"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Novinha sadomasoquista


autor: Lenhador
publicado em: 16/07/17
categoria: hetero
leituras: 2299
ver notas
Fonte: maior > menor


Sheylla tinha 19 anos e literalmente uma novinha de cabelo castanho longo, olhos verdes, seios pequenos, más sempre durinhos, cintura fina, bumbum grande, barriga chapadinha e belas coxas grossas.

Morena e com personalidade forte sempre que surgia mau humor os olhos mudavam pra azul e surgia tesão diferente, pois era sado masoquista. Tanto fazia ela causar dor como sentir ela amava sexo com criatividade e boas e intensas pré-liminares.

Só tinha prazer ao ser dominada, amarrada e torturada pra sentir o máximo de prazer.

Nos conhecemos num sitio em evento de amigos e desde a primeira troca de olhar surgiu sintonia e passamos a ficar sempre juntos mesmo não rolando nada de imediato. Como seriam 3 dias juntos graças a feriadão.

Com shortinho cavado e sempre sorriso largo Sheylla era pessoa muito fácil de enturmar e foi esse jeito dela que me cativou, pois quando cheguei com os alimentos foi à única que se prontificou a ajudar.

_ Oi Sou a Sheylla aceita ajuda? Apresenta-se ela

_ Prazer Sheylla aceito sim. Agradeço

Levamos os alimentos e com contrariedade noto que faltou o carvão pro churrasco e decido ir na cidade comprar no que Sheylla se dispõe a me fazer junto.

_ Não vai te causar problema? Pergunto

_ Por quer causaria? Estranha ela

_ Uma garota tão bonita e legal assim sempre está rodeada por algum ciumento. Explico

_ Não mesmo. Sozinha e ninguém aqui me chamou atenção. Ela fala de forma bem direta

_ Estou chegando agora e ainda não enturmei com o pessoal. Informo

_ Você não está perdendo nada e ainda ganhou minha companhia pra ir comprar carvão. Sentencia ela.

_ Você é sempre assim boa com as palavras? Fico surpreso

_ Não Lenhador uma amiga tinha me falado de você e eu duvidei do que ela contou. Confessa me olhando com curiosidade

_ Não acredite em nada, pois sou tão normal. Faço-me de inocente e ambos caímos em varias gargalhadas e as pessoas a nossa volta ficam curiosas.

Avisamos que vamos comprar o carvão e mais do que depressa pegamos a estrada de terra pra encarar 2hs pra ir e voltar.

Sheylla não consegue disfarçar o interesse e fica me olhando desde os ombros largos as pernas compridas e não desgruda do volume da minha bermuda

Como ela não usava sutiã era possível ver o formato dos seios pequenos e mamilos médios e bem moreninhos.

No trocar a marcha acabei roçando a mão de leve na coxa da Sheylla e ela me olhou diferente.

_ Desculpa não foi de propósito. Apresso-me a explicar

_ Relaxa só animei a vir pra festa por sua causa. Ela ri da minha cara de surpreso

_ Virei seu foco então, mas por que ficar com um estranho se você pode ter todos os carinhas da festa? Notei os olhares pra você. Paro o carro e a observo.

O short cavado me intrigou, pois ela estava usando uma tanguinha ou estava sem nada, por baixo e resolvi tirar a prova.

_ Esse short fica ótimo em você não incomoda usar? Muito justo. O desejo de beijá-la foi ficando latente.

_ Sou meio rebelde e não estou de sutiã e nem calcinha. Ela adquiriu semblante sacana

_ Puta merda e você fala isso logo pra mim? Fico num puto tesão

_ Uai você não é o Lenhador? O cara que detona buceta sem dó? Ela ri

Sem mais palavras a puxo e beijo com força enquanto minhas mãos saem percorrendo aquele corpo gostoso.

Puxo o cabelo pra traz e vou mordiscando em direção aos seios e ela começa apalpar meu cacete e num movimento o puxa pra fora e ficar apertando e balançando.

Tiro a roupa dela e deixo sentada de frente pra mim relando no cacete enquanto dou palmadas na bunda e mordisco os seios.

Ela fecha os olhos e fica esfregando a buceta de forma bem safada no meu cacete e vou sentindo o mel escorrer.

A fico observando se bolinar e em dado momento ela mira a cabeça do meu pau no cuzinho e fica rebolando com a cabeça dele dentro enquanto se masturba.

Em dado momento ela senta de uma vez e solta um urro de tesão ao gozar forte e movido pelo prazer do momento acabo gozando junto justo quando estava mordiscando os mamilos.

Me vesti liguei o carro e com uma das mãos fui bolinando a buceta da Sheylla e com isso ela teve vários orgasmos durante o trajeto.

Durante o trajeto de volta Sheylla ficou olhando minhas mãos grandes e marcha do carro e pediu pra parar em lugar fora da estrada.

Mal paramos ela tirou bermuda sentou no meu colo e começou a relar muito sem me deixar toca-la.

Após alguns instantes ela saiu do meu colo e ficou sobre o câmbio de marcha e começou abaixar até a buceta colar e começou a fortar a encaixe gemendo muito.

Não me contendo comecei a mordiscar a virilha dela e minhas mãos explorando os seios e em dado momento Sheylla deixa entrar mais e acaba gozando no cambio de marcha após eu enfiar um dedo no cuzinho dela.

Ela se levanta e crava o cuzinho no meu pau e rebola forte até me fazer gozar.

Vestimos-nos e chegamos no sitio com mais de 30 minutos de atraso o que atraiu comentários levianos, más nem ligamos.

Continua...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.