"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Lésbica compulsiva 02


autor: katyferreira
publicado em: 03/06/17
categoria: lésbicas
leituras: 4230
ver notas
Fonte: maior > menor


Depois de não me aguentar de tesão no trabalho, eu pedi (quase implorei) pra Silvia, minha chefe, ir comigo pra casa que minha mãe tem no bairro próximo ao centro (uma casa de aluguel mas que transformamos em castelo do prazer nos últimos tempos rs). Claro que ela topou, mas disse que não poderia chegar muito tarde em casa e após o expediente saímos pro nosso encontro romântico.

Chegando na casa eu abri um pouco, pois ela fica fechada muito tempo enquanto Silvia tomava seu rápido banho. Passado alguns minutinhos eu fui de encontro à minha musa maravilhosa e pra minha surpresa Silvia estava com um roupão e não nua como costumava sair do banheiro. Me apressei pra tomar meu banho e saí ansiosa pra saber o que era.

Ao tirar o roupão eu notei um sutiã bem trabalhado, com detalhes e um shortinho jeans bem curtinho, ela parecia uma garota de programas, devido ao seu tamanho e postura aquilo ficava ainda mais excitante, ela “grandona” pareceu muito essas putas de beiradas de estrada rsrs

A gente se beijou e ela foi logo tirando minha toalha e sussurrando no meu ouvido que seria minha puta ali.

Lógicooo que fiquei super empolgada e quando tirei sua roupa reparei que ela também, pois nem precisou dos meus toques pra ficar toda molhada.

Rapidamente nos deitamos e começamos a nos beijar, no embalo dos toques e carícias ela tocou minha buceta e eu toquei a dela, ainda deitadas e cheias de tesão.

Silvia como sempre assume sua postura mandona e assume o papel do “homem” da relação, me vira na cama e se coloca na posição de 69 comigo.

As lambidas na buceta mais pareciam beijos de cinema, lábios, língua e saliva pra todos os lados e gemidos a todo instante.

Como ela ficou por cima, além de sentir sua língua na minha buceta eu sentia seus seios passando pelo meu corpo e ela fazia questão de se esfregar muitoo em mim.

Ficamos ali um pouquinho e ela me sentou na cama e começou a me beijar, tocando meus seios e apertando com vontade. Ao mesmo tempo ela tocava minha buceta com uma das mãos e levava a mão até minha boca, me fazendo lamber todo meu “mel de prazer”.

Eu fiquei ali sentada e Silvia foi pro meu lado, quase por trás, me abraçou e ficou com os dedinhos na minha buceta, penetrando e esfregando meu grelinho, ela suspirava no meu ouvido o que me deixava maluca.

Não me aguentei e comecei a tocar a mão dela sobre minha xoxotinha e rapidamente gozei nos dedinhos da minha amante, não contente só com o gozo eu resolvi lamber os dedinhos dela e ela por sua vez retribui beijando minha boca.

Na nossa conta tinha um gozo e muito prazer, faltava ela, minha musa, minha chefe maravilhosa gozar.

Fiz o mesmo que ela, me sentei ao seu lado na cama e comecei a tocá-la, a vontade foi tanta que quando vi ela já estava toda inclinada, quase de quatro rsrs

Não perdi tempo e guiei pra que ela ficasse de quatro pra mim, empinando sua buceta pra eu chupar. Silvia adorava aquilo, acho que ela sentia falta de seu marido fazer isso rs.

Chupei sua buceta por um tempo, além de apertar muito aquela bunda que considero grande e deliciosa, até que ela desfaleceu na cama.

Minha musa estava deitada de costas pra mim com aquela bunda empinada e suspirando na cama, eu então abri suas pernas e ajeitando minhas mãos entrei suas coxas e bumbum comecei a esfregar sua buceta. Era como uma massagem do prazer.

Arrepio só de lembrar da cena, aquela mulher branquinha da pele lisa, deitada de costas pra mim com “aquele rabão” empinado e sendo fodida por meus dedinhos, chego a suspirar aqui rsrsrs

Agora eu estava no controle, eu ditava as regras da relação. Quando percebi que ela estava quase gozando eu inverti, eu me deitei e pedi que ela viesse em cima de mim.

Pernas abertas, mãos apoiadas na cama e eu entre suas pernas, era assim que Silvia sentia minha língua melar sua buceta.

O gozo foi questão de minutos e gemidos pareciam sinfonia misturados com aquela situação toda.

Notei um sorrisinho safado na minha amante e intensifiquei as lambidas, pelo que senti ela gozou mais de uma vez, eu não estava saciada e após o primeiro orgasmo continuei chupando, ela gemia alto e contraía todos os músculos próximos a virilha.

Sorrimos e caímos na cama, trocamos beijos e juras de amor, enquanto percorria novamente a mão por seu corpo, mas não podíamos ficar ali por mais tempo, infelizmente.

Assim nos despedimos mais uma vez, minha chefe e de vcs rs

bjos e me escrevam

katyf083@gmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.