"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meus priminhos gêmeos me comeram


autor: Kate
publicado em: 14/09/17
categoria: incesto
leituras: 4503
ver notas
Fonte: maior > menor


Depois de dez anos morando em Londrina e sem ver minha vó, Tia Rita resolve fazer uma surpresa e vem com toda a família. Ela casou-se com tio João, com quem tem os gêmeos Carlos e Caio. Moraram com minha vó até os meninos completarem 8 anos, depois foram pra outro estado retornando só agora. Eu tinha 6 anos na época, mas era muito apegada aos meus primos.

Sabe aquela brincadeira de médico que toda ou quase toda criança faz quando pequena? Pois é, eu e meus primos sempre fazíamos e eles sempre me deixavam como paciente só pra passar a mão em mim. Mas a brincadeira que eu mais gostava era brincar de papai e mamãe com Caio e Carlos era nosso filho... rsrs

Durante essa década longe eu só os via por fotos, morenos, olhos verdes, fortes e lábios carnudos me faziam até suspirar. Sempre mantínhamos contatos, e eu aguardava anciosa a chegada deles. No dia em que desembarcaram aqui em Manaus eu estava pro sitio com a Fernanda, minha amiga gostosa que eu adoro e não pude recebe-los no aeroporto. Retornei dois dias depois pra casa e quando eu abri o portão dei de cara com Caio só de calção tocando violão na varanda, corri para abraça-lo, fiquei longos segundos naquele abraço apertado, logo Carlos aparece e me completa com outro abraço apertado. Foi tão aconchegante que eu não pretendia mais desgrudar deles, eu tinha bebido um pouco na volta do sítio e resolvi tomar um banho pra esfriar a cabeça. No final da garagem de casa tem um chuveiro, eu estava de biquíni ainda só com um vestido que logo me desfiz dele e fui pra debaixo do chuveiro.

Os dois me comiam com os olhos, eu virava de costas pra eles e me abaixava, estava provocando e estava conseguindo. Gentilmente Caio se aproximou com uma toalha e eu voltei pra varanda com eles, já tinha percebido um volume no calção deles, mas fiquei na minha e agir como se nada tivesse acontecido; conversamos um pouco e eu fui falar com meus pais e dar um abraço na minha tia e tio que se admiraram ao ver como eu tinha crescido e estava bonita.

Fui pro meu quarto, troquei minha roupa e chamei os meninos para assistir um filme no quarto de hóspedes onde eles estavam alojados. Titia carinhosa como sempre fez brigadeiro e pipoca pra gente e nos deixou a vontade, já meio tarde foram todos dormir e eu continuei com meus primos fazendo "guerra de pipoca". Carlos me olhava com malícia, eu me sentia tão bem com eles que toda hora os abraçava. Caio então perguntou:
-Kate, lembra quando éramos crianças?

-Sim. Rs, rs

-Brincávamos de médico, de papai e mamãe...

-Bons tempos né?! -disse eu meio timida

-Podemos voltar no tempo agora e fazer uma brincadeira mais moderna prima - retrucou Carlos

Eu joguei uma almofada em cada um e em sincronia vieram os dois pra cima de mim me beijando e me fazendo perder o pouco de sentido que ainda me restava. Enquanto Caio beijava loucamente minha boca, Carlos já desabotoava e baixava minha bermuda. Eu sentia uma mistura de medo de alguém aparecer a qualquer momento e um prazer enorme que eu não sabia controlar, talvez fosse errado repetir mais a sério aquelas brincadeiras que fazíamos há dez anos atrás quando crianças, mas meu corpo não entendia isso, muito pelo contrário quanto mais aqueles meninos me beijavam mais eu queria que eles fossem além.

Caio arrancou minha blusa agarrando meus seios e seu irmão já sem roupa enfiou seu pau na minha boca, eu nem conseguia falar nada, Carlos metia seu cacete até a minha garganta. Eu não sabia mais quem era quem na verdade, só senti uma boca na minha buceta me sugando e me fazendo delirar, eu abri o máximo que eu pude as minhas pernas pra receber aquelas linguadas tão gostosas, eu parecia está dopada, quando eu meio que me recordei olhei e os dois dividiam a minha bucetinha, cada um chupava um pouco.

Levantei da cama e me ajoelhei, pedi aos meus primos que ficassem em pé, segurei o pau de cada um e chupava com vontade, mamei gostoso naqueles cacetes pretos, eu sentia com minha língua as veias pulsarem. Eu não conseguia por 21cm de pau na boca, me joguei na cama e Caio levantou minhas pernas, deixando-as bem erguidas e injetou seu cacete só de uma vez na minha buceta lisinha e meladinha, eu tentei gritar, mas eu estava com a pica de Carlos praticamente toda na boca tapando minhas vias respiratórias. Minha bucetinha se esticava toda pra receber o pau gigante do meu priminho, ele tirava e metia o pau, judiava a vontade do meu grelinho que estava que nem uma pimenta, todo vermelho e inchado.

Se reverteram e estava na hora de eu sentir o cacete enorme de Carlos, ele já veio pincelando aquele mostro na minha rachinha, meteu dois dedos e socou um pouco até que colocou a cabeça rosada do seu pau na entrada da minha xoxotinha e foi introduzindo devagar a pica. Parecia que nunca ia chegar no final, quanto mais ele metia, mais grossa eu sentia que era e me contorcia toda. Eu já nem tinha chances de escapar, já tinha me conformado que iria ser fodida a noite inteira. Com socadas fortes, Carlos jorra sua porra em cima da minha buceta, senti aquela delicia tão quentinha escorrendo, e no mesmo ritmo veio Caio e jorrou mais porra na minha bucetinha que estava toda aberta, escorria leitinho pro meu buraquinho e eles ainda estava com o pau duro como o ferro querendo mais.

Eu tarada e louca pra gozar naqueles cacetes enormes, puxei Carlos e joguei na cama montando em cima dele, rebolava perfeitamente naquela rola e Caio alisava meu cuzinho que já estava todo melado e chupava meus seios, eu estava tão avassaladora que pedia mais:
-Vocês vão me foder a noite toda!
Louco de tesão Caio monta em cim de mim e mira o pau na direção do meu cuzinho, senti uma dor nessa hora e logo fui beijada por Carlos.
Eu estava com um pau na buceta e outro no meu cuzinho e estava adorando. Cavalguei naqueles cacetes e os melei dexei todos melados naquela DP magnífica.

As mãos dos meus primos gostosos percorriam todo o meu corpo e aumentavam ainda mais meu tesão, minha bucetinha e meu cuzinho estavam latejando e apertando aquelas duas picas penetradas em mim e como uma cadelinha eu começo a me tremer toda gozando. Sentia as picas deslizando suavemente nos meus buraquinhos e sentia cada bombadas que davam, segundos depois e eu com aquela sensação de ainda estar gozando, sinto jateadas de porra pra dentro de mim me consumindo toda e surpreendentemente me fazendo gozar novamente. Estávamos os três naquela loucura e nossos gozos se misturando, eu empinava meu cuzinho e recebia os 21cm de pau preto no meu cuzinho e mais 21cm na minha bucetinha.

Com os corpos exaustos e tomados pela satisfação, nos jogamos um do lado do outro na cama e descansamos alguns minutos. Logo eu segurei em cada mão as picas que me comeram e comei a alisa-las, foram crescendo rapidamente em minhas mãos e eu punhentava bem gostoso aqueles safados, me posicionei melhor e chupava também. Fiquei com o cuzinho empinando pra eles dois enquanto deixava o pau deles todo melado com minha saliva e com o lubrificante que saía da rachinha. Eles me dedavam e socavam com força seus dedos na minha xoxotinha, me arreganhava todas pra eles e adorava tudo aquilo, eles deitaram minha cabeça na cama fazendo minha bunda ficar bem empinada pro alto e começaram a dedar e a chupar meu grelinho. Duas bocas enorme abocanhavam e engoliam de uma só vez minha buceta que escorria melzinho, não aguentei e acabei gozando mais uma vez. Fiz meus priminhos beberem todo meu líquido e voltei a chupar as picas gostosas deles. Minhas mãos tão miúdas não conseguiam abarcar aqueles cacetes melados que eu punhentava ligeiramente, me preparei e coloquei minha boquinha aberta perto pra receber leitinho dos meus primos maravilhosos. Sentia porra espirrar em toda minha cara e eles com o corpo arqueados forçavam minha cabeça contra a pica deles, bebi muito leitinho.

Realmente foi maravilhoso relembrar os tempos de crianças com Caio e Carlos meus gêmeos lindos e pauzudos que me comeram o mês todo que passaram em casa e ainda tiveram a sorte grande de "conhecer" a minha Fernandinha que vou contar uma outra hora.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.