"Os mais excitantes contos eróticos"


Sexo e ódio.


autor: safadinha69
publicado em: 07/08/17
categoria: hetero
leituras: 1019
ver notas
Fonte: maior > menor


No meu emprego atual havia feito muitos amigos, porém um cara me incomodava. Antipatico, arrogante, mal educado, grosso. Eu nem olhava na cara dele se não fosse por motivo de trabalho!
Pedro(nome fictício) era assistente do meu chefe, então tudo o que eu precisava, em relação ao serviço, tinha que passar pelo Pedro. Pro meu desespero, não eram poucas as vezes que precisava falar com ele! E todas as vezes que esse contato acontecia, ele era sempre muito grosso e arrogante, o que me deixava com nojo dele e eu pensava: "Nem que o Pedro fosse o último homem da face da terra!'
No fim do ano, a empresa fez uma festa de confraternização com bebida a vontade.
Bebi bastante, me diverti horrores, até o fim da festa. Quando a festa terminou o pessoal da empresa resolveu continuar a resenha em um buteco próximo a empresa. Chegando lá bebemos mais um pouco. Devido a bebedeira, minha bexiga estava cheia. O banheiro ficava no fundo daquele "pé sujo".
Entrei no banheiro e quando fui fechar a porta, senti que havia alguém empurrando pra entrar!

(Eu)

-Ei, tem gente.

Pro meu desprazer (ou não rsrsrs) quem estava empurrando a porta?

(Pedro)

-Eu sei, por isso quero entrar junto.

Eu estava zonza pela bebida e com as pernas bambas o que não dificultou que ele entrasse no banheiro.

(Eu)

-Você só pode estar ficando louco, eu não vou ficar com você aqui dentro. Já não basta ter que te aturar na empresa o dia todo?

Já tentando sair daquele banheiro minúsculo.
Sem dizer nada, Pedro simplesmente me agarrou e começou a me beijar, levantar minha blusa e passar a mão na minha buceta por cima da calça. No começo eu resisti, porém aquele cara arrogante e mal educado estava se mostrando um cara carinhoso, apesar das circunstâncias. Eu comecei a me render a ele, mas não podia acreditar que estava fazendo aquilo. Minha cabeça dizia que não era certo, mas meu corpo estava totalmente entregue.
Quando dei por mim eu estava de joelhos e com o pau do cara que eu mais odiava na empresa, na boca. Chupando loucamente. Ao mesmo tempo que ele era bruto, ele era apaixonante e carinhoso.
Me virou de costas, apoiei as mãos no vaso sanitário, ele desceu minhas calças até o joelho, minha calcinha desceu junto e começou a meter gostoso. Constantemente batiam na porta e eu gritava:

-Tem gente!

Aquilo era extremamente excitante. Tinha gente do lado de fora ouvindo nossos gemidos, os tapas que ele dava na minha bunda e chegava a fazer eco dentro do banheiro. O som alto do lado de fora não deixava que o bar inteiro ouvisse o que acontecia lá dentro, mas quem estava na porta esperando ouvia com nitidez.

Perdi o pudor de vez e comecei a falar em voz alta:

(Eu)

-Mete com força filho da puta. Não acredito que estou dando pra você.

(Pedro)

-Goza na minha pica vadia. Adoro essa sua marra.

Com estocadas fortes e um sexo selvagem, gozamos juntos naquele banheiro nojento! Rsrsrsrs

Nos ajeitamos e saímos do banheiro. A fila estava enorme e todas aquelas pessoas ficaram olhando, com inveja, a gente sair suado daquele minúsculo banheiro!

Daquele dia em diante transamos muitas vezes! Nos tornamos amigos, confidentes e amantes!
E foi aí que eu entendi o significado de:
"Amor e ódio andam juntos!"

Espero que gostem do meu conto. Não esqueçam de deixar seu voto e sua opinião no site! São muito importantes pra mim!

Me escrevam:
safadinha69692017@gmail.com

Beijos molhados.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.