"Os mais excitantes contos eróticos"


A primeira vez mais gostosa


autor: luzinha69
publicado em: 02/09/15
categoria: hetero
leituras: 7978
ver notas
Fonte: maior > menor


Bom pessoal, em meus contos anteriores eu falo bastante do meu noivo, então, decidi que hoje vou contar a vocês como foi a minha primeira transa(que foi com ele).

Eu e o Beto(meu noivo) nos conhecemos através de alguns amigos em comum e não demorou para que descobríssemos as diversas 'coisas' que temos em comum: Curtimos viajar, lugares tranquilos, Rock Clássico, Pizza, Hambúrguer e um bom vinho rsrs.

Estávamos cada vez mais próximos até que começamos a namorar. Após 3 meses de namoro, Beto me convidou para passar um final de semana na casa de campo dos seus pais. Fiquei com um pé atrás pois era meu primeiro namoradinho sério,e na época eu tinha apenas 15 anos, mas aceitei.

Chegando lá, logo percebi que estaríamos somente eu e ele na casa e já comecei a "suspeitar" das suas intenções.

Desfizemos as malas e ele me convidou para fazermos uma trilha. E lá fomos nós, caminhamos muito, até chegarmos ao topo de uma montanha, de onde dava para ver a casa dos pais dele e então sentamos para descansar.

Beto sabia que eu ainda era virgem e nunca havia forçado nada comigo, mas eu via que ele ficava com muito tesão sempre que fazíamos nossas "brincadeirinhas" no seu quarto.

Eu estava encantada com a paisagem quando senti que ele sentou atrás de mim, abriu suas pernas e me puxou para perto, fazendo com que eu ficasse praticamente sentada em seu colo. Ele me abraçou por trás sem dizer nada, começou a beijar meu pescoço, meus ombros, e então senti suas mãos apertarem meus seios. Até então não era nada que nós ainda não havíamos feito, até que senti o pau dele ficar duro e começar a roças nas minhas costas.

Confesso que fiquei nervosa, eu ainda era virgem e tinha um certo 'medo' de transar...

Ele, todo delicado, ergueu minha blusa e começou a apalpar meus seios com suas mãos grandes (QUE mãos), eu sentia o calor percorrer o meu corpo, queria fazê-lo parar mas não conseguia pois estava gostando daquilo.

Senti então que ele começou a descer sua mão até alcançar meu short. Começou etão a desabotoá-lo e senti sua mão escorregando para dentro dele, tocando de leve minha bucetinha por cima da calcinha.

A sensação foi maravilhosa, eu já estava toda molhadinha e acho que ele percebeu pois saltou de trás de mim, empurrou-me delicadamente, me fazendo deitar na grama macia em que estávamos sentados, tirou meu short e começou a brincar com a minha xaninha por cima da calcinha.

Ele acariciava toda a extensão da minha bucetinha, ora devagar, ora mais depressa, não conseguia me conter, eu gemia igual uma cadela no cio, quando ele percebeu toda a minha excitação, tirou minha calcinha e começou a chupar a minha bucetinha, ele passava sua língua macia pelos lábios, dava leve chupadinha no grelinho, eu estava transbordando de tanto prazer, então senti ele enfiar dois dedos dentro de mim, doeu um pouquinho mas gozei na hora, gozei loucamente, era a primeira vez que havia gozado com ele me masturbando e vi a expressão de satisfação em seu rosto.

Ele tirou sua bermuda e sua cueca e se colocou em cima de mim (eu ainda estava deitada), ele levou seu pau até próximo a minha boca a me pediu que chupasse-o. Não pensei duas vezes e cai de boca naquele pau lindo que estava na minha frente, era grosso, uns 22cm com a cabecinha rosada, era a primeira vez que eu iria chupar o Beto e estava um pouco nervosa, confesso. Ele percebeu e me pediu que relaxasse que ele sabia que eu iria me sair bem. E assim fiz, coloquei aquele pau todo dentro da minha boca e comecei a fazer movimento de sobe e desce, lambia toda a sua extensão e o ouvia gemer alto, cheio de tesão.

Nesse momento resolvi me entregar totalmente e comecei a dizer:

- Goza na minha boquinha Beto, goza, vai, goza bem gostoso pra tua ruivinha(era assim que ele me chamava)...

Não demorou e senti um jato de porra quente encher a minha boca, ele gozou muito, gritava de prazer, tirou o pau da minha boca e me deixou com o mel todo ali, como não sabia o que fazer engoli tudo. Quando ele viu aquilo me puxou rapidamente e me deu um beijo demorado, depois falou no meu ouvido:

- Minha ruivinha linda, deixa teu homem tirar o teu cabaço deixa...

Assenti com a cabeça e senti suas mãos forçando minhas pernas para abri-las. Ele se encaixou no meio delas e começou a forçar a cabecinha do seu pau da entrada da minha bucetinha toda melada, senti a pressão e uma leve dorzinha e nesse momento enrijeci as pernas. beto então falou:

- Ruivinha, relaxa, não vai doer, só relaxa...

Como ele pediu, relaxei minhas pernas e permiti que aquele pau grosso e lindo escorregasse para dentro de mim. Senti uma explosão de dor e prazer, soltei um grito que mais parecia um gemido e me contorci toda.

Beto começou a pulsar seu pau na minha bucetinha, sentia-o entrar e sair devagar, até que a dor foi passando e a única sensação que eu tinha era um prazer enorme. Gozei rapidamente, pressionando o pau dele com as contrações da minha bucetinha, vi ele abrindo um sorriso de satisfação e começando a aumentar a velocidades das estocada.

Ele metia forte, me arrombou toda, eu arranhava suas costas, o puxava para perto de mim, queria sentir mais daquela pica toda me fodendo gostoso. Senti que ele estava quase gozando e disse:

- Goza gostoso pra tua ruivinha arrombada goza, mete com força e goza pra mim...

Senti sua pele se arrepiar, ele ergueu minhas pernas e as colocou sob seus ombros, o pau foi mais fundo ainda, eu estava delirando de tanto tesão, não sentia mais dor nenhuma, só gemia, gritava alto de tanto tesão, quando senti mais um jato de porra encher minha bucetinha, gozei de novo, junto com ele, nós estremecíamos, gemíamos muito, até que ele saiu de cima de mim e deitou ao meu lado, senti a porra toda escorrer da minha bucetinha e encharcar a grama.

Fiquei ali deitada mais uns minutos e então comecei a me vestir.

Beto me puxou de volta e disse:

- Ruivinha, foi maravilhoso mas eu quero mais, quero você de novo, AGORA.

Me colocou de quatro e com a sua pica já pulsando de dura de novo começou a me foder novamente, metia na minha bucetinha com um tesão imenso, apertava minha bunda, dava-me tapas, puxões de cabela, até que eu gozei novamente. Não demorou para que ele gozasse também, me enchendo de porra mais uma vez.

Descansamos um pouco e fomos para casa.

A noite ia ser longa, eu sabia, e tinha mais um lugar meu que ainda era virgem, mas não por muito tempo...

Porém, isso é outra história!

Espero que tenham gostado, Beijos da Lu ;*



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.