"Os mais excitantes contos eróticos"


No ônibus de viajem


autor: Bella6969
publicado em: 26/06/17
categoria: hetero
leituras: 1533
ver notas
Fonte: maior > menor


Certa vez estava voltando para casa, depois de quase um mês viajando a trabalho, estava cansada, meio mal humorada e não queria conversar com ninguém, escolhi a última poltrona , 41 para ficar em paz e dormir, então vi que alguém se sentou ao meu lado, não liguei, virei pra lado e dormi.
Na primeira parada do ônibus eu desci para jantar e ir ao banheiro, foi ai que vi o homem ao meu lado, era alto, bem mais velho que eu, (que na época tinha 28 anos), mas simpático, conversamos na lanchonete da rodoviária, ele desceria duas cidades antes de mim, foi um papo agradável, mas só isso, voltei para o ônibus e voltei a dormir...
Acordei com uma sensação estranha, senti que ele acariciava meus seios, eu estava de shorts e blusinha decotada, meu seio é grande e ficava saliente, o senhor na poltrona ao lado estava literalmente com as duas mãos em meu decote, eu fiquei com raiva, mas ele sabia o que fazia, então finge que dormia e deixei ele continuar, ele não se fez de rogado, puxou meus mamilos e apertava como se quisesse tirar leite, sei lá, não pude fingir que dormia, abri os olhos e virei para ele, ele não disse nada, apenas sorriu, pegou o cobertor que ele usava e me cobriu também. A luz do ônibus acendeu, o rapaz da MOTTA, passou conferindo as passagem, eu olhava aquele homem estranho quieta, quando a luz se apagou, ele não disse nada, colocou seu membro pra fora e pôs minhas mãos sobre ele, cobriu a cabeça e tirou meus seios pra fora da blusa, ele os chupou como um Mestre, forte e intenso, eu sentia cada sugada como se algo fosse sair de mim, colocou sua mão dentro de minha calcinha, eu estava meladinha, ele brincou com meu grelinho, puxava, passava os dedos e me penetrou com os dedos de forma que eu me segurei para não gritar, era forte, violento, eu gozei em silêncio, mas ele continuou, eu masturbava ele e tentava cuidar do corredor, ver se alguém vinha, porém muitas vezes ficava de olhos fechados adorando aquilo tudo. Não sei quanto tempo se passou, só sei que ele me levou ao êxtase várias vezes, eu mastubava com força, com a intensidade das dedadas dele, senti quando ele gozou, mas ele continuou a enfiar os dedos por mais algum tempo, eu estava cansada de gozar e de me segurar para não fazer barulho, então ele parou, tirou a mão lentamente de minha calcinha, continuou a chupar meus peitos, mas agora, com delicadeza, meu corpo tremia, tudo que eu queria era sentir seu membro em mim, mas não tinha jeito, nos beijamos, virei para o lado e dormi, quando acordei ele já tinha descido, nunca soube seu nome, nem o vi novamente, uma pena, pois queria ter brincado mais com ele.
Foi a primeira vez que eu fiz algo assim, mas não foi a última, gostei tanto de gozar no ônibus que repeti a a dose algumas vezes, mas isso já é outra história....



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.