"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha putinha


autor: Flordelotus
publicado em: 17/09/17
categoria: hetero
leituras: 1491
ver notas
Fonte: maior > menor


Quando o Ângelo me contou que queria brincar de "inversão" comigo, já fui logo marcando um encontro. Se tem uma coisa que me enlouquece é um homem liberal, que não tem falsos pudores, que se joga no sexo de corpo e alma com o único objetivo de sentir prazer.
Cheguei no local marcado, na hora combinada e ele já estava me aguardando. Era mais bonito do que no vídeo. Nos cumprimentamos com abraços e beijinhos. Entramos no carro dele, nos tocando, nos apalpando, cheios de tesão. Mal entramos no quarto do motel, já praticamente pelados... kkkkk
O Ângelo tinha um cheiro bom. Uma boca gostosa, um beijo delicioso. Fomos nos deitando na cama, ele por baixo. Eu o beijava com gula. Metia minha língua na sua boca, sugava sua língua, lambia seus dentes, com minhas mãos, percorria todo seu corpo, fazendo ele gemer cada vez mais alto. Descendo com minha boca pelo seu corpo, chegando na sua genitália, lambendo toda a região. Seu cacete já babava muito, deixando sua barriga toda melada. Dei várias linguadas no seu pau, depois passei a lamber seu saco, engolindo suas bolas, o deixando louco de tesão. Ele foi levantando a pernas em direção ao peito, enquanto eu me dirigia com minha boca safada pro seu cuzinho.
Hummmmmm! Que cheiro bom. Dei uma olhada pra ver como ele estava. Era lindo! Tinha todas as preguinhas. Era bem rosadinho e fazia um biquinho, piscando, como se tivesse soltando beijinhos pra mim. Cai de boca naquela cu. Beijei, lambi, chupei, meti minha língua lá no fundo...
- aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... uiiiiiiiiiiiiiiiii
Ele gemia cada vez mais alto. E eu castigando seu rabinho na língua. Depois de um tempo, percebi que ele estava muito excitado, seu pau estava quase explodindo, resolvi dar uma "esfriada". Levantei. Fui até a estante de artigos eróticos, escolhi um strapon com um pênis rosinha, na cor da minha pele, não muito grosso pois, percebi que o cuzinho dele ainda era muito inexperiente (senão, virgem). Coloquei em mim, me posicionei do outro lado do quarto e mandei que ele ficasse de quatro e viesse até mim. Eu bolinava meus seios com uma mão e com a outra, simulava uma punheta no "meu" pau. Ele chegou perto de mim e eu mandei ele chupar meu cacete. No início ele falou que não curtia isso. Eu não quis conversa. Dei um tapa na sua cara, gritei que ele era minha putinha e que tinha que fazer o que eu mandava.
Nesse momento, percebi um brilho diferente nos seus olhos. Ele passou a me olhar com muito mais desejo. Sua boca passou a salivar mais. Ele agarrou meu pau com gosto. Chupava num desespero que parecia até fazia isso a vida toda. Metia todo na boca, tirava todo melado, lambida só a cabecinha, batia com ele nos lábios e sua bundinha bem empinada, rebolando bem devagarinho. Dei uma cuspida no seu rego, passei meu dedo médio de cima a baixo, encontrei seu buraquinho e fui entrando...
Ele continuava chupando o caralho e gemendo pedia maisssssss...
Fui me direcionando pra cama, e lá, mandei ele subir, ficar de quatro, abrir sua bundinha com as duas mãos.
Porraaaaaa... Era demais pra mim ver aquela cena: sua mão esquerda com aquela aliança grossa, seus pelos lisos suados, grudando na pele, seu cuzinho piscando, já bem vermelhinho das minhas carícias. Dei mais umas lambidas e encostei a cabeça do pau. Ele urrou alto e seu cuzinho fechou. Dei uma tapas na sua bunda e mandei ele relaxar. Fui aos poucos forçando entrada naquela rabinho de moça. Quando entrou tudo, ele se agitou todo. Passou a se movimentar pra frente e pra trás, se jogando com força contra meu corpo. Eu o segurava pelas ancas e o xingava de vários palavrões. Quanto mais eu xingava, mais louco ele ficava. Sabendo que ele não tardaria a gozar, tirei o caralho, o empurrei de lado pra que ele se voltasse , ficando de frente pra mim, coloquei seus pés nos meus ombros e tornei a meter o pau no seu rabo.
- aiiiiiiiiiiiiiii fdp ... deliciaaaaaaaa... meu cuzinho.... fodeeeeeeee... uiiiiiiiiiiiiiiiii
De repente, sem nem tocar nele, seu pau começa a dar pulos em sua barriga, jogando uma quantidade incrível de porra pra cima. Ele gritava muito alto, seus pés tremiam no meu peito, seu cu bem aberto, engolia meu caralho com uma facilidade maravilhosa. Eu acelerava as investidas dentro dele,deixando seu cu bem arrombado. Quando seu gozo acabou, seu pau ainda estava duro. Subi nele, meti seu caralho no meu cu e desci de uma vez. Meu gozo veio como uma onda gigantesca. Estremeci com todo aquele cacete dentro do meu cuzinho. Jorrei meu gozo sobre ele, misturando com o gozo dele. Cai exausta ao seu lado. Descansamos um pouco, tomamos banho e fomos embora afinal, tinha uma esposa esperando por ele em alguma casa daquela cidade...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.