"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Veio de longe pra ser a minha puta!


autor: victorlionheart
publicado em: 02/09/17
categoria: casual
leituras: 1903
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá sras. e srs. tudo bem?

Já se passavam alguns meses desde que nos conhecemos e dia após dia, ficávamos nos excitando, provocando por horas em níveis extremos até que explodíamos num maravilhoso orgasmo. Ela é do tipo que me deixa louco de tesão (quem acompanha meus contos, sabe que existe um tipo de mulher que me enlouquece!), sem limites para o prazer e sempre disposta a fazer de tudo no sexo para chegar ao clímax. O único problema era que estava a algumas centenas de quilômetros de mim, impossibilitando que todas aquelas gozadas maravilhosas que dávamos frequentemente, ficasse apenas na nossa imaginação de como seria sentir seu melzinho morno na minha língua e o quanto seus gemidos e gritos que dava enquanto se tocava ouvindo a minha voz me excitariam se fosse colado ao meu ouvido.

Um dia desses, quando ainda estava no trabalho e de praxe passamos boa parte do dia nos provocando e fantasiando como seria um possível encontro nosso, e tudo o que nosso tesão nos permite imaginar nas nossas conversas, até que me vem a seguinte parte do diálogo:

- Sério que você faria o que eu pedisse comigo? - Perguntou ela de surpresa.

- Sim, do jeito que falamos todos os dias!

- Então quero que me foda com força e me faça gozar como uma puta!

- Se estivesse aqui, teria prazer em realizar deu desejo.

- Não seja por isso!

A mensagem que veio a seguir era a localização de um hotel, localizado na Rua Augusta, aqui em São Paulo! Por um momento não entendi o que ela quis dizer, e então em seguida mandou “Estou te esperando!”. O dia demorou muito a passar e ela não me mandou mais mensagem nenhuma, me torturando e aquilo me deixava ainda maias excitado, precisava conferir se estava ali mesmo e ao terminar o expediente, fui até o endereço informado. Na recepção dei seu nome e para a minha surpresa, realmente tinha uma suite registrada com a minha autorização liberada, sabia o que ela estava querendo, afinal de contas, uma puta está sempre a espera de seu macho!

Entrei no quarto em que ela estava e ao olhar para a cama, a vi deitada de bruços usando uma lingerie vermelha (Ela sabe que essa é a cor que mais me excita!), o rosto apoiado nos braços parecia descansar tranquilamente. Cheguei devagar ao seu lado, ela era muito mais gostosa do que via diariamente pela camera e pelas fotos que enviava e passei as maos devagar por toda suas costas até a sua bunda, me abaixando em seguida e dando um beijo devagar. Senti seus pelos ficarem ouriçados e ela se arrepiando, soltando um gemido e dizendo:

- Vc demorou, safado!

- Shhhhh! Minha puta não fala, só geme!

Dei um tapa firme em sua bunda, olhando bem safado e então via em seu rosto que realmente estava ali para ser a minha puta. Seu olhar e sorriso entregavam tudo e eu repeti as palmadas, alternando os lados, cada vez mais firme, fazendo com que cada uma deixava marcas diferentes avermelhadas por ela. Seu gemidos eram cada vez mais altos e ela se empinava, mostrando pra mim que sua buceta molhada já havia devorado o fio dental e seu melzinho escorria pelas suas coxas! Passei a língua nelas, limpando e então nos lábios daquela xana depilada e inchada, fazendo com que ela soltasse um gemido mais alto e gozasse instantaneamente, rebolando, tremendo e jogando seu corpo contra meu rosto! A chupei com vontade, devorando-a faminto como realmente estava depois de todos aqueles dias de provocação e orgasmos, não demorou até que gozasse novamente na minha língua!

Se virando de frente para mim já enlouquecida te tesão, me agarrou forte cravando as unhas na minha nuca e me puxou, beijando a minha boca como se quisesse me engolir, chupando a minha língua e saboreando seu gostinho, enquanto com a outra mão abria o cinto e o zíper da minha calça colocando para fora meu pau já duro como poucas vezes me lembro de tê-lo visto antes, pulsando e quente. Colocou a mão no meu peito e me deitou na cama e o abocanhou de uma vez, e quase me fez gozar no momento que senti aqueles lábios uentes e suaves tocando e descendo por toda a extensão dele até o final fazendo com que tocasse sua garganta e engasgasse, deixando escorrer sua saliva por todo ele! Meu corpo todo ficou imóvel quando enquanto me chupava, sugando e vazendo pressão no momento certo, batendo com ele em seu rosto e gemendo enquanto me olhava sorrindo com sua cara de puta e depois novamente o engolindo até engasgar! Quando percebia que ia gozar, parava e ficava me olhando, como se estivesse saboreando minhas expressões de tesão causadas pelo seu trabalho, como uma verdadeira puta faz.

Subiu em cima de mim e para me torturar mais, segurou meu pau na entrada de sua buceta e ficou pincelando seu grelo, se masturbando com a cabeça do meu pau, aumentando gradativamente a velocidade e a força, apertando ele de uma forma que me fazia gemer alto de tesão e me segurar para não gozar até que senti novamente seu melzinho escorrer pelo meu pau e em uma fração de segundos, sentar de uma vez, o fazendo ser engolido por sua xana molhada! Cavalgou rebolando forte, com a boca próximo ao meu ouvido, gemendo gostoso, ofegante, cada vez mais alto até que desabou em cima de mim, exausta e suada!

- Cansou? Agora vou te mostrar como eu gosto!

Me virei e a coloquei de 4 na beirada da cama, segurando firme seus cabelos forcei a encostando seu rosto no colchão e com a outra mão dei outras palmadas firmes, novamente fazendo com que seu corpo todo se arrepiasse e gritasse de prazer. Suas mãos agarravam firme o lençol e a cada tapa, mais força fazia, puxando-o contra si! A penetrei de uma vez segurando seus quadris bem fundo, as estocadas que dava eram tão fortes que a cabeceira da cama batia contra a parede e o som delicioso dos nossos corpos se chocando eram quase tão altos quanto seus gritos de prazer quando deu sua gozada mais incrível, deixando molhada até mesmo o lençol por baixo dela, fazendo seu corpo todo tremer e perder as forças! A abracei e encostei suas costas no meu peito, ainda dentro dela:

- Puta só leva gozada na boca, você sabia?

Ofegante e exausta, sem conseguir responder apenas acenou que sim com a cabeça e me beijou em seguida, se sentando e voltando a me chupar daquele mesmo jeito e dessa vez não me segurei e gozei em sua boca, urrando de tesão e tão exausto quanto ela! Tomamos um longo banho juntos, nos recuperando da nossa primeira foda real depois de tanto tempo, a noite tinha acabado de começar...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.