"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 49 - Sexo Caseiro


autor: MarceloDias
publicado em: 30/06/17
categoria: grupal
leituras: 4275
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 49 – Sexo Caseiro

Continuação....

Só quando existe cumplicidade é possível as pessoas viverem seus desejos mais íntimos e compartilharem os mesmos desejos. Só assim,os momentos vividos deixam lembranças inesquecíveis em nossa mente.

A noite anterior tinha sido maravilhosa, acordei no dia seguinte por volta das nove horas, estava sozinho, deitado nu na minha cama. Fui lembrando de tudo que tinha acontecido, nos todos nus na sala, Sonia e Simone se olhando, as duas dançando abraçadas, se esfregando, se beijando, lembrei do jeito que Simone pegou minha esposa pelos cabelos e a levou para o quarto, lembrei de como Renata veio para o sofa, se oferecendo, me beijando, querendo dar para mim, de como botei na buceta dela e depois a levei para o quarto onde ela deu a bunda gemendo até gozar no meu pau. Lembrar daquilo me deixou de pau duro, levantei cheio de preguiça, tomei um banho e coloquei uma cueca.

Sai do quarto, a casa estava calma, abri devagar a porta do quarto onde elas dormiam e vi, as três dormindo nuas, Sonia e Simone abraçadas e Renata mais em baixo com a cabeça sobre a coxa de Sonia com a cara quase na buceta dela. Fiquei olhando aquela cena deliciosa. Sabia que as três tinham passado a noite toda na cama fodendo.

Fui para a cozinha, fiz o café e preparei a mesa, sabia que elas iam acordar com fome. O cheiro forte do café as despertou, algum tempo depois, elas vieram para sala nuas, Sonia me beijou na boca, Simone e Renata me deram bom dia com um selinho. As três tinham tomado banho e estavam com os cabelos ainda molhados. Trouxe o café para a mesa e sentamos para tomar café juntos.

O café aconteceu num clima de intimidade entre nós, conversamos animadamente, Sonia e Simone estavam cheias de carinho uma pela outra, trocando olhares e sorrisos safados na mesa, Renata e eu nos olhávamos com desejo, ela nua ali na minha frente exibindo aquela buceta maravilhosa e o bundão farto igual ao da mãe, só de olhar meu pau ficou duro dentro da cueca.

Sonia aproveitou que eu fui até o nosso quarto e veio atrás, me abraçou nua, me beijando na boca, acariciei seu bundão farto, sentindo suas carnes quentes encherem minha mão. Ela falou que tinha dado para as duas, que elas chuparam ela a noite toda, contei tudo que aconteceu entre eu e Renata, ela perguntou o que eu achava dela convidar Graciete e Eudes para passar o Natal em nossa casa. Eu falei que se ela os chamasse eles não iam só passar o Natal aqui em casa, iam querer fuder. O Eudes vai querer comer as duas, você acha que a Simone e a Renata iam deixar? Sonia riu me beijando, acho, elas iam adorar nos seis juntos, tenho certeza que as duas iam dar para o Eudes. Sonia me beijou, vou falar com elas.

Voltamos para a sala e sentamos para continuar tomando café junto com as duas, Sonia contou que tínhamos um casal de amigos que frequentavam nossa casa, não escondeu nada, falou que os dois eram nossos amantes, falou de Graciete e Eudes para elas, dizendo que os dois eram um casal maduro, Graciete era negra, quente e gostosa e o marido um homem grandão que tinha um pau grande e grosso. Percebi que as duas ficaram interessadas, se olhando de um jeito safado, Sonia falou que queria convidar os dois para passar a noite de Natal em nossa casa.

Só para passar a noite, Renata perguntou, sorrindo de um jeito safado, no fundo ela tinha percebido porque Sonia tinha falado aquilo para elas. Sonia encarrou ela, Isso só depende de vocês, quando eles vêem aqui em casa, sempre acabamos todos na nossa cama. Se vocês aceitarem, eu os chamo, mais vocês sabem que não vamos ficar só conversando, comendo e bebendo, eles vão querer mais do que isso. Simone segurou a mão de Renata, as duas se entendiam pelo olhar. Simone nos olhou e disse, nós aceitamos, podem chamar eles, vai ser maravilhoso, nos também vamos querer mais do que ficar conversando.

Quando terminamos o café, Sonia ligou para eles, Graciete atendeu e as duas ficaram conversando, Sonia convidou ela e o marido para passarem a noite de Natal em nossa casa, falou que nossa filha e a mulher dela tinham vindo passar o Natal com a gente e ela queria muito que eles conhecessem as duas. Graciete aceitou e falou que ela e o marido iam adorar conhecer elas. Graciete falou que estava com saudade, Sonia disse que elas iam matar a saudade de noite e completou falando que queria que eles vissem como a Renata e a Simone eram gostosas. Graciete riu e disse que ia querer ver e provar, Sonia provocou dizendo que elas estavam doidas para serem provadas. As duas combinaram tudo e o casal ficou de chegar em nossa casa aproximadamente às vinte horas da noite.

Sonia contou para as duas que Graciete e Eudes tinham aceitado passar o Natal com a gente e as duas ficaram se olhando de um jeito safado. Elas sabiam que minha esposa estava preparando tudo para o casal comer as duas. E isso nos deixou ansiosos e excitados esperando nosso encontro de noite.
Sonia durante a tarde preparou a casa para a noite natal, deixando a mesa pronta, colocando as bebidas no freezer, arrumando os presentes na árvore e dando os últimos retoques na casa. Por volta das 18 horas todos foram para seus quartos se aprontarem.

Abaixo vou descrever fisicamente cada um de nós para que todos que não acompanham nossos contos possam imaginar como somos quando lerem.

Marcelo, 52 anos, branco, 1,77 altura, 82 kg, cabelos pretos bem curtos, rosto largo, olhos escuros, forte, peito largo, pernas grossas, medianamente dotado, 17 cm grosso.

Sonia, 47 anos, branca, 1,66 altura, 68 kg, cabelos alourados, lisos, nos ombros, olhos claros, lábios grandes e grossos, seios 46, ainda bem firmes, mamilos grandes e bicudos, quadril largo, ela tem 108 de quadril, coxas grossas, buceta grande e lisa com os lábios avantajados, bunda grande e bem exagerada.

Simone, 45 anos, branca, 1,70 altura, 73 kg, cabelos pretos, cacheados e curtos, olhos verdes, lábios grandes, seios fartos, quadril largo, ela tem 106 de quadril, coxas grossas, buceta grande com pelos curtos e a bunda bem avantajada.

Renata tem 27 anos, branca, 1,68 altura, 65 kg, cabelos alourados e lisos, rosto delicado, olhos claros, lábios grossos, seios grandes, quadris largos, ela tem 103 de quadril, boceta grande toda lisa, bunda farta, redonda e empinada.

Eudes, 48 anos, branco, 1,85 altura, 86 kg, calvo, rosto redondo, olhos castanhos, corpo largo, peito peludo, braços fortes, coxas grossas, muito bem-dotado, 22 cm grosso.

Graciete, 47 anos, negra, 1,76 altura, 86 kg, cabelos escuros, alisados com mechas ligeiramente alouradas, o rosto redondo, sobrancelhas muito finas, olhos escuros, o nariz largo, lábios grandes e grossos, seios fartos, quadris largos, ela tem 110 de quadril, coxas grossas, a buceta é grande e peluda e a bunda bem exagerada.

A noite de natal é uma noite especial, todos gostam de estar bonitos para celebrar. Às 19 horas todos estávamos na sala, esperando o casal chegar. Ficamos conversando enquanto eles não chegavam, todos ansiosos pela chegada deles. Graciete e Eudes tinham se tornado a presença mais importante da nossa noite de Natal.

O clima era de alegria, eu vestia uma bermuda clara nova e uma camisa azul confortável com um mocassim marrom. Sonia se vestiu de uma forma especial, que surpreendeu a todos nos, sua roupa era indecente do tipo que não dá para sair de casa. Sonia usava um vestido que tinha sido feito por Graciete, era uma veste, não dá para chamar de vestido, branca, sem mangas, com a gola em “v” exageradamente decotada, expondo mais do que cobria seus seios, a veste ia até o meio das coxas e era completamente aberta dos lados, deixando suas coxas e seus quadris nus, um cinto branco de pano amarado na frente completava o traje, percebia-se claramente que ela estava sem calcinha, à transparência exagerada do vestido mostrava os mamilos grandes e os bicos dos seios por baixo do pano e denunciava a ausência da calcinha. Minha esposa estava indecente vestida daquele jeito, ela ficava deliciosa e ao mesmo tempo com jeito de puta, o vestido justo se moldava ao corpo dela, realçando sua bunda enorme, todos nós ficamos olhando fascinados para o corpão dela.

Simone usava um vestido lilás claro de alça, bem fino e justo no corpo, uma sandália branca completava seu traje, o vestido mostrava como ela era gostosa, realçando seus seios fartos e seus quadris largos, o tecido fino permitia ver a marca da calcinha exibindo sua bunda grandona. Renata usava um vestido bata do tipo tomara que caia, as mulheres vão entender do que estou falando, o vestido de cetim sem alça, ficava preso pelos seus seios fartos, era muito curto e rodado, deixando suas coxas grossas nuas, ela usava uma sandalinha baixa, Renata ficou um tesão de mulher vestida daquele jeito com suas pernas maravilhosas nuas.

Estávamos nos admirando quando a campainha tocou, pelo horário sabíamos quem era, eu e Sonia fomos atender e quando abrimos a porta, Eudes e Graciete estavam parados abraçados, Graciete segurava uma bolsa com presentes.

Eudes usava uma camisa de manga curta branca e uma calça social cinza com um sapato esportivo preto, Graciete estava maravilhosa, usava um vestido amarelo bem claro de alça, colado no corpo e bem curto, o vestido chamou a atenção de todos, sua pele negra brilhava, ela estava gostosa demais, seus seios pareciam que iam sair do vestido, a qualquer momento, suas coxas muito grossas se ofereciam aos nossos olhares, o vestido exibia sua bunda farta, mostrando o tamanho da bunda.

Eles entraram e fechamos a porta, todos ficaram parados admirando o casal, minha esposa quebrou o silencio abraçando Graciete, as duas se beijaram na frente de todos. Eudes e a esposa cumprimentaram Simone e Renata, Graciete deu um selinho carinhoso em cada uma e as duas retribuíram.

Graciete segurou na mão de Simone e falou para minha esposa, Sonia que filha linda que vc tem, a sua nora é um encanto de mulher. Vocês duas formam um casal lindo, as duas são muito gostosas. Renata e Simone sorriram, Graciete ainda segurava a mão de Simone, que olhou ela nos olhos, você também é uma mulher muito linda, tem um corpo maravilhoso, dá para entender porque minha sogra te adora, uma amiga como você quem não quer, Graciete percebeu a indireta e sorriu para Simone.
Naquele momento tinha sido criado um clima de atração mutua todos nos olhávamos com desejo. Graciete foi até a árvore e colocou os presentes do casal na árvore. Sonia nos levou até os sofás onde sentamos cada um com seu par e ficamos conversando animadamente.

Graciete e Simone se olhavam com desejo, se encarando e Eudes conversava com todos sem parar de olhar para Renata. Ela sorria para ele, retribuindo os olhares dele. Eu e Sonia participávamos da conversa e já sabíamos que a noite prometia.

Aos poucos todos nos fomos nos soltando e o desejo foi tomando conta do ambiente, Sonia foi até a cozinha e trouxe cerveja para todos, ela mesma foi nos servindo, entregando um copo para cada um. A cerveja tem o dom de descontrair ainda mais o ambiente e isto foi acontecendo. O clima de alegria foi tomando conta de cada um.

Graciete estava sentada abraçada ao marido e não parava de olhar para Simone que correspondia aos olhares dela, as duas se olhavam com desejo. Graciete levantou e sem ligar para nossa presença foi até onde Simone estava abraçada com Renata e pegou Simone pela mão fazendo ela levantar, ela olhou para Renata e perguntou, posso pegar sua mulher emprestada, pode ela disse sorrindo, percebi que Renata não sentia ciúmes do assedio da nossa amiga.

Graciete levou Simone pela mão até a mesa de jantar que estava preparada para nossa ceia. Ficaram conversando afastadas de nos como se estivessem olhando a mesa. Graciete olhou Simone nos olhos, gostei muito de você, Simone sorriu, eu também gostei demais de você, minha sogra falou muito de você para nos, eu sei que vocês são amantes, Graciete riu, somos, eu e a Sonia somos muito mais que amigas, eu sou costureira e a Sonia foi na minha casa levar uns consertos e nos sentimos atração uma pela outra, na primeira vez que nos conhecemos, não deu para resistir, uma queria a outra, ela deu a buceta para mim e não nos separamos mais, ela virou minha mulher, quando ela vai lá em casa dá para mim e para o meu marido. Eu sei tudo entre você e a filha dela, ela me contou tudo, achei lindo o amor de vocês duas. Simone riu, nos somos apaixonadas uma pela outra mais gostamos de sentir prazer com outras pessoas.

As duas se encararam com desejo, Simone acariciou o braço de Graciete, eu estou doida para dar para você. Graciete sorriu e beijou os lábios de Simone como se não tivesse mais ninguém na sala. A Renata vai deixar você dar para mim, as duas se olharam, vai, ela também gostou de você, nos duas estamos doidas para dar para você. Graciete sorriu de novo, eu vou adorar comer as duas, meu marido esta doido para fuder vocês duas também, Simone olhou Graciete seria, eu sei, ele não para de olhar para a Renata, esta doido para fuder ela. Graciete riu, esta e ela não para de olhar para ele, tua mulher esta querendo pica. Simone riu, eu sei, eu estou doida pra ver ela dando para o teu marido.

As duas riram e Graciete conduziu Simone pela mão de volta ao sofá, entregando ela para Renata e voltado para os braços do marido. Ficou um clima de sexo no ar, continuamos conversando, deixando as coisas acontecerem aos poucos. Às dez horas da noite fomos todos para mesa, abri uma garrafa de vinho e fizemos o brinde de Natal, a ceia foi maravilhosa, a comida estava deliciosa, o vinho excelente e a noite estava só começando.

Quando terminamos a ceia, fomos todos para a árvore de Natal e trocamos nossos presentes, cada um abriu o seu, na maior bagunça. Trocar presentes é o momento mágico do Natal. Graciete e o marido tinham trazido presentes para todos e receberam o nosso presente, Simone e Renata se desculparam com eles por não terem comprado nada, falando que não sabiam que iamos chamar eles. Graciete riu falando que as duas iam dar outro presente para eles, todos nos rimos com a insinuação dela.

Foi nesse clima de muita alegria que voltamos para os sofás que ficavam no canto da sala, minha esposa trouxe mais cerveja e sentamos cada um com seu par, em meio a brincadeiras e muita descontração. Sonia sentou no meu colo, Simone e Renata ficaram se beijando e Graciete abraçada ao marido. A bebida criava certa liberdade entre-nos.

Graciete beijava o marido e descaradamente acariciava o pau dele sob a calça, eu e minha esposa nos beijávamos olhando, Simone e Renata se acariciavam olhando o casal. Graciete beijou o marido e levantou, nos olhou e sentou numa poltrona sem braços de frente para Simone e Renata, ela subiu o vestido até em cima, suas coxas grossas se abriram, mostrando a calcinha branca minúscula que ela vestia, sua buceta estava enorme, a calcinha mal conseguia tapar aquilo tudo, ela acariciou a buceta por cima da calcinha, encarrando Simone que olhava fascinada, vem Simone, eu sei que você quer minha buceta.

Simone beijou Renata na boca, levantou e andou até Graciete ajoelhando entre as pernas dela, suas mãos acariciaram as coxas grossas da mulher e sua boca se abriu procurando a buceta de Graciete. Simone beijou a buceta por cima da calcinha, sua boca se esfregou na calcinha, tira minha calcinha, Graciete mandou, Simone obedeceu, suas mãos puxaram a calcinha, deixando a buceta nua, sua boca se perdeu na buceta, chupando com vontade, Graciete gemeu sentindo a boca quente de Simone chupar sua buceta.

Renata olhava a cena enfeitiçada, ela subiu o vestido bata e sua mão procurou a buceta, ficou olhando e acariciando a própria buceta, ela não aguentou, levantou e andou até perto das duas e ficou parada olhando, Eudes pegou na mão dela e trouxe Renata para o colo dele, ela se deixou conduzir, sentou no colo dele, abraçando Eudes pelo pescoço, ele desceu a parte de cima do vestido ate a cintura, deixando os seios fartos dela nus, estavam duros, os bicos inchados, sua boca procurou o mamilo, Renata gemeu quando ele chupou forte, suas mãos subiram o vestido, acariciando suas coxas grossas, procurando a buceta, Renata gemeu quando ele colocou a mão grande na buceta por cima da calcinha. Ela abriu as coxas oferecendo a buceta, deixando ele acariciar, a mão dele entrou na calcinha, a buceta estava melada, ele enterrou o dedo todo na buceta, Renata gemeu descontrolada, com o dedo grosso de Eudes enterrado na buceta, sentindo ele chupar seus peitos com força. Sua boca procurou a dele, Renata beijou a boca de Eudes com paixão, ele chupou os lábios dela, as línguas se esfregaram com desejo.

Eudes fez Renata sair do colo dele e ficar de joelhos no meio das suas pernas, trazendo as mãos dela para o pau dele. Renata segurou o volume que enchia suas calças, sentiu o tamanho do pau duro na sua mão, foi abrindo a calça, Eudes tirou a própria camisa e Renata tirou a calça e os sapados dele, deixando ele só de cueca. Ela abaixou a cueca, deixando o pau exposto, era enorme, grande e grosso com as veias saltadas. Renata empunhou o pau com as duas mãos e beijou a pica, seus lábios se abriram, lambendo e beijando, sua boca delicada foi engolindo a vara grossa, chupando, sentindo o gosto forte do pau se misturar a sua saliva.

Eudes a segurou pela cabeça, fazendo ela engolir a pica, ela engasgou mais aos poucos foi se acostumando, sentindo o pau quase todo na boca. Ela arreganhava a boca, deixando ele enterrar a rola grossa cada vez mais na sua boca, Eudes gemia cada vez que ela engolia o pau quase até o cabo. Ele segurou Renata pelos cabelos fudendo sua boca, a saliva escorria da sua boca, deixando a pica cheia de cuspe, o pau grosso entrava e saia da boca de Renata, ela se abraçou a cintura dele com o pau todo na boca.

Na poltrona Simone de joelhos chupava a buceta melada de Graciete deixando nossa amiga doida, Graciete pegava Simone pelos cabelos e esfregava sua boca com força na sua buceta completamente melada, Simone chupava com prazer, beijando o bucetão dela, enterrando a cara na buceta, os gemidos de Graciete foram ficando mais intensos, ela pedia para Simone chupar sua buceta com força, aaaiiii Simone chupa gostoso, chupa com força, que boca gostosa, eu vou gozar, aaaiiiii eu to gozando, Graciete enterrou a cara de Simone na sua buceta e gozou, suas coxas tremeram prendendo o rosto de Simone na buceta. Seu corpo ficou largado na poltrona, sua respiração estava alterada, Simone continuou no meio das pernas dela, beijando a buceta.

Eu e Sonia olhávamos abraçados, Sonia tinha aberto minha calça e segurava meu pau duro, eu tinha subido sua veste, ela estava sem calcinha, eu olhava Simone e Renata chupando o casal com o dedo grosso enterrado na sua buceta.

Graciete levantou e fez Simone ficar em pé, suas mãos abaixaram as alças do vestido, o vestido escorregou pelo corpo, ela ficou só de calcinha, Graciete acariciou a buceta por cima da calcinha e foi abaixando a calcinha, deixando ela nua, ela fez Simone sentar na cadeira e se abaixou, ficando entre as pernas dela, as duas se abraçaram e se beijaram na boca com tesão, Simone estava com os seios fartos duros, os bicos estavam inchados, Graciete mamou com força, fazendo Simone soluçar, ela empurrou Simone para trás e abriu suas coxas, Simone ficou com a buceta exposta, Graciete de joelhos beijou a buceta farta da minha nora, ela gemeu desesperada quando Graciete enterrou a cara na sua buceta, sua boca chupou com vontade, Simone se arreganhou ainda mais, deixando a mulher devorar sua buceta. Ela segurava Graciete pela cabeça enfiando a cara dela na sua buceta, implorando por sua boca gostosa, pedindo para ela chupar sua buceta, ela chupava com força, deixando Simone completamente fora de si.

Do lado deles, Eudes continuava sentado e Renata ajoelhada no meio das pernas dele, ela chupava com vontade sua pica grossa, se deliciando, sua boca se abria engolindo o pau todo, deixando Eudes louco, ele gemia alto quando a boca de Renata tragava o pau grosso até a garganta.

Eudes fez Renata parar de chupar e sentar no seu colo de frente para ele com as pernas abertas, o pau enorme encostou na buceta encharcada de Renata, Eudes fez ela ir sentando devagar na pica, o pau grosso foi arreganhando os lábios da buceta, Renata gemeu sentindo o pau entrar, seu corpo foi sentando aos poucos na pica grossa dele, sua buceta foi se abrindo, aguentando o pau exagerado daquele homem na buceta, seu corpo colou no dele com a pica toda dentro, ela gemia manhosa, aguentando tudo na buceta.

Renata se abraçou ao pescoço dele e passou a subir e descer, sentindo o pau entrar e sair da buceta, ela gemia fora de si, sentindo o pau alargar sua buceta, Eudes fez ela deitar no sofá sem tirar o pau e montou nela, passou a fuder a buceta de Renata com força. Ela se abraçou ao corpo dele, chorando baixinho, toda aberta deixando ele meter nela, seus gemidos foram ficando intensos e ela gozou com o pau cravado na buceta, Eudes não saiu de cima, continuou metendo forte sem se importar com o gozo dela.

Graciete e Simone continuaram namorando na poltrona, Simone sentou de frente no colo dela, abraçando seu corpo quente, suas bucetas se colaram, se esfregando, as duas se beijavam de um jeito apaixonado, Graciete acariciava a bunda de Simone, abre a bunda para mim, ela mandou, Simone levou as mãos para trás, e abriu a bunda para ela, Graciete foi passando cuspe no seu cu, deixando ele melado, Simone gemeu quando sentiu o dedo grosso invadir o cu, Graciete enterrou o dedo todo e depois colocou dois dedos, deixando minha nora doida, seus dedos entravam e saiam, Simone gemia descontrolada empinando o rabão, deixando ela meter. Graciete beijava Simone na boca com os dedos enfiados no seu cu delicioso.

Eu e Sonia estávamos sem roupa, Sonia sentou no meu colo de costas para mim com meu pau todo na sua buceta quente, minha esposa rebolava com o pau cravado na buceta. Nos metíamos olhando o casal fuder Renata e Simone.

Graciete continuava com o dedo enterrado no cu de Simone, que estava completamente entregue, ela gemia toda manhosa, implorando pelo dedo no cu. Graciete deu um tapão firme no rabão de Simone, suas carnes estremeceram, deu outro tapão de mão aberta ainda mais forte. Olha como meu marido esta fudendo tua mulher, Simone olhou Renata gemendo sendo montada por Eudes, eu sei, ele esta botando tudo na buceta dela, Simone disse. Deixa ele fuder tua bunda, eu quero ver ele comer teu cu, Simone beijou ela na boca, Eu deixo, eu faço tudo que você quiser.

Graciete fez ela sair do seu colo e levou Simone até onde o marido fodia Renata. Ele saiu de dentro de Renata e Graciete entregou Simone para ele, puxando Renata do sofá e abraçando ela pela cintura, Renata a beijou na boca, sentindo as mãos firmes de Graciete na sua bunda. Eudes abraçou Simone, beijando ela na boca, sua mão grandona acariciou o bundão de Simone, ela segurou a pica grossa dele, sentindo o tamanho exagerado, bota na minha bunda, pediu, Eudes sorriu, sabia que ela estava doida para tomar no cu, ele fez Simone ajoelhar no sofá com a bunda farta virada para ele.

Todos nos olhávamos completamente envolvidos, Eudes abriu o rabão dela e encostou o pau no cu de Simone, ele passou cuspe e ficou esfregando a pica. Renata sentou do lado de Simone e beijou-a na boca, deixa eu dar a bunda para ele, pediu para Renata, você quer, minha filha perguntou, quero eu to doida para dar a bunda, Simone falou quase chorando, Eu deixo, você sabe que eu não nego nada para você.

As duas se beijaram apaixonadas, Graciete tinha ido no nosso quarto e voltou com um tubo de lubrificante, ela mesma, encharcou o pau do marido, Renata levantou e abriu o bundão da minha nora, Eudes encostou o pau e forçou, o cu se abriu como uma flor, ele empurrou o pau, metendo com firmeza, Simone gemeu descontrolada sentindo a vara grossa entrando, Eudes segurou ela firme pelos quadris e passou a meter forte, a pica grossa entrava cada vez mais, Simone chorou quando ele cravou tudo no cu. Eudes esperou ela acostumar e passou a meter com força, castigando minha nora, botando na bunda dela sem pena.

Eudes botava tudo no rabão dela, Simone gemia completamente fora de si, aaaiii porra, Eudes aiaii teu pau é enorme, puta que pariu, aaaiiii esta acabando comigo, como é grosso, esta me arrombando. Eudes socava com firmeza, maltratando o rabão da minha nora, o pau entrava e saia, quando ele tirou, dava para ver como o cu de Simone estava dilatado, aberto pelo pau grosso do nosso amigo.

Simone enlouqueceu e passou a pedir para ele meter tudo, aaiiiii enfia tudo no meu cu, fode meu rabo, não tem pena, me fode para valer. Renata do lado dela, alisava seu cabelo com a mão na buceta. Simone olhou para ela com cara de choro, aguentando a pica grossa de Eudes, ele passou a meter mais forte no rabão dela, fazendo ela chorar dando para ele, Simone aguentava o pau todo no cu, empinava a bunda deixando Eudes meter do jeito que queria na sua bunda.

Graciete pegou Renata pela mão e trouxe-a para a poltrona, ela abraçou Renata e as duas se beijaram com vontade, foi um beijo desesperado, uma chupando com força os lábios da outra, as línguas se esfregando, as salivas se misturando, Graciete sentou na poltrona e abriu as coxas, ela acariciou sua buceta enorme encarando Renata que olhava fascinada para a buceta dela. Vem meu amor, chupa meu bucetão, Renata se abaixou e ficou de joelhos no meio das pernas dela, sua boca beijou a buceta, esfregando os lábios, sentindo o cheiro, ela chupou com vontade a buceta de Graciete, sua boca se perdeu na buceta daquela mulher que já tinha comido sua mulher e agora ia comer ela. Graciete enterrava a cara dela na sua buceta, gemendo alto recebendo a língua gostosa de Renata na buceta, não demorou nada e ela gozou, deixando os lábios de Renata melados com seu mel. Renata continuou abraçada as coxas dela, esfregando os lábios grossos na buceta de Graciete.

No sofa, Eudes continuava fudendo o rabão de Simone, ela gemia alto, tomando no cu, aguentando o pau grosso dele. Simone gozou com o pau cravado no cu, ela gemia de um jeito desesperado, parecia que Eudes estava matando ela, o cu tinha sido completamente arrombado pelo pau grosso dele, o pau entrava com facilidade. Ele metia se deliciando em deixar minha nora arrombada. Simone gozou novamente com o pau enfiado até o cabo no cu, Eudes passou a bombar com mais força, segurando os quadris dela, ela gozou de novo, gemendo alto com o pau todo no cu, quando ele tirou, deu para ver o cu dilatado e o leite grosso escorrendo.

Eudes sentou no sofá e Simone se abraçou ao corpo dele, beijando ele na boca e acariciando o pau ainda duro. Ficaram namorando, trocando beijos. Eu e Sonia estávamos no sofá do lado deles, Sonia olhava tudo, sentada no meu pau com a pica enterrada na buceta.

Na poltrona em frente, Renata tinha sentado na poltrona toda aberta com a buceta grandona exposta, Graciete ajoelhou no meio das pernas dela, chupando sua buceta, Renata segurava Graciete pelos cabelos esfregando a buceta na sua boca, ela gemia toda manhosa, aaaiiii chupa, que boca deliciosa, come minha buceta come, me come também, aaaiiii que boca quente, eu fico doida, aaaiiiii sua gostosa...aaiii eu vou gozar.....Renata gozou na boca de Graciete.

Graciete continuou chupando a boceta melada de Renata, ela fez Renata levantar e ajoelhar na poltrona com o rabão todo virado para ela, Graciete ficou acariciando o bundão de Renata, abrindo e passando o dedo no cu, ela abaixou e beijou o cu, Renata perdeu a noção de tudo, quando ela chupou, seu cu se contraiu, sentindo os lábios grossos de Graciete chupando com força, Renata empinou ainda mais a bunda grandona, entregando o cu, deixando Graciete chupar. A cena era de tirar o fôlego, Renata de joelhos com a bunda enorme arreganhada pelas mãos firmes de Graciete que chupava seu cu, deixando Renata completamente descontrolada.

Eudes sentado do meu lado, beijava Simone na boca, ele fez ela ficar no meio das pernas dele, Simone segurou o pau duro e sua boca se abriu abocanhando a pica. Eudes puxou Sonia do meu colo e trouxe-a para junto de Simone, minha esposa beijou a pica, chupando com vontade, ela e Simone dividiram a pica enorme de Eudes, As duas chuparam juntas, se beijando na boca, uma sentindo na boca da outra o gosto do pau. Eudes trouxe Sonia para o colo dele, ela sentou de pernas abertas, sua buceta engoliu a pica grossa dele, sentiu a dureza do pau, sua bunda ficou colada as coxas dele com o pau todo na buceta, ela se abraçou nele, sentando com força na pica, sentindo a grossura do pau, abrir sua buceta, deixando ela larga, ela gozou gemendo no pau dele. Ficaram abraçados se beijando, ela saiu do colo dele para Simone sentar no pau grosso do nosso amigo.

Simone sentou de pernas abertas, gemeu sentindo a pica grossa arreganhar sua buceta, aaaiii minha buceta, aaaiiiii que pau gostoso, porra, enfia tudo na minha buceta, me deixa larga, acaba comigo. Ela pediu com o pau enterrado até o cabo na buceta. Eudes deitou por cima do corpo dela e meteu com força, socando o pau na buceta, enfiando tudo, Simone gozou com a pica enterrada na buceta. Eudes continuou metendo, sentindo a buceta dela se contrair apertando sua pica, Simone gozou mais uma vez aguentando o pau todo na buceta. Ficaram abraçados, se beijando, ela sentia o pau enterrado na buceta e os lábios da buceta colados na pica, aos poucos ela foi ficando sem forças para mais nada. Sentiu sua buceta larga quando Eudes saiu de dentro dela.

Eudes abraçou minha esposa e os dois se beijaram com desejo, ele a conduziu até o sofá, fazendo ela ficar de joelhos com o rabão virado para ele. Eu mesmo peguei o tubo de creme largado no sofá e encharquei o cu delicioso dela, abrindo suas nádegas fartas e expondo seu cu gostoso que ele já tinha comido muitas vezes. Ele segurou firme os quadris dela e encostou a vara grossa no cu, Eudes forçou, aos poucos, o cu foi se abrindo como uma flor e se entregando para o pau grosso dele. Sonia gemeu baixinho aguentando o cacetão, sentindo o pau grosso abrir seu cu, chorou tomando no cu.

Eudes metia com força no rabão dela, socando, enfiando tudo, sentindo o cu apertar o cabo grosso da sua pica. Ele continuou metendo, socando, castigando o rabão dela, comendo o cu da minha esposa sem pena. Ela gemia desesperada recebendo o pau todo na bunda. Seus gemidos foram ficando mais sofridos, ela gozou com o pau todo no cu, Eudes continuou comendo sua bunda farta, ela continuou de joelhos no sofá, aguentando o pau dele, ele socava, seu corpo se chocava com o dela, o pau entrava todo no cu, Sonia não aguentou e gozou de novo com a pica toda dentro, so então Eudes gozou com o pau dentro, enchendo minha esposa com seu leite farto, quando ele tirou, deixou o cu aberto e o leite dele escorreu, mostrando sua posse.

Sonia me puxou e me abraçou, me beijando na boca, pedindo meu pau, ela virou me oferecendo a bunda, meu pau estava duro, eu abracei ela por trás e meu pau entrou com facilidade no seu rabão arrombado pelo nosso amigo, eu sentia meu pau escorregar na porra grossa, metendo forte no cu, sentindo como ele tinha deixado ela larga, ela gemia desesperada pedindo para eu gozar com ela, falando que ia gozar, gozamos juntos, eu montado nela por trás com o pau cravado no seu rabão quente, meu leite escorreu mesmo com meu pau dentro, ela se virou me abraçando, nos beijamos completamente doidos um pelo outro, sentindo o desejo na quentura do corpo do outro.

Passava das três da manhã, a madrugada já tinha tomado conta da noite, todos estávamos nus, reunidos no sofá, descansando. Eu e Sonia, ficamos abraçados, pelo jeito safado que ela me olhava, eu sabia que ela queria o mesmo que eu, um queria só o outro, Sonia depois que era fodida e ficava arrombada, adorava fuder comigo, gostava que eu comesse sua buceta quando ela estava bem fodida por outro macho.

Falei para todos ouvirem, que eu e Sonia íamos para o nosso quarto aproveitar o fim de noite, falei que tinham dois quartos e eles podiam escolher quem ia dormir com quem ou dormirem todos no mesmo quarto, todos riram. Graciete foi até Simone e as duas se beijaram, ela pegou minha nora pelos cabelos e a levou para um dos quartos,Eudes abraçou Renata, os dois se beijaram, ele levou ela para o outro quarto.

Eu e Sonia fomos para o nosso quarto abraçados, as portas dos quartos estavam fechados, fomos abraçados para nossa cama deliciosa, estava doido para fuder minha esposa.

No quarto ao lado, Graciete nua e sozinha com Simone pode exigir longe dos nossos olhares, a submissão de nossa nora. Simone se entregou para ela, Graciete deitou nua toda aberta, Simone passou a noite beijando, acariciando, lambendo e chupando o corpo todo da sua mulher. Não negou nada para Graciete, beijou seus pés, sentiu a mão firme da amante, deixar sua cara inchada, chupou sua buceta com devoção, mostrando para Graciete que era sua puta na cama, aceitando tudo que ela queria, entregando seu corpo todo para o prazer da amante.

No outro quarto Eudes levou Renata nua para a cama, ela estava doida pela pica enorme dele, sozinha com ele, se entregou toda, se beijaram com desejo, Eudes chupou os lábios grossos de nossa filha, deixando eles vermelhos e inchados, Renata deixou seus lábios passearem pelo corpo dele até encontrar o pau enorme, sentiu a dureza e a grossura da pica na boca, chupou com vontade, já tinha aguentado aquilo tudo na buceta, Eudes montou nela, fazendo Renata aguentar mais uma vez sua vara grossa na buceta, Ela gemia se arreganhando toda sentindo o mastro dele, invadir sua buceta. Ele metia com força, socando, enfiando tudo no seu bucetão melado.

Renata gemeu quando sentiu as mãos dele abrirem sua bunda e o dedo grosso invadir seu cu, gemeu muito doida com o dedo todo no cu, sentiu o dedo abrir seu cu, seu corpo estava quente, o cu se contraia, Me dá esse cuzão, deixa eu fuder teu cu, ele pediu com o dedo todo no cu, Renata beijou ele sentindo a pica toda dentro da buceta. Eu deixo, eu quero sentir teu pau todo no cu, eu fiquei doida vendo você fuder o cu da Simone, me fode igual, Renata pediu.

Eudes não disse nada, saiu de dentro dela e pegou o tubo de creme que tinha trazido para o quarto e passou no pau, deixando ele todo melado. Ele fez uma pilha de travesseiros no centro da cama e fez Renata deitar com a barriga neles. Sua bunda grandona ficou virada para ele, Eudes abriu suas nadegas fartas, deixando o cu exposto, sua boca beijou o cuzinho delicado dela, ele chupou deixando Renata louca, sua boca ficou chupando com força, deixando ela toda arrepiada.

Eudes montou em Renata por trás abraçando o corpo dela, seu pau grosso forçou, o cu foi se abrindo, ele foi metendo ao poucos, deixando seu mastro avantajado invadir aos poucos, ela gemeu descontrolada sentindo o pau entrar, seu cu foi se abrindo, engolindo o pau enorme dele, chorou quando Eudes cravou tudo no seu cu, ele foi metendo com força, socando, metendo, fudendo sem dó.
Renata chorou desesperada, aguentou tudo no cu, apesar do choro em nenhum momento ela pediu para ele parar, ela passou a aguentar tudo, seu cu foi ficando dilatado e Eudes passou a comer o rabão dela com mais facilidade, o pau entrava e saia, deixando Renata completamente fora de si, ela gozou com o pau todo no cu.

Eudes continuou metendo, Renata gozou de novo dando o cu, sentiu o pau inchar no seu cu e Eudes apertar o corpo dela, gozando com o pau todo no seu cu, ficaram abraçados na cama, namorando, se beijando e acariciando. Naquela noite, Eudes comeu Renata várias vezes, deixando a buceta dela toda inchada.

No nosso quarto, Sonia gemia com meu corpo grudado no dela e meu pau enterrado em sua buceta. Nossos corpos se procuraram a noite toda, ate adormecermos esgotados.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.