"Os mais excitantes contos eróticos"


Comi a futura esposa do meu pr


autor: publicitario45
publicado em: 08/09/15
categoria: hetero
leituras: 10062
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu tenho um primo que mora no interior de Minas que nunca deu sorte com as mulheres. Ele tem 30 anos, 15 anos mais novo que eu. É um cara bom, esforçado, trabalhador, honesto com todo mundo mas quando o assunto é mulher ele realmente não dá sorte.

Quando ele tinha 14 anos, a primeira namoradinha dele o trocou por um cara mais velho e se mandou para São Paulo. A segunda era gente boa mas a família sempre foi contra o namoro sem deixar claro os reais motivos e a menina não suportou a pressão da família terminou logo após o pedido de noivado. Depois namorou uma amiga minha, que segundo ele era cheia de tabus e não topava nada na cama além de um desanimado papai e mamãe.

O cara se formou e passou num concurso público numa cidade chamada Patos de Minas. Arrumou um apartamento pequeno, começou a trabalhar, comprou um carro e conheceu a Vânia. Ele com 30 anos e ela com 19 aninhos começaram a namorar com a benção da família dela e como meu primo é correto, ele achava isso tudo necessário.

Chegou o verão, férias de janeiro e como sempre nossos familiares de Minas se jogam para Vila Velha e Vitória. Com o meu primo que aqui irei chamar de Tobias não foi diferente. Ele queria aproveitar as férias de janeiro e trazer a noivinha para a família conhecer.

Tobias e Vânia chegaram numa sexta-feira e eu estava com a minha viagem marcada para Búzios e iria sair de carro pela manhã, a ideia era ficar lá por uma semana descansando. Mas mesmo assim, na sexta à noite fui na casa da minha tia para rever meu querido primo e conhecer a tão famosa Vânia, sua futura esposa. Chequei na casa da minha tia, o porteiro me anunciou e eu subi. Fui recebido por Tobias, nos abraçamos, sentamos na sala e ficamos botando o papo em dia. Minha tia preparava um café e Vânia estava terminando de tomar banho, já que eles tinham acabado de chegar de Guarapari. Tobias estava me contando que Vânia nunca havia saído de Patos de Minas e que estava encantada com a cidade e claro, o mar.

Eis que surge na porta uma loirinha com cara de anjinho, cabelos cacheados, olhos verdes, boca carnuda, baixinha, pernas grossas, seios médios e bunda dura, vestida num daqueles vestidinhos que as meninas do interior vestem e quase nos deixam loucos. Então, era a Vânia, a namoradaquase esposa do meu primo.

Precisei de toda experiência masculina do mundo para não ficar babando (Se é que isso é possível) na menina. Enquanto eu conversava com Tobias ela olhava, prestava atenção em tudo mas pouco opinava. Quando meu primo foi no quarto buscar o celular dele, aproveitei e puxei assunto com Vânia:

Eu: e ai, esta gostado de Vila Velha?

Ela: sim. É que eu nunca tinha saído da minha cidade. Nunca tinha nem andado de elevador nem visto o mar. Tô apaixonada. Pena que a gente só vai voltar aqui nas férias do ano que vem ou em algum feriado prolongado.

Eu que sou mineiro mas moro aqui há mais de 20 anos, havia me esquecido como é lindo uma menina com sotaque mineirinho. Trocamos mais umas ideias e me despedi do casal, pois ainda tinha que arrumar as minhas malas para viajar para Búzios. Na saída, dei dois beijinhos no rosto da Vania e um abraço em Tobias que fizeram questão de me convidarem para ser padrinhos do casamento deles, em Minas, no mês de fevereiro do ano seguinte.

Aceitei e mais uma vez abracei os dois e desta vez senti o corpo da minha futura prima colar no meu e o pau subiu meio que no automático. Ela percebeu, eu percebi mas meu primo não e ficou nisso.

Passei o réveillon com meus filhos e alguns amigos casados em Búzios e no dia 3 de janeiro já estava em casa. A ideia era aproveitar mais uma semana de férias curtindo os meninos e a praia que tem pertinho da minha casa. Como a minha tia, mãe do Tobias é uma parceira de boteco, combinamos de irmos a praia juntos e lá ela me disse qe achava que a Vania não era de confiança, que por várias vezes na praia ela ficava reparando os caras e que quase sempre estava conversando com alguém no Whatsapp. Pedi que a minha tia relaxasse e que se Tobias descobrisse alguma coisa, ele tomaria as devidas providencias.
Chegou Fevereiro e juntamos uma grande parte da família para irmos ao casamento. Fomos todos de carro para poder passear em Belo Horizonte após a festa. A viagem foi longa e cansativa e chegando lá os homens da família só queria saber de uma cerveja gelada. E para alegria geral da nação em frente à casa do meu primo tinha um boteco com comida boa e preço justo.

Sentamos no boteco eu, meu irmão e mais dois primos e o assunto da mesa era: como a Vânia é gostosa. Tobias ganhou na loteria, disse um dos nossos primos.

O cansaço bateu, a cerveja subiu e resolvemos dormir um pouco pois em dois dias seria o casamento do Tobias com a Vânia.

No dia seguinte levantamos cedo e resolvemos fazer um churrasco. Não tinha churrasqueira, carne, espeto e muito menos carvão. Então começamos a fazer uma lista para ir comprar tudo isso e começar o churrasco. Então surge Tobias e fala que cerveja e carne era bom de se comprar numa vila perto da cidade pois a carne era melhor e a cerveja bem mais barata. Pedi a ele que fizesse um mapa que eu buscaria a cerveja e a carne enquanto os demais comprariam a churrasqueira, os espetos e o carvão.
- que mané mapa, Vânia te leva lá. Com mapa você vai se perder. É no meio da roça.

Minha futura prima se prontificou a ir comigo e lá fomos nós em busca de carne e cerveja. Vânia estava com um daqueles vestidinhos que eu já mencionei, uma sandália que as meninas chamam de rateirinhas e os cabelos presos com um rabo de cavalo. A vila ficava uns 60 km para dentro do mato mas a estrada era boa más da metade do caminho em diante o celular para de pegar. Chegamos na vila e parei o carro debaixo de uma arvore grande. Fazia calor e mesmo com o ar do carro ligado resolvi ficar ali esperando Vânia fazer as compras. Ela retornou acompanhada de um rapaz que empurrava um carrinho com dez caixas de cerveja. Abri o porta malas e o cara guardou tudo ali. Ao perguntar da carne, Vânia disse que eles estavam limpando carne de boi, porco e codorna e que iria demorar uns 45 minutos. Ao pensar na demora Vânia me disse que já tinha usado o telefone fixo e avisado ao Tobias da nossa demora.

Sentamos dentro do carro para fugirmos do calor e começamos a conversar sobre os preparativos do casamento, a festa e a lua de mel e estranhei a conversa da noiva em relação ao sexo:

Ela: lua de mel estou bem desanimada.

Eu: porque gente? A melhor parte do casamento.

Ela: já dei pro seu primo, várias vezes, praticamente moramos juntos. Eu era virgem até conhece-lo mas até hoje não sei o que é um orgasmo. E olha que todas as minhas irmãs são taradas e ficam falando sobre isso. Eu para não deixar Tobias sem graça, falo que gozo muito mas é mentira.

Eu: mas você já conversou com ele sobre isso?

Ela: sim, mas ele finge que não é com ele, se faz de sonso. Isso me preocupa. Acho até que o problema é comigo e não com ele.
Nisso, Vânia encostou a cabeça no meu ombro e eu achei que ela iria começar a chorar quando mais uma vez fui surpreendido ela noiva do Tobias:

Ela: seu cheiro é bom.

Eu: gostou?

Ela: sim, desde aquele dia que você me abraçou na casa da sua tia.

Eu: quando agradeci o convite para ser seu padrinho de casamento?

Ela: sim.... desculpa, mas eu senti seu pau encostar na minha barriga. Fiquei louca, queria dar pro Tobias a noite toda e ele achou melhor não rolar nada porque a sua tia estava no quarto do lado.

Nisso meu pau foi endurecendo de novo e ela começou a rir.

Ela: você está de pau duro, safado?!

Eu: desculpa, mas você está muito perto e isso é perigoso.

Ela: perigoso porque? (Apertou meu pau com uma das mãos causando dor)

Eu: Vânia, não faz isso.

Ela: isso o que (Encostando a boca perto dos meus lábios)

Chutei o balde e beijei aquela boca com força e sofreguidão. Vânia correspondeu e abriu rapidamente o zíper da minha bermuda e sem falar nada caiu de boca me sugando com vontade. Pedi que ela parasse afinal de contas ela ia se casar com o meu primo em dois dias, mas no fundo eu queria que ela continuasse. Sem pensar duas vezes minhas mãos começaram a deslizar pelas costas e abriu o zíper do vestidinho dela, suas costas ficaram à mostra e eu cai de boca beijando as suas costas enquanto meus dedos seguiam em direção à sua xaninha.

O carro era grande (Uma SUV) e os vidros bem escuros. Pulamos para o banco de trás e e Vânia já veio tirando a calcinha. Antes dela sentar na minha pica pedi para chupar aquela bocetinha coberta por poucos pelos loirinhos. Chupei, mordi o grelinho, introduzi um dedo, depois dois até enfiar quatro dedos naquela racha melada. Senti o corpo de Vânia dar seus primeiros espasmos, ela iria ter seu sonhado orgasmos e fez isso na minha boca.

A menina gemia, sussurrava e choramingava de emoção. Fui subindo em direção a sua boca e meu pau entrou rapidamente. Sua boceta era quente, apertada e ela apesar de nunca ter gozado antes sabia mexer o corpo como uma puta.

Viramos e deixei seu corpo sobre o meu. Assim meu pau entrou todo. Vânia rebolava na minha rola, eu mamava seus peitinhos deliciosos enquanto um dos dedos penetrava seu cuzinho. Mais um orgasmo! O corpo de Vânia parecia receber pequenas cargas de eletricidade. Cada estocada um espasmo. Coloquei minha futura prima de quatro e comecei a meter por trás. O seu vestido cobria apenas parte do seu corpo e eu delirava com aquela novinha, quase putinha prestes a se casar com meu primo rebolando no meu pau.

Aumentei o ritmo e disse que ia gozar e Vânia pediu para que eu gozasse na boca dela, pois ela não toma remédio e me primo quer logo ter um filho. Saquei a pica melada de mel da sua xaninha e jorrei todo meu esperma na sua garganta. A menina bebeu e depois lambeu todo meu pau.

Ficamos dentro do carro mais uns cinco minutos até que o vendedor veio com algumas sacolas cheias de carne. Recebemos a mercadoria, pagamos a conta e fomos embora. No caminho, paramos perto de um lago para lavarmos o rosto e tirarmos aquele cheiro bom de sexo que estava entranhado em nossas bocas.

Dois dias depois, meu primo se casou com a putinha mais linda de Patos de Minas e provavelmente serão felizes para sempre, pois ele não é observador e ela, bem, ela sabe como não perder uma boa oportunidade.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.