ele deu risada e pegando no meu , falou o seu também fica e começou a ensaboar meu pintinho, ele ia do meu pinto até minha bundinha, fez isso durante bastante tempo, até que falou que ia limpar bem a bundinha do netinho dele para não ficar sujo, foi quando eu senti alguma coisa entrando no meu buraquinho bem de leve, eu perguntei:

_Vovô o que o senhor tá fazendo?

_Eu tô limpando sua bundinha meu netinho, pra ficar bem limpinho tem que fazer assim, mas não é pra contar pra ninguém ouviu? Vai ser o nosso segredo e você não pode contar por que senão o vovô não vai mais te dar mais doces e nem levar você pra passear. Tá bom?

_ Tudo bem vovô não falo pra ninguém. Assim ele continuou e cada vez mais eu sentia aquele dedo entrar em mim, ai vovô me deu o sabonete e falou vai limpando o pauzão do seu vovô vai:

_Isso pega assim e vai passando o sabonete isso deixa com bastante espuma, assim, agora segura com as duas mãos.

Nossa fui vendo aquele pauzão do meu avô crescer, crescer, na minha mão, e o vovô continuava falando:

_Vai netinho, vai mexe pra cima e pra baixo, que logo você vai ganhar um presentinho, vai assim, mais vai, você esta fazendo seu avô muito feliz, isso, mas não para, continua.

Eu estava abismado com aquele negócio nas minhas mãozinhas, e eu que tinha feito ele crescer... estava gostando de fazer meu avô feliz. Fiquei ali mexendo e sempre ele me pedia pra passar mais sabão, pra ficar com bastante espuma.

Ai ele me disse , para segurar mais forte e fazer mais rápido que o presente estava chegando, e ele começou a gemer mais alto até que aquilo aconteceu, começou a sair um monte de leitinho da pauzão do meu avô. Depois que parou de sair ele perguntou se eu tinha gostado de fazer o vovô feliz.

_sim vovô gostei.

_ então se você prometer não contar nada pra ninguém mesmo, vou deixar você fazer o vovô feliz sempre tá?

Ai ele terminou de me lavar e disse vamos dormir, hoje você vai dormir na cama com o vovô:

_Você quer dormir com o vovô? Assim vou te dar mais presentinhos e você vai poder fazer o vovô feliz de novo.

Já na cama o vovô falou se eu queria brincar mais um pouco e fazer o vovô feliz, e eu disse que sim, ai ele falou:

_Então pra brincarmos não vamos poder ficar de roupa, tira a sua, e agora vem aqui e mexe no pauzão do vovô de novo, e quero que você faça igual no chuveiro, só que tem que passar esse creme na mãozinha.

Ele me deu um creme que passei na minha mão e ficou lisinha, ai ele se deitou e me pediu pra sentar na barriga dele só que de costas pra ele, assim que segurei seu pauzão, ele puxou minha bundinha para cima e começou a passar a língua no meu cuzinho, e pela primeira vez senti uma coisa gostosa, uma sensação boa, que deixava meu corpo arrepiado, ai ele me dizia.

_ Vai netinho tá gostando tá, vai pede pro vovô fazer mais, pede pro vovô não parar vai, pede pro vovô passar a língua no seu cuzinho, pede.

_ Vai vovô não para não, passa a língua no meu cuzinho, tá gostoso vovô, passa mais.

Aquilo foi ficando mais gostoso e quando senti de novo o dedo do vovô agora mais fundo no meu cuzinho, comecei a mexer sem querer, querendo que ele não parasse, que colocasse mais.

Fui vendo o pauzão do vovô ficar mais duro ainda e de repente aquele leitinho saiu de novo, o vovô ficou quieto por uns instantes, depois me abraçou dizendo que eu tinha feito o vovô muito feliz, assim dormimos e quando acordei o vovô estava na cozinha fazendo café, ele me pediu mais uma vez que eu não falasse pra ninguém nosso segredo, por que assim sempre me daria presentinhos, eu prometi de novo, louco pra ganhar mais presentinhos, rsrsr

sr.fantasia68@hotmail.com





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.