"Os mais excitantes contos eróticos"


Virando putinha do meu primo


autor: Katita
publicado em: 28/06/17
categoria: hetero
leituras: 5427
ver notas
Fonte: maior > menor


Meus pais estavam a algum tempo combinando uma viagem ao Rio de janeiro pra passar uns 15 dias na casa dos meus tios que moram lá eu e minha irmã nao estávamos muito animadas com a viagem as duas jovens preferimos muito mais ficar em casa com nossos amigos mas não teve jeito tivemos de ir para as férias em família eu tinha certeza que ia achar os próximos quinze dias uma chatice, fomos d ônibus até a rodoviária onde nosso primo Rafael foi a mando de minha tia nos buscar na rodoviaria, fazia tempo que a gente não se via notei que ele ficou de olho em mim eu estava de sainha jeans e top de barriguinha de fora, meu primo não aguentou ver a priminha dele crescidinha, meu pai foi sentado na frente com ele e eu no banco de trás no meio entre minha mãe e minha irmã, percebi que ele ajeitou o espelhinho do carro pra ficar me olhando e eu aproveitei pra provocar bastante aquele safado, bem ousada sem minha mãe perceber claro, afastei as perninhas e deixei ele me ver pelo espelho ficou olhando minha calcinha admirando a paisagem, ficou doidinho, quando chegamos na casa da minha tia, meu priminho logo veio fazer amizade comigo, doido pra saber coisas ao meu respeito, se eu já tinha namorado coisa e tals, o papo foi esquentando e contei pra ele como perdi a virgindade, e ele cada vez mais louco de tesão nao se aguentou e me agarrou me beijando chupou minha língua e me deu uns amassos na varanda sem ninguém ver vendo que eu estava no clima e molinha nas mãos dele o safado tentou e se aproveitar de mim tentou tirar minha sainha eu queria dar mas não deixei disse pra ele, que se conseguisse ficar sozinho comigo no seu quarto que aí eu dava bem gostoso pra ele comer, porque ali na varanda alguém ia acabar flagrando a gente, demos mais uns beijos e ele disse que tinha uma idéia passou comigo pela cozinha onde estavam minha tia e minha mãe pondo a conversa em dia, e disse que íamos ouvir música no quarto, minha tia sabendo que ele gostava de música alta disse inocentemente.

---- Fecha a porta hem pra não vir barulho pra cá estamos conversando.

---- Pode deixar mãe fecho sim- disse ele num tom todo safado que só eu entendi.

Passamos pela sala onde meu tio e meu papai viam TV, juro que senti meu tio me dando uma olhada com segundas intenções, sinto muito safadinho seu filho chegou primeiro.

----- Já vai começar o jogo. - disse meu tio pro meu primo chamando ele pra assistir.

---- Sei que meu time vai ganhar mesmo, preciso nem assistir depois me fala o resultado, vou mostrar uns CDs de rock pra prima.

Olhei para o meu papai coitadinho nem imaginando que a filhinha tava indo pro abate, no quarto meu primo trancou a porta e ligou o som um pouco alto pra abafar o barulho e aí não teve muita conversa não, ele arrancou minha roupa me atirou na cama e me fez de putinha me comeu de todo jeito que quis, de lado de joelhos de perna aberta montada no seu cacete, foi uma foda muito gostosa me fez gozar mais de uma vez, e quando eu já estava com a buceta doendo de tanto dar, ele me pois pra chupar seu pau mamei com gosto aquele tarado safado, meu primo se segurou pra não gozar na minha boca, me puxou pelos cabelos e me virou me pois de quatro disse que queria minha bundinha agora , eu fiz charminho dizendo que atrás não mas já tava louquinha pra dar o rabo, ele insistindo e eu resistindo mas cedi é claro, fiquei de quatro empinando a bundinha pra ele comer bem gostoso, o safado fez tudo direitinho abriu minha bunda com as mãos lambeu meu buraquinho deixando bem molhado, depois me preparou metendo um dedo no meu cu girando, depois dois dedos me abrindo mais um pouco eu já está prontinha doida por um cacete bem duro.

---- Anda safado, me come logo, come meu cuzinho você não queria... -pedi não aguentava mais de vontade .

Ele me pegou de quatro todo carinhoso e me deu aquele pau gostoso todinho enfiafo atrás eu gemi dei gritinhos enquanto ele entrava de vagarinho ele comecou num entra e sai no meu rabinho que aguentou bem a piroca, tava muito gostoso mas eu queria mais forte.

---- Vai primo, mais forte, fode, fode Vai ta com dó?!

Depois que eu disse isso ele me fodeu de verdade, arregaçando meu cu do jeitinho que eu queria me dava muitos tapas na bunda dos dois lados deixando a marca das mãos.

----- Isso safado ! Ahh! Vai! Ahh! Ah!

Sorte que a música estava alta e ninguém me ouviu gritar pois gritei feito uma cadela no cio, naquele ritmo meu primo não aguentou muito e encheu meu cuzinho de porra quentinha, ele ficou com a minha calcinha disse que ia guardar de recordação, coloquei minha saia e voltei pra cozinha beber um pouco de água, minha mãe e minha tia conversavam parei de pé perto da mesa e fiquei ouvindo a conversa, minha tia puxou uma cadeira pra mim.

---- Senta aí menina que você não vai crescer mais não.

----- Não, obrigado tia quero sentar não- respondi sorrindo.

Olhei pra minha mãe sorrindo nem imaginava que a filhinha estava sem calcinha com a bunda toda vermelha de apanhar e o piscando cuzinho doendo e escorrendo porra.

Meu priminho querido estava toda a hora tentando me comer depois disso, eu evitava ficar sozinha com ele, até queria dar de novo mais me fiz de difícil o quanto pude até que uma noite fui beber água na cozinha e o safado tava me esperando lá, eu de camisolinha não teve escapatória tive de dar, me sentou mesa abri as pernas ele jogou minha calcinha de lado e me fodeu até eu gozar, depois me desceu e me virou com o pau ainda duro eu sabia o que ele queria, empinei vem a bundinha enquanto ele abaixava minha calcinha, pincelar meu cuzinho com a cabeça do pau é bem na hora que ia meter ouvimos um barulho, era minha mãe ouvi a voz dela me chamando meu primo correu pra de baixo dá mesa e eu subi rapidinho a calcinha antes dela chegar.

---- Filha que tá fazendo de pé uma hora dessas?

---- Vim beber água mãe, mas tô voltando pra cama já, e a a senhora que tá fazendo acordada?

---- Ouvi um barulho vim ver o que era.

Voltei com minha mãe pra ela não desconfiar e meu primo ficou sem cuzinho que do dele, teve de terminar de gozar na punheta sonhando com minha bundinha.

No dia seguinte minha tia chamou minha mãe pra ir a feira minha irmã ia junto pra passear, me chamaram pra ir também mas recusei eu lá gosto de feira que graça tem ficar vendo frutas e legumes, meu pai foi convocado a ir pra ajudar com as sacolas rimo, meu primo olhou pra mim com cara de safado ia ficar só nos dois em casa e iamos poder terminar a festinha dá noite passada, mas minha tia disse que ele iria junto pra levar todo mundo de carro, meu primo tentou escapar mas não teve jeito, ia ter que fazer feira enquanto tinha uma ninfetinha em casa doida por sexo prontinha pra dár pra ele quando quisesse dei risada enquanto ele saia emburrado.

Minha manhã ia ser bem chata fiquei sozinha em casa sem nada pra fazer, deitei no sofá e fui ver televisão, quando ouvi a porta abrir, pensei que tinham voltado e desistido dá feira, mas era meu tio, ele vinha do trabalho pra almoçar em casa e depois voltava a trabalhar.

---- Cade todo mundo dessa casa?

---- Foram todos a feira tio fiquei sozinha acredita... - disse com vozinha de criaça manhosa.

Senti meu tio me olhar dos pés a cabeça eu estava com um shortinho bem curtinho e apertado as coxas todas de fora e uma blusinha decotada, senti um arrepio pensando que tipo de safadezas meu tio podia estar imaginando agora, fiquei com um tesãozinho meu tio não era de se jogar fora e adorava homens mais velhos podia muito bem dar pra ele mas primeiro tinha que ter certeza que ele tinha coragem de pegar a sobrinhazinha querida, tinha que descobrir sem me arriscar muito, vai que além de não me comer ele ainda me dava uma bronca e contava pros meus pais, querer eu sabia que ele queria só pelo jeito que me olhava, mas ia ter coragem, ele foi almoçar seu prato estava no microondas como de costume, e eu fui tomar um banho, dei o tempo de ele terminar o almoço e fui pra cozinha só de toalha, quando me viu tomou um susto mas não conseguia tirar os olhos de mim so com aquela toalha cobrindo meu corpinho molhadinho.

---- Tio, o chuveiro parou de sair água. - disse sorrindo.

---- Sério?!, vamos lá que eu concerto pra você.

Fui na frente mostrando o caminho como se ele não conhecesse sua própria casa, meu tio atras de mim me admirando ja devia estar louco de tesão, chegamos no banheiro entramos os dois no box e abri o chuveiro que funcionou normalmente olhei pra ele me fingindo de surpresa.

---- Nossa agora mesmo não estava saindo um pingo de água acredita. - disse eu soltando a toalha era hora do teste.

Fiquei peladinha na frente dele e entrei em baixo do chuveiro, meu tio ficou paralizada só me olhando meu coraçãozinho disparou d medo é tesão era hora dá verdade, eu estava torcendo pra ele criar coragem.

---- Vem tomar um banho comigo tio. - disee eu arriscando.

Ele parou me olhou eu tensa sem saber o que ele ia fazer, demorou um minuto pra decidir e então encostou a porta do box, entrando comigo, começou a tirar a roupa, eu sorri ajudando ele a tirar a camisa, baixou a calça tirou a cueca e veio pra de baixo do chuveiro comigo.

---- Ninguém pode saber disso viu menina.

---- Relaxa que eu não vou contar.- disse eu já ficando de joelhos pra cair de boca.

Mandei a piroca doeu tio com gosto era maior que a pica do meu primo, minha tia passava bem com aquele pauzão pensei, enquanto chupava, meu tio aproveitou pouco dá minha boquinha me puxou pelos cabelos me fazendo levantar.

---- Vem cá bebê, que vou te ensinar uma coisa.

O safado queria é comer minha buceta, me ensinar é, mal sabia ele que eu já era bem treinada, meu tio me ergueu setando pelas minhas coxas e me encostou na parede, fiquei abertinha pra ele, que encostou a a cabeça daquele pauzão na minha pererequinha, apontou bem na rachinha.

---- vai me fode. - pedi bem safada.

Ele meteu tudo de uma vez se colar o saco na entradinha dá minha buceta.

----- Ahh... - gemi me abraçando nele.

Adoro homens mas velhos são mais experientes sabem como foder uma mulher meu tio me comeu com maestria, fazendo minha buceta transbordar de prazer, gozei muito naquele pauzão, gozei primeiro que ele que me castigou mas um pouco até tirar o pau d mim avisando que tava quase, me ajoelhei e terminei no boquete até ele encher minha boquinha de porra, eu engoli tudinho mostrando pra ele o quanto era puta, depois me levantei e me enrrolei na toalha enquanto ele se vestia, meu tio não pediu meu cuzinho e eu que não fui boba de oferecer com aquele pauzão ia me arrombar resolvi deixar o cuzinho só pró meu priminho comer mesmo que o pau dele eu já sabia que aguentava.

Depois daquele dia os outros dez dias que passamos hospedados na casa da minha tia foram maravilhosos pra mim, com meu tio e meu primo me comendo sempre que tinham chance um sem saber do outro, e eu me divertindo vendo os dois fazendo de tudo pra ficar a sós comigo, fui a putinha dos dois as férias todinha, quando voltamos dos Rio toda a família havia se divertido muito e eu mais que todo mundo eles nem imaginavam o quanto.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.