"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A Sobrinha e o Tio Parte VI (“bis”)


autor: mariana1992
publicado em: 20/06/17
categoria: hetero
leituras: 2577
ver notas
Fonte: maior > menor


A Sobrinha e o Tio Parte VI (“bis”)

Devido aos pedidos de “bis” escrevi mais uma parte do conto, espero que gostem!

Olá! Meu nome é Mariana, aqui vou publicar minhas histórias pessoais e também o que imagino e desejo. Por favor comentem, mandem mensagem, e-mail, estou ansiosa para saber se vocês gostaram. Boa diversão 😉!

*Leia primeiro A sobrinha e o tio Parte I, II, III, IV e V.

No meu último dia na casa da minha madrinha eu estava feliz pelos dias de prazer que tive e triste porque voltaria ao normal meus encontros com meu tio, fins de semana alternados.
Era noite, por volta da uma hora da manhã, eu assistia tv na sala deitada de bruços no sofá da sala, meu tio chegou, sem fazer barulho, sorriu para mim e sentou na beira do sofá. Deslizava suas mãos pelas minhas pernas e perguntou:

-Quer uma massagem?
-Sim!

A massagem começou nos meus pezinhos, alguns beijos e mordidinhas, depois nas minhas pernas.

-Que pernas macias Amorzinho.
-São suas. Respondi.

Depois ele massageou minhas costas, meus ombros e foi descendo para a parte de cima do meu bumbum, abaixou um pouco meu shortinho do pijama e passou o dedo em volta do meu cuzinho, perfeitamente só em volta, o que já me deixou molhada.

Então ele passou o dedo na minha bucetinha e com o dedo molhado enfiou no meu cuzinho bem gostoso o que me fez dar um gemido.

-Uiiii
-Gostou né.
-Sim, uiiii.
-Fica de barriga para cima agora.

Quando deitei de barriga para cima ele ficou do meu lado, colocou seu pau grande para fora.

-Chupa enquanto aliso seu grelinho.

Que delícia mamar aquele pau enquanto seu dedo esfregava meu grelinho, depois ele colocava na bucetinha, no cuzinho e voltava para meu grelinho.

-Quero dar agora! Disse para o meu tio.

Ele segurou seu pau e começou a esfregar no meu rosto.

-O que você quer Mari?
-Quero dar para você.
-Fala mais o que você quer, fala.

Esfregava seu pau em todo meu rosto, sentia até seu saco no meu rosto.

-Quero dar minha bucetinha.
-Ai, Mari, esse seu rostinho me deixa louco.
-Depois se você quiser te deixo comer meu cuzinho.
-É claro que vou comer, você sabe que sim.
-Quero tudo com você tio!
-Quer que eu goze onde em você?
-Onde você quiser tio, tudo o que você quiser fazer comigo.

Eu gostava e até hoje gosto de ser dominada pelo prazer e para isso é necessário se entregar, meu tio me dominava de um jeito que eu adorava (e adoro), por isso falei algo que o deixou louco e até hoje ele me pede para falar isso para ele.

-Goza no meu rostinho.
-Ai, Mari, você gostou de quando gozei no seu rosto?
-Adorei! Faz de novo, goza de novo!
-Eu vou, mas não agora, vou te comer toda primeiro.
-Ai. Suspirei.

Ele sentou no sofá e eu logo montei, senti aquele pau escorregar dentro da minha bucetinha, sentava até sentir seu saco encostar no meu bumbum e assim me mexia para frente e para trás porque meu grelinho esfregava na pele do meu tio e me estava dando muito tesão!

E assim fui, subia até quase a cabeça sair, descia rebolando, quando sentia o saco dele no meu bumbum me mexia para frente e para trás, e repeti várias vezes, até que gozei. Foi muito bom, fiquei toda mole e sem força, meu coração parecia que ia pular para fora.

Me joguei no peito do meu tio e recuperei o fôlego porque foi intenso demais. Bebemos água, enxugamos o suor com uma toalha e voltamos. Meu tio começou a beijar meu corpo todo, lamber, então fizemos um 69 que foi tesão ao limite, ele lambeu meu grelinho e meu cuzinho com maestria! Fui as nuvens! Chupava seu pau e esfregava no meu rosto igual ele havia me ensinado

Enfim chegou a hora, a hora do sexo anal. Eu sabia que doía mas ao mesmo tempo eu gostava, porque era parte dor, mas muito mais prazer.

-Vamos amorzinho, quer nesse cuzinho lindo e apertadinho?
-Quero, quero sim!

-Vamos fazer diferente, eu vou deitar e você vem por cima, mas de costas para mim, senta igual sentou na poltrona, acha que consegue?

-Sim, sim vou tentar.

Ele deitou com as costas apoiadas na poltrona, mas sentado no chão, eu fui sentando devagar, já com aquela sensação de ansiedade, mesmo já tendo passado por isso.

-Espera, senta, pode sentar.
-Segura ele firme tio, está escorregando.
-Tá, senta agora.

A cabeça entrou, mas escapou, então percebi que eu estava nervosa, ansiosa, então me concentrei e relaxei bem, afinal como aquele pau grosso entraria! Começou a entrar e me preparei pois logo viria a pressão que dava quando passava a cabeça. Me preparei, me preparei e...

-Ai, ai, hummm.
-isso amorzinho, deixa acostumar e vem sentando.

Minha cabeça girava, ouvia tudo longe, sentia cada centímetro escorregar para dentro.

-hu, hu, hu, hu.
-Delicia de bundinha a sua!
-hummmmmm.

Comecei a rebolar devagarzinho, bem devagarzinho, queria que entrasse tudo, queria o máximo de prazer. Rebolei devagar e quando começou a escorregar mais para dentro aumentei só um pouco a velocidade.

-ui, ui, ui, ui. Gemi.

Me apoiava com as mãos em seus joelhos e sentia meu cuzinho ser preenchido pelo pau do meu tio. Entrou quase tudo, faltou bem pouco, mas delirei de prazer. Ficamos assim por um bom tempo.

-amorzinho... vou gozar, vem, vem.
-Espera, deixa eu levantar, espera!

Levantei devagar e senti meu cuzinho sendo desocupado por aquele pau delicioso.

-Goza em mim tio, do jeito que quiser.
-ahhhh, Mari....

Ele lavou meu rosto com seu gozo, depois mamei seu pau enquanto ele sentava na poltrona sem forças. Foi muito delicioso, não a melhor porque ele sempre se supera até hoje. Eu fiquei morta de cansaço, desmaiei na cama e acordei no outro dia quase na hora do almoço, nada como gozar de verdade!



Espero que tenham gostado! Comentem, adoro ler os comentários, compartilhar experiências.
Um beijo em especial a todos que estão acompanhando a história e sempre me mandam mensagens, são minha inspiração. Fico feliz por gostarem dos meus contos, melhor ainda é compartilhar com vocês!

Beijos!!!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.