"Os mais excitantes contos eróticos"


MINHA MARIANA EMBAIXO DE OUTRO.


autor: Historiando
publicado em: 01/09/17
categoria: traição
leituras: 2276
ver notas
Fonte: maior > menor


Sou o Edu e sou casado com a Mariana, que tem 35 anos, pele branca, olhos castanhos claros, uma bunda arrebitada, seios grandes e firmes, lindas pernas, enfim uma mulher linda e gostosa.

Eu tenho 42 e me cuido, mas mesmo me cuidando, não chego perto da forma de Mariana, e peguei a doença, “que de uns tempos pra cá se espalhou pelo mundo”, a vontade de ser corno, e comecei com aquelas conversas que vocês já conhecem,” queria ver essa buceta em outro pau, pra quantos caras, você já deu, queria assistir você com outro” e Mariane sempre saindo fora da conversa.

Acontece que quando éramos jovens, Mariane tinha fama de “saidinha”, ou seja, não dispensava um ficante, e não escondia de ninguém que transava com todos eles.

E ela me dizia: se fosse você parava com isso, vai que eu me animo, e eu torcendo para que isso acontecesse.

Então, Mariana recebeu um convite para um encontro de ex-alunos da faculdade e me convidou, disse que queria rever seus amigos e amigas e lá fomos nós.

A festa estava animada e fui conhecendo seus amigos, quase todos casados e Mariana muito feliz, estava soltinha, bem a vontade.

E observei, que um de seus amigos, estava, a todo momento, dizendo coisas em seus ouvidos, e ela ria muito, comecei a pensar besteira, o que será que ele está dizendo? , porque ela está tão feliz?

E a festa foi rolando, até que chegou a hora de ir, nos despedimos dos poucos que ainda restavam na festa e fomos, no caminho, Mariana, muito alegre pelas tantas doses que tomou, pra lá de animada me dizia: adorei rever o Maurício, que de todos os meus amigos, era o que eu tinha mais saudade, e eu perguntei: porque tanta saudade? Mariana me responde com um sorriso maroto, se eu falar você pode não gostar, e eu já meio que sabendo do que se tratava dei corda, pode falar, somos adultos e seja lá o que for, já passou; Mariana então põe a mão em meu braço e rindo me diz: O maior pau que eu já vi.

Nesse momento, só com seu comentário, meu pau deu um pulo dentro da calça, e eu não querendo deixar passar a oportunidade, pergunto como você sabe? E ela responde já experimentei e gozei muito, mas fiquei toda ardida, minha xaninha ficou vermelhinha e inchada, e dava risinhos baixinhos, então perguntei em tom de brincadeira, era maior que o meu? E ela, é claro amor, quase duas vezes maior, porra ouvindo aquilo me assustei, pois me considerava bem dotado com meus 16 cm., e continuo: como você aguentou, e ela disse: o meu tesão era muito maior , que o pau dele.

E com essa conversa, dando corda pra Mariana, fui despertando a putinha dentro dela, a putinha da juventude.

E mal sabia eu, o quanto me arrependeria, pois o que veio nos dias seguintes, apesar de ser o meu sonho, quase acabou com nosso casamento.

Mariana, embalada pelos drinks, tinha convidado o Maurício, para jantar em nossa casa, no final de semana, e sábado de manhã me comunicou da visita, eu muito animado, sai e comprei, champanhe, cerveja, queijos e etc . . .

Chegando a noite, nos preparamos e Mariana caprichou, apareceu em um lindo vestido, que realçava sua cintura e seus grandes e firmes seios, e suas pernas lindas, dispensavam uso de meias, enfim estava perfeita, e ai começou o meu tormento, pensei pra que tanto esmero, para um simples encontro casual ?

A campainha toca e ela abre um sorriso e depressa abre a porta e então ele a abraça e beija seu rosto, enquanto acaricia suas costas, “porra que sujeito folgado” e se dirigem a mim, nos cumprimentamos e sentamos no sofá, eu de um lado, ele de outro e a linda e animada Mariana no meio.

Conversamos vários assuntos e então Mariana se levanta para preparar os petiscos, e o filho da puta, olha minha Mariana de cima a baixo, pode? vira pra mim e diz, ela esta ainda mais linda; quase ponho aquele safado pra fora da minha casa.

Mariana coloca tudo na mesa de centro e nos servimos, Mauricio, sempre sorrindo, é muito falante e os dois conversam e riem muito, eu só observo.

De repente Mariana, já alegrinha, diz para o Maurício que tinha me contado sobre seu “segredo”, e o safado ri e diz que ela estava exagerando, que ele era um homem como todos os outros, e eu obviamente não estava gostando do rumo da conversa, vontade de ser corno é uma coisa, ser é outra bem diferente.

Nós todos já estávamos um tanto altos e Maurício põe as mãos sobre o joelho de Mariana, e ela coloca a sua, sobre a dele e puxa mais pra cima, levando junto seu vestido, deixando assim suas coxas à vista, estava começando meu sofrimento.

Ele, com as mãos em suas coxas, a beija no pescoço e sobe as mãos até seus seios e aperta, e com esse movimento ele se vira de lado e encosta seu pau nas pernas de Mariana e se esfrega, ela por sua vez encolhe uma das pernas e põe sobre o corpo dele, o abraça e começam o amasso.

E eu ali, sentado observando, mas ao contrário do que pensava não estava com tesão, estava era com ciúmes da minha Mariana, sendo “degustada” por aquele insolente.

E ele, cada vez mais audacioso, se levanta e fica de frente pra ela, em pé, e ela toca por cima do tecido, em seu pau, meu coração dispara, ela abre seu zíper e coloca a mão dentro de sua calça e quando tira, traz com sigo aquele imenso cassete, que não estava totalmente duro, mas já era do maior que o meu, me olha e diz: não falei que era exagerado? e aproxima seus lábios daquele mastro, à sua frete e lambe a cabeça e vai descendo até o saco e chupa uma de suas bolas.

Puta que pariu, esse negócio de ser corno dói, minha esposa, linda, minha Mariana chupando outro pau e na minha frente, e eu ali parado sem saber o que fazer, queria dar uma porrada naquele filho da puta, mas foi eu que incentivei minha esposa a fazer aquilo, e agora não podia fazer mais nada.

Tento argumentar e Maurício me corta, fica na sua, que Mariana já me contou seu desejo de ser corno, relaxa e aprende a fuder uma mulher direito, é só observar. E começa a desabotoar a camisa e a tira, seu peito era másculo, e seus braços fortes, não escondia que malhava, então desce a calça e junto a cueca, sapatos e meias, aquele demônio estava totalmente nu diante de minha linda e casta esposa, e eu sem ação.

Depois de ficar nu, ele a levanta e tira sue vestido e beija, lambe, morde seu pescoço, e não se contenta, então beija seus lindos e fartos seios, ela diz palavras pra ele, bem baixinho, ouvi pouco, algo como: que saudade, foi aí que comecei a sentir um aperto no peito e começou a doer.

Ali estavam os dois, ele agora soltou seu sutiã e apertava um de seus seios, o outro ele chupava, e ela com a cabeça jogada pra traz se entregava a ele, então Maurício se abaixa e tira sua calcinha, e lá estava minha mulher nua à mercê daquele comedor.

Mariana pega ele pelas mãos e saem, ela na frente e ele acompanhando e com certeza ele olhava para aquela bunda branquinha e linda de Mariana, e eu totalmente sem ação ouço a ordem do Maurício: vem corno, e submisso vou atrás.

Chegando ao quarto, ele senta Mariana na cama e fica em pé, a sua frente e ela continua o boquete, desta vez, após abocanhar aquela vara, que parecia ser o pau de um ator pornô, Maurício segura sua cabeça com as duas mãos e começa um vai e vem na boquinha dela, e ouço sons de engasgo, ele estava enfiando fundo, foi quando , fudendo a boca dela ele me olha e sorri, aquele sorriso de vitóri; e aí é que acontece a mágica do corno, minha esposa sendo fudida pela boca, por um estranho, pelo menos para mim, isso por si só já dá um tesão imenso, mas quando o comedor olha e te Humilha parece que o tesão aumenta.

Ele então a empurra, com carinho, para cima da cama, e ela se deita de bucetinha pra cima, e foi a vez dele passear com a língua pela xaninha dela, e ela se abriu toda e começou a gemer muito: aiii meu tesudo, assim me chhuuuppa, minha buceta é sua, me usa meu macho, que saudade dessa pegada, aaiiiiiiiiiiiiiii não enfia a língua que eu gozo, e rebolava muito, jogando o quadril pra frente, parecendo querer ser fudida pela aquele língua e eu ouvindo aquilo, imagina.

De repente ele para e á vira, colocando-a de quatro, e lambi sua bucetinha nesta posição, Mariana, quase resga o lençol com as unhas de tanto tesão, então ele apela e lambi seu reguinho e para no cuzinho, Mariana pira: que delícia, que linguinha quente, aaaiiii assim enfia, mostra pro Edú como se chupa uma bunda, aaaiii é muito bom, e empurra a bunda para traz. É realmente ele estava dando um show de preliminar em minha gata .

Maurício, aproveitando, Mariana naquela posição, fica de joelhos atrás dela e pincela o pau no seu grelo, e ela grita de tesão, e ele posiciona a cabeça da pica na entrada de sua bucetinha e começa a penetração , foi duro assistir aquilo e ao mesmo tempo delicioso, minha esposa, de quatro como uma cadelinha, com um macho dotado atrás dela pronto para invadi-la e ele começa a forçar e a cabeça entra, Mariana dá um gritinho, Maurício empurra, centímetro por centímetro, bem devagar e ela delira: aaaaaaaaaaaiiiiiiiiii, gostoso, que pausão, está me arrombando, vai mete tudo, me entrega toda larga e assada pra esse corno, olha Edú o que ele esta fazendo com sua espozinha, olha como se fode uma mulher aaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiii, era Maurício começando um vai e vem que a levaria a loucura.

Ele agora socava forte nela, que estava tremendo e suando de tanto prazer, e eu ouvindo aquele barulho sleft,esleft, esleft toda vez que sua virilha batia em sua bunda, ele agora, com uma mão pega em seus cabelos e com a outra desfere fortes tapas em sua bunda, a cada tapa ela dava um grito: uuuuuuuuuuuuuii i malvado, assim me bate, aaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiii deixa minha bunda vermelha e minha bucetinha inchada me arromba aaaaaaaaaaiiiiiii.

Olha que em nossas fodas, Mariana é fogosa, mas nada parecido com aquilo, não sei se pela saudade do amigo, ou pela situação de estar sendo fudida enquanto eu a observava, ou se era pelo tamanho daquela tora, não sei, só sei que ela estava alucinada e eu, cheio de ciúmes, mas de pau pra lá de duro, assistindo.

Maurício sai de dentro dela e desce da cama, se posicionando à beira da cama e bate com o caralho em sua cara, não sabia de quem era a situação mais humilhante, a dela na posição de brinquedo dele ou a minha de ver como ele conseguia deixar minha esposa tão putinha, á ponto de levar uma surra de pica na cara e parecer adorar. Aperto meu pau.

Agora ele deita em cima dela e a penetra de novo, desta vez com força extrema, a cada estocada, os seios de Mariana quase batiam em seu queijo, era muita pressão, Mauríco era implacável e ficou asiism por um longo tempo, e ela mexia o quadril em direção a sua pica, e gritando começou a falar: vou gozaaarrrrrrrr aassiim me arromba, acaba comigo e ele socando cada vez mais forte nela; me olha e humilha, é assim que ela gosta, vou fazê-la gozar como nos velhos tempos de faculdade, fica olhando sua puta desmaiar de tesão e falando isso aumentou seu ritmo ainda mais, Mariana não resiste e grita: aaaaaaasssssssssssiiiim eeestou gozando com seu pintão, que delícia, olha Edú, aaaaaaaaiiiiiii, aasasssimm, uuuuuuuuuuiiiiiiiiiii, sssssssssssssssss, e foi ficando molinha e meio que apagou, parecia uma boneca de pano, embaixo daquele homem, que não parava, de repente ele se levanta e goza em cima dela e, puta que pariu quanta porra, sujou toda sua barriga e espirrou porra no pescoço dela, então veio a ordem, limpa ela, então pensei sou corno, mas não viado?

Nessa hora o tesão falou mais auto e não titubiei, fui até a cama e comecei a beijar e lamber seu corpo sujo da porra daquele macho, que a deixou exausta de tanto meter, era o mínimo que poderia fazer, depois do prazer que ele proporcionou a ela, e a limpei todinha era a primeira vez que sentia gosto de porra, e quer saber foi delicioso eu lambia e ela se contorcia, dizendo , tá gostoso amor, e eu respondo, sim faço tudo o que vocês pedirem, estou aqui pra isso, te preparar pra ele.

Os dois se deitam, ela com a cabeça em seus braços, e eu sentado na minha cadeira, olhando os dois curtindo aquela lombeira que dá depois que agente goza, Mauricio vira o corpo de Mariana com as costas para mim e abre sua bunda, com um das mãos e com a outra passa seu dedo no rego da bundinha dela e acha o cuzinho, aí ele começa a fazer movimentos giratórios em seu rabinho e ela tenta fugir, ele enfia a ponta do dedo e ela aaaaiii , já vai começar meu cachorrão? E ele enfia mais um pouco, e mais, e seu dedo sumiu no cuzinho dela, ele tira e põe, e a cada movimento ela geme e joga o corpo pra frente, de repente ele para com a metade do dedo e a safada empurra a bunda pra traz, estava se acostumando, então Maurício me olha e ordena: pega um tubo que esta em meu bolso. Eu pergunto : o que é. E ele, não é da sua conta, obedece. Como um serviçal, vou até suas roupas e acho o tubo de KY e entrego em suas mãos, e penso: o que estou fazendo, esse animal vai comer a bunda de minha esposa, e eu estou facilitando? Maurício unta dois dedos e começa a sodomizar minha esposa, enfiando dois dedos em seu rabo, de uma só vez, ela grita aaaaaaaaaaaaaaaiiii devagar amor, sabe que assim não gosto.

Filha da puta, assim ela não gostava e de outro jeito?

Maurício faz um vai me vem com os dois dedos em seu cu, e a minha putinha rebola, ele se levanta e de joelhos na cama se posiciona atrás dela e pega no pausão e pincela seu rego.

Nessa hora eu interfiro, não ela não faz anal, pode tudo menos isso, ele ri da minha cara e diz: não pode pra você, pra mim, pro Marcão e o Dedé ela sempre deu, e quer saber goza muito. Que safada comigo era só o básico, com seus namorados podia tudo.

Ele então à segura pela lateral da bunda e aponta seu caralho na portinha do cuzinho e empurra, Mariana grita: aaaaaiiiiiiiiiiiiii puto, devagar, faz tempo que não faço, e ele põe mais um pouco, e ela: nnnnããããooooo tá doendo, e a cada súplica dela, ele a penetrava mais um pouco, em nova estocada dele, ela gritou: Ppppaaaaaaarrrrrrrraaa e ele em resposta desferiu um forte tapa em suas nádegas, a ponto dela aumentar o volume dos gritos AAAAAAAAIIIIIIIIII ASSIM nnnÃÃÃOOOO eu não aguento, e nessa hora eu me levanto em direção aquele estuprador de bundinha de esposa alheia, decidido a dá-lhe uma porrada, então ele diz: fica tranquilo, na faculdade fazíamos dupla penetração nela, ela está de dengo pela sua presença. E enquanto falava comigo, penetrou todo aquele caralho monstruoso nela, que chorava baixinho, mas rebolava.

O que fazer? Ela chorava, dava pra ver as lágrimas em seus olhos, mas ao mesmo tempo rebolava a bunda em sua piroca, e agora o que fazer, resolvi esperar seu pedido de socorro, que para meu desespero não vinha, e ele socando cada vez mais forte, ela então puxa o travesseiro em direção ao peito e o morde, geme, chora, grita e ele, sádico não diminui o ritmo, então é a vez do canalha gemer, não era um gemido, era um urro, o animal estava enchendo a bunda da minha esposa de porra, sim estava gozando nela, agora ela gritava: aaaaaaiiiiiiiiiiiiii gostoso, safado uuuuuuuuuiiii que piroca descomunal, está me arrombando, meu cu está queimando, ardendo, chega, não aguento aaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii e fica imóvel. Ele sai de cima dela e cai para o lado, e nessa hora vejo o estrago, seu anus escorrendo esperma, muito grande e vermelho, de vez enquanto dava uns espasmos, olha para o pau do Mauricio e custo acreditar que aquilo entrou ali. Porque deixei ele fazer isso com ela, porra, é minha esposa.

Sinto um melado em minha cueca, tinha gozado, não sei em que momento, mas tinha gozado, chego perto de Mariana e toco seus cabelos, grudados na testa, devido ao suor, sua pele estava quente, me abaixo e peço desculpas, ela então me olha e diz: desculpa, peço eu por não ter de dado esse prazer antes.

E foi assim, que me tornei um corno, doeu, me senti um merda, fiquei com vergonha de encarar o Maurício, mas quer saber? Foi a primeira vez que gozei sem tocar no meu pau, e isso deve significar alguma coisa.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.