"Os mais excitantes contos eróticos"

 

segredinho de primos


autor: supererotico
publicado em: 05/08/17
categoria: incesto
leituras: 3290
ver notas
Fonte: maior > menor


Sabe aquela fase da juventude, que um buraco no muro deixa de pau duro com tesão e qualquer cena é motivo pra tocar punheta, essa passagem aconteceu nessa fase, com um primo da capital que tem a mesma idade e na ocasião tão viciado e pervertido quanto eu era, Ele sempre vinha nas férias e a gente se divertia muito sempre, mas como estávamos em outra fase o assunto sexo estava em alta pra nos, ele sempre passava uns dias na minha casa e nessa fase a gente sempre tem coisas relacionadas escondidas, revistas porno e tals, como em casa todos dormiam cedo a gente ficava acordado pra ver os filmes de sacanagem da band e claro que os dois se desgraçavam na punheta rsrs, até então cada um na sua , apesar de sempre rolar um sarrinho, um analisando o pau do outro, que um era torto pra ca o outro pra lá e tals.
No gostávamos muito de jogos, sempre era muito disputado qualquer jogo que jogávamos e como a disputa era acirrada sugerimos apostar alguma coisa e ai a sementinha do tesão e da curiosidade brotaram na cena, jogávamos truco e a primeira aposta era que quem perdesse tinha que tocar punheta pro outro por 5 minutos e combinamos que não podia gozar na mão do outro, se fosse era pra avisar pra para, concordamos e fomos pro jogo, ninguém queria pegar no pau do outro né, afinal nenhum dos dois sugeria tendências a desbundar rsrs...
Durante a partida íamos falando de sexo, o que a gente gostava, o que mais pensava quando ia tocar e eu acabei vencendo a primeira e era a hora de pagar, o pau não relaxava em momento nenhum e tirei pra fora tinindo e como não tinha o que fazer ele pegou e foi tocando, fui corrigindo o jeito dele fazer, apesar de estar louco de tesão não deu tempo de chegar no quase gozar e o tempo acabou e claro que ele queria revanche, afinal não ia querer sair da cena só com ele tocando punheta pra outro cacete e com muito trabalho na mão de 11 ele venceu e ai era minha vez de pegar em outro pau, nem imaginava como ia ser, mas como tinha que pagar, ele tirou e eu peguei como pego no meu e ele já pediu pra apertar um pouquinho, ele parecia estar muito empolgado com a brincadeira, quando ele tocou parece que tinha ido tão rápido e eu tocando pra ele parecia que o tempo não passava rsrs.
Bom tava empatado o negocio e tinha que desempatar, ai começamos a negociar o que ia valer, porque a nega tinha que valer mais e então concordamos que quem ganhasse podia passar o pau na bunda do outro por 1 minuto e mais 5 de punheta e que não precisava segurar podia gozar e o outro não podia parar, não era pra tentar enfiar nada no outro mas podia passar o pau a vontade, até na porta do cusinho e na posição que o outro quisesse, e fomos pro jogo e ele ganhou...pqp pense a raiva na hora, mas fazer o que né, vai eu ficar de quatro e o cara tocando punheta e passando a pau no meu rego, aquilo era contra meus princípios mas a sensação não era ruim e meu pau não abaixava por nada e logo o minuto se foi e eu toquei pra ele torcendo pra ele não sujar minha mão e não sujou, ele disse que se tivesse mais um minuto tinha gozado rsrs e agora eu queria revanche e ai ele deu a ideia, que quem ganhasse podia enfiar pelo menos a pontinha na bunda do outro e como estávamos tinindo eu topei e acabei perdendo de novo, ele percebeu que eu fiquei chateado e disse que depois ele tbm ia deixar eu enfiar um pouco nele o que era lucro, afinal eu tinha perdido, mas tava com medo da sensação, medo de ficar com remorso, mas como já tava o trem andando, nos ajeitamos pra cena, vai lá eu de 4 de novo, vi ele lambecando o pau de cuspe, fiz ele tirar quase tudo rsrs disse que assim não valia, que era nojento, mas a intenção era dificultar o máximo, afinal eu tava com medo, ia apertar o que desse pra não deixar entrar, e ele começou a cutucar, forçar e eu la, apertando o que dava e até então tava conseguindo segurar o ímpeto do primo louco querendo me comer, ai ele disse, vamos mudar, senta no meu colo, detalhe, mesmo tenso eu tava de pau duríssimo, ai ele sentou encostado na guarda da cama com a perna aberta e eu segurei na cômoda pra poder controlar meu peso, o que tirava minha mão da jogada, fui abaixando devagar e ele logo me puxou, minha bunda encostou nele tipo apoiando e ele ia me puxando pra baixo forçando e eu fazendo força pra apertar, deu umas escapada e ele disse para de fazer força e eu disse que não tava fazendo kkk, ai ele deu mais uma lubrificadinha de leve sob minha supervisão, tive que concordar, já tava esfolando e ai ele me puxou mais forte um pouco e percebi que o negocio encaixou na porta e ele tava doidão pra por pra dentro e foi me xavecando, vai, não tira, deixa, depois você vai em mim, eu ainda tentando segurar, até que uma atitude dele quebrou minha retranca, ele começou a tocar punheta pra mim, sentado no colo dele com o pau na porta do meu cusinho e mesmo eu apertando parece que a força acabou porque a punheta dele no meu pau tava incrivelmente tesuda, que a hora que percebi o pau dele tinha entrado, e não doeu, na realidade parece que deu mais tesão ainda ele tocando e me comendo, ai como vi que não tinha mais jeito relaxei e ele foi mexendo e tocando pra mim, acredita que gozamos juntos, meu cusinho fazia movimentos involuntários de estrangular o pau dele e meu pau esguichava porra, com um detalhe, gozei um litro e um orgasmo mto intenso e mto longo, fizemos aquela pausa de “foi” e fui saindo devagar, fiquei em pé assustado com o que tinha sentido e ficamos uns minutos em silencio sem olhar um no olho do outro, até que ele disse , vai agora é a sua vez, mas eu disse pra ele que seria mais tarde, que eu tinha gozado muito e depois eu ia querer sim, pra me vingar e então a minha mãe nos cobrou de banho pra jantar, eu fui primeiro e não conseguia para de pensar no que tinha feito, que pra mim era errado, contra meus princípios, mas a sensação que eu tinha sentido já tava exposta no meu pau duro de novo, caralho, parecia que eu ia gozar de novo sem encostar no meu pau, só de lembrar, mas me contive, com o pau duro o tempo todo, mas me segurei pra não tocar uma.
Todos de banho tomado e jantados, estava eu esperando pra resolver a pendencia, tinha que deixar tudo igual, por questão de honra, mas não tirava da cabeça a gozada sensacional que eu tinha sentido, e a noite sugeria, afinal o primo dormia no mesmo quarto que eu, ai como já tava meio extravasado o negocio, imagine o que estava por vir.
Fomos pro quarto e ligamos a tv pro som da tv encobrir as conversas e as artes, ele arrumou o colchão dele no chão e como estava calor ficamos sem camisa e um esperando o outro dar ideia, até que eu disse que ele tava me devendo e ele concordou mas propôs que jogássemos mais valendo outras coisa já sugerindo de chupar, concordei, com medo de perder de novo e ficar mais em desvantagem ainda, só que o fogo tava dominando, o pau não relaxava um minuto e ele já disse que a gente jogaria só pra ver quem ia primeiro e o que um fizesse o outro tinha que fazer depois tbm, beleza, começou outra partida e dessa vez eu ganhei e já fui me preparando pra sentir a boquinha do jaguara no meu pau e ele sem frescura já disse, tira ai, o cacete tava tinindo, ele deu umas 3 tocadinhas e deitou a cabeça na minha barriga e foi enfiando meu pau na boca dele e chupando, pqp, que tesão, ele percebeu e deu uma parada e disse, se você gozar na minha boca eu vou gozar na sua tbm, eu tava quase e como não queria chegar no ponto de sentir porra na boca pedi pra ele parar, ele já parou esfregando as mãos dizendo vai, agora sua vez e pode chupar gostoso igual eu chupei o seu, e vai lá eu, com receio levando a boca na direção da cabeça do pau dele, que era mais curto, só que mais grosso que o meu e a cabeça era mais grossa que o resto, fazia um chapeuzinho, abri a boca e senti o primeiro contato, lisinho, dei uma chupadinha tirando da boca e como já tinha ido fiquei mais a vontade e mamei como gostaria que fizesse no meu, em pouco tempo ele puxou minha cabeça dizendo que quase tinha gozado, senti que saiu um pouco de liquido viscoso na minha boca, pronto, tava os 2 fervendo , tipo não podia encostar que gozava, falamos disso e concordamos em acalmar um pouco pra aquele tesão durar mais, ai sentamos no colchão só de cueca assistindo televisão e logo senti a mão dele no meu pau e pegando minha mão fazendo pegar no pau dele, nos dava umas amassadas no cacete um do outro por cima da cueca e tinha que parar se não gozava, mas ele era atentado, deitava a cabeça no meu colo e mordia meu pau levantava e apelava, tirava o dele pra fora e puxava minha cabeça enfiava na minha boca e já puxava pra cima, os 2 só atiçando, ai eu disse pra sossegar mesmo se não eu ia gozar sem encostar, ai paramos um pouco e até que deu uma acalmadinha, deixamos a temperatura cair um pouco por uns 20 minutos e logo ele sugeriu pra nos tirar a cueca e tiramos, só nessa o pau já tava a mil de novo, eu tava de joelho e ele já deu uma chupada no meu pau e deitou na cama e me puxou pra cima dele naquela posição de cavalgar, pegando no meu pau e puxando pra frente pra dar mais uma chupadinha e logo ele cuspiu na mão e passou no pau dele e o que sobrou no meu rego e foi me empurrando pra sentar no pau dele, primeiro ele fez eu sentar com ele no rego e depois pegou e levantou deixando na portinha e pegou no meu pau tocando bem devagarzinho dando umas mexinhas de leve com o pau na porta do meu cu e aquilo foi dando um tesão que eu fui derretendo e abrindo a bunda e logo eu tava sentado em cima cavalgando e ele tocando, mto louco, porque eu não sabia oque era mais gostoso, rebolar no pau duro dele ou sentir o tesão da punheta dele no pau... explodimos juntos de novo, espirrou porra no rosto dele, ele me puxou e chupou meu pau gozado.
Depois disso cada um deitou no seu lugar e no outro dia nem tocamos no assunto, nem nunca mais , ainda somos bem amigos mas essa historia ficou só na memoria, hoje somos casados e nunca mais falamos disso!
Espero que tenham gostado dessa aventura, deem nota!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.