"Os mais excitantes contos eróticos"

 

(In)the box


autor: pintosfeios
publicado em: 27/07/17
categoria: grupal
leituras: 560
ver notas
Fonte: maior > menor


O meu nome é Daniel e a minha mulher é a Paula. Somos um jovem casal com 34 anos, casados á 10 anos e temos um pequeno com 3 anos.
Como é normal a vida sexual de quem tem filhos não é igual á de quem não os tem. Pelo menos a nossa mudou um pouco desde o nascimento do nosso pequeno. Todo o tempo é pouco, as novas rotinas, o cansaço, etc. No entanto, ainda assim, não nos podemos queixar (isto se existisse uma entidade reguladora para o sexo). Bem, feita a introdução vamos ao que me trouxe a esta página em branco.
Vou relatar aqui um acontecimento que terá no máximo um mês. A Paula trabalha numa empresa de reciclagem de plásticos e tem um horário que acaba por sair cedo do trabalho, ás 16h. Eu como trabalho num talho, só saio por volta das 19h.
Tivemos um problema no nosso router de Internet e como ela chega a casa mais cedo do que eu, agendamos com o técnico para as 18h. Nesse dia, uma cunhada minha, iria buscar o nosso pequeno ao infantário e depois iríamos jantar a sua casa. A Paula no dia anterior ao sucedido andava com um tesão daqueles (como eu gosto de a ver assim), mas a verdade é que o máximo que conseguimos foi uma rapidinha logo após o pequeno adormecer (isto porque logo de seguida começou a chamar pela mãe). Não satisfeitos os desejos na noite anterior, a Paula ainda continuava com um fogo ardente.
18:30, chega o técnico. Era um jovem por volta dos 30, alto, moreno, com um pouco de barba e com o corpo atlético. Rapidamente se inteira da situação do router e diz que tem de ir ao carro buscar um novo router porque aquele tem qualquer coisa queimada. A Paula aproveita esta sua ida para me enviar uma mensagem a dizer que o técnico era um pedaço de homem e que o tesão cada vez mais a estava a atacar. Eu apenas lhe disse para tentar atrasar um pouco o trabalho dele, isto porque já não faltaria muito para eu chegar a casa. Então o plano estava traçado, quando eu chegasse a casa iríamos foder com o técnico, isto claro se ele também o quisesse.
19h15, chego eu a casa. O router novo já estava em fase de testes e ofereci uma mini ao Vasco, este era o seu nome. Conversa vai, conversa vem a Paula chama por mim ao quarto. Quando lá chego, está ela toda nua deitada na cama com um dos seus vibradores totalmente metido na sua coninha deliciosa. Já toda molhada pergunta:
- E agora, como vamos fazer? Com uma voz tremula proporcionada pelo tesão sentido.
- Vou-lhe dizer para chegar ao quarto para ver uma situação na TV. Mas vou-lhe dizer para vir á frente que tu estás aqui e eu tenho de fazer um telefonema urgente. Quando chegar continua a mete-lo bem fundo e vamos ver o que acontece.
- Vasco, já agora podes dar uma vista de olhos na box da TV do quarto? Ultimamente demora um pouco a mudar de canal.
- Sem problema, onde fica?
- Segue pelo corredor e vira á direita, está lá a Paula, eu tenho de fazer um telefonema.
Seguiu então em direcção ao quarto. Ainda ouvi o seu pedido de desculpa ao entrar no quarto e ao deparar-se com a Paula.
- Desculpe Dona Paula, o Daniel disse para vir aqui ver uma avaria. Diz o Vasco com um misto de vergonha e vontade de agarrar a Paula.
- Não te desculpes Vasco, o Daniel o que te queria dizer era para me vires aqui lamber a minha coninha rapadinha, ele já se junta a nós. Nesse mesmo instante chego eu.
- E então como está a box? Pergunto em tom de brincadeira.
- Não te inibas, somos um casal que gosta de apreciar a vida e o que ela tem de bom. Queres-te juntar a nós? Perguntei com calma e ansiedade ao mesmo tempo, pois queria ver a Paula a chupar o Vasco enquanto eu a fodia por trás.
- Um convite destes não se pode negar. Diz o Vasco já com a voz tremula, já pensando no sabor que aquela cona teria.
Tirei as calças e os boxers e já de pau feito o levei á boca da Paula, que rapidamente o meteu até ao fundo da garganta. O Vasco também se despiu e vimos que tinha uma pica bonita e com um bom tamanho, um pouco maior que a minha. Coisa que não me melindrou nem um pouco, gosto muito da minha e a Paula também.
- Chega aqui Vasco. Diz a Paula toda lambuzada de me chupar.
- Deixa-me saborear esse pau grande que aí tens. O Vasco já estava cheio de tesão de ver a Paula a chupar-me todo e logo fez o que ela pediu.
- Hum, tens uma boca deliciosa! Sim, mete-o todo até o fundo, chupa, chupa. Diz o Vasco já com o coração a bater forte.
Enquanto a Paula ia chupando aquele mastro, eu ia-lhe lambendo aqueles lábios carnudos da sua coninha, totalmente encharcada, devido ao tesão que estava a sentir por estar a chupar o Vasco.
- Mete-me os dedos. Pede a Paula, coisa que parecia telepatia, pois nesse mesmo instante estava a meter dois dedos bem fundo naquela gruta húmida de prazer.
- Daniel, posso foder a Paula? Estou com um tesão.
Rapidamente a Paula respondeu á pergunta:
- Fode-me bem fundo enquanto o Daniel me fode a boca.
E assim foi, a Paula de quatro enquanto o Daniel a fodia por trás e eu metia e tirava naquela boca sedenta por mais.
- Dá-lhe com força que ela gosta! Disse eu, e claro que o Vasco fez o pedido, pois era o que ele também queria.
Estivemos cerca de 15 minutos naquilo, ora eu por trás e o Vasco na boca e vice versa.
Até que a Paula diz:
- Daniel mete devagarinho no meu cu para ir preparando para vos ter aos dois dentro de mim.
Assim fiz, fui metendo naquele cu redondinho, devagarinho, mais um bocadinho, até que já tinha todo o meu pau a entrar e sair sem grande dificuldade.
- Finalmente vou ser fodida na minha coninha e no meu cu ao mesmo tempo, anda Vasco mete-me agora tu no cu enquanto o Daniel me fode a coninha.
Os pedidos da Paula eram ordens para nós.
- Se te magoar diz, paro de imediato. Diz o Vasco já metendo a cabeça do seu belo pau.
- O Daniel já me abriu para ti, podes sem medo.
O Vasco estava por trás a comer aquele belo cu e eu estava deitado por baixo a preparar-me para lhe dar um dos seus maiores desejos, ser totalmente fodida por dois homens.
- Cá vai meu amor! E assim começo a meter-lhe a minha pica dura de tesão na sua rata molhada.
- Hum, mais forte, mais forte. Pede a Paula a gemer de prazer.
Estranho sentir dento da sua coninha um outro pau, logo ali ao lado. E assim estivemos até a Paula sentir um dos maiores orgasmos que a vi sentir até a data.
Enquanto que a Paula se recompunha desse pico de loucura o Vasco pergunta:
- Daniel, posso-te chupar? Com um sorriso malandro.
Não é nada que não tivesse já pensado em experimentar e então respondi:
- Só se depois me deixares chupar essa bela pica que aí tens!
A Paula não estava a contar com essa minha resposta, vi pela sua cara surpresa, mas rapidamente disse, antes do Vasco sequer ter tempo de responder:
- Isso meu amor, vais ver que a pica do Vasco é muita saborosa.
E assim foi, o Vasco meteu o meu pau na sua boca enquanto a Paula(já recuperada) meteu o dele na sua. Sim, tive montes de prazer, o Vasco sabia muito bem o que fazer com uma pica dura na boca. Depois trocamos, ajoelhei-me em frente aquele mastro, moreno e duro e meti-o na boca. Soube-me logo bem á primeira. Meti até não poder mais, lambi-o, chupei-o, beijei-o, tudo isto enquanto a Paula me ia chupando também.
Foi uma sensação incrível, estar com uma pica bem dura na boca enquanto a minha também estava a ser chupada.
Após alguns minutos a Paula pediu novamente para ser possuída por nós o que aconteceu durante mais um bom bocado de tempo.
- Venham-se os dois nas minhas mamas. Pediu a Paula, ajoelhada á nossa frente com as duas metidas ora na boca, ora na mão.
Mais uma vez foi como uma ordem para nós. Viemo-nos em cima das suas mamas e novamente meteu uma a uma na boca para tirar o ultimo proveito desta aventura.
O Vasco adorou conhecer-nos e estar connosco e o sentimento foi recíproco. Foi uma bela experiência que ali tivemos.
Ele arrumou todo o seu material, deixou o seu contacto e seguiu caminho, ainda tinha mais uns routers para reparar. Nós aproveitamos que ainda tínhamos um pouco de tempo antes de ir jantar e fomos tomar um banho a dois (no qual já se sabe o que aconteceu).
Ainda não tivemos oportunidade de ligar ao Vasco para mais uma aventura, mas certamente o faremos.
Boas fodas para todos : )







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.