"Os mais excitantes contos eróticos"


Comi minhã irmã que vi crescer.


autor: Resgro
publicado em: 15/08/17
categoria: hetero
leituras: 2136
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá, meu nome é "Resgro", tenho hoje 30 anos e sou casado, sou branquinho baixo apenas 1,65m e magro 63k, esse conto é verídico, e nunca imaginaria que tal coisa poderia acontecer na minha vida.
Vivia com minha mãe e 3 irmãs, ela era separada, quando conheceu um senhor e resolveram se casar, ele tinha mais três filhos, sendo duas meninas: uma de 7 anos e a outra de 12 e menino 6.
Era nessa época tinha 17 anos e com os hormônios a flor da pele, mas via apenas duas crianças nelas. Mas o tempo foi passando e nos dávamos bem, porém eu sempre fui muito tímido e quase não tinha contatos com meu irmão de criação, assim de conversar. apenas coisas básicas do dia a dia.
Os filhos do meu padrasto resolveram ir para a casa da mãe deles, que morava no Pará, nessa época a de 7 anos já estava com 12, e assim aconteceu a mudança.
O tempo passou, a filha dele mais velha casou no Pará logo cedo, os outros dois, resolveram vim passar umas férias com o pai, nessa época a garota já estava com 16 anos, e eu trabalhava e fazia curso técnico a noite, então sia logo cedo pela manhã e só retornava tarde da noite.
Até que uma certa noite ao chega em casa me deparo com aquela garota no terraço de casa, logo reconheço, falo com ela e entro, mas fico supresso como havia mudado: Estava com mais ou menos 1,65m uns 52k, peitos volumosos e arredondados, cabelos lisos acimas dos ombros, short super curto e apertado, estava se tornando um mulherão.
Eu muito sério, fingi não notar nada e segui normal, mas converso que a partir daquele momento comecei a desejar muito aquela menina, mas me contive pois estava em casa, e de certa forma era minha irmã, mas seriam muitos dias de tortura até ela voltar para o Pará.
Uma certa sexta, minha mãe, meu padrasto e uma das minhas irmãs fizeram uma viagem e voltariam apenas no domingo, logo cedo no sábado estava tomando café na mesa de jantar, quando ela saiu do quarto, com um baby-doll transparente e super curto e foi até a área de serviço da casa, fiquei só olhando de canto de olho, e meu pau endureceu como um aço. Nesse dia, a minha outra irmã já tinha saído para o trabalho, e a mais velha já tinha sua casa, e o irmão dela, tinha saindo para ver alguns do antigos amigo, então estava somente nós dois em casa. Não demora muito, ela retorna da área de serviço com a toalha no ombro e entra no quarto e fecha a porta, logo veio na minha mente que pelo corredor externo dava acesso a janela do quarto e tinha um fresta, com muito tesão, corri na ponta do pé e fui bisbilhotar, ao colocar os olhos na fresta, percebi que ela já havia entrado no banheiro e deixou a porta aberta, mas não dava para mim olhar ela, pois o box do banheiro tirava minha visão, então coloquei meu pau para fora e comecei a punheta-lo, iria esperar o momento que ela saísse do banho, quem sabe daria sorte e olharia aquela garota super gostosa. Ela demorou bastante (acredito que deve ter se masturbado no banho), meia hora depois ela saiu e para minha sorte, completamente pelada com a tolha no cabelo, dava de ver tudo, uma linda bucetinha lisinha, com clitóris avantajado, muito raspadinha, sem evidencia de pêlos algum, uma bundinha pequena e redonda, peito grande e super inchados, que gostosa, fui a loucura e de imediato gozei... mas continuei a observar ela se vestindo.
Pela tarde por volta de umas 15hs, mas uma vez seu irmão saiu, ficamos novamente sós, estava na mesinha do pc estudando, então ela passou para a sala, estava de mine saia roda rosa e uma blusinha. Logo me bateu o tesão e fica desinquieto, resolvi ir na cozinha tomar água, pois na passagem poderia ver ela na sala, assim fiz, quando passei ela estava deitada no sofá de bruços, com a bundinha empinadinha de costa, a sainha curta, quase a amostra a polpa da sua bundinha, não resisti, me escondi por traz da parede, e canto de olho ficava olhando para ela, torcendo para se mexer e eu ver um pouco mais, o volume da sua calcinha, e ao mesmo tempo com o pau na minha mão, me masturbando, mas tudo que pude ver naquele momento, foi somente ela estirada super gostosa no sofá, fiquei olhando até gozar e voltei a estudar.
Bem, aqueles dias foram tortuosos para mim, converso que bisbilhotava demais ela pelada e me masturbava, até que um dia, acordei para ir trabalhar, acordava por volta das 5hs da manhã, sai e todos ainda ficava dormindo. Na nossa casa havia apenas 2 banheiros, sendo que um no quarto das minhas irmãs, onde ela estava dormindo, e o outro não tinha água no chuveiro, então iria tomar banho no quarto, ao entra ainda escuro, ela dormia em uma rede armada bem na passagem, ela estava descoberta, usava um short fino pequenino preto e uma blusinha fina e transparente, fiquei doido, cheguei bem perto e resolvi olhar mais perto, a posição a qual estava, deixa a bucetinha a amostra, pela perna do short folgado, resolvi me masturbar ali mesmo olhando, pois todos dormia e estava meio escuro, coloquei o pau para fora e comecei a punhetar, a bokinha dela estava muito linda, e fiquei com muito tesão, resolvi passar meu pau duro na boca dela, e punhetava, com o movimento ela acabou acordando, de imediato fingi que ia passar para banhar e segui caminho, ela meio sonolenta não percebeu e voltou a dormir. Daquele dia em diante, aquilo para mim se tornou rotinha, fazia a mesma coisa as manhãs, as vezes ela acordava e eu corria para o banheiro, outras não, e eu gozava em sua boca.
Meu dia de sorte, mais uma sábado e estávamos só nos dois em casa, e ela resolveu tomar banho, era uma 9 horas da manhã, nesse dia, a caixa de água não tinha enchido, então ela foi tomar banho no tanque do quintal, ao ir para o quintal com a tolha no ombro, passou por mim, e ao sair na porta, fechou a portão de grade, que tinha chapa a meia altura, fiquei louco e queria ver tudo, corri pelo corredor que também dava acesso ao quintal e fiquei agachado por traz de um vaso de planas, ela já estava pelada tomando banho, coloquei o pau para fora e dar-lhe punheta, ela se agachou no tanque e pensando que ninguém estava lhe observando começou a esfregar sua bucetinha linda e suspirava de olhos fechados, eu queria ir la, tinha certeza que era minha melhor chance, ela me daria aquela buceta, mais minha timidez não deixou, e contentei em ver e gozar de longe.
As férias acabaram e pro meu azar aquelas fantasias todas que eu estava vivendo estavam chegando ao fim, ela voltou para o Pará.....
Bem, essa história não acaba assim.
Continuação:
Então, quem leu o primeiro sabe que meus dias de alegria acabaram, minha maninha acabou voltando para o Pará, mas daí tudo bem, o tempo acabou passando até que um certo dia como de costume chegava no meu trabalho ligava meu computar e entrava nas minhas redes sociais, ver que tinha acontecido, dar likes e etc antes de realmente começar o dia de trabalho, foi ai que vi minha irmazinha em uma publicação de uma amigo (gente até então eu não tinha as redes sociais dela e nem seu contato) de imediato lhe encaminhei um convite e para minha surpresa apesar de cedo, antes das 6 da manhã, ela já aceitou. Nesse ato vi a oportunidade de puxar conversa, mandei logo uma mensagem no in box:
_Olha, acordada hora!
_Sim, estou... Na verdade ainda nem dormi.
_Sério! Aconteceu alguma coisa?
_. Aconteceu. Aconteceu tudo de bom, estava em uma festa, ainda nem voltei para casa.
_Nossaaaaaaa..... não sabia que gostava de festas assim, mas que bom, precisamos nos divertir um pouco de vez enquanto.
_Pois é, gosto mesmo, tá pensando que é só você (uma risadinha).
E asssim, nesse dia passamos o dia todo conversando, em intervalos intercalados de acordo com a minha disponibilidade de poder responder, sei que após chegar da faculdades entre 23hs ainda estávamos conversando. Na verdade, apesar do tempo de convívio era a primeira vez que conversamos assuntos pessoais, do dia a dia, e claro que ela achou estranho, pois eu era muito calado, mas falei que era meu jeito de ser, mas que gostava bastante de conversar, só que com pessoas que eu tinha uma certa intimidade.
Desse dia em diante começamos a nos falar todos os dias, e estávamos ficando cada vez mais íntimos e começamos a nos fazer perguntas bem pessoas:
_E ai, deve ter um monte de carinha ai no Pará afim de você, tá namorando?
_(risos) Tem sim, mas não to namorando com ninguém, na verdade só gosto de me divertir.
Para um bom entendedor, ela disse tudo, mas eu não poderia cair matando, afinal de contas era minha irmã de criação e eu convivia com o pai dela na mesma casa, não poderia entrar errado, fui comendo pelas beiradas.
_você mudou muito, fiquei muito supresso quando te vi aqui em casa, supresso positivamente, claro!
_(risos) Mudei muito mesmo, eu era horrível, só osso, e você não olhava nem pra mim, agora está até me dizendo que estou bonita indiretamente!
_Olhar, eu olhava, não você era uma criança, não tinha como eu te ver como vejo hoje.
_E como me ver hoje?
_Ah não sei se posso falar, acho melhor guardar só para mim.
_ahm! já começou meu filho, termine!
_Então tah! Pô, te achei maior gostosa, seu corpo está muito lindo, seu comportamento, é diferente, está mulher, e nossa aqueles dias que você passou lá em casa, foram super torturantes para mim, sabia?!!!
_Sério, Porque?
_Hora, ter que toda noite te ver no sofá deitada naqueles seus baby-doll super sex, pequenininhos, transparentes, eu ficava doido, afinal de contas sou homem!
Ela disse que estava assustada, que não era a intensão dela me provocar, apenas gostava de ficar à vontade, pois sentia muito calor, e se que na verdade, era gostava de dormir mesmo era pelada, só na dormia assim, por causa das minhas irmãs, por está dividindo o mesmo quarto. Daí aprofundei o assunto para o lado mais picante e disse que, eu que iria dar muita sorte, pois toda manhã quando fosse tomar banho, iria poder ver ela peladinha. Com isso, ela me disse que estava rindo muito, pois estava lembrando que toda vez que eu ia tomar banho pela manhã, eu ficava passando a mão nela, e quando ela acordava eu saia correndo para o banheiro, e falou para mim:
_Cara, tu é muito medrosooooooooo!!!
É, realmente isso acontecia, eu era bem medroso, mais imaginem, minha mãe e meu padrasto no quarto do lado, e minhas duas irmãs no mesmo quarto, e ela acorda e me acha passando a mão nela, como iria ficar minha situação? Expliquei a ela.
Ela disse que me entendia, era complicado, mais que se eu ficasse, ela não iria fazer nada disso, apenas aproveitar, pois adorava meus dedos nas partes dela.
Daí o assunto já foi ficando mais íntimo de verdade, e perdemos completamente o pudor, e falei para ela, que meu maior desejo dos últimos tempos era de comer ela, não para de pensar nela, tocava punheta toda hora pensando nela, em está fudendo ela. Falei assim de forma bem grosseira, e ela adorou o jeito, disse que se eu tivesse pedido, ela teria me dado, que ela gosta muito de se divertir, queria ver muito minha cara comendo ela, pois sou bem tímido, e isso deixava ela excitada.
Sei que o tempo foi passando e os papos eram muitos quentes, começamos a trocar nudes e tal e eu queria muito comer aquela garota, até que tive uma ideia, sugeri a ela passamos um fim de semana em uma cidade próxima a dela, eu pagava tudo, hotel, passagem e custo, ela aceitou, mas acabou não rolando, pois ainda era menor de idade, era ruim viajar assim, ainda estava com 17 anos, mas já era mês de maio, e ela disse que iria dar um jeito de passar as férias com o pai dela outra vez, daí poderíamos aproveitar, assim ficou combinado.
Eu mal podia esperar chegar logo julho, super ansioso, mas o tempo passou, e ela veio de férias outra vez, nessa época já tinha comprado um AP e morava sozinho, não mais na casa do pai dela e da minha mãe, e ela não ficou lá, resolveu ficar com uma amiga, então marcamos, ela chegou em uma sexta a noite, e resolvemos nos encontrar no sábado a tarde, marquei as 15hs.
O ponto de encontro foi no próprio bairro, mais teria que ser algo bem discreto, pois eramos conhecidos por quase todos dali, fui a um barzinho meu escondi e cheguei por volta das 14hs e fui tomando um chop para esquentar e claro, eu perder qualquer timidez, e um detalhe quando tomo umas 2 cervejinhas antes de uma foda, consigo ir muito longe sem gozar, era uma tática que usava, afinal de contas, esperei tantos anos por esse momento, teria que aproveitar o máximo possível.
Outra dificuldade, era como ir para o motel, na época eu não tinha carro, e outro detalhe é que o pai dela é taxista, e nessa época, eu trabalhava no táxi aos fns de semana para levantar uma grana extra, ou seja, conhecíamos quase todos os taxista, e se chamar e a operadora mandar alguém que nos conhece, como vamos chegar no motel, foi então que liguei para o parceiro meu, e disse que estava com uma gata, queria ir no motel, se poderia me levar, ele aceitou, levar e no horário marcado nos buscar e assim foi.
Quando ela chegou no barzinho, nossa eu não acredita, ela estava ainda mais gostosa, se com 16 anos já estava um mulherão, imaginem 1 ano depois, já estava mais alta que eu, os peitos nossa, maiores, a bundinha continuava pequenininha, mais bem redonda, bem magra, mas com pernas grosas e aquela barriguinhas parecendo uma tábua, cintura tão fica, que consegui fechar minhas duas mãos... ela chegou em um topizinho, com barriguinha de fora, short jeans curto, e sandalinha rasteira, sem maquiagem, apenas batom leve, pirei, ela sentou com uma risadinha safada no rosto e disse, e ai vamos. Expliquei do meu colega, iria nos levar e esperar um pouco ele, mais ele chegou na mesma hora, estava por perto.
Quando chegamos no motel, estávamos muito tímidos, afinal de contas éramos dois "irmãos" eu mais que ela, então ela resolveu tomar iniciativa e me perguntou:
_Tem alguma fansinha que você tem? Claro, além de querer me comer!
_Tenho sim, várias....
_Me diz uma ai, quem sabe posso realizar.
_Ah, tem uma, várias garotas que fiquei já tentaram, mas até agora nenhuma consegui e queria muito que isso acontecesse.
_o Que? Me diz.
_Me chupar até eu conseguir gozar na boquinha, mas apenas usando a bokinha e as mãos.
_Vou adorar esse desafio, aposto que já já você vai encher minha boka de leitinho.
Estávamos deitados na cama conversando, então ela sentou na minha frente, tirou a blusa, o short e ficou só de calcinha, e partiu para mim, tirou minha camisa, minha bermuda, apertou meu pau por cima da cueca, e deitou bem perto dele, puxou minha cueca até sair pelos pés, segurou meu pau com uma mão e começou a lamber a cabeça dele, passou vários minutos assim, apenas lambendo, até que começou a engolir tudo, não deixava nada de fora, apenas as bolas, e de vez em quando chupava também minhas bolas, eu ia a loucura, estava muito gostoso, ela me punhetava com uma mão e depois colocava o pau na boka e chupava, batia com ele em sua cara, sei que já estava com quase meia hora nisso e nada, sentia prazer, mas nada de gozar, então falei para ela:
_sinto muito, mas você perdeu o desafio.
Deitei ela na cama e sentei em cima dela, bem na barriguinha, comecei a tocar uma punheta com meu pau encima da cara dela, com uma mão me punhetava e a outra apalpava seus lindos seios duros e grandes, e ela com a carinha mias safada, de boka aperta, linguinha de fora e os bem arregalados olhando tudo. Então veio aquela sensação, o leitinho quente estava chegando, punhetei forte e coloquei na cara dela, nossa era gala acumulada a muitos anos pela aquela garota, banhei ela de porra, e ela limpou todo seu rosto com os dedos e colocou a porra na boca e engoliu tudo, até não ter mais nada em seu rosto.
então disse para ele que precisaria de um pouco tempo para me recompor, mais que iria fazer algo para não perder esse tempo, baixei minha nos seios delas e comecei a chupar loucamente, passava a minha língua dando volta no biquinho, e mordisca, ela segurava com as duas mãos minha cabeça, fui descendo pela barriguinha até chegar em sua xana, e caiu a língua nessa, a chupava demais, aquele grelinho, quantas punhetas batidas por ele, e agora eu lá, de boka.
Do nada ela começou a rir, eu sem entender nada me desconcentrei e perguntei:
_Que foi? Não estou fazendo certo?
_Não é isso, está muito bom, é que olhei para sua cara, de boka na minha buceta e deu vontade de rir, nunca imaginei que pudesse fazer isso em mim!
Eu também não, apesar de desejar muito ela, tocar altas punhetas olhando ela nua, mas não imaginava que era tão putinha, e que gostava tanto assim de se divertir. Sei que ficamos horas nessa putaria, depois de deixar a bucetinha dela super inchada de tanto eu chupar, parecia uma pimenta de tão vermelha que estava, era hora de dar um trato com o meu cacete. Então deitei e pedi que sentasse encima de mim, e mesmo com ela em cima, eu estava com o controle de tudo, e fiquei metendo ali naquela buceta quentinha e molhando por vários minutos, e abraçava bem forte, sentia seu peitos quentes e grandes no meu corpo, apalpava sua bundinha com muita força e ela gemia demais, só que bem baixinho no meu ouvido, muito ofegante, então resolvi eu ficar encima dela, coloquei tudo dentro dela, e deixei todo o peso do meu corpo sobre o dela, e metia bem lentamente, mas com uma certa força de friquição, aquela foda estava muito boa, beijava sua boka, tirava a língua dela com a miinha e a chupara, e por fim a coloquei de 4 e metia da mesma forma, devagar, mas sem deixa os nossos corpos perderem o contanto, sempre bem abraçadinhos até que gozei...
Conversamos por mais uns 20 min, meu pai ficou duro e demos mais uma, a saideira... banhamos e fomos embora, depois no whats ela me chamou, disse que tinha adorado, que sempre fez sexo selvagem e dominadora, mas que tinha sido muito gostoso da forma que fiz, tinha sido muito romântico e cuidadoso, que tinha gozado muito. Eu então disse, que teríamos que marcar um selvagem, pois eu também curtia... Daí em diante começamos nos "comer" de vez enquanto, ainda mais depois que ela voltou para a cidade, sempre que dar, damos uma fodazinha, sempre do mesmo jeito, apenas um pouco de diversão.
Ah, no meio das nossas famílias, quase não nos falamos, mal nos cumprimentamos, falamos apenas "oi" um para outro, quase como dois desconhecidos, ninguém se quer imagina o quanto já aprontamos juntos kkkk




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.