"Os mais excitantes contos eróticos"


História Quentes – Capitulo 2


autor: Publicitario45
publicado em: 17/07/17
categoria: hetero
leituras: 1879
ver notas
Fonte: maior > menor


Após transar com o primo do seu marido na cozinha da casa, Laurinha passou o da trancada em casa. Ela sabia que João estava lá fora, pois ele morava no quarto que havia no fundo do quintal. Sem saber o que fazer e como fazer, Laurinha tinha algo para se agarrar, as cenas da manhã daquele dia.

Ela nunca havia gozado daquele jeito. Seu marido era um bom homem mas na cama era fraco. Já João, primo do seu marido era do tipo safado, tinha cara de safado e topava qualquer coisa para ver a parceira feliz. Aquele pau enorme não saia da cabeça de Laurinha e quando ela percebeu, seus dedos estavam deslizando entre suas pernas que mais uma vez estava molhada de tesão.

Entre tantas cenas e recordações, Laurinha voltou a si quando ouviu alguém batendo na porta, era sua mãe, querendo saber se ela estava bem já que não tinha atendido sequer um telefonema dela.

Após meia hora de conversa Laurinha entrou novamente em casa, tomou outro banho para ver se seu corpo esfriava e voltou a dormir acordando apenas no meio da noite. Laurinha foi até a cozinha e viu que a luz do quarto de João estava acesa, o que era muito normal já que ele estudava até tarde da noite quase todos os dias.

Sua vontade era de mandar uma mensagem, puxar assunto mas a vontade e o medo travavam uma luta dentro de sua cabeça. Não resistindo muito Laurinha puxou conversa.

- Estudando primo?

- Sim.

- Hum...

- Queria te pedir desculpas por hoje prima.

- Não precisa. Você não teve culpa, acho que ninguém teve.

- Meu primo não merece isso

- Eu sei, mas foi mais forte que nós dois.

- Acho que vou me mudar, vai ser melhor.

- Não faça isso. Espera que eu vou ai pra gente conversar. Você esta com fome?

- Sim.

- Vou levar algo para você comer.

Laurinha se trocou, tirou a camisola e colocou um vestido simples mas que marcava bem as curvas do seu corpo. Foi até o banheiro, escovou os dentes, deu uma ajeitada no cabelo e preparou um lanche pra levar pro primo.

Ao encontrar no quartinho dos fundos, João estava sentado no sofá rodeado de livros, sem camisa, usando apenas um short preto.

Laurinha entrou, fechou a porta, colocou o lanche na mesa e foi caminhando até ele. A vontade dos dois falou mais alto, João se levantou e já estava de pau duro, Laurinha sentiu sua boceta latejar e os lábios mais uma vez se tocaram e de novo o tesão explodiu dentro do quarto.

Laurinha empurrou João que caiu na cama, puxou sua bermuda e abocanhou a tora do primo mais uma vez, desta vez ela lambou, chupou, mordeu, passou a língua por toda extensão. João apenas gemia e chamava a prima de putinha, ela olhava pra ele e sorria enquanto mamava sua rola grossa.

- Vira... me dá essa boceta que eu quero chupar você.

Laurinha virou o corpo e começaram um sessenta e nove alucinante, ela chupava, gemia e rebolava na cara do primo, seu corpo estava a mil e os orgasmos iam se multiplicando sem ela ter nenhum controle sobre eles.

- Me fode!

Laurinha implorou e João atendeu, saiu debaixo dela e a colocou de quatro na beira da cama.
Pincelou o pau na porta da boceta que ainda estava inchada da trepada anterior e meteu tudo, o pau entrou rasgando e Laurinha usou o travesseiro pra abafar seus gemidos de dor e prazer.

Quanto mais ela gemia mais João acelerava as estocadas. Laurinha ia experimentando todo tipo de prazer, apanhou, teve os cabelos puxados, cavalgou na rola do primo, deu de ladinho, em pé, agachou em cima dele e ficou quicando naquele caralho grande e grosso.

Passaram a noite trepando, perderam a quantidade de vezes que gozaram.

Quando Laurinha acordou o dia já estava raiando, ficou assustada mas não quis acordar o amante que ainda dormia sem nenhuma roupa. Antes de sair, deu uma mamada na rola do primo, vestiu-se, certificou que ninguém estava olhando e foi pra casa tomar banho.

Quando olhou no celular, tinha mais de uma dúzia de mensagens do marido.

- Amor, estou chegando. Estou morrendo de saudades.

Laurinha sentiu um arrependimento e passou a mãos na boceta inchada e melada de porra quente do primo. Depois foi tomar um banho e adormeceu na cama, nua e saciada.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.